Outro Lado A

640 visualizações

Publicada em

Um livro mais introspectivo e intimista.

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
640
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Outro Lado A

  1. 1. Outro Flávio Martins
  2. 2. O que é a poesia senão a energia que gera coisas e que governa o mundo? Janeiro de 2008
  3. 3. o que é escrever? no início amala a roda truly arre ê mané pode ser tramela belíssima
  4. 4. O que é escrever ? Escrever é divagar devagar sobre o que há, sobre o virassê, sobre mim, sobre todos, sobre tudo ou nada . É marchar num exército de milhares querendo não ser apenas mais um. É declarar o amor às letras ainda que custe a própria vida. Escrever é morrer por não escrever. É estando morto renascer um pouquinho a cada linha escrita, a cada parágrafo “redondinho”. Escrever é trazer pra fora o que deveria estar dentro mesmo que machuque. Escrever é dar à luz mesmo sendo estéril ou homem. É plantar um livro e criar uma árvore. É buscar respostas para o que já foi respondido, mas não atende às minhas ambições. Escrever é lutar contra um inimigo invisível ou contra moinhos de vento cada vez maiores e cada vez mais desafiadores. É brigar com o texto que reluta em não sair, a frase que insiste em ser simplista, ser lugar comum. Escrever é buscar traduzir o indizível, é fazer nascer o inesperado, é registrar o pensamento, é esculpir os sentimentos através de uns sinais impressos num papel ou exibidos nessa tela de computador. Escrever é tentar capturar essa fumaça que paira sobre nós e que nos envolve e nos fascina. Tentar capturar as palavras, estas que estão por aí, nos esperando para dar-lhes forma e chamá- las de literatura. Escrever só se faz assim, escrevendo.
  5. 5. No início No início a música é um azeite que melodia Sem ver, sem sentir, constrói sentido É como uma fúria lancinante que amacia Embala, sacode, aperta, embulir. Minha música é de acalento, minha loucura é uma fúria breve.
  6. 6. A ma la A ma la A ma la ama rra da na ca ma A ca ma mel ada de amor A ama que ama o amo Ama ram Maria Mario Mas o mal ah o mal O mal me lou a me lo dia E no fim do dia Não mais a amou Me teu a mão na ma la E se man dou
  7. 7. A ar aro a roda a rodada a rodado a roda dói a roda doida a roda roda roda a dor a dor doída doida dói dó dor!
  8. 8. (...)And truly in the dwellings of brave men I want to stay, if there it be, though I am afraid that in such place there is much more loneliness than I have once wondered or that I can stand. If it is so, it has to be Hell-land. It has to be. (...)
  9. 9. a ar are arre arreme arremete a rê mete arremeter arremetida a rê metida arre arreme arremedo arre medo ar e medo arremeda arremedar arre. MERDA!!!
  10. 10. Ê mané ! A globo pariu O galo faliu Ê mané, acorda mané Acorda mané ! sua mulher fugiu Acorda bené! a pinga acabou Cadê sua alegria a TV pifou Sem bolsa-família cortaram a luz Sem amor sem um mé? teu cachorro morreu chuva, chuva, fudeu Quer passar o tempo, teu barraco caiu Adiantar as horas, acorda mané !! Correr contra o relógio, Mas no seu tempo já não há horas e agora, Jesus? Morreste mané, perdeste juzé, Ê mané Acabou bené Seus amigos, que amigos? Perdeste o boné, o emprego, o caminho, Amigos não tens Estás sozinho, sem paz, nem ninho Dinheiro não tens Sem casa, sem consolo, sem comida Família não tens Sem banho e O Lula sumiu Sem alma, chulé O Collor fugiu Acorda!
  11. 11. ...
  12. 12. pode ser pode ser um soldado que deu um tiro errado ou um dicionário que vivia no armário pode ser pode ser uma minhoca que comia uma pipoca ou uma menina anã que queria um sutiã pode ser pode ser um vendedor que seria professor vendendo conhecimento calejado sofrimento pode ser pode ser uma estrela que brilhava na esquerda agora em queda livre nem sabe se sobrevive pode ser pode ser o violeiro que canta no terreiro uma canção de amor mas que fala de dor pode ser pode ser uma criança que balança a pança enquanto brinca no quintal lá em Bacabau pode ser
  13. 13. pode ser uma mulher que coa o café, marido vai trabalhar nao sabe se vai voltar pode ser pode ser um jogador que sente imensa dor querendo ser artilheiro atingido por um zagueiro desleal pode ser pode ser aquela doença que mata quem pensa e faz dormir os abastados que vivem atordoados pelo poder pode ser pode ser pode ser eé
  14. 14. O Saci já não quer fogo pro cachimbo, ele tem é fome.
  15. 15. Tramela Uma flor sem cor, um par de algemas sem chaves, um estilete cego, um espelho redondo, um par de sapatos rotos, um passarinho que não canta, uma garrafa meio cheia, uma corda bamba, uma cabeça de boneca, um bicho em pânico. Um suicídio.
  16. 16. 1,2,3,4,5,6...
  17. 17. Belíssima Gatinha atlética de profissão protética escrava da estética faz intervenção cirúrgica de lipoaspiração. Dá tudo errado tratamento inadequado tava de casamento marcado fica em coma por três meses. Melhora vai pra casa fica anoréxica não come é morfética faz exame está diabética não melhora se descobre aidética.Parece continha de aritmética, com conta e resultado, mas é a vida. Ou melhor, era. Morreu aos 19 anos. Magérrima.
  18. 18. Labirintite. Parkinson e seborréia. Tudo na mesma cabeça, na mesma idéia, na mesma pessoa. Esse ser possuído e dominado. Luta, briga, insiste e no final não sabe mais. Então. Acabei por me saber fragmental.
  19. 19. Pedras, caminhos, estradas, destinos. Acho que vou demaiar.
  20. 20. Se não podes mudar o vento, mude sua vela.
  21. 21. Flávio Martins technomatics@gmail.com www.favelacultural.blogspot.com www.slideshare.net/technomatics
  22. 22. quem dorme cedo morre menos a cada dia.

×