O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Porque as velhas mídias tentam, mas não conseguem entender as novas mídias?

582 visualizações

Publicada em

Palestra da Semana de Tecnologia de Jogos Digitais da PUC-SP.
Dia: 26/10/2010, terça feira.
Tema: Porque as velhas mídias tentam, mas não conseguem entender as novas mídias?
Palestrante: Paulo Silvestre (Grupo Estado).

Publicada em: Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Porque as velhas mídias tentam, mas não conseguem entender as novas mídias?

  1. 1. Para onde caminha a mídia? Semana Acadêmica da PUC-SP 26 de outubro de 2010 Paulo Silvestre Gerente de Projetos Digitais O Estado de S.Paulo
  2. 2. Mídia digital: algoz ou salvadora?
  3. 3. Vítimas de uma nova realidade The Cincinnati Post • Primeira edição: 31 de janeiro de 1881 • Última edição: 31 de dezembro de 2007 (depois de 126 anos)
  4. 4. Vítimas de uma nova realidade Rocky Mountain News • Primeira edição: 23 de abril de 1859 • Última edição: 27 de fevereiro de 2009 (depois de 149 anos)
  5. 5. Vítimas de uma nova realidade Seattle Post-Intelligencer • Primeira edição: 10 de dezembro de 1863 • Última edição: 17 de março de 2009 (depois de 145 anos, apenas online)
  6. 6. Vítimas de uma nova realidade The Christian Science Monitor • Primeira edição: 1908 • Misto: desde 27 de março de 2009 (depois de 101 anos, online nos dias úteis e impresso no fim de semana)
  7. 7. Vítimas de uma nova realidade The Philadelphia Inquirer • Primeira edição: 1 de junho de 1829 • Situação atual: concordata
  8. 8. Vítimas de uma nova realidade Los Angeles Times • Primeira edição: 4 de dezembro de 1881 • Situação atual: concordata
  9. 9. Vítimas de uma nova realidade Chicago Tribune • Primeira edição: 10 de junho de 1847 • Situação atual: concordata
  10. 10. Vítimas de uma nova realidade Post-och Inrikes Tidningar • Primeira edição: 1645 • Última edição: 1 de janeiro de 2007 (depois de 361 anos, apenas online)
  11. 11. Vítimas de uma nova realidade Gazeta Mercantil • Primeira edição: 1920 • Última edição: 29 de maio de 2009 (depois de 89 anos)
  12. 12. Vítimas de uma nova realidade Jornal do Brasil • Primeira edição: 9 de abril de 1891 • Última edição: 1 de setembro de 2010 (depois de 119 anos , apenas online)
  13. 13. Vítimas de uma nova realidade The New York Times • Primeira edição: 18 de setembro de 1851 • Situação atual: crise geral Receitas digitais no bolo: 2007: US$ 134M (10%) 2008: US$ 213M (12%) 2009: US$ 306M (15%) 2010: US$ 612M (26%)
  14. 14. Modelo falido “O pior cego é aquele que não quer escutar.” Editorial Despesas Receitas
  15. 15. Queda do “paradigma Gutenberg” Johannes Gutenberg (1398 – 1468)
  16. 16. Queda do “paradigma Gutenberg” poucos para poucos poucos para muitos
  17. 17. Queda do “paradigma Gutenberg” muitos para muitos
  18. 18. Editorial: “não quero ver” “A Internet é má e nossa inimiga!”
  19. 19. Editorial: “não quero ver” Grande imprensa x “jornalismo cidadão” Tamanho não é sinônimo de agilidade, precisão, confiabilidade ou credibilidade.
  20. 20. Editorial: “não quero ver” “As pessoas ainda querem que alguém lhes diga o que ler”
  21. 21. Editorial: “não quero ver” O jornalismo caminha para o mesmo fim da indústria fonográfica?
  22. 22. Despesas: “não quero ouvir” "Bom jornalismo custo caro" é uma meia verdade: alto custo para grandes coberturas. Vantagem de quem está no lugar e na hora certos. Grande imprensa continuará existindo.
  23. 23. Despesas: “não quero ouvir” Complementaridade Grande imprensa + "jornalismo cidadão" Grandes articulistas já possuem seus blogs independentes.
  24. 24. Despesas: “não quero ouvir” Custos "invisíveis" de um jornal Apenas 20% é conteúdo! Afinal, o que as pessoas compram?
  25. 25. Despesas: “não quero ouvir” A necessidade do papel como transmissor deixou de existir: Web, celulares, e-readers, tablets e o que mais surgir.
  26. 26. Despesas: “não quero ouvir” Estudo de Nicholas Carlson, do The Business Insider: um Kindle custa menos que o papel usado pelo The New York Times para cada assinante a cada ano.
  27. 27. Despesas: “não quero ouvir” Alteração nos meios de produção: crossmedia precisa ser mais ágil e barata.
  28. 28. Receitas: “não quero falar” Tiragens crescentes; fatias publicitárias minguantes: •TV nadando de braçada e mantendo 50%; •impresso caindo; •mídias digitais crescendo; •rádio caindo; •mídia externa caindo.
  29. 29. Receitas: “não quero falar” Concorrência entre impressos: o tombo só não foi mais dramático graças aos crescentes títulos gratuitos
  30. 30. Receitas: “não quero falar” Anúncios baratos em mídias digitais: contradição! Questões históricas e lobby das outras mídias.
  31. 31. Receitas: “não quero falar” Cenário até 2015 para impressos: otimistas dizem que receitas apenas acompanharão o IPC; pessimistas preveem uma queda de 40% na receita.
  32. 32. E agora, José? Óbvio ululante: • cortar custos e aumentar receitas. • Para isso, mudança profunda nos produtos.
  33. 33. O que deve ter um jornal do futuro? Noticiário personalizado a partir da reorganização do material segundo critérios de relevância do usuário (informados ou coletado).
  34. 34. O que deve ter um jornal do futuro? Conteúdo realmente multimídia e interativo (concebido assim desde a pauta).
  35. 35. O que deve ter um jornal do futuro? Experiência informativa expandida com recursos de toda a Web, e não apenas com produtos da publicação ou de produtos da mesma empresa.
  36. 36. O que deve ter um jornal do futuro? Possibilidade de participação efetiva do usuário, muito além dos comentários observados hoje em alguns sites.
  37. 37. O que deve ter um jornal do futuro? Fim do “conteúdo fechado a assinantes”, Adotando novos modelos de negócios que privilegiem usuários pagantes sem penalizar os não-pagantes.
  38. 38. O que deve ter um jornal do futuro? Produto jornalístico que transcenda diferentes mídias, tirando proveito do que cada uma tem de melhor, a despeito da mera transposição de conteúdo da “mídia de origem”.
  39. 39. Crise? Que crise? O momento não é de crise: é de oportunidade. Especialmente para vocês!
  40. 40. Obrigado Paulo Silvestre contato@paulosilvestre.com.br www.paulosilvestre.com.br

×