Alguns 
métodos 
para a 
minimização 
de resíduos 
perigosos 
implantados 
em 
hospitais, 
empresas e 
domicílios. 
MINIMI...
OBS: Alguns métodos 
utilizados por hospitais podem 
ser empregados em empresas 
e em domicílios.
Até 80% dos resíduos gerados nos centros médicos 
não são perigosos, mas comuns como os resíduos 
gerados em residências e...
Um dos primeiros passos é estabelecer um rigoroso 
programa para a segregação dos resíduos. Segregar 
os RSS, uma vez mist...
Deve-se buscar minimizar ou eliminar a geração de 
resíduos na sua origem, através de estratégias como: 
 Substituição de...
Resíduos de al imentos podem ser 
transformados em composto orgânico 
para uso nos terrenos do hospital ou 
foram vendidos...
Outra medida importante tomada por hospitais é 
reduzir a quantidade de injeções. 
Sempre que houver um tratamento equival...
O departamento de compras deve considerar a 
quantidade e toxicidade dos resíduos gerados por 
determinado produto antes d...
Produtos reutilizáveis, desde elementos de cozinha 
até insumos médicos que possam ser esterilizados e 
reutilizados sem r...
Os estabelecimentos de 
atendimento da saúde devem 
desenvolver políticas de compras 
que contemplem a minimização de 
res...
FIM
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Minimização de resíduos

290 visualizações

Publicada em

Minimização de resíduos de todos os tipo, principalmente hospitalares. Maneiras de reciclar e o que esse processo envolve. Minimizar resíduos hoje é essencial para a vida.

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
290
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Minimização de resíduos

  1. 1. Alguns métodos para a minimização de resíduos perigosos implantados em hospitais, empresas e domicílios. MINIMIZAÇÃO DE RESÍDUOS
  2. 2. OBS: Alguns métodos utilizados por hospitais podem ser empregados em empresas e em domicílios.
  3. 3. Até 80% dos resíduos gerados nos centros médicos não são perigosos, mas comuns como os resíduos gerados em residências e escritórios. Desde que não seja misturada com resíduos perigosos, a maior parte pode ser reutilizada ou reciclada. Isto pode reduzir as despesas;
  4. 4. Um dos primeiros passos é estabelecer um rigoroso programa para a segregação dos resíduos. Segregar os RSS, uma vez misturados, é extremamente perigoso e não deve ser sequer tentado.
  5. 5. Deve-se buscar minimizar ou eliminar a geração de resíduos na sua origem, através de estratégias como:  Substituição de certos produtos;  Controle de estoques; Mudança de tecnologias;  Boas práticas de operação; Mudanças nas compras e da substituição dos produtos;
  6. 6. Resíduos de al imentos podem ser transformados em composto orgânico para uso nos terrenos do hospital ou foram vendidos para al imentação de animais. Isso também pode ser feito em domicílios e empresas.
  7. 7. Outra medida importante tomada por hospitais é reduzir a quantidade de injeções. Sempre que houver um tratamento equivalente por via oral, este deve ser o primeiro método escolhido.
  8. 8. O departamento de compras deve considerar a quantidade e toxicidade dos resíduos gerados por determinado produto antes de adquiri -lo. Por exemplo, produtos que contenham:  PVC; Mercúrio;  Prata; devem ser evitados sempre que possível.
  9. 9. Produtos reutilizáveis, desde elementos de cozinha até insumos médicos que possam ser esterilizados e reutilizados sem riscos, devem ser preferidos aos descartáveis. Quando dois produtos forem equivalentes, deve-se optar por aquele que tenha a embalagem menos pesada ou que possa reciclar -se com maior facilidade.
  10. 10. Os estabelecimentos de atendimento da saúde devem desenvolver políticas de compras que contemplem a minimização de resíduos. Produtos de menor toxicidade e baixa geração de resíduos devem ser avaliados para garantir sua confiabilidade e facilidade de uso.
  11. 11. FIM

×