Formação de Auditor Interno PBQP-H

2.505 visualizações

Publicada em

Treinamento voltado para profissionais e gerentes responsáveis pela implementação do Sistema de Gestão da Qualidade e que precisam atender aos requisitos do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Habitat. Tem como objetivo qualificar os profissionais para atuarem como auditores internos do Sistema da Qualidade na construção civil.

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.505
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
308
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Formação de Auditor Interno PBQP-H

  1. 1. AUDITOR INTERNO PBQP-H
  2. 2. AUDITORIA NBR ISO 19011 DIRETRIZES PARA AUDITORIAS DE SISTEMA DE GESTÃO http://www.abntcatalogo.com.br/
  3. 3. AUDITORIA PROCESSO SISTEMÁTICO, DOCUMENTADO E INDEPENDENTE PARA OBTER EVIDÊNCIAS DE AUDITORIA E AVALIÁ-LAS OBJETIVAMENTE DETERMINANDO A EXTENSÃO NA QUAL OS CRITÉRIOS DE AUDITO- RIA SÃO ATENDIDOS
  4. 4. REQUISITOS Determinar a conformidade e eficácia de um sistema de gestão Fornecer oportunidades de melhoria ao sistema de gestão Verificar se as “regras” estabelecidas estão sendo aplicadas Atendimento aos requisitos legais e regulamentares Preparar a empresa para receber uma auditoria de certificação OBJETIVOS DA AUDITORIA
  5. 5. REQUISITOS CLASSIFICAÇÃO DAS AUDITORIAS Primeira parte Auditoria interna Realizada internamente pela própria organização Segunda parte Auditoria externa Realizada por uma organização interessada em outra organização. Ex: Clientes auditando fornecedores. Terceira parte Auditoria externa Realizada por um organismo independente, com vista a certificação
  6. 6. PRINCÍPIOS DA AUDITORIA - Conduta ética: O fundamento do profissionalismo. Confiança, integridade, confidencialidade e discrição são essenciais para auditar; - Apresentação justa: A obrigação de reportar com veracidade e exatidão;. Constatações de auditoria, conclusões, relatórios refletem verdadeiramente as atividades da auditoria; - Devido cuidado profissional: A aplicação de diligencia e julgamento na auditoria. Os auditores devem ter o cuidado necessário, considerando a importância de seu trabalho e a confiança depositada pelos clientes; - Independência: A base para a imparcialidade da auditoria e objetividade das conclusões da auditoria; - Abordagem baseada em evidência: O método racional de alcançar conclusões de auditoria confiáveis e reproduzíveis em um processo sistemático de auditoria. REQUISITOS
  7. 7. REQUISITOS 1.Planejamento da auditoria 2. Preparação da auditoria 3. Execução da auditoria ETAPAS DA AUDITORIA 4. Acompanhamento dos resultados
  8. 8. 1. PLANEJAMENTO DA AUDITORIA NO PLANEJAMENTO DAS AUDITORIAS DEVEMOS CONSIDERAR: • A situação atual de implementação de um sistema de gestão; • A importância do processo a ser auditado; • O resultado de auditorias anteriores; • A análise crítica do sistema de gestão; • Eventuais alterações nos procedimentos de trabalho da organização; • A independência dos auditores.
  9. 9. 2. PREPARAÇÃO DA AUDITORIA • Preparar o programa de auditoria (prevendo tempos, requisitos, processos e auditados envolvidos); • Notificar ao auditado o dia da auditoria; • Considerar o conjunto da documentação de referências, internas (manual, procedimentos, instruções e registros) externas (normas e documentos regulamentares); • Preparar um check list se necessário; • Selecionar equipe auditora; • Escopo da auditoria; • Critérios da auditoria; • Pessoal disponível; • Tempo disponível para execução da auditoria.
  10. 10. 3. EXECUÇÃO DA AUDITORIA • Reunião de abertura: Apresentação do auditor e auditado, confirmação do escopo, critérios, horários e objetivo da auditoria interna. • Execução da auditoria: Auditoria nos processos indicados no programa de auditoria interna; verificação de conformidades e possíveis melhorias, observações e não conformidades; • Auditoria baseada em evidências • Auditoria realizada por amostragem • Relatório de auditoria interna • Reunião de encerramento: Fechamento da auditoria interna, agradecimentos, apresentação do relatório de auditoria e possíveis não conformidades, observações e melhorias.
  11. 11. 4. ACOMPANHAMENTO DOS RESULTADOS DA AUDITORIA As conclusões da auditoria interna pode indicar necessidade de ações corretivas e preventivas, tais ações deverão ser tomadas pelo auditado em prazos acordados.
  12. 12. O AUDITOR DEVE: • Ter a competência para auditar; • Cumprir o plano de auditoria; • Observar relatórios de auditorias anteriores e ações abertas; • Ser imparcial; • Buscar evidencias objetivas; • Desenvolver relatório de auditoria; • Ter uma boa capacidade de avaliação; • Ser atento; • Saber reagir eficientemente em casos de estresse.
  13. 13. O QUE É O PBQP-H? É um programa brasileiro instituído pelo governo federal, tem como objetivo organizar o setor da construção civil, promovendo melhoria da qualidade e modernização produtiva.
  14. 14. Coordenação Geral Secretaria nacional de habitação/ Ministério das cidades GAT CTECH GRUPO DE ASSESSORAMENTO TÉCNICO COMITE NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DA HABITAÇÃO SiAC Sistemas de Avaliação da Conformidade de Empresas de Serviços e Obras da Construção Civil SiMaC Sistemas de Qualificação de Materiais, Componentes e Sistemas Construtivos SiNAT Sistemas Nacional de Avaliação Técnica de Produtos Inovadores ESTRUTURA DO PBQP-H
  15. 15. O QUE É SiAC? Sistema de Avaliação da Conformidade de Empresas de Serviços e Obras da Construção Civil O SiAC é uma das normas integrantes do PBQP-H, especifica para exe- cução de obras. É baseada na NBR ISO9001.
  16. 16. SIAC Execução de Obras de Edificações Execução de Obras de Saneamento Básico Execução de Obras Viárias e Artes Especiais
  17. 17. ATUALIZAÇÃO DO SiAC A ultima revisão da norma SiAC ocorreu em Dez/12, portanto todas as construtoras tem o prazo limite até Dez/13 para se enquadrarem na nova versão, passando este prazo, o certificado no SiAC antigo não terá mais validade. O SiAC poderá ser adquirido gratuitamente através do site do ministério das cidades, conforme link abaixo: www.cidades.gov.br/pbqp-h/
  18. 18. QUAIS SÃO OS NÍVEIS DO PBQP-H? • Nível de Adesão: Adesão da empresa ao programa através do envio da Declaração de Adesão a secretaria executiva do SiAC. Não é uma certificação, e sim, uma adesão. • Nível B:Corresponde a 77% dos requisitos da norma. Para a empresa conquistar o nivel B ela deve ser certificada por um organismo acreditado. • Nível A:Corresponde a 100% dos requisitos da norma. Para empresa conquistar o nível A ela deve ser certificada por um organismo acreditado.
  19. 19. QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS ENTRE OS NÍVEIS B E A? NÍVEL B NÍVEL A 77% dos requisitos do SiAC 100% dos requisitos do SiAC 40% serviços controlados 100% serviços controlados 50% materiais controlados 100% materiais controlados 50% de serviços e materiais já inspecionados 50% dos serviços e materiais já inspecionados ¼ de serviços e materiais em execução ¼ de serviços e materiais em execução
  20. 20. ANÁLISE DO SiAC O SiAC é dividido em 5 partes: • Anexo I “Regimento Geral”: Princípios, definições, obrigações do organismo certificador, declaração de adesão, qualificação dos auditores, falta das empresas, etc. • Anexo II “Regimento Específico”: Setores do SiAC, declaração de adesão, regras, dimensionamento da auditoria em dias e obras. • Anexo III “Referencial Normativo Nível B e Nível A”: Requisitos para implantação do SiAC. • Anexo IV “Requisitos Complementares”: Controle dos materiais e serviços por escopo.
  21. 21. ANEXO II – PRINCIPAIS PONTOS • A auditoria em canteiro de obras é essencial para certificação; • Somente serão aceitas obras cuja responsabilidade técnica pela sua execução esteja em nome da construtora, sendo demonstrada através da ART (Anotação de responsabilidade técnica); • No ciclo de 36 meses, a construtora pode não possuir obra, sendo este o caso o OAC deverá ser comunicado, onde deverá ser auditado registros da construtora.
  22. 22. ANEXO II – PRINCIPAIS PONTOS A Auditoria de certificação é divida em duas fases: • Fase 1: auditoria na documentação, avaliação do espaço físico, grau de preparação para auditoria de fase 2 ; • Fase 2: auditoria para avaliar a conformidade do sistema de gestão da qualidade para com as exigências normativas. Não é recomendado que o tempo decorrido entre as auditorias de fase 1 e 2 seja superior a 3 mês.
  23. 23. DIMENSIONAMENTO DO Nº DE DIAS DE AUDITORIA - NÍVEL B ANEXO II – PÁGINA 08 Número de Trabalhadores De 1 a 5 Auditoria Certificação Fase 1 Auditoria Certificação Fase 2 Auditoria Supervisão Auditoria Recertificação De 6 a 25 De 26 a 65 De 66 a 85 De 86 a 175 De 176 a 425 De 426 a 625 De 626 a 1175 0,5 dia 0,5 dia 0,5 dia 0,5 dia 0,5 dia 0,5 dia 0,5 dia 0,5 dia 0,5 dia 0,5 dia 1,5 dia 2,5 dias 3,5 dias 5,5 dias 5,5 dias 6,5 dias 7,5 dias 1 dia 1 dia 1,5 dia 1,5 dia 2 dias 2,5 dias 3 dias 1 dia 2 dias 2 dias 3 dias 4 dias 5 dias 6 dias 3 dias
  24. 24. DIMENSIONAMENTO DO Nº DE DIAS DE AUDITORIA - NÍVEL A ANEXO II – PÁGINA 08 Número de Trabalhadores De 1 a 5 Auditoria Certificação Fase 1 Auditoria Certificação Fase 2 Auditoria Supervisão Auditoria Recertificação De 6 a 10 De 11 a 25 De 26 a 45 De 46 a 65 De 66 a 85 De 86 a 125 De 126 a 175 1 dia 1 dia 1 dia 1 dia 1 dia 1 dia 1 dia 1 dia 1 dia 1 dia 1 dia 2 dias 3 dias 4 dias 5 dias 6 dias 7 dias 1 dia 1 dia 2 dias 2 dias 2 dias 3 dias 3 dias 1 dia 2 dias 2 dias 3 dias 4 dias 5 dias 6 dias 4 dias
  25. 25. DIMENSIONAMENTO DO Nº DE DIAS DE AUDITORIA - NÍVEL A ANEXO II – PÁGINA 08 Número de Obras 1 Auditoria Certificação Auditoria Supervisão Auditoria Recertificação 2 3 a 4 5 a 6 7 a 9 10 a 11 12 a 14 15 a 16 1 Obra 2 Obras 2 Obras 3 Obras 3 Obras 4 Obras 4 Obras 4 Obras 1 Obra 1 Obra 1 Obra 2 Obras 2 Obras 2 Obras 2 Obras 3 Obras 3 Obras 2 Obras 2 Obras 2 Obras 3 Obras 3 Obras 3 Obras 4 Obras 17 a 20 5 Obras 3 Obras 4 Obras
  26. 26. ANEXO II – PRINCIPAIS PONTOS Deve ser evidenciado pelo OAC que a empresa construtora, em empregando materiais com certificação compulsória, se assegura do uso de produtos que atendam a essa exigência, sendo obrigatória a verificação da respectiva marca do INMETRO ou da rastreabilidade dos ensaios constantes nos laudos. http://www.inmetro.gov.br/qualidade/prodCompulsorios.asp
  27. 27. ANEXO II – PRINCIPAIS PONTOS Deve ser evidenciado pelo OAC que a empresa construtora se assegura das condições de calibração do equipamento de ensaio dos materiais e componentes utilizados na estrutura portante de suas obras. http://www.inmetro.gov.br/laboratorios/rbc/lista_laboratorios.asp
  28. 28. ANEXO II – PRINCIPAIS PONTOS Art. 28º Deve ser evidenciado pelo OAC que a empresa construtora tenha a capacidade de atender normas técnicas, requisitos legais, bem como para SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE. (Página 15) Requisitos: • SiAC 2012 (Link: cidades.gov.br/pbqp-h/); • NBR ISO9001:2008 (Link: www.abntcatalogo.com.br); - NBRs (Link: www.abntcatalogo.com.br); • NRs Pertinentes (Link: portal.mte.gov.br); • Alvará de Construção; • ART (anotação de responsabilidade técnica) em nome da construtora; • ART dos projetos; • Política Nacional dos resíduos sólidos;
  29. 29. ANEXO II – PRINCIPAIS PONTOS Não é obrigatória a disponibilização de normas técnicas na empresa ou nos seus canteiros de obras, e sim a construtora deve ter um meio para consulta-las quando necessário.
  30. 30. REQUISITOS DO SiAC Anexo III e IV
  31. 31. SUMÁRIO 1 -Objetivo 2 -Referência Normativa 3 -Termos e Definições 4 - Sistema de Gestão da Qualidade 5 - Responsabilidade de Direção 6 -Gestão de Recursos 7 -Execução da Obra 8 -Medição, Análise e Melhoria
  32. 32. 1. Objetivo Aplicado a empresas construtoras Indicação do nível que será implementado Utilizar para implementação do SiAC os anexos: I, II, III e IV
  33. 33. 2. Referência Normativa A aplicação do referencial normativo SiAC não impede a empresa de implementar e de se certificar pela NBR ISO9001, e nem tampouco a exime de respeitar toda a legislação a ela aplicável.
  34. 34. 3. Termos e Definições Aplicam-se os termos e definições do Regimento Geral do SiAC e da edição vigente da NBR ISO9000.
  35. 35. 4. Sistema de Gestão da Qualidade 4.1. Requisitos Gerais A construtora deve atender em seu planejamento de implantação do SGQ os seguintes requisitos abaixo: Diagnóstico da situação da empresa Definir o escopo Lista de material e serviço controlado Determinar os processos e sua interação Métodos para assegurar o controle dos processos Disponibilização de recursos Monitorar, medir e analisar os processos Implementar ações para atingir os resultados Melhoria Contínua dos processos REQUISITOS
  36. 36. REQUISITOS 4.2. Requisitos de Documentação 4.2.1. Generalidades As documentações do SGQ devem incluir: Declaração documentada da Politica da Qualidade Declaração documentada dos Objetivos da Qualidade Manual da Qualidade Plano de Qualidade da Obra Procedimentos Documentados Registros
  37. 37. 4.2.2. Manual da Qualidade A construtora deve elaborar, documentar, implementar e manter um manual da qualidade que inclua: REQUISITOS Escopo Procedimentos Detalhes e justificativas para exclusões Descrição da sequência e interação entre os processos
  38. 38. REQUISITOS 4.2.3. Controle de Documentos Os documentos devem ser controlados conforme um procedimento documentado, seguindo os requisitos abaixo: Aprovar documentos quanto sua adequação antes de sua emissão Analisar criticamente, atualizar e reaprovar documentos Assegurar que alterações e sua situação atual sejam identificadas Assegurar que as versões pertinentes estão nos locais de uso Assegurar que documentos permaneçam legíveis e identificáveis Prevenir o uso de documentos obsoletos Identificar e controlar distribuição de documentos externos
  39. 39. REQUISITOS 4.2.4. Controle de Registros Registro da qualidade devem ser instituídos e mantidos para prover evidências. Devem ser legíveis e prontamente identificáveis. Um procedimento deve ser documentado, seguindo os requisitos abaixo: Identificação dos registros Armazenamento dos Registros Proteção dos registros Recuperação dos registros Tempo de retenção dos registros Disposição dos registros
  40. 40. REQUISITOS 5. Responsabilidade da Direção 5.1. Comprometimento da Direção A direção deve fornecer evidências do seu comprometimento com o desenvolvimento e implementação do SGQ e com a melhoria contínua de sua eficácia mediante: Comunicação com os colaboradores sobre a importância de atender requisitos do cliente Estabelecimento da politica da qualidade Garantia da disponibilidade de recursos Garantia de que são estabelecidos os objetivos da qualidade Garantia de que os indicadores estão sendo acompanhados Condução de análise critica
  41. 41. REQUISITOS 5.2. Foco no Cliente A direção deve assegurar que: os requisitos do cliente são determinados e atendidos com o propósito de aumentar a satisfação dos clientes. Os requisitos do cliente são determinados com o propósito de aumentar a satisfação dos clientes. Os requisitos do cliente são atendidos com o propósito de aumentar a satisfação dos clientes.
  42. 42. REQUISITOS 5.3. Política da Qualidade A direção deve assegurar que a politica da qualidade: Seja apropriada aos propósitos da empresa Inclua o comprometimento com o atendimento aos requisitos do cliente e com a melhoria contínua da eficácia do SGQ Proporciona estrutura para estabelecimento e analise critica dos objetivos da qualidade Seja comunicada e entendida por todos Seja analisada criticamente
  43. 43. REQUISITOS 5.4. Planejamento 5.4.1. Objetivos da Qualidade A direção deve assegurar que: Sejam definidos os objetivos da qualidade mensuráveis Sejam definidos indicadores para permitir o acompanhamento dos objetivos Os objetivos da qualidade incluam aqueles necessários para atender requisitos aplicados a execução das obras Seja implementado um sistema de medição dos indicadores Haja acompanhamento da evolução dos indicadores
  44. 44. REQUISITOS 5.4.1.1. Objetivos da Qualidade voltados para sustentabilidade dos canteiros de obras São considerados indicadores obrigatórios: Indicador de geração de resíduos ao longo da obra Indicador de consumo de água ao longo da obra Indicador de consumo de energia ao longo da obra Indicador de geração de resíduos ao final da obra Indicador de consumo de água ao final da obra Indicador de consumo de energia ao final da obra
  45. 45. REQUISITOS Geração de resíduos sólidos: Indicador de geração de resíduos ao longo da obra Número de resíduos (excluído solo)gerados na obra mensalmente(m3) x Numero de trabalhadores na obra Indicador de geração de resíduos ao final da obra Número de resíduos gerados ao longo da obra (m3) x m2 de área construída
  46. 46. REQUISITOS Consumo de água: Indicador de consumo de água ao longo da obra Consumo de água na obra mensalmente(m3) x Numero de trabalhadores na obra Indicador de consumo de água ao final da obra Consumo de agua ao longo da obra (m3) x m2 de área construída
  47. 47. REQUISITOS Consumo de energia: Indicador de consumo de energia ao longo da obra Consumo de energia na obra mensalmente(kWh) x Numero de trabalhadores na obra Indicador de consumo de energia ao final da obra Consumo de energia ao longo da obra (kWh) x m² de área construída
  48. 48. 5.4.2. Planejamento do Sistema de Gestão da Qualidade A direção deve : O Planejamento do SGQ é realizado de forma a satisfazer aos requisitos citados no item 4.1, bem como os objetivos da qualidade. A integridade do SGQ é mantida quando mudanças no SGQ são planejadas e implementadas. REQUISITOS
  49. 49. REQUISITOS 5.5. Responsabilidade, Autoridade e Comunicação 5.5.1. Responsabilidade e autoridade A direção deve: Assegurar que as responsabilidades e autoridades são definidas ao longo da documentação do SGQ
  50. 50. REQUISITOS 5.5.2. Representante da Direção A direção deve indicar um membro da empresa, que independente de outras responsabilidades, deve ter a responsabilidade e autoridade para: Assegurar que os processos sejam estabelecidos, implementados e mantidos Assegurar a promoção da conscientização sobre os requisitos do cliente em toda a empresa Relatar a direção o desempenho do SGQ e qualquer necessidade de melhoria
  51. 51. REQUISITOS 5.5.3. Comunicação Interna* A direção deve: Assegurar que são estabelecidos internamente os processos de comunicação apropriados e que seja realizada comunicação relativa a eficácia do SGQ
  52. 52. REQUISITOS 5.6. Análise Critica pela Direção 5.6.1. Generalidades A direção deve analisar criticamente o SGQ, a intervalos planejados, para assegurar sua contínua pertinência, adequação e eficácia. A análise critica deve incluir oportunidades de melhoria, necessidade de mudanças, analise da politica da qualidade e objetivos da qualidade.
  53. 53. REQUISITOS 5.6.2. Entradas Resultados de Auditorias, Situação das ações corretivas, Acompanhamento de ações de analises anteriores, Mudanças que possam afetar SGQ, Recomendações para melhoria, Retroalimentação do cliente, Desempenho dos processos e conformidade do produto, Situação das ações preventivas 5.6.3. Saídas Melhoria do produto em relação aos requisitos do cliente, Necessidade de recursos, Melhoria do SGQ e de seus processos
  54. 54. REQUISITOS 6. Gestão de Recursos 6.1. Provisão de Recursos A empresa deve determinar e prover recursos necessários para: Implementar e manter o SGQ Melhorar continuamente a eficácia do SGQ Aumentar a satisfação dos clientes mediante o atendimento aos seus requisitos
  55. 55. REQUISITOS 6.2. Recursos Humanos 6.2.1. Designação de Pessoal Escolaridade Qualificação profissional Treinamento Habilidades Experiência O Pessoal que executa atividades que afetam a qualidade do produto deve ser competente com base em:
  56. 56. REQUISITOS 6.2.2. Competência, conscientização e treinamento A empresa deve: Determinar competências para o pessoal Fornecer treinamentos ou tomar ações para suprir as necessidades de competência Avaliar a eficácia das ações executadas Assegurar que o pessoal esta consciente quanto a pertinência e importância de suas atividades e de como elas contribuem para atingir os objetivos da qualidade Manter registros apropriados de competência
  57. 57. REQUISITOS 6.3. Infraestrutura A empresa deve identificar, prover e manter a infraestrutura necessária para a obtenção da conformidade do produto, incluindo: Canteiros de obras, escritórios, demais locais de trabalho. Ferramentas e equipamentos relacionados ao processo de produção Serviços de apoio
  58. 58. REQUISITOS 6.4. Ambiente de Trabalho* A empresa deve: Determinar e gerenciar as condições do ambiente de trabalho necessárias para obtenção da conformidade com os requisitos do produto
  59. 59. REQUISITOS 7. Execução da Obra NOTA: A seção 7 é a única que contém cláusulas que a organização pode considerar não aplicáveis para o tipo de produto que realiza ou de serviço que presta. Porém, estas exclusões somente poderão ser efetuadas caso não afetem a capacidade ou responsabilidade da organização de fornecer produtos que atendam aos requisitos do cliente e os requisitos estatutários e regulamentares aplicáveis. As exclusões e a justificativa para elas devem ser indicadas no Manual da Qualidade.
  60. 60. 7.1. Planejamento da Obra 7.1.1. Plano de Qualidade da Obra A construtora deve para cada uma de suas obras, elaborar, documentar o respectivo plano de qualidade da obra, conforme requisitos abaixo: Estrutura organizacional Relação de materiais e serviços Projeto do canteiro Especificidades da obra Processos Críticos Manutenção Programa de treinamento Objetivos da qualidade Destinos adequados de resíduos sólidos e líquidos REQUISITOS
  61. 61. REQUISITOS 7.1.2. Planejamento da Execução da Obra A execução deve realizar: Planejamento, programação e controle do andamento da execução da obra, visando seu bom desenvolvimento, contemplando os respectivos recursos.
  62. 62. REQUISITOS 7.2. Processos relacionados ao cliente 7.2.1. Determinação dos requisitos relacionados a obra A empresa deve determinar: Requisitos da obra especificados pelo cliente, incluindo os requisitos de entrega da obra e assistência técnica Requisitos da obra não especificados pelo cliente mais necessários Qualquer requisito adicional determinado pela empresa construtora Obrigações relativas a obra, incluindo requisitos regulamentares e legais
  63. 63. REQUISITOS 7.2.2. Análise Crítica dos requisitos relacionados a obra A empresa deve analisar criticamente os requisitos da obra, estes requisitos deve ser analisados antes da empresa assumir o compromisso com o cliente e deve assegurar que: Os requisitos da obra estão definidos Quaisquer divergências entre proposta e o contrato estão resolvidos Quando requisitos forem alterados, deve assegurar que os documentos pertinentes são complementados e o pessoal comunicado A construtora tem a capacidade para atender aos requisitos determinados
  64. 64. REQUISITOS 7.2.3. Comunicação com o cliente* A empresa deve determinar e implementar meios de comunicação com os clientes relacionados a: Tratamento de propostas e contratos, incluindo emendas Informações sobre a obra Retroalimentação do cliente, incluindo suas reclamações
  65. 65. REQUISITOS 7.3. Projeto Para empresas que executam seu próprio projeto devem ser implementados os seguintes requisitos: 7.3.1: Planejamento e elaboração do projeto / 7.3.2: Entradas de projeto / 7.3.3: Saídas de projeto / 7.3.4: Análise critica de projeto / 7.3.5: Verificação de projeto / 7.3.6: Validação de projeto / 7.3.7: Controle de alteração de projeto* Para empresas que cumprem projetos de seus clientes deve ser implementado somente o requisito: 7.3.8: Análise critica de projetos fornecidos pelo cliente*
  66. 66. REQUISITOS 7.4. Aquisição 7.4.1. Processo de Aquisição A construtora deve assegurar que a compra de materiais e a contratação de serviços estejam conforme com os requisitos especificados de aquisições. Os controles de aquisição são aplicados para: Materiais e Serviços Controlados Serviços laboratoriais Locação de Equipamentos Serviços de projetos e engenharia
  67. 67. 7.4.1.1. PROCESSO DE QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES A construtora deve estabelecer critérios para qualificar (pré-avaliar e selecionar) seus fornecedores. Deve ser tomado como base a capacidade do fornecedor em atender aos requisitos especificados nos documentos de aquisição. No caso de fornecedores de materiais deve se considerar a sua formalidade e legalidade. Poderá ser dispensada do processo de qualificação a empresa considerada qualificada pelo PSQ (Programa Setorial da Qualidade), SBAC (sistema brasileiro de avaliação da conformidade), DATec (Documento de Avaliação técnica, do sistema nacional de avaliações técnicas de produtos inovadores). É vedado a empresa adquirir produtos de fornecedores de materiais considerados não conformes pelo PSQ. REQUISITOS
  68. 68. Empresas qualificadas no PSQ: Link: www.cidades.gov.br/pbqp-h/projetos_simac_psqs REQUISITOS
  69. 69. REQUISITOS 7.4.1.2. Processo de Avaliação de Fornecedores* A construtora deve: Estabelecer critérios para avaliar o desempenho de seus fornecedores em seus fornecimentos. Deve ser tomado como base a capacidade do fornecedor atender os requisitos especificados nos documentos de aquisição.
  70. 70. REQUISITOS 7.4.2. Informações para Aquisição A construtora deve assegurar a adequação dos requisitos de aquisição especificados antes da sua comunicação ao fornecedor.: Materiais Controlados: Descrever claramente o que esta sendo comprado, indicar normas técnicas. Serviços Controlados: Descrever claramente o que esta sendo contratado, incluindo especificações técnicas Serviços de projeto e engenharia*: Descrever claramente o que esta sendo contratado, incluindo especificações técnicas Serviços Laboratoriais: Descrever claramente o que esta sendo contratado, incluindo especificações técnicas
  71. 71. REQUISITOS 7.4.3. Verificação do produto adquirido A construtora deve: Instituir inspeção ou outras atividades necessárias para assegurar que o produto adquirido atende aos requisitos de aquisição especificados.
  72. 72. 7.5. Operações de Produção e Fornecimento de Serviço 7.5.1. Controle de Operações A construtora deve planejar e realizar a produção e o fornecimento de serviço sob condições controladas, devendo incluir: Disponibilidade de informações que descrevam as características do produto Uso de equipamentos adequados Disponibilidade e uso de dispositivos para monitoramento e medição Implementação de monitoramento e medição Implementação da liberação, entrega e atividades de pós entrega Manutenção de equipamentos considerados críticos REQUISITOS
  73. 73. REQUISITOS A atividade de entrega inclui o fornecimento ao cliente de manual de uso, operação e manutenção, contendo as principais informações sobre as condições de utilização das instalações e equipamentos bem como orientações para a operação e manutenção da obra.
  74. 74. REQUISITOS 7.5.1.1. Controle dos Serviços de Execução Controlados A construtora deve garantir que os procedimentos documentados afeitos aos serviços de execução controlados incluam requisitos para: Realização e aprovação do serviço Qualificação do pessoal que realiza o serviço
  75. 75. REQUISITOS Quando a empresa adquirir externamente algum serviço ela deve: Definir um procedimento documentado de realização do processo, garantir que o fornecedor o implemente e realizar inspeção dos serviços executados. Analisar criticamente e aprovar o procedimento documentado definido pela empresa e realizar inspeção dos serviços executados.
  76. 76. ANEXO IV – SERVIÇOS CONTROLADOS Os serviços controlados já são pré definidos pela norma, sendo eles: Serviços preliminares: 1. compactação de aterro; 2. locação de obra. Fundações: 3. execução de fundação. Estrutura: 4. execução de fôrma; 5. montagem de armadura; 6. concretagem de peça estrutural; 7. execução de alvenaria estrutural.
  77. 77. ANEXO IV – SERVIÇOS CONTROLADOS Vedações verticais: 8. execução de alvenaria não estrutural e de divisória leve; execução de revestimento interno de área seca, incluindo produção de argamassa em obra, quando aplicável; 10. execução de revestimento interno de área úmida; 11. execução de revestimento externo. Vedações horizontais: 12. execução de contrapiso; 13. execução de revestimento de piso interno de área seca; 14. execução de revestimento de piso interno de área úmida; 15. execução de revestimento de piso externo; 16. execução de forro; 17. execução de impermeabilização; 18. execução de cobertura em telhado (estrutura e telhamento).
  78. 78. ANEXO IV – SERVIÇOS CONTROLADOS Esquadrias: 19. colocação de batente e porta; 20. colocação de janela.   Pintura: 21. execução de pintura interna; 22. execução de pintura externa. Sistemas prediais: 23. execução de instalação elétrica; 24. execução de instalação hidro-sanitária; 25. colocação de bancada, louça e metal sanitário.
  79. 79. REQUISITOS 7.5.2. Validação dos Processos* A empresa deve validar todos os processos de produção e de fornecimento de serviço onde a saída resultante não possa ser verificada por monitoramento ou medição subsequente. Traços do concreto, graute e argamassa
  80. 80. REQUISITOS 7.5.3. Identificação e Rastreabilidade 7.5.3.1. Identificação Quando apropriado a empresa deve identificar o produto ao longo da produção, a partir do recebimento e durante estágios de execução e entrega. Esta identificação tem por objetivo garantir a correspondência inequívoca entre projetos, produtos, serviços e registros gerados, evitando erro.
  81. 81. REQUISITOS 7.5.3.2. Rastreabilidade A empresa deve garantir a rastreabilidade, ou a identificação única dos locais de aplicação de cada lote, para os materiais controlados cuja sua qualidade não possa ser assegurada por meio de medição e monitoramento realizados antes da sua aplicação. Um dos materiais onde há a necessidade do controle da rastreabilidade é o concreto, cuja o resultado de sua resistência só é obtida após 28 dias
  82. 82. REQUISITOS 7.5.4. Propriedade do cliente* A empresa deve ter cuidado com a propriedade do cliente enquanto ela estiver sob seu controle ou por ela sendo utilizada. A empresa deve: Identificar, verificar, proteger e salvaguardar a propriedade do cliente Comunicar o cliente caso seja perdida, danificada ou considerada inadequada para uso
  83. 83. REQUISITOS 7.5.5. Preservação do Produto A empresa deve ter garantir para materiais controlados sua correta identificação, manuseio, estocagem e condicionamento, preservando a conformidade dos mesmos em todas as etapas do processo de produção.
  84. 84. REQUISITOS 7.6. Controle dos Dispositivos de Medição e Monitoramento A empresa deve determinar as medições e monitoramento a serem realizados e os dispositivos de medição e monitoramento necessários para evidenciar a conformidade do produto. Os dispositivos de medição devem ser: Calibrado ou verificado a intervalos planejados Ajustado ou reajustado Protegido contra ajustes que possam invalidar o resultado e protegido contra danos Identificado sobre sua situação
  85. 85. REQUISITOS 8. Medição, Análise e Melhoria 8.1. Generalidades A empresa deve planejar e implementar os processos necessários de monitoramento, medição, análise e melhoria para: Melhorar continuamente a eficácia do SGQ Demonstrar a conformidade do produto Assegurar a conformidade do SGQ
  86. 86. REQUISITOS 8.2. Medição e Monitoramento 8.2.1. Satisfação dos Clientes Como uma das medições do desempenho do SGQ, a empresa deve monitorar informações relativas a percepção do cliente sobre se a empresa atendeu seus requisitos.
  87. 87. 8.2.2. Auditoria Interna A empresa deve: Executar auditorias internas a intervalos planejados Determinar um programa de auditoria Auditar todos os processos pelo menos 1 vez por ano Selecionar auditores assegurando objetividade e imparcialidade Definir Responsabilidades, requisitos para planejamento e execução da auditoria devem ser descritos em procedimento Tomar ações sobre resultados de auditoria REQUISITOS
  88. 88. REQUISITOS 8.2.3. Medição e Monitoramento dos Processos* A empresa deve aplicar métodos adequados para monitoramento, e quando aplicável, para medição dos processos do SGQ. Esses métodos devem demonstrar a capacidade dos processos em alcançar os resultados planejados. Quando os resultados planejados não forem alcançados, ações deverão ser tomadas
  89. 89. REQUISITOS 8.2.4. Inspeção e monitoramento de materiais e serviços de execução controlados e da obra A empresa deve estabelecer procedimento documentado de inspeção e monitoramento das características dos materiais controlados, dos produtos resultantes dos serviços controlados e das características finais da obra, afim de verificar o atendimento aos requisitos especificados.
  90. 90. REQUISITOS 8.3. Controle de materiais e de serviços de execução controlados e da obra não conformes Um procedimento documentado deve ser estabelecido para assegurar que os materiais, serviços e obra, que não estejam conformes com os requisitos, sejam identificados e controlados para evitar seu uso ou entrega não pretendidos e definir os controles e as responsabilidades e a autoridade relacionadas para lidar com não conformidades. Identificação da não conformidade Execução de ações para eliminar a NC
  91. 91. REQUISITOS 8.4. Análise de Dados A empresa deve determinar, coletar e analisar dados apropriados para demonstrar adequação do SGQ e avaliar onde melhorias continuas podem ser realizadas. A analise de dados deve fornecer informações relativas a: Oportunidade de ação preventiva Fornecedores Características da obra entregue Satisfação dos Clientes Conformidade com os requisitos do produto
  92. 92. REQUISITOS 8.5. Melhoria 8.5.1. Melhoria Contínua A empresa deve continuamente melhorar a eficácia do SGQ por meio do uso: Politica da Qualidade Objetivos da Qualidade Análise de dados Resultado de auditorias Ações corretivas e preventivas Análise critica pela direção
  93. 93. REQUISITOS 8.5.2. Ação Corretiva A empresa deve executar ações corretivas para eliminar as causas de não conformidades, de forma a evitar sua repetição. Um procedimento documentado deve ser estabelecido para definir os requisitos para: - Análise critica - Determinação das causas - Avaliação da necessidade de ações para que não ocorram novamente - Determinação e implementação de ações - Registro dos resultados de ações executadas - Análise critica das ações corretivas executadas
  94. 94. REQUISITOS 8.5.3. Ação Preventiva* A empresa deve executar ações preventivas para eliminar as causas de não conformidades potenciais, de forma a evitar sua ocorrência. Um procedimento documentado deve ser estabelecido para definir os requisitos para: - Identificação de não conformidades potenciais e suas causas - Avaliação da necessidade de ações para evitar a ocorrência de NC - Definição e implementação de ações - Registro dos resultados de ações executadas - Análise critica das ações preventivas executadas
  95. 95. CONHEÇATEMPLUM CONSULTORIAONLINE
  96. 96. IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO E QUALIDADE COM RAPIDEZ E BAIXO CUSTO. TAMBÉM PARAA PEQUENA EMPRESA.
  97. 97. PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO EXTREMAMENTE RÁPIDO DÚVIDAS RESOLVIDAS NA HORA ATÉ 70 % MAIS BARATO QUE A CONSULTORIA TRADICIONAL CERTIFICAÇÃO GARANTIDA EM CONTRATO
  98. 98. ENTRE EM CONTATO CONOSCO 0800 770 3044

×