SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
48 99168-5827
PODER CONCEDENTE
Prefeitura Municipal de Tubarão
FISCALIZAÇÃO E REGULAÇÃO
Agência Reguladora de Saneamento de Tubarão (AGR)
RESPONSÁVEL PELA VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA
Vigilância Sanitária Municipal
Rua Altamiro Guimarães, 1109, Oficinas |48| 3621-9615
QUEM SOMOS
“Compromisso com você e o Meio Ambiente”, com este
posicionamento, assumimos em 2012 a responsabilidade de
melhorar o fornecimento de água, modernizar os serviços de
atendimento ao cliente e implantar o sistema de coleta e tra-
tamento de esgoto na cidade de Tubarão.
A Tubarão Saneamento tem a consciência de que o aces-
so aos serviços de saneamento básico é fundamental para a
melhoria da saúde e da qualidade de vida de todos. Ter água
tratada na torneira de casa e o esgoto devidamente coletado
e tratado é apontado como fator essencial à erradicação de
uma série de doenças infectocontagiosas.
A frente da Concessionária encontra-se profissionais expe-
rientes, que buscam desenvolver seus negócios com compe-
tência, segurança e, acima de tudo, consciência ambiental.
Incorpora e coloca em prática sua responsabilidade de aten-
der toda a população com água potável, cuidando da qualida-
de com esmero e compromisso, já que se trata de um produto
indispensável à saúde humana.
Assina como responsável técnico, pelo CRQ N° 13.302.067,
o Coordenador Operacional, Jorge Loffi Corrêa.
MANANCIAL
A bacia hidrográfica do Rio Tubarão e Complexo Lagunar,
que engloba 21 municípios do Sul Catarinense, possui uma
área de 5.960km², da qual faz parte o Rio Tubarão, manancial
superficial que nasce na encosta da Serra Geral, percorre
120km e tem suas águas captadas para tratamento e distri-
buição na cidade de Tubarão. Monitoramos a água do Rio,
com periodicidade e atendendo a:
Resolução N° 367/2005/Conama:
Lei que regulamenta a qualidade da água.
Portaria de Consolidação N° 5/2017/Ministério da Saúde:
Parâmetros de potabilidade.
Instituto do Meio Ambiente (IMA):
Órgão responsável pelo monitoramento, em Santa Catarina.
Rua Padre Bernardo Freuser, N° 227, Tubarão, SC.
RELATÓRIO ANUAL
QUALIDADE
DA ÁGUA
ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA (ETA)
Rua Dorvino Coradini, N° 172, Fábio Silva, Tubarão, SC
CENTRAL DE ATENDIMENTO
Rua Altamiro Guimarães, N° 685, Centro, Tubarão, SC
PARÂMETROS PADRÕES SIGNIFICADOS DOS PADRÕES
Cor Aparente Padrão 15 UC
Quantidade de sólidos
dissolvidos na água.
Turbidez Máximo 5 NTU
Quantidade de sólidos
em suspensão na água.
pH
Mínimo 6.0
Máximo 9.0
Indica o quanto a água á ácida
(pH baixo) ou alcalina (pH alto).
Cloro
Residual Livre
Mínimo 0,2mg/l
Consiste no resíduo do cloro
na água da rede de distribuição.
Máximo 2,0mg/l Após o processo de desinfecção.
Flúor Máximo 1,5 mg/l
É acrescentado para auxiliar
na prevenção de cárie dentária.
Coliformes
Totais (CT)
Ausência em
95% das amostras
Indica a presença de bactérias
na água e não necessariamente
representam problemas à saúde.
Coliformes
Termotolerantes
(CTe)
Ausência
em 100% das
amostras
Indica a possibilidade de
presença de organismos
causadores de doenças na água.
Outros
Conforme Portaria
de Consolidação
N° 5/2017/MS
Inúmeros outros parâmetros
são analisados com frequência
variáveis em laboratórios
internos e externos.
1) Entrada de água bruta;
2) Floculação
3) Decantação;
4) Filtração;
5) Caixa de contato;
6) Reservatório;
7) Distribuição.
PADRÕES DE POTABILIDADE
Legenda: R = Análises Realizadas | C = Amostras em conformidade com o padrão
Cor
20/mês
PH
0/mês
Turbidez
96/mês
Coliformes
Totais
96/mês
Cloro
96/mês
Flúor
0/mês
Coliformes
Termotolerantes
0/mês
COR PH TURBIDEZ CLORO FLÚOR COLIFORMES
MÊS R C R C R C R C R C R CCT R CCTe
JAN 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
FEV 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
MAR 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
ABR 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
MAI 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
JUN 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
JUL 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
AGO 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
SET 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
OUT 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
NOV 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
DEZ 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96
ENTENDA COMO É FEITO
O TRATAMENTO DE ÁGUA
O processo de tratamento aplicado no município é do tipo
convencional, com distribuição de água potável à região ur-
bana de Tubarão, e fornecimento à Capivari de Baixo. Desde o
tratamento até a distribuição são sete etapas:
PLANO DE AMOSTRAGEM
Mínimo de amostras a serem analisadas. DIREITO DO CONSUMIDOR
Este Relatório Anual atende ao Decreto N° 5.440/2005/Pla-
nalto, que dispõe da divulgação de informações sobre a quali-
dade da água distribuída para o consumo humano.
Lei N° 8.078/1990/Planalto, que dispõe sobre
o Código de Proteção e Defesa do Consumidor:
Art. 6° São direitos básicos do consumidor:
III – A informação adequada e clara sobre os diferentes pro-
dutos e serviços, com especificação correta de quantidade,
características, composição, qualidade, tributos incidentes e
preço, bem como sobre os riscos que apresentem;
Art. 31° A oferta e apresentação de produtos ou serviços de-
vem assegurar informações corretas, claras, precisas, ostensivas
e em língua portuguesa sobre suas características, qualidades,
quantidade, composição, preço, garantia, prazos de validade
e origem, entre outros dados, bem como sobre os riscos que
apresentam à saúde e segurança dos consumidores.
RECOMENDAÇÕES
`` Lave a caixa de água a cada seis meses,
mantendo-a sempre coberta.
`` Em casos de dúvidas, entre em contato com
a Central de Atendimento da Tubarão Saneamento
e saiba como realizar uma limpeza efetiva.
`` Se houver filtro em sua residência, mantenha
sempre limpos para evitar que contaminem a água.
`` Siga as instruções do fabricante.
Parecer Técnico: De acordo com a Portaria de con-
solidação nº 5, de 28 de setembro de 2017 anexo XX e
Portaria de nº 421 de 13/05/2016 da Secretaria do Estado
da Saúde de SC, que determinam os procedimentos de
controle e de vigilância da qualidade da água destinada
ao consumo humano, as amostras realizadas atendem
aos parâmetros e critérios estabelecidos.
CONTROLE DE QUALIDADE
Controlamos a qualidade da água em todo o sistema de
abastecimento, desde o manancial até o cavalete do seu imó-
vel, por meio de coletas sistemáticas de amostras e realiza-
ção de ensaios laboratoriais, em atendimento à Portaria de
Consolidação N° 5/2017/Ministério da Saúde. A ocorrência de
resultados fora dos padrões não necessariamente representa
risco à saúde. Ele apenas indica a situação em um dado mo-
mento, de um local específico.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Procedimento poupa quase 90% de água em refinaria
Procedimento poupa quase 90% de água em refinariaProcedimento poupa quase 90% de água em refinaria
Procedimento poupa quase 90% de água em refinariaFrau Soares
 
Ciclo de Palestra "Reuso de água: iniciativa ambiental no setor de transportes”
Ciclo de Palestra "Reuso de água: iniciativa ambiental no setor de transportes”Ciclo de Palestra "Reuso de água: iniciativa ambiental no setor de transportes”
Ciclo de Palestra "Reuso de água: iniciativa ambiental no setor de transportes”Universidade Corporativa do Transporte
 
Vigilância e controle da qualidade da água
Vigilância e controle da qualidade da águaVigilância e controle da qualidade da água
Vigilância e controle da qualidade da águaJoel Vieira Caldas
 
Projeto matadouro 2008
Projeto matadouro 2008Projeto matadouro 2008
Projeto matadouro 2008Tiago Santos
 
Marcelo Manhães de Amorim - Educação Ambiental voltada a Lava Jatos e Oficina...
Marcelo Manhães de Amorim - Educação Ambiental voltada a Lava Jatos e Oficina...Marcelo Manhães de Amorim - Educação Ambiental voltada a Lava Jatos e Oficina...
Marcelo Manhães de Amorim - Educação Ambiental voltada a Lava Jatos e Oficina...Marcelo Forest
 
Guia usuario 2011 CEDAE
Guia usuario 2011 CEDAEGuia usuario 2011 CEDAE
Guia usuario 2011 CEDAEMarcos Martins
 
Cartilha uso racional da água - Embrapa e Nestlé
Cartilha uso racional da água  - Embrapa e Nestlé Cartilha uso racional da água  - Embrapa e Nestlé
Cartilha uso racional da água - Embrapa e Nestlé Raquel Maria Cury Rodrigues
 
absorventes organicos
absorventes organicosabsorventes organicos
absorventes organicosDisley Prates
 
Apostila operador etae
Apostila operador etaeApostila operador etae
Apostila operador etaeLana Mirele
 
Catanese capa aves moreirinha
Catanese capa aves moreirinhaCatanese capa aves moreirinha
Catanese capa aves moreirinharcatanese
 
Debater o reúso da água como alternativa de consumo
Debater o reúso da água como alternativa de consumoDebater o reúso da água como alternativa de consumo
Debater o reúso da água como alternativa de consumoResgate Cambuí
 
Agua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhas
Agua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhasAgua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhas
Agua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhasCBH Rio das Velhas
 

Mais procurados (19)

Procedimento poupa quase 90% de água em refinaria
Procedimento poupa quase 90% de água em refinariaProcedimento poupa quase 90% de água em refinaria
Procedimento poupa quase 90% de água em refinaria
 
Ciclo de Palestra "Reuso de água: iniciativa ambiental no setor de transportes”
Ciclo de Palestra "Reuso de água: iniciativa ambiental no setor de transportes”Ciclo de Palestra "Reuso de água: iniciativa ambiental no setor de transportes”
Ciclo de Palestra "Reuso de água: iniciativa ambiental no setor de transportes”
 
Vigilância e controle da qualidade da água
Vigilância e controle da qualidade da águaVigilância e controle da qualidade da água
Vigilância e controle da qualidade da água
 
Projeto matadouro 2008
Projeto matadouro 2008Projeto matadouro 2008
Projeto matadouro 2008
 
Catanese req 234-15
Catanese  req 234-15Catanese  req 234-15
Catanese req 234-15
 
Marcelo Manhães de Amorim - Educação Ambiental voltada a Lava Jatos e Oficina...
Marcelo Manhães de Amorim - Educação Ambiental voltada a Lava Jatos e Oficina...Marcelo Manhães de Amorim - Educação Ambiental voltada a Lava Jatos e Oficina...
Marcelo Manhães de Amorim - Educação Ambiental voltada a Lava Jatos e Oficina...
 
Guia usuario 2011 CEDAE
Guia usuario 2011 CEDAEGuia usuario 2011 CEDAE
Guia usuario 2011 CEDAE
 
Cartilha uso racional da água - Embrapa e Nestlé
Cartilha uso racional da água  - Embrapa e Nestlé Cartilha uso racional da água  - Embrapa e Nestlé
Cartilha uso racional da água - Embrapa e Nestlé
 
absorventes organicos
absorventes organicosabsorventes organicos
absorventes organicos
 
Apostila operador etae
Apostila operador etaeApostila operador etae
Apostila operador etae
 
Catanese capa aves moreirinha
Catanese capa aves moreirinhaCatanese capa aves moreirinha
Catanese capa aves moreirinha
 
Apresentação Copasa
Apresentação CopasaApresentação Copasa
Apresentação Copasa
 
Projeto Esgotamento Sanitário
Projeto Esgotamento SanitárioProjeto Esgotamento Sanitário
Projeto Esgotamento Sanitário
 
Apresentação Copasa
Apresentação CopasaApresentação Copasa
Apresentação Copasa
 
Debater o reúso da água como alternativa de consumo
Debater o reúso da água como alternativa de consumoDebater o reúso da água como alternativa de consumo
Debater o reúso da água como alternativa de consumo
 
Anexo 2
Anexo 2Anexo 2
Anexo 2
 
Apresentação Cemig
Apresentação CemigApresentação Cemig
Apresentação Cemig
 
Agua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhas
Agua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhasAgua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhas
Agua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhas
 
Projeto mofra agua_potavel
Projeto mofra agua_potavelProjeto mofra agua_potavel
Projeto mofra agua_potavel
 

Semelhante a Relatório anual de qualidade da água - 2018

AULA_5_ABASTECIMENTO_D_ÁGUA_02.02.2021_Francisca__1_.pptx
AULA_5_ABASTECIMENTO_D_ÁGUA_02.02.2021_Francisca__1_.pptxAULA_5_ABASTECIMENTO_D_ÁGUA_02.02.2021_Francisca__1_.pptx
AULA_5_ABASTECIMENTO_D_ÁGUA_02.02.2021_Francisca__1_.pptxdaianadecassialimapa
 
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.Fagner Aquino
 
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Tcc genilson 07.06.16 vindo de gustavo com ajuste atual
Tcc genilson 07.06.16 vindo de gustavo com ajuste atualTcc genilson 07.06.16 vindo de gustavo com ajuste atual
Tcc genilson 07.06.16 vindo de gustavo com ajuste atualGenilson Fagundes Fagundes
 
Manual analise agua_2ed
Manual analise agua_2edManual analise agua_2ed
Manual analise agua_2edBruno Monteiro
 
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCsamaerne
 
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCclaudinor
 
FORUM DE TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BASICO E INDUSTRIAL
FORUM DE TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BASICO E INDUSTRIALFORUM DE TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BASICO E INDUSTRIAL
FORUM DE TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BASICO E INDUSTRIALGabriela Silva
 
Angela machado 3systems (2)
Angela machado   3systems (2)Angela machado   3systems (2)
Angela machado 3systems (2)Tacio Rafael
 
70 bairros sem esgoto /sanasa e prefeitura
70 bairros sem esgoto /sanasa e prefeitura70 bairros sem esgoto /sanasa e prefeitura
70 bairros sem esgoto /sanasa e prefeitura1962laura
 
Visão Geral sobre o Reuso de Água no Brasil
Visão Geral sobre o Reuso de Água no BrasilVisão Geral sobre o Reuso de Água no Brasil
Visão Geral sobre o Reuso de Água no BrasilCBH Rio das Velhas
 

Semelhante a Relatório anual de qualidade da água - 2018 (20)

Relatório de visita técnica | SAA BH
Relatório de visita técnica | SAA BHRelatório de visita técnica | SAA BH
Relatório de visita técnica | SAA BH
 
AULA_5_ABASTECIMENTO_D_ÁGUA_02.02.2021_Francisca__1_.pptx
AULA_5_ABASTECIMENTO_D_ÁGUA_02.02.2021_Francisca__1_.pptxAULA_5_ABASTECIMENTO_D_ÁGUA_02.02.2021_Francisca__1_.pptx
AULA_5_ABASTECIMENTO_D_ÁGUA_02.02.2021_Francisca__1_.pptx
 
parametros qualidade agua
parametros qualidade aguaparametros qualidade agua
parametros qualidade agua
 
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
 
DIVISÃO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE VIGIAGUA / RS
DIVISÃO  DE  VIGILÂNCIA  AMBIENTAL  EM  SAÚDE VIGIAGUA / RS DIVISÃO  DE  VIGILÂNCIA  AMBIENTAL  EM  SAÚDE VIGIAGUA / RS
DIVISÃO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE VIGIAGUA / RS
 
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Marcus Vallero - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
 
Boas praticas agua
Boas praticas aguaBoas praticas agua
Boas praticas agua
 
Tcc genilson 07.06.16 vindo de gustavo com ajuste atual
Tcc genilson 07.06.16 vindo de gustavo com ajuste atualTcc genilson 07.06.16 vindo de gustavo com ajuste atual
Tcc genilson 07.06.16 vindo de gustavo com ajuste atual
 
Manual analise agua
Manual analise aguaManual analise agua
Manual analise agua
 
Manual analise agua_2ed
Manual analise agua_2edManual analise agua_2ed
Manual analise agua_2ed
 
Manual de Analise de Agua 2ªed
Manual de Analise de Agua 2ªedManual de Analise de Agua 2ªed
Manual de Analise de Agua 2ªed
 
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
 
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
 
Informativo Semais 2015
Informativo Semais 2015Informativo Semais 2015
Informativo Semais 2015
 
Sustentabilidade SHVNS
Sustentabilidade SHVNSSustentabilidade SHVNS
Sustentabilidade SHVNS
 
FORUM DE TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BASICO E INDUSTRIAL
FORUM DE TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BASICO E INDUSTRIALFORUM DE TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BASICO E INDUSTRIAL
FORUM DE TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BASICO E INDUSTRIAL
 
Angela machado 3systems (2)
Angela machado   3systems (2)Angela machado   3systems (2)
Angela machado 3systems (2)
 
70 bairros sem esgoto /sanasa e prefeitura
70 bairros sem esgoto /sanasa e prefeitura70 bairros sem esgoto /sanasa e prefeitura
70 bairros sem esgoto /sanasa e prefeitura
 
Projeto 123
Projeto 123Projeto 123
Projeto 123
 
Visão Geral sobre o Reuso de Água no Brasil
Visão Geral sobre o Reuso de Água no BrasilVisão Geral sobre o Reuso de Água no Brasil
Visão Geral sobre o Reuso de Água no Brasil
 

Relatório anual de qualidade da água - 2018

  • 1. 48 99168-5827 PODER CONCEDENTE Prefeitura Municipal de Tubarão FISCALIZAÇÃO E REGULAÇÃO Agência Reguladora de Saneamento de Tubarão (AGR) RESPONSÁVEL PELA VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA Vigilância Sanitária Municipal Rua Altamiro Guimarães, 1109, Oficinas |48| 3621-9615 QUEM SOMOS “Compromisso com você e o Meio Ambiente”, com este posicionamento, assumimos em 2012 a responsabilidade de melhorar o fornecimento de água, modernizar os serviços de atendimento ao cliente e implantar o sistema de coleta e tra- tamento de esgoto na cidade de Tubarão. A Tubarão Saneamento tem a consciência de que o aces- so aos serviços de saneamento básico é fundamental para a melhoria da saúde e da qualidade de vida de todos. Ter água tratada na torneira de casa e o esgoto devidamente coletado e tratado é apontado como fator essencial à erradicação de uma série de doenças infectocontagiosas. A frente da Concessionária encontra-se profissionais expe- rientes, que buscam desenvolver seus negócios com compe- tência, segurança e, acima de tudo, consciência ambiental. Incorpora e coloca em prática sua responsabilidade de aten- der toda a população com água potável, cuidando da qualida- de com esmero e compromisso, já que se trata de um produto indispensável à saúde humana. Assina como responsável técnico, pelo CRQ N° 13.302.067, o Coordenador Operacional, Jorge Loffi Corrêa. MANANCIAL A bacia hidrográfica do Rio Tubarão e Complexo Lagunar, que engloba 21 municípios do Sul Catarinense, possui uma área de 5.960km², da qual faz parte o Rio Tubarão, manancial superficial que nasce na encosta da Serra Geral, percorre 120km e tem suas águas captadas para tratamento e distri- buição na cidade de Tubarão. Monitoramos a água do Rio, com periodicidade e atendendo a: Resolução N° 367/2005/Conama: Lei que regulamenta a qualidade da água. Portaria de Consolidação N° 5/2017/Ministério da Saúde: Parâmetros de potabilidade. Instituto do Meio Ambiente (IMA): Órgão responsável pelo monitoramento, em Santa Catarina. Rua Padre Bernardo Freuser, N° 227, Tubarão, SC. RELATÓRIO ANUAL QUALIDADE DA ÁGUA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA (ETA) Rua Dorvino Coradini, N° 172, Fábio Silva, Tubarão, SC CENTRAL DE ATENDIMENTO Rua Altamiro Guimarães, N° 685, Centro, Tubarão, SC
  • 2. PARÂMETROS PADRÕES SIGNIFICADOS DOS PADRÕES Cor Aparente Padrão 15 UC Quantidade de sólidos dissolvidos na água. Turbidez Máximo 5 NTU Quantidade de sólidos em suspensão na água. pH Mínimo 6.0 Máximo 9.0 Indica o quanto a água á ácida (pH baixo) ou alcalina (pH alto). Cloro Residual Livre Mínimo 0,2mg/l Consiste no resíduo do cloro na água da rede de distribuição. Máximo 2,0mg/l Após o processo de desinfecção. Flúor Máximo 1,5 mg/l É acrescentado para auxiliar na prevenção de cárie dentária. Coliformes Totais (CT) Ausência em 95% das amostras Indica a presença de bactérias na água e não necessariamente representam problemas à saúde. Coliformes Termotolerantes (CTe) Ausência em 100% das amostras Indica a possibilidade de presença de organismos causadores de doenças na água. Outros Conforme Portaria de Consolidação N° 5/2017/MS Inúmeros outros parâmetros são analisados com frequência variáveis em laboratórios internos e externos. 1) Entrada de água bruta; 2) Floculação 3) Decantação; 4) Filtração; 5) Caixa de contato; 6) Reservatório; 7) Distribuição. PADRÕES DE POTABILIDADE Legenda: R = Análises Realizadas | C = Amostras em conformidade com o padrão Cor 20/mês PH 0/mês Turbidez 96/mês Coliformes Totais 96/mês Cloro 96/mês Flúor 0/mês Coliformes Termotolerantes 0/mês COR PH TURBIDEZ CLORO FLÚOR COLIFORMES MÊS R C R C R C R C R C R CCT R CCTe JAN 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 FEV 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 MAR 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 ABR 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 MAI 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 JUN 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 JUL 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 AGO 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 SET 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 OUT 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 NOV 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 DEZ 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 96 ENTENDA COMO É FEITO O TRATAMENTO DE ÁGUA O processo de tratamento aplicado no município é do tipo convencional, com distribuição de água potável à região ur- bana de Tubarão, e fornecimento à Capivari de Baixo. Desde o tratamento até a distribuição são sete etapas: PLANO DE AMOSTRAGEM Mínimo de amostras a serem analisadas. DIREITO DO CONSUMIDOR Este Relatório Anual atende ao Decreto N° 5.440/2005/Pla- nalto, que dispõe da divulgação de informações sobre a quali- dade da água distribuída para o consumo humano. Lei N° 8.078/1990/Planalto, que dispõe sobre o Código de Proteção e Defesa do Consumidor: Art. 6° São direitos básicos do consumidor: III – A informação adequada e clara sobre os diferentes pro- dutos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade, tributos incidentes e preço, bem como sobre os riscos que apresentem; Art. 31° A oferta e apresentação de produtos ou serviços de- vem assegurar informações corretas, claras, precisas, ostensivas e em língua portuguesa sobre suas características, qualidades, quantidade, composição, preço, garantia, prazos de validade e origem, entre outros dados, bem como sobre os riscos que apresentam à saúde e segurança dos consumidores. RECOMENDAÇÕES `` Lave a caixa de água a cada seis meses, mantendo-a sempre coberta. `` Em casos de dúvidas, entre em contato com a Central de Atendimento da Tubarão Saneamento e saiba como realizar uma limpeza efetiva. `` Se houver filtro em sua residência, mantenha sempre limpos para evitar que contaminem a água. `` Siga as instruções do fabricante. Parecer Técnico: De acordo com a Portaria de con- solidação nº 5, de 28 de setembro de 2017 anexo XX e Portaria de nº 421 de 13/05/2016 da Secretaria do Estado da Saúde de SC, que determinam os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água destinada ao consumo humano, as amostras realizadas atendem aos parâmetros e critérios estabelecidos. CONTROLE DE QUALIDADE Controlamos a qualidade da água em todo o sistema de abastecimento, desde o manancial até o cavalete do seu imó- vel, por meio de coletas sistemáticas de amostras e realiza- ção de ensaios laboratoriais, em atendimento à Portaria de Consolidação N° 5/2017/Ministério da Saúde. A ocorrência de resultados fora dos padrões não necessariamente representa risco à saúde. Ele apenas indica a situação em um dado mo- mento, de um local específico.