SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
“O modelo propõe que o docente abandone o
papel de "transmissor de conteúdos" para se
transformar num pesquisador. O aluno, por sua
vez, passa de receptor passivo a sujeito do
processo”

 Fernando Hernández (2000) se baseia nas idéias de John
 Dewey (1859-1952), filósofo e pedagogo norte-americano
   que defendia a relação da vida com a sociedade, dos
       meios com os fins e da teoria com a prática.




     Fonte:
     http://2.bp.blogspot.com/_YQ3sZ1faDIg/S9raZ9TmtnI/AAAAAAAAADY/z   2
     MHEKqqX0j4/s1600/desenho_capa.jpg
Conteúdo
   O que é um Projeto Interdisciplinar?
   Esclarecendo...Tomemos como exemplo o
    problema do meio ambiente
   Projeto: uma nova cultura de aprendizagem
   Conceito
   Para que?
   Qual o seu fundamento?
   O que propõe?
   Como acontece?
   Perspectivas...
   Quais etapas?
   O desenvolvimento de um projeto envolve...
   O Papel do Professor (a)
   Sobre o Papel do professor (a)
   Considerações                                3

   Referências
O que é um Projeto Interdisciplinar?
Por:Eduardo O. C. Chaves
Professor Titular de Filosofia da Educação da
Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e
Consultor do Instituto Ayrton Senna (IAS).

° Para facilitar a transmissão e a
absorção do conhecimento, os seres
humanos dividiram o conhecimento em
vários  compartimentos,     comumente
chamados         de          disciplinas:
Matemática,Geografia,Ciências etc.
 °Essas   formas     de   classificar    o
conhecimento são artificiais: raramente
um problema se encaixa unicamente
dentro dos limites de uma só disciplina.
                                       4
• Quando nos propomos a estudar
problemas      reais, em   vez   dos
conteúdos geralmente demarcados
para uma disciplina, acabamos tendo
que     adotar      uma   abordagem
interdisciplinar ;


• O contraste entre uma abordagem
disciplinar e uma abordagem que
envolve várias disciplinas de forma
integrada,     chamaremos        de
INTERDISCIPLINAR .

                                       5
• Esclarecendo:
Tomemos como exemplo o problema do
meio ambiente.
 O meio ambiente contém componentes
naturais, que normalmente são estudados
pela física e pela química; possui seres
vivos; plantas, animais e nós mesmos,
seres humanos, estudados pela biologia;
mas seres humanos também podem ser
estudados pela psicologia e, como vivem
em sociedade, pela sociologia; como
nosso planeta tem uma história, a história
precisa    ser   invocada;  como     seus
territórios estão divididos em unidades
geo-políticas, precisamos da geografia; e
assim por diante...
                                             6
[...] É impossível estudar o meio
ambiente e tomar as medidas corretivas
que    se  impõem      para que    não
destruamos a nossa Terra, dentro de
uma abordagem puramente disciplinar:
precisamos enfocar a questão de
maneira interdisciplinar.
 Algumas questões serão equacionadas
no âmbito das ciências naturais e
biológicas, outras no nível das ciências
comportamentais, ainda outras em
decorrência da adoção de valores mais
adequados.
Como tratar desse problema de forma
exclusivamente disciplinar?
 É preciso abordá-lo de uma forma
integrada,   que    envolva várias
disciplinas.                               7
•É por isso que os chamados temas
transversais se tornam importantes
hoje: eles refletem uma tentativa de
transcender       os      paradigmas
disciplinares que têm imperado até
hoje na educação escolar e de
substituí-los     por     paradigmas
temáticos,          interdisciplinares.
•Este texto foi originalmente publicado no site
do Programa "Sua Escola a 2000 por Hora" do
Instituto Ayrton Senna,
http://www.educacaopublica.rj.gov.br/biblioteca/
educacao/0026.html



                                               8
Projeto: uma nova cultura de
              aprendizagem
Por:Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida
PUC/SP, Julho, 1999

Conceito:Pedagogia de projetos...
•A prática pedagógica por meio do
desenvolvimento de projetos é uma
forma de conceber educação que
envolve o aluno, o professor, os
recursos disponíveis, inclusive as novas
tecnologias, e todas as interações que
se   estabelecem     nesse     ambiente,
denominado          ambiente          de
aprendizagem.
                                             9
• PARA QUE?


Sao    criados   para   promover  a
interação entre todos os seus
elementos,          propiciar     o
desenvolvimento da autonomia do
aluno      e   a     construção  de
conhecimentos de distintas áreas do
saber, por meio da busca de
informações significativas para a
compreensão,      representação   e
resolução de uma situação-problema.



                                      10
• QUAL O SEU FUNDAMENTO?
Fundamenta-se       nas      idéias
piagetianas sobre desenvolvimento
e aprendizagem, inter-relacionadas
com outros pensadores dentre os
quais destacamos Dewey, Freire e
             Vygotsky.




                                  11
Trata-se de uma nova cultura do
aprendizado que não se fará por
reformas ou novos métodos e
conteúdos definidos por especialistas
que pretendam impor melhorias ao
sistema educacional vigente.
É uma mudança radical, que deve
tornar a escola capaz de:




                                        12
[...]
• Atender às demandas da sociedade
considerar       as     expectativas,
potencialidades e necessidades dos
                alunos;

• Criar espaço para que professores e
alunos     tenham     autonomia    para
desenvolver o processo de aprendizagem
de forma cooperativa, com trocas
recíprocas, solidariedade e liberdade
              responsável;

• Desenvolver as capacidades de
trabalhar em equipe, tomar decisões,
comunicar-se     com      desenvoltura,
formular    e    resolver    problemas
relacionados com situações contextuais; 13
[...]
• desenvolver a habilidade de aprender
a aprender, de forma que cada um
possa reconstruir o conhecimento,
integrando conteúdos e habilidades
segundo o seu universo de conceitos,
estratégias,   crenças    e    valores;

 • incorporar as novas tecnologias não
apenas para expandir o acesso à
informação        atualizada,       mas
principalmente para promover uma
nova cultura do aprendizado por meio
da criação de ambientes que privilegiem
a construção do conhecimento e a
             comunicação.              14
Como acontece?

A aprendizagem por projetos ocorre
por meio da interação e articulação
entre conhecimentos de distintas
áreas, conexões estas que se
estabelecem       a     partir   dos
conhecimentos       cotidianos   dos
alunos, cujas expectativas, desejos
e interesses são mobilizados na
construção      de     conhecimentos
científicos.   Os      conhecimentos
cotidianos emergem como um todo
unitário da própria situação em
estudo, portanto sem fragmentação
disciplinar, e são direcionados por
uma motivação intrínseca             15
Perspectivas...

 •Trabalhar com projetos significa
 lidar com ambigüidades, soluções
 provisórias, variáveis e conteúdos
 não     identificáveis   a   priori    e
 emergentes no processo. Tudo isso
 se distingue de conjecturas pela
 intencionalidade explicitada em um
 plano que inicialmente é um esboço
 ou    design      caracterizado     pela
 plasticidade, flexibilidade e abertura
 ao         imprevisível,         sendo
 continuamente revisto, refletido e
 reelaborado durante a execução.
                                            16
Quais etapas?


 • O plano é a espinha dorsal das
 ações e vai se completando durante a
 execução na qual evidencia-se uma
 atividade que rompe com as barreiras
 disciplinares;

 • caminha em direção a uma postura
 interdisciplinar para compreender e
 transformar a realidade em prol da
 melhoria da qualidade de vida
 pessoal,       grupal   e    global.

                                        17
O desenvolvimento de um projeto
envolve...

 processo         de         construção,
 participação,       cooperação        e
 articulação, que propicia a superação
 de dicotomias estabelecidas pelo
 paradigma dominante da ciência e as
 inter-relaciona em uma totalidade
 provisória perpassada pelas noções
 de valor humano, solidariedade,
 respeito     mútuo,     tolerância    e
 formação      da     cidadania,    que
 caracteriza o paradigma educacional
 emergente       (MORAES,        1997).
                                           18
O Papel do professor (a):
 • Respeita os diferentes estilos e ritmos
de trabalho dos alunos desde a etapa de
planejamento;
 • Respeita e media a escolha do tema e
respectiva problemática a ser investigada.
 • Cabe ao professor incitar o aluno a
tomar consciência de suas dúvidas
temporárias    e    certezas    provisórias
(Fagundes et al., 1999), ao mesmo tempo
em que o ajuda a articular informações
com      conhecimentos       anteriormente
adquiridos   e    a   gerenciar    o   seu
            desenvolvimento.
                                        19
Sobre o papel do Professor (a)

• O professor é o consultor, articulador,
mediador, orientador, especialista e
facilitador     do      processo      em
desenvolvimento pelo aluno.
•      É    ainda    responsável     pelo
desenvolvimento de um ambiente de
confiança, respeito às diferenças e
reciprocidade, encoraja o aluno a
reconhecer os seus conflitos e a
descobrir a potencialidade de aprender
a partir dos próprios erros.

                                        20
Considerações
A     Interdisciplinaridade   como       parte
integrante do processo, caracteriza-se pela
articulação entre teorias, conceitos e ideias,
em constante diálogo entre si. Isso conduz
a um exercício de conhecimento.
 O perguntar e o duvidar, favorece a
articulação horizontal entre as disciplinas
numa relação de reciprocidade, e induz a
um aprofundamento vertical na identidade
de cada disciplina, propiciando a superação
da fragmentação disciplinar.
Por isso, indicamos o trabalho com
projetos...

                                            21
Referências
   CHAVES, Eduardo O. C. . O que é um projeto interdisciplinar.
    Disponível em:
    http://www.educacaopublica.rj.gov.br/biblioteca/educacao/0026.html

   MARANGON,Cristina;LIMA,Eduardo. EDUCAR PARA CRESCER.Disponivel
    em:
    http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/materias_296380.
    shtml?page=page2

   DE ALMEIDA,Maria ,Elizabeth Bianconcini : Projeto:uma nova cultura de
    aprendizagem.PUC/SP,Julho,1999.Disponível.em:
    http://www.educacaopublica.rj.gov.br/biblioteca/educacao/0030.html

   FAGUNDES,L.C. et.al. Aprendizes do futuro: as inovações
     começaram .Coleção Informática na educação – Proinfo-
     MEC.Brasilia,1998.Disponível.em:
     http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me003153.pdf

   FÊO, Eliana Alves. A prática pedagógica por meio do desenvolvimento
    de projetos. Disponível em: http://www.eduk.com.br/?q=node/127


                                                                    22
   HERNÁNDEZ, Fernando. Cultura Visual, Mudança Educativa e
    Projeto de Trabalho. 1. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

   ______.A Organização do Currículo por Projetos de Trabalho. 5. ed.
    Porto Alegre: Artmed, 1996.

   MORAES, M. C. O Paradigma Educacional Emergente. Campinas,
    Papirus, 1997.

   CARACTERISTICAS DOS PROJETOS BENEFICIOS DO TRABALHO
    COM PROJETO – INTEL.       Disponível em:
    http://download.intel.com/education/Common/br/Resources/DEP/
    projectdesign/DEP_pbl_research.pdf




                                                                    23
Vamos então trabalhar com
               Projetos integrando
            tecnologias ao currículo?




Este trabalho foi licenciado com a Licença Creative Commons Atribuição - SemDerivados
3.0 Brasil. Para ver uma cópia desta licença, visite http://creativecommons.org/licenses/by-
nd/3.0/br/ ou envie um pedido por carta para Creative Commons, 444 Castro Street, Suite
900, Mountain View, California, 94041, USA.
                                                                                               24

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLARTeorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLARAndrea Lima
 
Historico Educação do Campo
Historico Educação do CampoHistorico Educação do Campo
Historico Educação do CampoWanessa de Castro
 
O papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professoresO papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professoresAna Paula Azevedo
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosUlisses Vakirtzis
 
A pedagogia de Paulo Freire - Parte 1
A pedagogia de Paulo Freire - Parte 1A pedagogia de Paulo Freire - Parte 1
A pedagogia de Paulo Freire - Parte 1Lucas Bernardo
 
Slides conselho escolar
Slides conselho escolarSlides conselho escolar
Slides conselho escolarcezarjeri
 
Planejamento e política educacional
Planejamento e política educacionalPlanejamento e política educacional
Planejamento e política educacionalJose Arnaldo Silva
 
Slides sobre planejamento
Slides sobre planejamentoSlides sobre planejamento
Slides sobre planejamentofamiliaestagio
 
"Pedagogia dos Multiletramentos"
"Pedagogia dos Multiletramentos""Pedagogia dos Multiletramentos"
"Pedagogia dos Multiletramentos"Denise Oliveira
 
Apresentacao sobre curriculo
Apresentacao sobre curriculoApresentacao sobre curriculo
Apresentacao sobre curriculoTatá Oliveira
 
Planejamento pedagógico alinhado à BNCC
Planejamento pedagógico alinhado à BNCCPlanejamento pedagógico alinhado à BNCC
Planejamento pedagógico alinhado à BNCCThalesSantos36
 
Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Naysa Taboada
 
Projeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPPProjeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPPHebert Arcanjo
 
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval SavianiPedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval SavianiNatalia Ribeiro
 
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docenteAula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docenteKelly da Silva
 

Mais procurados (20)

Teorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLARTeorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLAR
 
Historico Educação do Campo
Historico Educação do CampoHistorico Educação do Campo
Historico Educação do Campo
 
O papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professoresO papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professores
 
Oficina de Planejamento
Oficina de PlanejamentoOficina de Planejamento
Oficina de Planejamento
 
Cultura organizacional da escola .[6]
Cultura organizacional da escola .[6]Cultura organizacional da escola .[6]
Cultura organizacional da escola .[6]
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
 
Oficinas pedagógicas
Oficinas pedagógicasOficinas pedagógicas
Oficinas pedagógicas
 
A pedagogia de Paulo Freire - Parte 1
A pedagogia de Paulo Freire - Parte 1A pedagogia de Paulo Freire - Parte 1
A pedagogia de Paulo Freire - Parte 1
 
Slides conselho escolar
Slides conselho escolarSlides conselho escolar
Slides conselho escolar
 
Planejamento e política educacional
Planejamento e política educacionalPlanejamento e política educacional
Planejamento e política educacional
 
Ppt avaliação
Ppt avaliaçãoPpt avaliação
Ppt avaliação
 
Slides sobre planejamento
Slides sobre planejamentoSlides sobre planejamento
Slides sobre planejamento
 
"Pedagogia dos Multiletramentos"
"Pedagogia dos Multiletramentos""Pedagogia dos Multiletramentos"
"Pedagogia dos Multiletramentos"
 
Apresentacao sobre curriculo
Apresentacao sobre curriculoApresentacao sobre curriculo
Apresentacao sobre curriculo
 
Planejamento pedagógico alinhado à BNCC
Planejamento pedagógico alinhado à BNCCPlanejamento pedagógico alinhado à BNCC
Planejamento pedagógico alinhado à BNCC
 
Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1
 
Projeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPPProjeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPP
 
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval SavianiPedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
 
Planejamento pedagógico
Planejamento pedagógicoPlanejamento pedagógico
Planejamento pedagógico
 
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docenteAula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
 

Semelhante a Curriculo por projetos

PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti PradoPITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti PradoFabiano Sulligo
 
Slide do pitec
Slide do pitecSlide do pitec
Slide do pitecSEDUC - MT
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologiasjmpg2011
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologiasjmpg2011
 
Fundamentos e metodologias de ensino das séries iniciais
Fundamentos e metodologias de ensino das séries iniciaisFundamentos e metodologias de ensino das séries iniciais
Fundamentos e metodologias de ensino das séries iniciaisMarcos Augusto
 
Pedagogiade projetos
Pedagogiade projetosPedagogiade projetos
Pedagogiade projetosafermartins
 
PROJETO PEDAGOGICO
PROJETO PEDAGOGICOPROJETO PEDAGOGICO
PROJETO PEDAGOGICOguest04f18b
 
Pedagogiade projetos
Pedagogiade projetosPedagogiade projetos
Pedagogiade projetosafermartins
 
Pedagogia de projetos
Pedagogia de projetosPedagogia de projetos
Pedagogia de projetoscinthyamoita
 
Apresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoApresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoElvira Aliceda
 
Utilidade, Valor e Aplicabilidade da Interdisciplinaridade.
Utilidade, Valor e Aplicabilidade da Interdisciplinaridade. Utilidade, Valor e Aplicabilidade da Interdisciplinaridade.
Utilidade, Valor e Aplicabilidade da Interdisciplinaridade. Bruno Djvan Ramos Barbosa
 
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PAApresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PACesar Eduardo
 
Pedagogiade Projetos Ppt
Pedagogiade Projetos PptPedagogiade Projetos Ppt
Pedagogiade Projetos Pptroquematoso
 
Pedagogiadeprojetos Ppt
Pedagogiadeprojetos PptPedagogiadeprojetos Ppt
Pedagogiadeprojetos Pptroquematoso
 
Pedagogiadeprojetos Ppt
Pedagogiadeprojetos PptPedagogiadeprojetos Ppt
Pedagogiadeprojetos Pptroquematoso
 
Pedagogia de Projetos
Pedagogia de ProjetosPedagogia de Projetos
Pedagogia de ProjetosClezinha
 

Semelhante a Curriculo por projetos (20)

PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti PradoPITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
 
Slide do pitec
Slide do pitecSlide do pitec
Slide do pitec
 
Aula+9
Aula+9Aula+9
Aula+9
 
Aula 08 projetos 2010
Aula 08 projetos 2010Aula 08 projetos 2010
Aula 08 projetos 2010
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologias
 
Ensinoporproj
EnsinoporprojEnsinoporproj
Ensinoporproj
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologias
 
Fundamentos e metodologias de ensino das séries iniciais
Fundamentos e metodologias de ensino das séries iniciaisFundamentos e metodologias de ensino das séries iniciais
Fundamentos e metodologias de ensino das séries iniciais
 
A Aula Universitária
A Aula UniversitáriaA Aula Universitária
A Aula Universitária
 
Pedagogiade projetos
Pedagogiade projetosPedagogiade projetos
Pedagogiade projetos
 
PROJETO PEDAGOGICO
PROJETO PEDAGOGICOPROJETO PEDAGOGICO
PROJETO PEDAGOGICO
 
Pedagogiade projetos
Pedagogiade projetosPedagogiade projetos
Pedagogiade projetos
 
Pedagogia de projetos
Pedagogia de projetosPedagogia de projetos
Pedagogia de projetos
 
Apresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoApresentação inicial agosto
Apresentação inicial agosto
 
Utilidade, Valor e Aplicabilidade da Interdisciplinaridade.
Utilidade, Valor e Aplicabilidade da Interdisciplinaridade. Utilidade, Valor e Aplicabilidade da Interdisciplinaridade.
Utilidade, Valor e Aplicabilidade da Interdisciplinaridade.
 
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PAApresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
 
Pedagogiade Projetos Ppt
Pedagogiade Projetos PptPedagogiade Projetos Ppt
Pedagogiade Projetos Ppt
 
Pedagogiadeprojetos Ppt
Pedagogiadeprojetos PptPedagogiadeprojetos Ppt
Pedagogiadeprojetos Ppt
 
Pedagogiadeprojetos Ppt
Pedagogiadeprojetos PptPedagogiadeprojetos Ppt
Pedagogiadeprojetos Ppt
 
Pedagogia de Projetos
Pedagogia de ProjetosPedagogia de Projetos
Pedagogia de Projetos
 

Mais de Telma da Silva Barbosa

Mais de Telma da Silva Barbosa (7)

Papel do Tutor (a) na EAD
Papel do Tutor (a) na EADPapel do Tutor (a) na EAD
Papel do Tutor (a) na EAD
 
Educação na cibercultura
Educação na ciberculturaEducação na cibercultura
Educação na cibercultura
 
Como criar um blog no blogger
Como criar um blog no bloggerComo criar um blog no blogger
Como criar um blog no blogger
 
Educação digital e internet. desafios ao professor de aprender, ensinar e apr...
Educação digital e internet. desafios ao professor de aprender, ensinar e apr...Educação digital e internet. desafios ao professor de aprender, ensinar e apr...
Educação digital e internet. desafios ao professor de aprender, ensinar e apr...
 
Criação de hipertexto
Criação de hipertextoCriação de hipertexto
Criação de hipertexto
 
Criação de hipertexto
Criação de hipertextoCriação de hipertexto
Criação de hipertexto
 
Apresentacao introducao digital_2012 (1) - cópia
Apresentacao introducao digital_2012 (1) - cópiaApresentacao introducao digital_2012 (1) - cópia
Apresentacao introducao digital_2012 (1) - cópia
 

Último

PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.pptDaniloConceiodaSilva
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 

Último (20)

PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 

Curriculo por projetos

  • 1.
  • 2. “O modelo propõe que o docente abandone o papel de "transmissor de conteúdos" para se transformar num pesquisador. O aluno, por sua vez, passa de receptor passivo a sujeito do processo” Fernando Hernández (2000) se baseia nas idéias de John Dewey (1859-1952), filósofo e pedagogo norte-americano que defendia a relação da vida com a sociedade, dos meios com os fins e da teoria com a prática. Fonte: http://2.bp.blogspot.com/_YQ3sZ1faDIg/S9raZ9TmtnI/AAAAAAAAADY/z 2 MHEKqqX0j4/s1600/desenho_capa.jpg
  • 3. Conteúdo  O que é um Projeto Interdisciplinar?  Esclarecendo...Tomemos como exemplo o problema do meio ambiente  Projeto: uma nova cultura de aprendizagem  Conceito  Para que?  Qual o seu fundamento?  O que propõe?  Como acontece?  Perspectivas...  Quais etapas?  O desenvolvimento de um projeto envolve...  O Papel do Professor (a)  Sobre o Papel do professor (a)  Considerações 3  Referências
  • 4. O que é um Projeto Interdisciplinar? Por:Eduardo O. C. Chaves Professor Titular de Filosofia da Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e Consultor do Instituto Ayrton Senna (IAS). ° Para facilitar a transmissão e a absorção do conhecimento, os seres humanos dividiram o conhecimento em vários compartimentos, comumente chamados de disciplinas: Matemática,Geografia,Ciências etc. °Essas formas de classificar o conhecimento são artificiais: raramente um problema se encaixa unicamente dentro dos limites de uma só disciplina. 4
  • 5. • Quando nos propomos a estudar problemas reais, em vez dos conteúdos geralmente demarcados para uma disciplina, acabamos tendo que adotar uma abordagem interdisciplinar ; • O contraste entre uma abordagem disciplinar e uma abordagem que envolve várias disciplinas de forma integrada, chamaremos de INTERDISCIPLINAR . 5
  • 6. • Esclarecendo: Tomemos como exemplo o problema do meio ambiente. O meio ambiente contém componentes naturais, que normalmente são estudados pela física e pela química; possui seres vivos; plantas, animais e nós mesmos, seres humanos, estudados pela biologia; mas seres humanos também podem ser estudados pela psicologia e, como vivem em sociedade, pela sociologia; como nosso planeta tem uma história, a história precisa ser invocada; como seus territórios estão divididos em unidades geo-políticas, precisamos da geografia; e assim por diante... 6
  • 7. [...] É impossível estudar o meio ambiente e tomar as medidas corretivas que se impõem para que não destruamos a nossa Terra, dentro de uma abordagem puramente disciplinar: precisamos enfocar a questão de maneira interdisciplinar. Algumas questões serão equacionadas no âmbito das ciências naturais e biológicas, outras no nível das ciências comportamentais, ainda outras em decorrência da adoção de valores mais adequados. Como tratar desse problema de forma exclusivamente disciplinar? É preciso abordá-lo de uma forma integrada, que envolva várias disciplinas. 7
  • 8. •É por isso que os chamados temas transversais se tornam importantes hoje: eles refletem uma tentativa de transcender os paradigmas disciplinares que têm imperado até hoje na educação escolar e de substituí-los por paradigmas temáticos, interdisciplinares. •Este texto foi originalmente publicado no site do Programa "Sua Escola a 2000 por Hora" do Instituto Ayrton Senna, http://www.educacaopublica.rj.gov.br/biblioteca/ educacao/0026.html 8
  • 9. Projeto: uma nova cultura de aprendizagem Por:Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida PUC/SP, Julho, 1999 Conceito:Pedagogia de projetos... •A prática pedagógica por meio do desenvolvimento de projetos é uma forma de conceber educação que envolve o aluno, o professor, os recursos disponíveis, inclusive as novas tecnologias, e todas as interações que se estabelecem nesse ambiente, denominado ambiente de aprendizagem. 9
  • 10. • PARA QUE? Sao criados para promover a interação entre todos os seus elementos, propiciar o desenvolvimento da autonomia do aluno e a construção de conhecimentos de distintas áreas do saber, por meio da busca de informações significativas para a compreensão, representação e resolução de uma situação-problema. 10
  • 11. • QUAL O SEU FUNDAMENTO? Fundamenta-se nas idéias piagetianas sobre desenvolvimento e aprendizagem, inter-relacionadas com outros pensadores dentre os quais destacamos Dewey, Freire e Vygotsky. 11
  • 12. Trata-se de uma nova cultura do aprendizado que não se fará por reformas ou novos métodos e conteúdos definidos por especialistas que pretendam impor melhorias ao sistema educacional vigente. É uma mudança radical, que deve tornar a escola capaz de: 12
  • 13. [...] • Atender às demandas da sociedade considerar as expectativas, potencialidades e necessidades dos alunos; • Criar espaço para que professores e alunos tenham autonomia para desenvolver o processo de aprendizagem de forma cooperativa, com trocas recíprocas, solidariedade e liberdade responsável; • Desenvolver as capacidades de trabalhar em equipe, tomar decisões, comunicar-se com desenvoltura, formular e resolver problemas relacionados com situações contextuais; 13
  • 14. [...] • desenvolver a habilidade de aprender a aprender, de forma que cada um possa reconstruir o conhecimento, integrando conteúdos e habilidades segundo o seu universo de conceitos, estratégias, crenças e valores; • incorporar as novas tecnologias não apenas para expandir o acesso à informação atualizada, mas principalmente para promover uma nova cultura do aprendizado por meio da criação de ambientes que privilegiem a construção do conhecimento e a comunicação. 14
  • 15. Como acontece? A aprendizagem por projetos ocorre por meio da interação e articulação entre conhecimentos de distintas áreas, conexões estas que se estabelecem a partir dos conhecimentos cotidianos dos alunos, cujas expectativas, desejos e interesses são mobilizados na construção de conhecimentos científicos. Os conhecimentos cotidianos emergem como um todo unitário da própria situação em estudo, portanto sem fragmentação disciplinar, e são direcionados por uma motivação intrínseca 15
  • 16. Perspectivas... •Trabalhar com projetos significa lidar com ambigüidades, soluções provisórias, variáveis e conteúdos não identificáveis a priori e emergentes no processo. Tudo isso se distingue de conjecturas pela intencionalidade explicitada em um plano que inicialmente é um esboço ou design caracterizado pela plasticidade, flexibilidade e abertura ao imprevisível, sendo continuamente revisto, refletido e reelaborado durante a execução. 16
  • 17. Quais etapas? • O plano é a espinha dorsal das ações e vai se completando durante a execução na qual evidencia-se uma atividade que rompe com as barreiras disciplinares; • caminha em direção a uma postura interdisciplinar para compreender e transformar a realidade em prol da melhoria da qualidade de vida pessoal, grupal e global. 17
  • 18. O desenvolvimento de um projeto envolve... processo de construção, participação, cooperação e articulação, que propicia a superação de dicotomias estabelecidas pelo paradigma dominante da ciência e as inter-relaciona em uma totalidade provisória perpassada pelas noções de valor humano, solidariedade, respeito mútuo, tolerância e formação da cidadania, que caracteriza o paradigma educacional emergente (MORAES, 1997). 18
  • 19. O Papel do professor (a): • Respeita os diferentes estilos e ritmos de trabalho dos alunos desde a etapa de planejamento; • Respeita e media a escolha do tema e respectiva problemática a ser investigada. • Cabe ao professor incitar o aluno a tomar consciência de suas dúvidas temporárias e certezas provisórias (Fagundes et al., 1999), ao mesmo tempo em que o ajuda a articular informações com conhecimentos anteriormente adquiridos e a gerenciar o seu desenvolvimento. 19
  • 20. Sobre o papel do Professor (a) • O professor é o consultor, articulador, mediador, orientador, especialista e facilitador do processo em desenvolvimento pelo aluno. • É ainda responsável pelo desenvolvimento de um ambiente de confiança, respeito às diferenças e reciprocidade, encoraja o aluno a reconhecer os seus conflitos e a descobrir a potencialidade de aprender a partir dos próprios erros. 20
  • 21. Considerações A Interdisciplinaridade como parte integrante do processo, caracteriza-se pela articulação entre teorias, conceitos e ideias, em constante diálogo entre si. Isso conduz a um exercício de conhecimento. O perguntar e o duvidar, favorece a articulação horizontal entre as disciplinas numa relação de reciprocidade, e induz a um aprofundamento vertical na identidade de cada disciplina, propiciando a superação da fragmentação disciplinar. Por isso, indicamos o trabalho com projetos... 21
  • 22. Referências  CHAVES, Eduardo O. C. . O que é um projeto interdisciplinar. Disponível em: http://www.educacaopublica.rj.gov.br/biblioteca/educacao/0026.html  MARANGON,Cristina;LIMA,Eduardo. EDUCAR PARA CRESCER.Disponivel em: http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/materias_296380. shtml?page=page2  DE ALMEIDA,Maria ,Elizabeth Bianconcini : Projeto:uma nova cultura de aprendizagem.PUC/SP,Julho,1999.Disponível.em: http://www.educacaopublica.rj.gov.br/biblioteca/educacao/0030.html  FAGUNDES,L.C. et.al. Aprendizes do futuro: as inovações começaram .Coleção Informática na educação – Proinfo- MEC.Brasilia,1998.Disponível.em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me003153.pdf  FÊO, Eliana Alves. A prática pedagógica por meio do desenvolvimento de projetos. Disponível em: http://www.eduk.com.br/?q=node/127 22
  • 23. HERNÁNDEZ, Fernando. Cultura Visual, Mudança Educativa e Projeto de Trabalho. 1. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.  ______.A Organização do Currículo por Projetos de Trabalho. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 1996.  MORAES, M. C. O Paradigma Educacional Emergente. Campinas, Papirus, 1997.  CARACTERISTICAS DOS PROJETOS BENEFICIOS DO TRABALHO COM PROJETO – INTEL. Disponível em: http://download.intel.com/education/Common/br/Resources/DEP/ projectdesign/DEP_pbl_research.pdf 23
  • 24. Vamos então trabalhar com Projetos integrando tecnologias ao currículo? Este trabalho foi licenciado com a Licença Creative Commons Atribuição - SemDerivados 3.0 Brasil. Para ver uma cópia desta licença, visite http://creativecommons.org/licenses/by- nd/3.0/br/ ou envie um pedido por carta para Creative Commons, 444 Castro Street, Suite 900, Mountain View, California, 94041, USA. 24