New urbanismo + condominios fechados

1.869 visualizações

Publicada em

Trabalho da disciplina de Teoria e História da Arquitetura e urbanismo 4

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.869
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
155
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

New urbanismo + condominios fechados

  1. 1. THAU 4O Novo UrbanismoCondomínios Fechados Fernanda Fernandes Nathália Valadares Sátyla Cerqueira Taynah Canêdo
  2. 2. New Urbanism• Nascido da necessidade de repensar o subúrbio.• Vê a arquitetura Moderna como grande mal a ser combatido.• Usa a cidade antiga como referência.• Inspirado na qualidade de vida.• Usa pequena escala.• Cidade como objeto finito.• Redescoberta dos valores visuais e da imagem do espaço urbano.• Aceitação de outros estilos• As cidades eram compostas por uniformidade e controle.
  3. 3. Aspectos positivos• Aumentando a densidade e permitindo usos múltiplos (comércio + residência) estariam diminuindo a degradação ambiental, promovendo mais interação entre os vizinho e diminuindo a dependência do automóvel .
  4. 4. Aspectos negativos•Aumento significante no número de condomíniosfechados•Gentrificação•Conservadorismo estilístico•Homogeneidade•Imagem geral de intolerância
  5. 5. Condomínios do Novo Urbanismo Celebration, Disney Corporation
  6. 6. Celebration, Disney Corporation
  7. 7. • “Para os seguidores da doutrina modernista, as cidades são planejadas pensando-se nelas para daqui a ‘cem anos’.” (Patrícia Orfila Barros dos Reis - "Palmas: entre muros, vazios urbanos e ausência de vitalidade.“).• Cidade pensada em números.
  8. 8. Jane Jacobs “A vida atrai a vida.”Jane Jacobs faz uma critica às cidades modernistas edestaca três qualidades principais que uma rua urbana deve terpara garantir a vitalidade e a segurança do cidadão:•demarcação nítida entre o espaço público e o espaço privado.•os edifícios que margeiam a rua devem ficar voltados para ela.Não devem nem virar-lhe as costas, nem oferecer-lhe umafachada cega.•a calçada deve ser ininterrupta, e atrair os olhares de dentrodas casas para a rua.
  9. 9. Cidades dentro de cidadesCerca de um milhão de brasileiros já vivem neste tipo de empreendimento imobiliário,conhecido como condomínio horizontal.
  10. 10. Grandes e pequenos, luxuosos ou modestos, os condomínios horizontais fechados se tornaram uma tendência nas cidades modernas, surgem de forma intensa e são procurados pelas classes média e alta. Este fenômeno não acontece apenas nas cidades planejadas, pois na verdade, ele não passa de um reflexo da realidade socioeconômica global.“ No mundo antigo e medieval, era comum que as cidades e vilas fossem protegidas por muralhas. De uns tempos para cá, os muros estão voltando, agora não para proteger as cidades de exércitos inimigos, mas para criar ilhas de segurança e qualidade de vida no ambiente urbano." (Paulo Briguet, colunista do Jornal de Londrina)
  11. 11. • Para Caldeira os Condomínios Fechados são a versão residencial dos "Enclaves Fortificados" que estão mudando a maneira com que a classe média e alta vivem, consomem, trabalham e gastam seu tempo de lazer. Esses Enclaves são propriedades privada de uso coletivo, porém restritos e para isso fortemente protegidas por muros e sistemas de segurança.
  12. 12. Segregação residencial• De acordo com Marcuse é aglomeração de determinados grupos em determinadas áreas , seja esta aglomeração espontânea, incentivada ou forçada.• Para Villaça essa segregação nada mais é que um processo de luta de classes, dominação das classes superiores sobre as inferiores.• Fortificação: para Marcuse é a reunião voluntaria de um grupo populacional com a intenção de proteger seus interesses privados e fortalecer o processo de dominação através e uma cidadela.• muralhamento: Reunião voluntária de um grupo de pessoas com fins de auto proteção e desenvolvimento de seus interesses formando um enclave excludente.
  13. 13. Residencial Aldeia do Vale, Goiânia
  14. 14. Condomínio Horizontal no Paraná, Inspiração na arquitetura típica das casas interioranas americanas.Residencial Aldeia do Vale- Goiânia
  15. 15. Green Ocean Condominium, Santa Catarina
  16. 16. “Nos Condomínios suburbanos uma migraçãosemelhante ocorreu nos Estados Unidos a partirdos anos 50 e hoje mais da metade da populaçãovive nos subúrbios. Há indícios que estamos indopara o mesmo caminho. No mínimo explorar osarredores urbanos e espaços nobres longe dasAvenidas de maior fluxo de transito é umasolução para descongestionar as grandescidades.” Luiz Alberto Fortes Corretor de Imóveis
  17. 17. São vendidos com garantias de segurança, lazer,contato com a natureza, entre outros benefíciosque se tornam privilégio das pessoas que optampor morar neles. Já os impactos negativos para acidade em que estão inseridos são poucodivulgados.
  18. 18. Polinésia – NS 15 (acesso)
  19. 19. • Para a arquiteta e urbanista Thyana Galvão, em certo sentido a arquitetura das cidades volta no tempo, utilizando recursos de autodefesa que remontam ao período medieval. A cidade passa a hostilizar o homem que a habita", ressalta Galvão• Segundo o geógrafo Lucas Melgaço, “a busca pela segurança é evidente, mesmo sendo os condomínios o maior alvo da criminalidade hoje”. “o condomínio valoriza apenas o próprio condomínio”
  20. 20. Na intenção de garantir a segurança do morador, os condomínios utilizam recursoscomo câmeras (1), cercas concertinas (2) e até a combinação de váriosequipamentosem um mesmo espaço (3).
  21. 21. Em uma audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Urbano e Interior (04/11/2003)“O professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro MarceloLopes ressaltou que os loteamentos fechados ferem a legislaçãoatual (Lei 6766/79) e os moradores criam uma falsa ilusão deestarem protegidos.”"O espaço público deve permanecer público. A privatização doespaço público fragmenta as cidades e fere direitos básicos deseus moradores" segundo Marcelo Souza.“O condomínio é uma cidade privada, um bairro. Essa pequenacidade usa o restante da cidade. Por mais que conte com clube,igreja ou escola, os moradores não vão ficar ali o tempo todo.Eles necessariamente vão usar os recursos da cidade, porém, acidade não ganha uma contrapartida, não tem acesso a essasruas e não pode usufruir dos benefícios reservados aosmoradores desses condomínios”, completa Melgaço.
  22. 22. Barra da TijucaNegrão de Lima (1968-1971), “encomendou” ao arquiteto LúcioCosta um plano urbanístico para a Baixada de Jacarepaguá epara a Barra da Tijuca, objetivando estabelecer critérios para umdesenvolvimento ordenado da área, de forma a evitar osproblemas e os males procurando conciliar expansão urbanacom preservação da natureza.O plano piloto excluía da Barra os segmentos pobres,incentivando sua instalação em espaços declaradamentesegregadores.Segundo este plano, também, a rua deixaria de ser um espaçode convivência e sociabilidade, passando a cumprir a funçãoexclusiva de canal de circulação.
  23. 23. AtrativosOs condomínios exclusivos da Barra da Tijuca são atraentes paraa burguesia e a classe média alta, devido a fatores como apresença de amenidades naturais e cênicas (praias, lagoas, vistados maciços da Pedra Branca e Tijuca), status e “exclusividade”.Além de proporcionarem uma dose apreciável de conforto aosseus moradores, por oferecerem, dentro de seus muros, umcomércio significativo (farmácia, padaria, etc.) e vários serviços,sem falar nas possibilidades de lazer e distração existentes emcada condomínio (piscina, sauna, quadras de esportes).Outro fator, além da exclusividade, torna os condomínios umaopção muito atraente para os setores privilegiados, e que desdeo começo da década de 1980 vem respondendo pelapopularidade que essa forma de morar passou a adquirir juntoàqueles setores: o fator segurança.
  24. 24. • Consequência• Demanda de toda uma gama de mão-de-obra para sua sustentação e crescente favelização do bairro, nos arredores.• Os “emergentes” que lá se instalaram necessitaram recrutar empregadas, babás, jardineiros, pedreiros, etc...• As lojas (instaladas ou não nos shopping) transformaram-se em mercado de trabalho para jovens oriundos de outros bairros da Zona Oeste e Norte.
  25. 25. Barra da Tijuca – Blue Houses
  26. 26. Casa Granada 2 Casa Opala
  27. 27. Casa Esmeralda 1 Casa Ametista
  28. 28. Aldeia de Sol – 203 Sul
  29. 29. Privillege – 205 Norte
  30. 30. Bibliografia• LAMAS, José R. Garcia. Morfologia Urbana e Desenho das Cidades.• JACOBS, Jane. Morte e vida das grandes cidades.• LARA, Fernando. Admirável urbanismo novo.• MAIA, Rosemere Santos. A Produção do Espaço em Áreas de Auto- Segregação: O Caso da Barra daTijuca.• http://www.polinesiaresidenceresort.com.br/ (imagens)• http://www.ebooksbrasil.org/sitioslagos/documentos/criticacondominio2. html• http://www.comciencia.br/comciencia/handler.php?section=8&edicao=60 &id=764• http://urbanizar.wordpress.com/category/condominios-fechados/page/3/

×