Universidade do Minho – Instituto de Educação Licenciatura em Educação 1º Ano, 2º Semestre              Sexualidade, cultu...
 A Teoria Queer é uma teoria sobre o   género que afirma que a orientação    sexual e a identidade sexual são o   resulta...
Capítulo 2Capítulo 7               Capítulo 4              Capítulo 5                           3
Pp. 161-174              Townsand Prince-Spratlen                                         4
É Professor Associado de Sociologia na Universidade de                     Washington.              A sua pesquisa debruça...
• Imagens e interações;• Nutrindo resistência;• Imagens no local de trabalho e “revelação”;• Fazer justiça e os “documento...
“ Era sempre Natal contigo ali e… tu não descoravas de trazer pelomenos três presentes. Deste-me uma língua para habitar, ...
“ Um local tão semiformal e semiprivado queé frequentemente minimizado é o gabinete do           professor universitário.”...
“ O gabinete de um professor universitário é um espaço político de múltiplas                                  dialécticas....
O assumir da Homossexualidade… (liberalismo)   Dimensões particulares de Identidade versus interacções de identidade vivas...
“Pré-Kindergararten Kisses ”– “esta imagem educativa está na parede do meu    gabinete em frente a minha secretária”.     ...
Encorajar os Outros … ampliação dos poderes comunitários…“Uma coisa que quero deixar para trás quando sair desta sala é o ...
 “Estas três imagens, “pré-Kindergarten Kisses”, Audre Lorde e Marlon Riggs”“Politica da educação (que inclui) evidenciar...
“ensinar “                                         “aprender”                                  “O próprio educador precisa...
 “ Há vários anos Joan Armatrading lançou uma música intitulada Talking to the    wall …Quando não se obtém respostas; ap...
“ Espaço social não apologético”              “Os filmes não mudam o mundo…mas eles ajudam…” (Marlon Riggs)               ...
“imagens mais apreciadas” IMA“Dão voz ao                                   Mudança rumo à vitóriaindizível”               ...
Capítulo 2Capítulo 4Capítulo 5             18
Politica de identidade, resposta   institucional e negociação cultural:significados de um gabinete homossexual          e ...
Subcapítulo 4: “A controvérsia na Liberal U: cronologia e análise” O assédio durante os anos 80Subcapítulo 3: “Centraliza...
Confronto com o capitulo 7…   Existência de um gabinete ;   A luta do reconhecimento da diferença numa Universidade;   For...
Transgressão e corpo localizado: género,      sexo e o professor homosexual.pp. 107-133                                   ...
 O que é « queer » Problemas que o autor confronta Profissão versus vida privada Consequências de ser Queer no trabalh...
Confronto com o capitulo 7…   Professor assume a sua homossexualidade;   Defensor da liberalização homossexual;   Exploraç...
Do armário ao Curral: Neo - estereotipia               em In & Outpp. 135-144                                Shirley R. St...
Síntese   O autor fala-nos de quais as tendências que compõem o    modelo queer;   Descreve-nos o filme “In & Out” do re...
Confronto com o capitulo 7…Profissão/educaçãoPapel da homossexualidade na sociedadePosição dos autores versus ideia centra...
“Uma coisa que quero deixar para trás quando sair destasala é o conhecimento e o sentido de urgência de usarquem somos , a...
Pensa…Repensa e volta a Pensar…    Em que medida é que nósaceitamos e não olhamos de lado      a homossexualidade?        ...
 TALBURT, Susan; STEINBERG, R.Shirley (2007). Pensar Queer: sexualidade, cultura e educação. Mangualde: Edições Pedagogo....
 Oradores: Inês Gonçalves A64966   Joana Sousa A63835 Juscilene Santos A66442  Marta Soares A64995        Docente:  ...
32
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tce final

878 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Tce final

  1. 1. Universidade do Minho – Instituto de Educação Licenciatura em Educação 1º Ano, 2º Semestre Sexualidade, cultura e educação. Susan Talburt Shirley R. Steinberg (Org.) 30 de Abril de 2012
  2. 2.  A Teoria Queer é uma teoria sobre o género que afirma que a orientação sexual e a identidade sexual são o resultado de uma construção social. Logo• Não existem papéis sexuais primários ou biologicamente inscritos na naturezahumana, antes formas socialmente variáveis de desempenhar um ou vários papéis sexuais. 2
  3. 3. Capítulo 2Capítulo 7 Capítulo 4 Capítulo 5 3
  4. 4. Pp. 161-174 Townsand Prince-Spratlen 4
  5. 5. É Professor Associado de Sociologia na Universidade de Washington. A sua pesquisa debruça-se: • Comunidade (Comportamento humano) • Religião Analisa a religião africana contemporânea e as práticasreligiosas americanas e sua influência sobre a identidade. 5
  6. 6. • Imagens e interações;• Nutrindo resistência;• Imagens no local de trabalho e “revelação”;• Fazer justiça e os “documentos” na parede; • Vitórias antigas. 6
  7. 7. “ Era sempre Natal contigo ali e… tu não descoravas de trazer pelomenos três presentes. Deste-me uma língua para habitar, um presentetão perfeito que parece uma invenção minha. O segundo foi a tuacoragem, (que) de quem poderia passar por um estranho na cidade etransformar as distâncias entre as pessoas em intimidade com omundo inteiro . O terceiro presente foi… A tua ternura - uma ternuratão delicada que pensei que não poderia durar, mas perdurou eenvolveu-me nela.” Toni Morrison, “Life in His Language” 7
  8. 8. “ Um local tão semiformal e semiprivado queé frequentemente minimizado é o gabinete do professor universitário.” 8
  9. 9. “ O gabinete de um professor universitário é um espaço político de múltiplas dialécticas.” Gabinete de um Professor Universitário Público Privado• Pertence indirectamente ao • Decoração ( temporária) Estado • Fiel às fronteiras da sensibilidade moral • “Bom gosto”. “As imagens escolhidas … identidade do ocupante” “Negociação de legados” - imagens ancestrais Imagens no local de Fazer justiça e osImagens e interações Nutrindo a resistência Vitórias antigas trabalho e “revelação” “documentos” na parede 9
  10. 10. O assumir da Homossexualidade… (liberalismo) Dimensões particulares de Identidade versus interacções de identidade vivas Justiça social Contribuição para a Educação “Prática de Liberdade” Transformação da Diferença em Companheirismo Imagens no local de Fazer justiça e osImagens e interações Nutrindo a resistência Vitórias antigas trabalho e “revelação” “documentos” na parede 10
  11. 11. “Pré-Kindergararten Kisses ”– “esta imagem educativa está na parede do meu gabinete em frente a minha secretária”. Reconhecer a Queeridade Educação na imagem “… (abrigam-me dos danos que o local de trabalho pode por vezes causar)” Marlon Riggs e Audre Lorde“ajuda a motivar o meu movimento dia a dia” Imagens no local de Fazer justiça e os Imagens e interações Nutrindo a resistência Vitórias antigas trabalho e “revelação” “documentos” na parede 11
  12. 12. Encorajar os Outros … ampliação dos poderes comunitários…“Uma coisa que quero deixar para trás quando sair desta sala é o conhecimento e osentido de urgência de usar quem somos , ao serviço do que acreditamos [A minha]poesia pede uma resposta a cada um de vós nas Vossas vidas” Audre Lorde UCLA 1989 EDUCAÇÃO PRÁTICA DE LIBERDADE. “Sentir que esta exigência me toca no ombro a cada novo dia de trabalho é uma enorme bênção, uma lembrança agradável das tarefas existentes na politica da educação que todos os dias confronto.” Imagens no local de Fazer justiça e os Imagens e interações Nutrindo a resistência Vitórias antigas trabalho e “revelação” “documentos” na parede 12
  13. 13.  “Estas três imagens, “pré-Kindergarten Kisses”, Audre Lorde e Marlon Riggs”“Politica da educação (que inclui) evidenciar e estimular o desejo no potencial(visitante) de aprender mais” . ( Freire,1985 p.1) Negociação de legados Práxis da politica da educação Imagem “Kisses” – intimidade da amizade Audre Lorde e Marlon Riggs – amizade fictícia Imagens no local de Fazer justiça e osImagens e Interações Nutrindo a Resistência Vitórias antigas trabalho e “Revelação” “Documentos” na parede 13
  14. 14. “ensinar “ “aprender” “O próprio educador precisa de educação.” “ Vida de Resistência” (Browning, 1993, p.121) Transformação do gabinete em espaço social. Imagens no local de Fazer justiça e osImagens e Interações Nutrindo a Resistência Vitórias antigas trabalho e “Revelação” “Documentos” na parede 14
  15. 15.  “ Há vários anos Joan Armatrading lançou uma música intitulada Talking to the wall …Quando não se obtém respostas; apenas um gélido silencio” • “… São documentos da parede com quem “falo”…” – “falo com a parede” Diálogo espiritual e intelectual • “Ato de resistência que faz parte do processo descolonizador antirracista” (Hooks e West, 1991 p.5) • “ Fazer justiça” ( Goss,1993 p.109) “apenas” imagens visuais…” Imagens no local de Fazer justiça e osImagens e Interações Nutrindo a Resistência Vitórias antigas trabalho e “Revelação” “Documentos” na parede 15
  16. 16. “ Espaço social não apologético” “Os filmes não mudam o mundo…mas eles ajudam…” (Marlon Riggs) …“Instigam os outros e a agir.” Imagens no local de Fazer justiça e osImagens e Interações Nutrindo a Resistência Vitórias antigas trabalho e “Revelação” “Documentos” na parede 16
  17. 17. “imagens mais apreciadas” IMA“Dão voz ao Mudança rumo à vitóriaindizível” Trindade centrada na Paixão A Consciência a Revelação e o Sucesso Imagens no local de Fazer justiça e os Imagens e interações Nutrindo a resistência Vitórias antigas trabalho e “revelação” “documentos” na parede 17
  18. 18. Capítulo 2Capítulo 4Capítulo 5 18
  19. 19. Politica de identidade, resposta institucional e negociação cultural:significados de um gabinete homossexual e lésbico num campus.pp.45-73 Susan Talburt 19
  20. 20. Subcapítulo 4: “A controvérsia na Liberal U: cronologia e análise” O assédio durante os anos 80Subcapítulo 3: “Centralizar os homossexuais e as lésbicas”Subcapítulofinanciamento na criação doAcadémica na política e prática” Introdução: “Localização de campus e gabinete. O apoio e1: 2: “Diversidade Social na Liberal U”Subcapítulo Durante muitos anos os homossexuais e lésbicas estiveram por detrás da cortina  fumo, escondidos nos bastidores. ao Estado (que defende umana Oposição anão existe nada de um gabinete defuncionários. e lésbico sociedade de Reacções face à criação pertença Embora universidade homossexual “No Oásispor parte dos alunos, professores e intrinsecamente amigável dos homossexuais e homogénea) também é a ponte para que naquela sociedade, pelo menos Liberal U. lésbicas, a população homossexual e lésbica do oásis pode-se sentir bem por Subcapítulo do “Negociaçãoestecultural”aluna lésbica. pag.50) . Finalidade universidade, da de uma dá uma educar de qualidade dentro da 5: gabinete: promover um grupo activista.  A universidadee lésbicasexista a igualdade. imagem a sociedade académica Os homossexuais ao criar formam palestras e causa da universidade” (relato gabinete sobre políticaoutras universidades. é só no papel que existe, mas também na perante as da universidade não Esta as diferenças. Reconhecimento social . gabinete. A sua luta para se afirmarem. pratica começando pelo A finalidade não obtida. 20
  21. 21. Confronto com o capitulo 7… Existência de um gabinete ; A luta do reconhecimento da diferença numa Universidade; Fortalecer a sua convivência na Universidade; Promover a Educação para a diferença; 21
  22. 22. Transgressão e corpo localizado: género, sexo e o professor homosexual.pp. 107-133 Eric Roffes 22
  23. 23.  O que é « queer » Problemas que o autor confronta Profissão versus vida privada Consequências de ser Queer no trabalho Vantagens de ser homossexual 23
  24. 24. Confronto com o capitulo 7… Professor assume a sua homossexualidade; Defensor da liberalização homossexual; Exploração da Educação; 24
  25. 25. Do armário ao Curral: Neo - estereotipia em In & Outpp. 135-144 Shirley R. Steinberg 25
  26. 26. Síntese O autor fala-nos de quais as tendências que compõem o modelo queer; Descreve-nos o filme “In & Out” do realizador Paul Rudnick onde tenta que a homossexualidade seja socialmente aceite; O autor critica o tipo de filme feito por Rudnick pois diz- nos que a homossexualidade está sempre associada aos “modos afeminados” e “punhos frouxos” e nunca ás relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo; No final do filme o autor diz sentir-se desiludido pois o heterossexismo é reinscrito e fortalecido.
  27. 27. Confronto com o capitulo 7…Profissão/educaçãoPapel da homossexualidade na sociedadePosição dos autores versus ideia central do filmeImpacto dos filmes, imagens e músicasDespedimento pela homossexualidade 27
  28. 28. “Uma coisa que quero deixar para trás quando sair destasala é o conhecimento e o sentido de urgência de usarquem somos , ao serviço do que acreditamos [A minha]poesia pede uma resposta a cada um de vós nas Vossasvidas” Audre lorde UCLA 1989 28
  29. 29. Pensa…Repensa e volta a Pensar… Em que medida é que nósaceitamos e não olhamos de lado a homossexualidade? 29
  30. 30.  TALBURT, Susan; STEINBERG, R.Shirley (2007). Pensar Queer: sexualidade, cultura e educação. Mangualde: Edições Pedagogo. 30
  31. 31.  Oradores: Inês Gonçalves A64966  Joana Sousa A63835 Juscilene Santos A66442  Marta Soares A64995  Docente:  Lia Raquel Oliveira 31
  32. 32. 32

×