Apostila alta-idade-media

764 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
764
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila alta-idade-media

  1. 1. Aula 08 Século V ao XI POVOS BÁRBAROS > Características dos povos germânicos: Sociedade: > nômades, formada por clãs, numa relação desorganizada e instável. Economia: > Agro-pastoril; em função das necessidades, a exploração era coletiva. Religião: > adoravam as forças da natureza e acreditavam que os guerreiros alcançariam o paraíso. Direito: > normas costumeiras e utilização do ordálio. Artes: > destaque para ornamentação de objetos, como armas, braceletes, anéis, etc. Fase das Invasões Bárbaras: > Pacíficas: até o século V. > Violentas: entre os séculos V e IX. A pressão dos hunos foi decisiva para o início das invasões bárbaras no Império Romano. > FRANCOS Caráter: organizados, estáveis e longa duração. Merolíngios > Em 496, conversão de Clóvis ao cristianismo – unificação e início do reino dos francos. Carolíngios > O principal governante foi Carlos Magno (768-814) que se alinhou com a Igreja na sua expansão territorial. Conquistou as Gálias, Itália e Germânia.
  2. 2. Administração > unidades administrativas (ducados, condados e marcas). > organizou as Capitulares-leis escritas aplicadas pelos Missi Dominici e estimulou o Renascimento Carolíngio. Contexto Histórico > Despovoamento das cidades e ruralização da sociedade. > Surgimento das vilas. > Decadência do comércio e da indústria. > Crescimento do domínio político da aristocracia. > Consolidação das doações de benefícios e dos vínculos de fidelidade e obediência (comitatus e recomendação). O Império Carolíngio concedeu as bases para estruturação do modo de produção feudal. Decadência > Descentralização do poder e crescimento político da nobreza agrária após a divisão do Império Carolíngio. Divisão Do Império Carolíngio (843) > Tratado de Verdum > ÁRABES > Beduínos (seminômades) e urbanos (sedentários). > Não havia unidade política, mas cultural (idioma e religião). Maomé e sua Religião > islamismo – doutrina encontra-se no alcorão. > O seguidor: muçulmano. Estado Islâmico > A religião tornou possível a união dos árabes, antes agrupados apenas pelos laços de parentesco. Expansão Islâmica > Expansão pelas guerras santas e pela procura de novas terras e rotas comerciais, provocada pela ação política dos califas. Economia > Comércio e indústria manufatureira: joias, vidros, armas, sedas, etc. Agricultura > De acordo com as características de cada região do Império.
  3. 3. > Aperfeiçoamento do setor científico (Matemática, Física, Química e Medicina). > Na literatura (fábulas e contos) e arquitetura com construções de mesquitas. IMPÉRIO BIZANTINO > Império Romano do Oriente. > Capital: Constantinopla – maior ponto estratégico mercantil da antiguidade e do medievo. Justiniano (527 a 565) > Expandiu militarmente o Império e governou de forma absolutista (Cesaropapismo) e organizou obras jurídicas (Código de Justiniano). Economia > Comércio dinâmico favorecido pela localização geográfica. > Agricultura concentrava-se nas terras da Igreja. > Havia um controle de Estado sobre as atividades econômicas. Cultura > Religião apresentava-se com debates de questões religiosas heréticas (monofisismo e iconoclastas). Surgimento da Igreja Ortodoxa (Cisma do Oriente, em 1054). Artes: > arquitetura, escultura e mosaicos desenvolvidos. (ex.: Igreja de Santa Sofia). Decadência > Desorganização política após a morte de Justiniano. > Caiu com a invasão dos turcos, em 1453. MODO DE PRODUÇÃO FEUDAL Entre os séculos V e XV, a Europa Ocidental, passou por um processo de transformações que culminou na estruturação do modo de produção feudal. O feudalismo foi estruturado em instituições romanas (colonato, precarium e clientela) e nas instituições germânicas (beneficium, comitatus e recomendação). A sociedade era rural, imóvel e aristocrática. O poder político era descentralizado.
  4. 4. Havia relação recíproca de obrigações entre os elementos do feudo (corvéia, talha, banalidade, hospitalidade). Economicamente, o feudo era uma unidade agrária com produção auto-suficiente. O comércio sofreu forte decadência, mas continuou a existir. Características Básicas > Ruralização da sociedade > Sociedade com pouca mobilidade. > Fragmentação do poder. > Relação de dependência social. > Exércitos particulares. > Predomínio do teocentrismo e do espiritualismo Composição do Feudo > Manso senhorial > Manso servil > Terras comuns Exercícios 01. (FUVEST) Sobre as invasões dos "bárbaros" na Europa Ocidental, ocorridas entre os séculos III e IX, é correto afirmar que: a) foi uma ocupação militar violenta que, causando destruição e barbárie, acarretou a ruína das instituições romanas. b) se, por um lado, causaram destruição e morte, por outro contribuíram, decisivamente, para o nascimento de uma nova civilização, a da Europa Cristã. c) apesar dos estragos causados, a Europa conseguiu, afinal, conter os bárbaros, derrotando-os militarmente e, sem solução de continuidade, absorveu e integrou os seus remanescentes. d) se não fossem elas, o Império Romano não teria desaparecido, pois, superada a crise do século III, passou a dispor de uma estrutura socioeconômica dinâmica e de uma constituição política centralizada. e) os Godos foram os povos menos importantes, pois quase não deixaram marcas de sua presença. 02. (FGV) O surgimento do Islamismo permitiu à Arábia: a) consolidar uma unidade política e religiosa, fortalecendo-a e possibilitando a expansão de seu Império; b) o fortalecimento e a propagação da primeira religião politeísta moderna; c) a autonomia dos diversos Califados e, portanto, a difusão e fortalecimento de seus interesses comerciais e religiosos.
  5. 5. d) centralizar os diversos Califados e, portanto, a expansão do politeísmo por todo o Mediterrâneo. e) unificar apenas religiosamente a região, permanecendo, portanto, os interesses comerciais dos diversos Califados em conflito. 03. (PUCPR) Dentre os vários Reinos Bárbaros que se formaram na Europa, após a queda do Império Romano Ocidental, um teve grande destaque, em virtude de personagens como Clóvis e Carlos Magno. O grupo Germano organizador de tal reino foi o dos: a) Saxões. b) Godos. c) Ostrogodos. d) Francos. e) Vândalos. 04. (UNESP) A Civilização Bizantina floresceu na Idade Média, deixando em muitas regiões da Ásia e da Europa testemunhos de sua irradiação cultural. Assinale importante e preponderante contribuição artística bizantina que se difundiu expressando forte destinação religiosa: a) Adornos de bronze e cobre. b) Aquedutos e esgotos. c) Telhados de beirais recurvos. d) Mosaicos coloridos e cúpulas arredondadas. e) Vias calçadas com artefatos de couro. 05. (UNAERP) O feudalismo, como todos os outros modos de produção, não surgiu repentinamente. Ele foi o resultado: a) do surgimento da Igreja Católica Romana, instituição que, de certa forma, tomou o lugar do Estado romano. b) de uma síntese entre a sociedade romana em expansão e a sociedade bárbaro- germânica em decadência. c) das contribuições isoladas dos bárbaros e dos romanos que deram aos feudos um caráter urbano. d) do fortalecimento do Estado e da fragmentação política. e) de uma lenta transformação que começou no final do império romano, passou pela invasão dos bárbaros-germânicos no século V, atravessou o império carolíngio, e começou a se efetivar a partir do século IX. Gabarito 1 – D 2 – A 3 – D 4 – D 5 – E

×