Durval origem da vida - versão definitiva

5.816 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.816
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
122
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Durval origem da vida - versão definitiva

  1. 1. ORIGEM DA VIDA A ORIGEM DO UNIVERSO A ORIGEM DO SISTEMA SOLAR A ORIGEM DA VIDA NA TERRA AS PRIMEIRAS CÉLULAS HIPÓTESE AUTOTRÓFICA X HIPÓTESE HETEROTRÓFICA
  2. 3. Escala de tempo geológico Origem do sistema Terra-Lua e dos outros planetas do Sistema Solar Início da formação da crosta terrestre Origem dos primeiros seres vivos – procariotos anaeróbicos Estromatólitos Grande diversificação das bactérias – quimioautotróficas oxidantes, fotossintetizantes e redutoras de óxidos de ferro e manganês Aumento da camada de O 3 Abundância de O 2 livre na atmosfera; predomínio de organismos aeróbicos Primeiros eucariotos unicelulares Primeiras cianobactérias terrestres Vestígios de O 2 na atmosfera Provável origem das mitocôndrias (endossimbiose) Aparecimento dos animais Aparecimento de plantas e fungos Início do acúmulo de O 2 na atmosfera
  3. 4. <ul><li>CRIACIONISMO </li></ul><ul><li>É a crença religiosa de que a humanidade, a vida, a Terra e o universo são a criação de um agente sobrenatural, eterno e superior a tudo e a todos; não é necessariamente fixista (isto depende de cada crença religiosa). </li></ul><ul><li>FIXISMO </li></ul><ul><li>Fixismo era uma doutrina ou teoria filosófica bem aceita no século XVIII. Propunha, na biologia, que todas as espécies foram criadas tal como são por poder divino, e permaneceriam assim, imutáveis, por toda sua existência, sem que jamais ocorressem mudanças significativas na sua descendência . </li></ul>CONCEITOS BÁSICOS
  4. 5. <ul><li>TRANSFORMISMO (= EVOLUCIONISMO) </li></ul><ul><li>A partir do século XIX, uma série de pensadores passou a admitir a ideia da substituição gradual de espécies por outras através de adaptações a ambientes em contínuo processo de mudança. Essa corrente de pensamento, transformista, que vagarosamente foi ganhando adeptos, explicava a adaptação como um processo dinâmico, ao contrário do que propunham os fixistas. Para o transformismo, a adaptação é conseguida através de mudanças. À medida que muda o meio, muda a espécie. Diferentes mecanismos foram propostos para explicar estas mudanças (lamarckismo, darwinismo, teoria sintética da evolução). </li></ul>CONCEITOS BÁSICOS
  5. 6. CONCEITOS BÁSICOS Abiogênese = Geração Espontânea Biogênese é uma hipótese biológica segundo a qual a matéria viva procede sempre de matéria viva. Foram defensores destas idéias: Francesco Redi (XVII), Lazzaro Spallanzani (XVIII), Charles Darwin (XIX), Louis Pasteur (XIX), entre muitos outros. Foi a hipótese “vencedora” no duelo contra a geração espontânea, com o golpe final dado pelos experimentos de Pasteur. Biogênese Designa de modo geral o estudo sobre a origem da vida a partir de matéria não viva (do grego a-bio-genesis , &quot;origem não biológica&quot;); também recebe o nome de geração espontânea. Estas teorias foram, há muito tempo, descartadas pela ciência; consistiam basicamente na suposição de que organismos complexos (animais, por exemplo) não se originassem apenas de seus progenitores, mas de seres inanimado. Alguns de seus defensores foram: Aristóteles (séc. IV a.C.), Jean Baptiste van Helmont (XVI / XVII), Willian Harvey (XVI/XVII), René Descartes (XVII), Isaac Newton (XVII / XVIII), John Needhan (XVIII), Jean-Baptiste Lamarck (XVIII / XIX).
  6. 7. ABIOGÊNESE x BIOGÊNESE O primeiro passo na refutação científica da abiogênese aristotélica foi dado pelo italiano Francesco Redi, que em 1668 , provou que larvas não nasciam em carne que ficasse inacessível às moscas, protegidas por telas, de forma que elas não pudessem botar lá seus ovos. Redi então supunha que a geração espontânea teria ocorrido apenas durante os primórdios da Terra . “ Embora me sinta feliz em ser corrigido por alguém mais sábio do que eu caso faça afirmações errôneas, devo expressar minha convicção de que a Terra, depois de ter produzido as primeiras plantas e animais, por ordem do Supremo e Onipotente Criador, nunca mais produziu nenhum tipo de planta ou animal, quer perfeito ou imperfeito… “
  7. 8. ABIOGÊNESE x BIOGÊNESE John Needham x Lazzaro Spallanzani John Needham, em 1745 , realizou experimentos que vieram a reforçar a hipótese de a vida poder originar-se por abiogênese. Consistiam em aquecer em frascos de vidro líquidos nutritivos, com partículas de alimento. Fechava-os, impedindo a entrada de ar, e os aquecia novamente. Após vários dias, nesses tubos proliferavam enormes quantidades de pequenos organismos. Esses experimentos foram vistos como grande reforço a hipótese da abiogênese. Mas em 1768 , Lazzaro Spallanzani criticou duramente a teoria e os experimentos de Needham, através de experimentos similares, mas tendo fervido os frascos fechados com sucos nutritivos durante uma hora, que posteriormente foram colocados de lado durante alguns dias. Examinando os frascos, não encontrava-se qualquer sinal de vida. Ficou dessa forma demonstrado que Needham falhou em não aquecer suficientemente a ponto de matar os seres pré-existentes na mistura. Isso no entanto não foi suficiente para descartar por completo a hipótese da abiogênese. Needham replicou, sugerindo que ao aquecer os líquidos a temperaturas muito altas, pudesse estar se destruindo ou enfraquecendo o &quot;princípio ativo&quot;.
  8. 9. <ul><li>Louis Pasteur (1862) – frascos “pescoço-de-cisne” </li></ul>BIOGÊNESE: PONTO FINAL
  9. 10. <ul><li>“ Costuma-se dizer frequentemente que todas as condições necessárias para o surgimento de um ser vivo encontram-se presentes agora como sempre se encontraram. Mas se (e como é grande esse se!) nós pudéssemos imaginar que, nos dias de hoje, em alguma poça tépida, com todos tipos de sais amoníacos e fosfóricos, luz, calor, eletricidade, etc., estando presentes, um composto protéico estivesse quimicamente formado e pronto para sofrer mudanças mais complexas, tal composto seria imediatamente devorado ou absorvido, o que não teria ocorrido antes dos seres vivos terem sido formados.” </li></ul><ul><li>Charles Darwin </li></ul>MAS ENTÃO, COMO A VIDA SURGIU?
  10. 11. <ul><li>Oparin - Haldane (Hipótese Heterotrófica) – anos 1920 </li></ul><ul><li>Segundo Oparin , em ambiente aquoso, compostos orgânicos teriam sofrido reações que iam levando a níveis crescentes de complexidade molecular, eventualmente formando agregados colóides, ou coacervados . Esses coacervados seriam aptos a se &quot;alimentar&quot; rudimentarmente de outros compostos orgânicos presentes no ambiente, de forma similar a um metabolismo primitivo. Os coacervados não eram ainda organismos vivos, mas ao se formarem em enormes quantidades, e se chocarem no meio aquoso durante um tempo muito longo, eventualmente atingiriam um nível de organização que desse a propriedade de replicação. Surgiria aí uma forma de vida extremamente primitiva. </li></ul><ul><li>Haldane supunha que os oceanos primordiais funcionassem como um imenso laboratório químico, alimentado por energia solar. Na atmosfera, os gases e a radiação UV originariam compostos orgânicos, e no mar formaria-se então uma sopa quente de enormes quantidades de monômeros e polímeros. Grupos desses monômeros e polímeros adquiririam membranas lipídicas, e desenvolvimentos posteriores eventualmente levariam às primeiras células vivas. </li></ul>ORIGEM QUÍMICA DA VIDA
  11. 12. COACERVADOS
  12. 13. <ul><li>Atmosfera redutora: metano (CH 4 ), amônia (NH 3 ), hidrogênio (H 2 ) e vapor d’água; </li></ul><ul><li>Superfície terrestre muito quente – vulcanismo (ciclo evaporação / chuvas); </li></ul><ul><li>Radiação ultra-violeta; </li></ul><ul><li>Descargas elétricas. </li></ul>CONDIÇÕES PARA A ORIGEM DA VIDA (SEGUNDO OPARIN)
  13. 14. O EXPERIMENTO DE MILLER E UREY (1953) Formação de aminoácidos a partir de moléculas inorgânicas
  14. 15. <ul><li>O papel das argilas </li></ul><ul><li>Modelos hidrotermais </li></ul><ul><li>O &quot;Mundo do RNA&quot; </li></ul><ul><li>Panspermia </li></ul>TEORIAS ALTERNATIVAS
  15. 16. <ul><li>Bactérias quimiolitoautotróficas </li></ul><ul><li>FeS + H 2 S  FeS 2 + H 2 + ENERGIA </li></ul><ul><li>Fermentação (anaeróbica) </li></ul><ul><li>C 6 H 12 O 6  outro composto orgânico + ENERGIA </li></ul><ul><li>Fotossíntese </li></ul><ul><li>6CO 2 + 6H 2 S + ENERGIA  C 6 H 12 O 6 + 6S 2 </li></ul><ul><li>6CO 2 + 6H 2 O + ENERGIA  C 6 H 12 O 6 + 6O 2 </li></ul><ul><li>Respiração aeróbica </li></ul><ul><li>C 6 H 12 O 6 + 6O 2  6CO 2 + 6H 2 O + ENERGIA </li></ul>EVOLUÇÃO DO METABOLISMO ENERGÉTICO LUZ LUZ
  16. 17. EVOLUÇÃO DAS CÉLULAS EUCARIÓTICAS
  17. 18. ÁRVORE FILOGENÉTICA DOS SERES VIVOS
  18. 19. ÁRVORE FILOGENÉTICA DOS SERES VIVOS (REVISADA)

×