Contra Recuos - Tec Tor

1.697 visualizações

Publicada em

Equipamento de segurança que permite o eixo girar em um único sentido, impedindo o retrocesso dos mecanismos quando houver falha ou desligamento do acionamento do sistema. O objetivo dos Contra Recuos é impedir a inversão do sentido de rotação do equipamento onde foi instalado evitando danos à máquina, prejuízos operacionais, perdas financeiras e preservando a saúde dos operadores.
Líder no mercado brasileiro no setor de Contra Recuos e Rodas Livres, a Tec Tor tem a satisfação de fornecer soluções seguras, de qualidade, confiança e eficiência além de fácil manutenção e vida útil prolongada agregando assim maior produtividade aos projetos de nossos clientes.

Oferecemos também em nossa linha: Contra recuos, freios industriais, eixos compensadores, limitadores de torque, grampos de ancoragem, backstop, rodas livres, catracas, embreagens industriais, tambores motrizes, tambores auto acionados, freios hidráulicos, freios eletromagnéticos, freios eletrohidráulicos, freios pneumáticos, freios modulares, anéis de fixação, discos de contração e serviços de recuperação e reforma de todos os equipamentos de nossas marcas ou de terceiros.

Publicada em: Engenharia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Contra Recuos - Tec Tor

  1. 1. 1 Treinamento: Contra Recuo, Backstop, Catraca, Roda Livre
  2. 2. Introdução • A Empresa • Definição de produtos • Detalhes Construtivos • Partes & Peças • Selecionamento • Lubrificação • Manutenção • Armazenagem • Montagem • Service 2
  3. 3. Empresa • Desde 1986 desenvolve projetos no ramo de equipamentos voltados à transmissão e controle de força mecânica. • Oferece soluções industriais essenciais ou customizadas com responsabilidade técnica, qualidade, precisão e segurança. 3 Santo André – São Paulo
  4. 4. • A Tec Tor é uma empresa certificada ISO9001 • Possui CRCC Petrobrás • Certificado de Conteúdo Nacional 4 Gestão da Qualidade
  5. 5. Ramos de Atividade • Mineração • Siderurgia • Cimento • Papel e Celulose • Sucro-Alcooleiro • Alimentos • Indústrias de Máquinas • Óleo e Gás • Naval e Offshore • Eólico 5
  6. 6. 6 Alguns Clientes
  7. 7. Rede de Atendimento • Representantes • Brasil • Chile • Peru • Argentina 7
  8. 8. Tec Tor – World Wide Estados Unidos Pintsch Bubebzer R+W Rulmeca Canada Pintsch Bubebzer Horne Rulmeca Venezuela Rulmeca China R+W Rulmeca Singapura Houngang R+W Africa do Sul Rulmeca Horne Reutech Italia Rulmeca R+W França Rulmeca R+W Alemanha Pintsch Bubebzer R+W Rulmeca Brasil São Paulo Tec Tor 8 Horne R+W Reutech Pintsh Bubenzer Rulmeca Tec Tor Australia Brisbane Rulmeca Suécia Falun Rulmeca Inglaterra Rulmeca Turquia Rulmeca Tailandia Rulmeca
  9. 9. 9 • Catracas, Rodas Livres • Contra Recuos / Backstops • Freios Industriais a Disco / Tambor • Grampos de Ancoragem • Eixos Compensadores Industriais “Cardans”(ECI) • Embreagens Industriais • Tambores Auto acionadoS (TAS) • Auto Alinhador de Correias • Limitadores de torque mecânicos com reset manual ou automático • Limitadores de torque pneumáticos com reset automático Linha de Produtos
  10. 10. 10 NR22 – Contra Recuo EVITE: 22.12.1 - Os equipamentos de ELEVAR devem possuir: a) indicação de carga máxima permitida e da velocidade máxima de operação e dispositivos que garantam sua paralisação em caso de ultrapassagem destes índices; b) indicador e limitador de velocidade para máquinas com potência superior a quarenta quilowatts; c) em subsolo, indicador de profundidade funcionando independente do tambor; d) freio de segurança contra recuo, e e) freio de emergência quando utilizados para transporte de pessoas. NR-22 - SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL NA MINERAÇÃO OBRIGATÓRIO O USO DE CONTRA RECUOS
  11. 11. Entendendo os CONCEITOS
  12. 12. 12 Formas Construtivas Indexação Bloqueio FlutuanteRolo Rampa
  13. 13. Rolo Rampa (Sprags) Bloqueio Flutuante 13 Formas Construtivas + indexação
  14. 14. 14 ROLO RAMPA Peças confeccionadas para trabalho robusto. Normalmente instaladas em eixos de baixa rotação.(saída) Sistema acionado por roletes pressionados por pinos com mola, dispostos entre a capa e a superfície de rampa do cubo. Quando sentido de giro é invertido os pinos forçam o contato dos roletes na capa e na rampa do cubo garantindo o bloqueio.
  15. 15. 15 Sistema TravadoSistema Livre Princípio de funcionamento: Características
  16. 16. 16 INDEXAÇÃO Peças destinadas para trabalho leve. Normalmente instaladas em eixos de baixa rotação.(saída) Sistema Rolo Rampa indexado pelo movimento sobre a capa e se transforma em movimento intermitente no cubo transferido à maquina acionadora.
  17. 17. 17 Flange Rolamento Cubo Capa Pino/Mola Roletes Componentes
  18. 18. 18 Componentes (amplo) Componentes internos Descrição dos componentes 01 Cubo 02 Capa 03 Braço de Torque 04-05 Flanges 06-07 Tampas 08-09 Pinos de Fixação 10-11 Rolamentos 12-13 Retentores 14-15 Gaxetas 16 Roletes 17 Pinos e Molas 18-19 Parafusos 20 Bujões 21 Kit de Lubrificação 06 04 0202 121613 11 18 05 201907 10 08 09 03 01 21 17 14 15 01 02 10 04 08 09 031521 06 14 05 18 11 2019 12161713 07
  19. 19. 19 Capa Anel externo do Contra Recuo responsável pela fixação na máquina onde a movimentação dos Roletes ocorre em sua pista interna. 1
  20. 20. 20 Cubo Componente interno do Contra Recuo fixado no eixo da máquina onde a movimentação dos Roletes ocorre nas pistas dos dentes. 2
  21. 21. 21 Roletes Responsáveis pelo travamento entre a Capa e o Cubo, permitem também a movimentação do Contra Recuo devido a sua geometria cilíndrica. 3
  22. 22. Pinos e Molas •22 Componentes fundamentais que mantém o alinhamento dos Roletes e a precisão durante travamento. 4
  23. 23. 23 Rolamentos Rolamentos: permitem o correto alinhamento e são indispensáveis em aplicações que possuem cargas radiais e/ou axiais. 5
  24. 24. 24 Flanges Componentes que permitem a fixação do Contra Recuo no equipamento, além de garantir a vedação e estanqueidade. 6
  25. 25. 25 Aplicações Transportador de Correia Ascendente Ver a animação. Eixo de baixa rotação Contra Recuo TTBFA
  26. 26. 26 SPRAGS Elementos confeccionados com o baricentro deslocado, propiciando o seu basculamento pela atuação da força centrifuga, quando sujeitos a altas velocidades. Peças desenvolvidas para trabalharem em Altas Velocidades. Normalmente instaladas nos eixos de motores ou na segunda ponta do eixo de entrada de redutores. Bloqueio Flutuante
  27. 27. 27 Características RPM Força Centrífuga Força Centrífuga Articulação Os Sprags reagem a força centrífuga resultante da alta rotação. Princípio de funcionamento:
  28. 28. 28 Características Princípio de funcionamento:
  29. 29. 29 Características Atenção: Os Sprags necessitam de uma velocidade mínima de decolagem Princípio de funcionamento:
  30. 30. 30 Características Posição de Giro Livre Posição de Travamento Detalhe do núcleo de bloqueio Livre de atrito Livre de atrito Ponto de contato Ponto de contato Princípio de funcionamento:
  31. 31. 31 Componentes Cubo Núcleo de Bloqueio Capa
  32. 32. 32 Aplicações Eixo de alta rotação Contra Recuo
  33. 33. Diferenciação de APLICAÇÕES
  34. 34. 34 DIFERENÇASEntre as formas construtivas Relação Custo Benefício Contra Recuo para eixo de baixa rotação Contra Recuo para eixo de alta rotação Maior Custo de Aquisição. Requer lubrificação. Mais pesado. Maior Segurança Menor Custo de Aquisição. Isento de lubrificação. Menos pesado. Menor Segurança. ROLO RAMPA SPRAG
  35. 35. 35 Diferenças de Aplicações Contra Recuo CatracaRoda Livre Backstop
  36. 36. 36 Aplicadas em movimentos angulares cíclicos, como alimentadores de prensas, mesas giratórias... A Catraca permite convertermos um movimento linear em movimento rotativo. F Catraca Catracas Aplicação
  37. 37. 37 Aplicação - Catracas
  38. 38. Aplicação – Catraca Alimentador Maquina de Embalagem Separador de Semente
  39. 39. 39 Exemplos de Aplicação Aplicação - Catracas
  40. 40. 40 Cálculo - Catracas
  41. 41. 41 Cálculo - Catracas
  42. 42. 42 Cálculo - Catracas
  43. 43. 43 Aplicadas em equipamentos que possuem dois ou mais acionamentos, como fornos, moinhos ... Desengata automaticamente quando o eixo movido girar mais rápido que o eixo motriz. Rodas Livres Rodas Livre Aplicação
  44. 44. 44 Aplicação – Rodas Livre
  45. 45. 45 Aplicação – Rodas Livre
  46. 46. 46 Cálculo - Rodas Livre
  47. 47. 47 Cálculo - Rodas Livre
  48. 48. 48 Cálculo - Rodas Livre
  49. 49. 49 Equipamento que permite que um eixo gire em um único sentido. Previne a rotação inversa, quando não acionado. Evitam o retorno de equipamentos como, elevadores de canecas, correias transportadoras, esteiras. Contra Recuo Contra Recuos Aplicação
  50. 50. 50 Aplicação - Contra Recuos
  51. 51. 51 Cálculo - Contra Recuo
  52. 52. 52 Cálculo - Contra Recuo
  53. 53. 53 Backstop Indicado para equipamentos de baixas rotações e elevados torques como correias transportadoras, descarregador, entre outras. Backstop Equipamento montado em viga (i) que permite que um eixo gire em um único sentido. Previne a rotação inversa, quando não acionado. Aplicação
  54. 54. 54 Aplicação - Backstop
  55. 55. Estudo de Caso 1 - TTBFA Dados: •Potência do acionamento: 7,5 cv; •Rotação de Saída: 22 rpm; •Diâmetro do eixo: 3 15/16”; •Torque da Aplicação: 2500 Nm; •Fator de Serviço: 1,5; Equipamento Selecionado: TTBFA 70 – 2 – O – CH – BR 914
  56. 56. Estudo de Caso 2 - TTBFA Dados: •Potência do acionamento: 70 cv; •Rotação de Entrada: 1750 rpm; •Rotação de Saída: 70 rpm; •Relação de Redução: 1:25; •Diâmetro do eixo: 90mm; •Torque da Aplicação: 10750 Nm; •Fator de Serviço: 1,5; Equipamento Selecionado: TTBFA 90 – 2 – O – CH – BR 914
  57. 57. Estudo de Caso 3 - TTBFA Dados: •Potência do acionamento: 200 cv; •Rotação de Saída: 55,62 rpm; •Diâmetro do eixo: 170mm; •Fator de Serviço: 1,5; Equipamento Selecionado: TTBFA 200 – 2 – O – BR 1849
  58. 58. Estudo de Caso 4 – TTRLA Dados: •Potência do Ventilador: 330 kW; •Potencia do redutor: 2,2 kW; •Rotação do Ventilador: 890 rpm; •Rotação do redutor: 51rpm; •Diâmetro do eixo Ventilador: 110mm; •Diâmetro do eixo motor: 40mm; •Fator de Serviço: 2,0; Equipamento Selecionado: TTRLA 35
  59. 59. Estudo de Caso 5 – TTKK Dados: •Potência do Motor: 8 HP; •Rotação do eixo: 1750 rpm; •Relação de Redução: 28:1; •Diâmetro do eixo do motor: 35 mm; •Montagem na traseira do motor; •Fator de Serviço: 1,5; •Desenvolvida para substituir a serie 6200; Equipamento Selecionado: TTKK 30 M ou TTKK 35 M
  60. 60. Estudo de Caso 6 – TTGR + FLT Dados: •Potência do Motor: 20 cv; •Rotação do eixo: 103,72 rpm; •Diâmetro do eixo do motor: 65 mm; •Fator de Serviço: 1,5; Equipamento Selecionado: TTGR 50 + FLT 12-50 + FLT 13-50
  61. 61. Estudo de Caso 6 – TTGR + FLT Equipamento Selecionado: TTGR 50 + FLT 12-50 + FLT 13-50
  62. 62. Estudo de Caso 7 – TTHVS Dados: •Potência do Motor: 1200 HP; •Rotação do eixo: 1790 rpm; •Diâmetro do eixo do motor: 90 mm; •Fator de Serviço: 1,5; Equipamento Selecionado: TTHVS 80 - T
  63. 63. Procedimento de INSTALAÇÃO
  64. 64. 64 Gravação do Sentido de Giro Livre. Contra Recuo TTFR Identificação
  65. 65. 65 A importância do eixo de montagem Em caso de falha em qualquer parte do acionamento, o Contra Recuo TERÁ efeito. Contra Recuo no eixo de alta rotação Contra Recuo no eixo de baixa rotação Em caso de falha em qualquer parte do acionamento, o Contra Recuo NÃO TERÁ efeito.
  66. 66. 66 Montagem A correta instalação de Contra Recuo ou Backstop no eixo de trabalho, refere-se a um furo H7 sobre um eixo k6. Tal tolerância de montagem tem como característica um ajuste deslizante, logo ações pouco ortodoxas como bater no Contra Recuo com marreta, não devem ser executadas.
  67. 67. 67 Montagem Por que ajuste deslizante? Pressão Montagens com interferências podem gerar cargas radiais sobre os rolamentos, não previstas em projeto, prejudicando seu funcionamento.
  68. 68. 68 Montagem Gravação do Sentido de Giro Livre Gravação do Sentido de Giro Livre Antes de montar o Contra Recuo ou Backstop no eixo do equipamento, certifique-se que o sentido de giro livre deste, está no mesmo sentido de rotação do eixo de trabalho do equipamento.
  69. 69. 69 Montagem Para que o Backstop possa acompanhar possíveis batimentos do eixo de montagem, o braço de torque não deve ser fixado rigidamente, respeitando as folgas de montagem.
  70. 70. 70 Montagem Prover trava top ou anel elástico na ponta do eixo, não permitindo o passeio axial do Contra Recuo, eliminando a possibilidade de queda. Trava TOP
  71. 71. 71 Exemplo de Montagem TTGR
  72. 72. 72 Montagem A fixação do Backstop ao eixo poderá ser feita conforme as ilustrações. Fixação por chaveta dupla Tampa plana Tampa em forma de chapéu
  73. 73. 73 Fixação Alguns modelos de Contra Recuos geralmente são fixados no Equipamento através de combinações dos Flanges. Montagem por flanges, externo ao redutor: Não travar o braço de torque pois o Contra Recuo deverá acompanhar possíveis batimentos do eixo no qual está montado.
  74. 74. 74 ATENÇÃO Axial Modelos que não contém rolamentos não podem sofrer esforços Radiais e/ou Axiais. Radial
  75. 75. 75 Fixação Consiste em um ajuste forçado entre a peça e o alojamento. Pode ser feito por montagem Axial (prensas, balancins). Montagem por interferência: r6 J6 Tolerâncias: Capa Alojamento r6 / J6
  76. 76. 76 Fixação Trata-se da fixação entre a Capa e o Equipamento através de chaveta externa. Montagem por chaveta externa: H8 Chaveta
  77. 77. 77 Fixação A fixação do Contra Recuo é realizada por meio de parafusos presos entre a Capa e o Equipamento. Montagem por parafusos: Parafuso
  78. 78. 78 Fixação O torque de trabalho dependerá da concentricidade do eixo. Eixo do Redutor A falta de concentricidade impedirá que todos os elementos de travamento atuem simultaneamente, prejudicando o desempenho do Contra Recuo e sua vida útil.
  79. 79. 79 Manutenção
  80. 80. 80 Lubrificação Antes de partir o equipamento, certifique-se de que o Contra Recuo está corretamente lubrificado. Lembre-se que existem Contra Recuos lubrificados a graxa, a óleo, a graxa e óleo e os 100% isentos de lubrificação. Leia atentamente o Manual que acompanha o Contra Recuo / Backstop.
  81. 81. 81 Lubrificação a Óleo Os Contra Recuos / Backstops Tec Tor que possuem selos de retenção (vedação), são denominados de peças seladas, não permitem a saída do óleo lubrificante e nem a entrada de contaminantes. Faça o enchimento com o óleo e aplique a graxa na selagem antes da entrada em operação. Graxa Óleo
  82. 82. 82 Lubrificação a Óleo • Os modelos providos de retentores são denominados selados e podem ser lubrificados a óleo. COM RETENTOR
  83. 83. 83 Lubrificação a Óleo O nível de óleo e suas condições, bem como os selos / retentores, devem ser conferidos regularmente. Para observação das condições dos lubrificantes, durante o início de operação do produto, recomenda-se :
  84. 84. 84 Lubrificação a Óleo A quantidade de óleo recomendada é aproximadamente 1/3 do volume interno da peça: Obs: Para montagens em eixos verticais, contate nosso Depto. de Engenharia.
  85. 85. 85 Lubrificação a Graxa • Os modelos não providos de retentores são denominados não selados e devem ser lubrificados a graxa. SEM RETENTOR
  86. 86. 86 Lubrificação a Graxa Alguns modelos de Contra Recuo COM ELEMENTOS DE BLOQUEIO TIPO “ROLO/RAMPA” foram projetados para operarem com lubrificação a graxa NESTES ELEMENTOS. A graxa utilizada e recomendada é a “Isoflex Special 18A Klüber” Uma graxa do tipo NLGI 2, com longa vida, alto ponto de gota, alta resistência à compressão e grande estabilidade química. Para prolongar a vida útil da peça, recomendamos a completa limpeza dos labirintos de graxa, inspeção dos selos de vedação, e re-lubrificação em períodos regulares, dependendo da aplicação e rigorosidade do ambiente de trabalho. Graxa como Lubrificante
  87. 87. 87 Lubrificação a Graxa Para Contra Recuos / Backstops que trabalham em ambientes extremamente agressivos, utiliza-se graxa como elemento de vedação, impedindo a contaminação interna do produto. Tal sistema recebe o nome de Sistema de Vedação Reforçada. Graxa como elemento de vedação Graxa Sistema de Vedação Reforçada
  88. 88. 88 Lubrificação a Graxa Obs: Graxa em excesso pode causar problemas durante o funcionamento da Catraca. A quantidade de graxa recomendada varia de acordo com o modelo e tamanho da peça, devendo ser aplicada apenas superficialmente com o auxílio de uma espátula ou aplicador. Adote 1/3 da área livre.
  89. 89. 89 Temperatura Após a montagem do Contra Recuo / Backstop no equipamento, monitore a temperatura de trabalho durante as primeiras horas de operação. Assegure-se de que a temperatura do Contra Recuo / Backstop não ultrapasse 80º C.
  90. 90. 90 Lubrificação a Graxa • A condição da graxa deve ser conferida regularmente. • Para condições de trabalho abaixo de -40°C e acima de +80°C, por favor contate nosso Depto. de Engenharia. • Caso a Catraca seja utilizada em ambientes com alto grau de contaminação, consultar nosso Depto. de Engenharia. A não observância de execução de manutenção preventiva dos equipamentos pode acarretar danos irreversíveis aos mesmos, implicando perda de produção e custo elevados de manutenção corretiva.
  91. 91. 91 Especificação Recomendações para lubrificações a óleo ou graxa
  92. 92. 92 Desgaste Contaminação da Peça. Desgaste Interno por Abrasão.
  93. 93. 93 Desgaste Sulcos do Rolete na Superfície das Rampas Desgaste Natural
  94. 94. 94 Manutenção Preditiva Antes de acionar o equipamento, confirme o sentido correto do giro livre Durante a primeira hora de funcionamento, checar: - Temperatura de trabalho ( Máx. 80º C ) - Vibrações indiretas ao Contra Recuo - Vazamento do lubrificante ( quando este existir )
  95. 95. 95 Manutenção Preditiva Ponto 2: Centro da Capa Ponto 3: Flange DireitaPonto 1: Flange Esquerda As temperaturas deverão ser coletadas com o auxílio de um termômetro vulgo High-Tech em 3 pontos estratégicos do Contra Recuo / Backstop, e mais um no acionamento. Ponto 4: Caixa do Redutor
  96. 96. Serviços (Service) • Módulo 1 - INSPEÇÃO DE LINHAS • Módulo 2 - INSPEÇÃO DE ÓLEO • Módulo 3 - CONTRATOS DE MANUTENÇÃO • Módulo 4 - RETIRADA E ENTREGA • Módulo 5 - RENOVAÇÃO DA GARANTIA DE FÁBRICA • Módulo 6 - ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO PREDITIVA • Módulo 7 - COLOCAÇÃO DE ACIONAMENTOS EM OPERAÇÃO • Módulo 8 – TREINAMENTOS 96
  97. 97. SERVICE • Manutenção e Recuperação de todos os tipos de equipamentos incluindo nacionalização de componentes. • Balanceamento de ECI’s; • Usinagens de cruzetas; • Start Up; • Montagem e Manutenção; • Treinamentos; 97
  98. 98. 98 Reformas ANTES DEPOIS
  99. 99. 99 Reformas DepoisAntes
  100. 100. 100 Colocamos nossa equipe a sua disposição. Tel.: +55 (11) 4428-2888 Fax.:+55 (11) 4421-9338 www.tector.com.br vendas@tector.com.br Atualização:10/2013

×