SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
II. SEMIÓTICA e SEMIOLOGIA
1. O que é semiótica e semiologia? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],A semiologia faz parte da semiótica ou a semiótica faz parte da semiologia?
Criar e interpretar os signos é uma atividade que possibilita a linguagem e a linguagem possibilita a formação das sociedades. Pré - história e primeiras civilizações   Pintura rupestre, Boca de Lapa do Sol, Brasil Máscaras "Savi", Rio Sepik, Nova Guiné Livro dos mortos 2635 a 2154 a.C. Escultura suméria, Irak, Tell Asmar, 2,900 - 2,600 a.C.
A preocupação com a definição dos signos aparece nos  Diálogos sobre a Linguagem de Platão. Semeion = signo Sema = sinal   Grécia Clássica Cerâmica, Édipo, 470 a.C.  Cerâmica, “A música “ 470 a.C . Atividade mito-poética = atividade semiótica Significar: revelar o escondido
A Idade Média se caracteriza por um esforço interpretativo do mundo que tem origem: - Na disposição para prolongar a atividade mito poética do homem  clássico através de uma sensibilidade ao sobrenatural. - Na codificação secreta dos cristãos perseguidos pelos romanos que depois se converte em um sistema pedagógico e em política  cultural.  - Na fuga do real da condição endêmica de angustia e de  insegurança. O repertório simbólico é uma reação imaginativa ao  sentimento de crise. Idade Média Simbolismo aberto ao conhecimento popular
Aliud dicitur aliud demostratur O texto diz sempre alguma coisa diferente do que parece dizer Visão simbólico alegórica do universo:  todo efeito é signo da própria causa Não se distingue símbolo de alegoria  A alegoria transforma o fenômeno em conceito e o conceito em imagem.O particular vale como emblema universal. Dizer alguma coisa diferente do sentido literal. O símbolo transforma o fenômeno em idéia e a idéia em uma imagem por convenção ou regra. No símbolo não existe similaridade obvia entre o signo e o significado
Hermenêutica: interpretação dos textos bíblicos Sentido literal  – enunciado – ensina os fatos Sentido alegórico  – ensina o que deves crer Sentido moral  -  ensina o que deves fazer Sentido anagôgico  – ensina ao que deves tender Santo Agostinho funda a teoria dos signos: “ O signo é toda coisa que faz vir à mente alguma coisa além da impressão que a própria coisa causa aos nossos sentidos”
Renascimento Nicolau de Cusa   –  conceito de forma formarum :  pluralidade dos mundos. –   conceito de contração  :  conciliação dos opostos  Deus esta no universo inteiro e em cada coisa do universo contrai-se o universo inteiro (o centro em toda parte e a circunferência em lugar nenhum) Marsílio Ficino   –  Simpatia e semelhança : cosmos é uma  rede de influencias  em que o homem pode dominar por meio da astrologia, da simpatia e do talismã. Simbolismo hermético, permitido só aos iniciados Se o mundo é infinito e se todos os seres podem aparentar se segundo uma rede continuamente mutável de simpatias e semelhanças o simbolismo sempre permanecera aberto. Quanto mais aberto tanto mais misterioso e fechado aos não iniciados.
Barroco - Iluminismo S. XVII  Francis Bacon  – código binário John Locke  – Doutrina dos signos “Semeiotike”: distingue as idéias (signos que representam as coisas) e as palavras (signos que representam idéias) Thomas Hobbes  – signos: rede de tramas mentais S. XVIII  Johann Lambert  Tratado “Semiotik” Limiar semiótico: Abaixo: sensações involuntárias, Acima: signos com cognição simbólica Diderot : linguagem distorção da realidade (linguagem não verbal superior) Iconicidade :  correspondência entre signo e mundo   J.L. David, “O juramento dos Horatii”, 1784 Leonardo Flores, Santa Margarita, S.XVIII, Bolívia
Símbolo: pluralidade inaferrável dos sentidos, continua levitação do significado Revalorização da metáfora como meio do conhecimento  O discurso artístico vai se diferenciando do discurso filosófico Estética do idealismo: autonomia Eugene Delacroix, “A liberdade guiando o povo”   1830
2. Semiótica e semiologia modernas 1857-1913 1839-1914 A semiótica  moderna Ferdinand de  Saussure Semiologia Charles Sanders Peirce Semiótica Sistema binário Sistema triádico Significado –  Significante Representamen –  Objeto - Interpretante
a) Sistema binário Significado – significante CADEIRA Semiologia : o estudo do sistema de signos na vida social
Relações sintagmáticas   Horizontal – o signo mantém associação com o signo que esta antes e com aquele que vem depois.  Elementos explícitos: in presentia Hoje faz calor Relações paradigmáticas Vertical – se reporta à língua que é um registro semântico estável. Elementos implícitos: in absentia Ontem fez frio : o oposto ausente ,[object Object],[object Object],[object Object]
Dicotomia entre  língua e fala : o primeiro o uso social (o sistema) e o segundo o uso individual (a norma) Dicotomia entre  sincronia  (atual) e  diacronia  (anterior) Dicotomia entre tipos de normas,  diatópicas  (variantes regionais) e  diastráticas  (variantes culturais) Estou estudando  - Estou a estudar To estudando Romaria Tu podes Você pode
Primeira tricotomia: a tricotomia do signo Signo (representamen) – objeto – interpretante I Quali-signo, sin-signo, legi-signo Quali – signo   Qualidade sígnica imediata Sin - signo   Qualidade sígnica singularizada   Legi – signo   Convenção substitutiva, normas, padrões  a) Sistema triádico
Signo (representamen) – objeto – interpretante I ícone – índice - símbolo Ícone – semelhança  Índice – relação direta sem ser semelhante  Símbolo – arbitrário e convencional  $ Segunda tricotomia: a tricotomia do signo - objeto
Signo (representamen) – objeto – interpretante I  rema, dicente, argumento  Terceira tricotomia: a tricotomia do signo - interpretante Rema  - termo Não informa nem justifica   Vestido Dicente – informa Mas não justifica Vestido de grife cara ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Signo Quali-signo Transparente, líquido preto, vidro, liso Sin-signo Forma curvilínea 25cm de altura por 8 de diâmetro maior Legi-signo   Manual de fabricação Objeto Ícone Ilustração da Garrafa Índice Consumismo Símbolo Jovialidade Interpretante Rema  O que é? Bebida Para que serve? Matar a sede O que é para mim? Bebida gaseificada doce Dícente “ Essa porcaria é gostosa” Argumento Sucesso de Marketing e vendas no mundo SIGNO Diagrama sintético do signo
WEBTECA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Propaganda e consumo
Propaganda e consumoPropaganda e consumo
Propaganda e consumo
 
Slides 'Preconceito Linguístico o que é, como se faz '
Slides 'Preconceito Linguístico o que é, como se faz 'Slides 'Preconceito Linguístico o que é, como se faz '
Slides 'Preconceito Linguístico o que é, como se faz '
 
Pós-modernismo
Pós-modernismoPós-modernismo
Pós-modernismo
 
RENASCIMENTO E CLASSICISMO
RENASCIMENTO E CLASSICISMORENASCIMENTO E CLASSICISMO
RENASCIMENTO E CLASSICISMO
 
Signo linguìstico
Signo linguìsticoSigno linguìstico
Signo linguìstico
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 
Sociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeSociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e Sociedade
 
Trabalho e sociedade no brasil
Trabalho e sociedade no brasilTrabalho e sociedade no brasil
Trabalho e sociedade no brasil
 
Pós-modernismo slide
Pós-modernismo slidePós-modernismo slide
Pós-modernismo slide
 
Mudanças sociais
Mudanças sociaisMudanças sociais
Mudanças sociais
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
O realismo no Brasil
O realismo no BrasilO realismo no Brasil
O realismo no Brasil
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
Generos Textuais
Generos TextuaisGeneros Textuais
Generos Textuais
 
Literatura afrobrasileira
Literatura afrobrasileiraLiteratura afrobrasileira
Literatura afrobrasileira
 

Destaque

Definições de linguística e semiótica pelo Dicionário Houaiss
Definições de linguística e semiótica pelo Dicionário HouaissDefinições de linguística e semiótica pelo Dicionário Houaiss
Definições de linguística e semiótica pelo Dicionário Houaissvinivs
 
Introdução à Semiótica Peirceana _ Tricotomias
Introdução à Semiótica Peirceana _ TricotomiasIntrodução à Semiótica Peirceana _ Tricotomias
Introdução à Semiótica Peirceana _ TricotomiasGabrielle Grimm
 
Semiótica - ícone, índice e símbolo
Semiótica - ícone, índice e símboloSemiótica - ícone, índice e símbolo
Semiótica - ícone, índice e símboloBruno Santos
 
Sistemas Embarcados - 22 06-2011
Sistemas Embarcados - 22 06-2011Sistemas Embarcados - 22 06-2011
Sistemas Embarcados - 22 06-2011Steve Rogers
 
Aula 8 sistemas_embarcados_i2_c
Aula 8 sistemas_embarcados_i2_cAula 8 sistemas_embarcados_i2_c
Aula 8 sistemas_embarcados_i2_cdarosajoseluiz
 
Sistemas embarcados - apresentação
Sistemas embarcados - apresentação Sistemas embarcados - apresentação
Sistemas embarcados - apresentação Paulo Heiss
 
Seminário semiótica
Seminário semióticaSeminário semiótica
Seminário semióticaAASPHB
 
Similaridade E ContigüIdade
Similaridade E ContigüIdadeSimilaridade E ContigüIdade
Similaridade E ContigüIdadelindaeri
 
Ejemplos de signos y modificaciones de la lengua.
Ejemplos de signos y modificaciones de la lengua.Ejemplos de signos y modificaciones de la lengua.
Ejemplos de signos y modificaciones de la lengua.Gaby Pacheco
 
Mais uma de Semiótica
Mais uma de SemióticaMais uma de Semiótica
Mais uma de SemióticaLuci Bonini
 
Michelangelo - Obras
Michelangelo - ObrasMichelangelo - Obras
Michelangelo - ObrasKelly Ruas
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoCassio Assis
 

Destaque (20)

Definições de linguística e semiótica pelo Dicionário Houaiss
Definições de linguística e semiótica pelo Dicionário HouaissDefinições de linguística e semiótica pelo Dicionário Houaiss
Definições de linguística e semiótica pelo Dicionário Houaiss
 
Introdução à Semiótica Peirceana _ Tricotomias
Introdução à Semiótica Peirceana _ TricotomiasIntrodução à Semiótica Peirceana _ Tricotomias
Introdução à Semiótica Peirceana _ Tricotomias
 
Semiótica - ícone, índice e símbolo
Semiótica - ícone, índice e símboloSemiótica - ícone, índice e símbolo
Semiótica - ícone, índice e símbolo
 
Sistemas Embarcados - 22 06-2011
Sistemas Embarcados - 22 06-2011Sistemas Embarcados - 22 06-2011
Sistemas Embarcados - 22 06-2011
 
Aula 8 sistemas_embarcados_i2_c
Aula 8 sistemas_embarcados_i2_cAula 8 sistemas_embarcados_i2_c
Aula 8 sistemas_embarcados_i2_c
 
Sistemas embarcados - apresentação
Sistemas embarcados - apresentação Sistemas embarcados - apresentação
Sistemas embarcados - apresentação
 
Seminário semiótica
Seminário semióticaSeminário semiótica
Seminário semiótica
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Ppt joana
Ppt joanaPpt joana
Ppt joana
 
Similaridade E ContigüIdade
Similaridade E ContigüIdadeSimilaridade E ContigüIdade
Similaridade E ContigüIdade
 
Ejemplos de signos y modificaciones de la lengua.
Ejemplos de signos y modificaciones de la lengua.Ejemplos de signos y modificaciones de la lengua.
Ejemplos de signos y modificaciones de la lengua.
 
Sistemas embarcados
Sistemas embarcadosSistemas embarcados
Sistemas embarcados
 
Mais uma de Semiótica
Mais uma de SemióticaMais uma de Semiótica
Mais uma de Semiótica
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
6 signos semiologia
6 signos semiologia6 signos semiologia
6 signos semiologia
 
Michelangelo - Obras
Michelangelo - ObrasMichelangelo - Obras
Michelangelo - Obras
 
Branding havaianas
Branding havaianasBranding havaianas
Branding havaianas
 
07 semiotica-atual 92sl
07 semiotica-atual 92sl07 semiotica-atual 92sl
07 semiotica-atual 92sl
 
Os Pintores Do Renascimento
Os  Pintores Do  RenascimentoOs  Pintores Do  Renascimento
Os Pintores Do Renascimento
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
 

Semelhante a 2semiotica

Semiótica est linggem
Semiótica est linggemSemiótica est linggem
Semiótica est linggemguest2f886452
 
Semiótica Aplicada
Semiótica AplicadaSemiótica Aplicada
Semiótica Aplicadamabuse h.d.
 
Apostila de Semiótica
Apostila de SemióticaApostila de Semiótica
Apostila de SemióticaLuci Bonini
 
Gênese da pragmática sayonara
Gênese da pragmática sayonaraGênese da pragmática sayonara
Gênese da pragmática sayonaraSayonara Costa
 
Thomas knauer
Thomas knauerThomas knauer
Thomas knauerRondelix
 
Aula dra. clarice von oertzen 30-09-14
Aula dra. clarice von oertzen   30-09-14Aula dra. clarice von oertzen   30-09-14
Aula dra. clarice von oertzen 30-09-14Fernanda Moreira
 
Comunicação e semiótica
Comunicação e semióticaComunicação e semiótica
Comunicação e semióticajepireslima
 
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pdf
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pdfSignos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pdf
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pdfIvaMinLee
 
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.ppt
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pptSignos visuais Ícones Indícios e Símbolos.ppt
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pptluaralua1
 
Mediacao semiotica vygotsky cida e ernani v.6 de 23.11
Mediacao semiotica vygotsky cida e ernani v.6 de 23.11Mediacao semiotica vygotsky cida e ernani v.6 de 23.11
Mediacao semiotica vygotsky cida e ernani v.6 de 23.11xereque2009
 
Matrizes da linguagem e pensamento
Matrizes da linguagem e pensamentoMatrizes da linguagem e pensamento
Matrizes da linguagem e pensamentoSamtinha
 
Símbolos blog
Símbolos   blogSímbolos   blog
Símbolos blogdinicmax
 
SemióTica Apresentação Geral
SemióTica Apresentação GeralSemióTica Apresentação Geral
SemióTica Apresentação GeralLuci Bonini
 
Aula do dia 02 10 - dra. clarice von
Aula do dia 02 10 - dra. clarice vonAula do dia 02 10 - dra. clarice von
Aula do dia 02 10 - dra. clarice vonFernanda Moreira
 

Semelhante a 2semiotica (20)

3estetica Semiotica
3estetica Semiotica3estetica Semiotica
3estetica Semiotica
 
Semiótica est linggem
Semiótica est linggemSemiótica est linggem
Semiótica est linggem
 
Semiótica
Semiótica Semiótica
Semiótica
 
Semiótica Aplicada
Semiótica AplicadaSemiótica Aplicada
Semiótica Aplicada
 
5 origens da semiótica
5 origens da semiótica5 origens da semiótica
5 origens da semiótica
 
Apostila de Semiótica
Apostila de SemióticaApostila de Semiótica
Apostila de Semiótica
 
Gênese da pragmática sayonara
Gênese da pragmática sayonaraGênese da pragmática sayonara
Gênese da pragmática sayonara
 
13
1313
13
 
Pensamento e linguagem
Pensamento e linguagemPensamento e linguagem
Pensamento e linguagem
 
Thomas knauer
Thomas knauerThomas knauer
Thomas knauer
 
Aula dra. clarice von oertzen 30-09-14
Aula dra. clarice von oertzen   30-09-14Aula dra. clarice von oertzen   30-09-14
Aula dra. clarice von oertzen 30-09-14
 
Comunicação e semiótica
Comunicação e semióticaComunicação e semiótica
Comunicação e semiótica
 
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pdf
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pdfSignos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pdf
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pdf
 
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.ppt
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.pptSignos visuais Ícones Indícios e Símbolos.ppt
Signos visuais Ícones Indícios e Símbolos.ppt
 
Mediacao semiotica vygotsky cida e ernani v.6 de 23.11
Mediacao semiotica vygotsky cida e ernani v.6 de 23.11Mediacao semiotica vygotsky cida e ernani v.6 de 23.11
Mediacao semiotica vygotsky cida e ernani v.6 de 23.11
 
Matrizes da linguagem e pensamento
Matrizes da linguagem e pensamentoMatrizes da linguagem e pensamento
Matrizes da linguagem e pensamento
 
Símbolos blog
Símbolos   blogSímbolos   blog
Símbolos blog
 
Pré-socraticos.pptx
Pré-socraticos.pptxPré-socraticos.pptx
Pré-socraticos.pptx
 
SemióTica Apresentação Geral
SemióTica Apresentação GeralSemióTica Apresentação Geral
SemióTica Apresentação Geral
 
Aula do dia 02 10 - dra. clarice von
Aula do dia 02 10 - dra. clarice vonAula do dia 02 10 - dra. clarice von
Aula do dia 02 10 - dra. clarice von
 

Mais de Tatiana Fernández

Mais de Tatiana Fernández (6)

2 indcultural publi
2 indcultural publi2 indcultural publi
2 indcultural publi
 
1 conceitos, aplicações e recursos multimídia
1 conceitos, aplicações e recursos multimídia1 conceitos, aplicações e recursos multimídia
1 conceitos, aplicações e recursos multimídia
 
2. Tipos de mídia
2. Tipos de mídia2. Tipos de mídia
2. Tipos de mídia
 
1 Iconicidade
1 Iconicidade1 Iconicidade
1 Iconicidade
 
Figuras Linguagem
Figuras LinguagemFiguras Linguagem
Figuras Linguagem
 
Semiotica Cor
Semiotica CorSemiotica Cor
Semiotica Cor
 

2semiotica

  • 1. II. SEMIÓTICA e SEMIOLOGIA
  • 2.
  • 3. Criar e interpretar os signos é uma atividade que possibilita a linguagem e a linguagem possibilita a formação das sociedades. Pré - história e primeiras civilizações Pintura rupestre, Boca de Lapa do Sol, Brasil Máscaras "Savi", Rio Sepik, Nova Guiné Livro dos mortos 2635 a 2154 a.C. Escultura suméria, Irak, Tell Asmar, 2,900 - 2,600 a.C.
  • 4. A preocupação com a definição dos signos aparece nos Diálogos sobre a Linguagem de Platão. Semeion = signo Sema = sinal Grécia Clássica Cerâmica, Édipo, 470 a.C. Cerâmica, “A música “ 470 a.C . Atividade mito-poética = atividade semiótica Significar: revelar o escondido
  • 5. A Idade Média se caracteriza por um esforço interpretativo do mundo que tem origem: - Na disposição para prolongar a atividade mito poética do homem clássico através de uma sensibilidade ao sobrenatural. - Na codificação secreta dos cristãos perseguidos pelos romanos que depois se converte em um sistema pedagógico e em política cultural. - Na fuga do real da condição endêmica de angustia e de insegurança. O repertório simbólico é uma reação imaginativa ao sentimento de crise. Idade Média Simbolismo aberto ao conhecimento popular
  • 6. Aliud dicitur aliud demostratur O texto diz sempre alguma coisa diferente do que parece dizer Visão simbólico alegórica do universo: todo efeito é signo da própria causa Não se distingue símbolo de alegoria A alegoria transforma o fenômeno em conceito e o conceito em imagem.O particular vale como emblema universal. Dizer alguma coisa diferente do sentido literal. O símbolo transforma o fenômeno em idéia e a idéia em uma imagem por convenção ou regra. No símbolo não existe similaridade obvia entre o signo e o significado
  • 7. Hermenêutica: interpretação dos textos bíblicos Sentido literal – enunciado – ensina os fatos Sentido alegórico – ensina o que deves crer Sentido moral - ensina o que deves fazer Sentido anagôgico – ensina ao que deves tender Santo Agostinho funda a teoria dos signos: “ O signo é toda coisa que faz vir à mente alguma coisa além da impressão que a própria coisa causa aos nossos sentidos”
  • 8. Renascimento Nicolau de Cusa – conceito de forma formarum : pluralidade dos mundos. – conceito de contração : conciliação dos opostos Deus esta no universo inteiro e em cada coisa do universo contrai-se o universo inteiro (o centro em toda parte e a circunferência em lugar nenhum) Marsílio Ficino – Simpatia e semelhança : cosmos é uma rede de influencias em que o homem pode dominar por meio da astrologia, da simpatia e do talismã. Simbolismo hermético, permitido só aos iniciados Se o mundo é infinito e se todos os seres podem aparentar se segundo uma rede continuamente mutável de simpatias e semelhanças o simbolismo sempre permanecera aberto. Quanto mais aberto tanto mais misterioso e fechado aos não iniciados.
  • 9. Barroco - Iluminismo S. XVII Francis Bacon – código binário John Locke – Doutrina dos signos “Semeiotike”: distingue as idéias (signos que representam as coisas) e as palavras (signos que representam idéias) Thomas Hobbes – signos: rede de tramas mentais S. XVIII Johann Lambert Tratado “Semiotik” Limiar semiótico: Abaixo: sensações involuntárias, Acima: signos com cognição simbólica Diderot : linguagem distorção da realidade (linguagem não verbal superior) Iconicidade : correspondência entre signo e mundo J.L. David, “O juramento dos Horatii”, 1784 Leonardo Flores, Santa Margarita, S.XVIII, Bolívia
  • 10. Símbolo: pluralidade inaferrável dos sentidos, continua levitação do significado Revalorização da metáfora como meio do conhecimento O discurso artístico vai se diferenciando do discurso filosófico Estética do idealismo: autonomia Eugene Delacroix, “A liberdade guiando o povo” 1830
  • 11. 2. Semiótica e semiologia modernas 1857-1913 1839-1914 A semiótica moderna Ferdinand de Saussure Semiologia Charles Sanders Peirce Semiótica Sistema binário Sistema triádico Significado – Significante Representamen – Objeto - Interpretante
  • 12. a) Sistema binário Significado – significante CADEIRA Semiologia : o estudo do sistema de signos na vida social
  • 13.
  • 14. Dicotomia entre língua e fala : o primeiro o uso social (o sistema) e o segundo o uso individual (a norma) Dicotomia entre sincronia (atual) e diacronia (anterior) Dicotomia entre tipos de normas, diatópicas (variantes regionais) e diastráticas (variantes culturais) Estou estudando - Estou a estudar To estudando Romaria Tu podes Você pode
  • 15. Primeira tricotomia: a tricotomia do signo Signo (representamen) – objeto – interpretante I Quali-signo, sin-signo, legi-signo Quali – signo Qualidade sígnica imediata Sin - signo Qualidade sígnica singularizada Legi – signo Convenção substitutiva, normas, padrões a) Sistema triádico
  • 16. Signo (representamen) – objeto – interpretante I ícone – índice - símbolo Ícone – semelhança Índice – relação direta sem ser semelhante Símbolo – arbitrário e convencional $ Segunda tricotomia: a tricotomia do signo - objeto
  • 17.
  • 18. Signo Quali-signo Transparente, líquido preto, vidro, liso Sin-signo Forma curvilínea 25cm de altura por 8 de diâmetro maior Legi-signo Manual de fabricação Objeto Ícone Ilustração da Garrafa Índice Consumismo Símbolo Jovialidade Interpretante Rema O que é? Bebida Para que serve? Matar a sede O que é para mim? Bebida gaseificada doce Dícente “ Essa porcaria é gostosa” Argumento Sucesso de Marketing e vendas no mundo SIGNO Diagrama sintético do signo
  • 19.