Apresentação periodo barroco

260 visualizações

Publicada em

Apresentação de literatura período barroco Ensino médio

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
260
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação periodo barroco

  1. 1. Período Barroco
  2. 2. • Origem da Palavra Barroco O nome Barroco vem da palavra Barrueco, que significa pérola irregular. • O que é O Barroco é um estilo e um movimento artístico que marcou o século XVII, ligado a acontecimentos históricos, religiosos, econômicos e sociais, e que surgiu para combater a Reforma Religiosa.
  3. 3. • Contexto Histórico Barroco, embora tenha ganhado força a partir do século XVII, está muito relacionado ao contexto da Contrarreforma, cujos marcos históricos vêm do século anterior.
  4. 4. • Características Como estilo, ele é ambíguo, primando pelas antíteses. É movimento, ansiedade, novidade. O Barroco apela para sensações, emoções, fantasias, enfim, para os sentidos. O contraste de luz e sombra é fundamental, criando um ambiente teatral na pintura. Marcado também pelo Cultismo e o Conceptismo.
  5. 5. • Temas Frequentes na literatura -Fugacidade da vida e instabilidade das coisas; - Morte, expressão máxima da efemeridade das coisas; - Concepção do tempo como agente da morte e da dissolução das coisas; - Castigo, como decorrência do pecado; - Arrependimento; - Narração de cenas trágicas; - Erotismo; -Misticismo; -Apelo à religião.
  6. 6. Barroco no Brasil/ Mineiro • O Barroco foi introduzido no Brasil por intermédio dos jesuítas. Inicialmente, no final do século XVI, tratava-se de um movimento apenas destinado à catequização.
  7. 7. Principais Autores - Bento Teixeira - Gregório de Matos Guerra - Padre Antônio Vieira - Aleijadinho
  8. 8. Poesias Cantem Poetas o Poder Romano, Sometendo Nações ao jugo duro; O Mantuano pinte o Rei Troiano, Descendo à confusão do Reino escuro; Que eu canto um Albuquerque soberano, Da Fé, da cara Pátria firme muro, Cujo valor e ser, que o Céu lhe inspira, Pode estancar a Lácia e Grega lira. As Délficas irmãs chamar não quero, que tal invocação é vão estudo; Aquele chamo só, de quem espero A vida que se espera em fim de tudo. Ele fará meu Verso tão sincero, Quanto fora sem ele tosco e rudo, Que per rezão negar não deve o menos Quem deu o mais a míseros terrenos. Prosopopeia de Bento Teixeira ''Pequei, Senhor, mas não porque hei pecado Da vossa piedade me despido,[2]: Porque quanto mais tenho delinqüido, Vos tenho a perdoar mais empenhado. Se basta a vos irar tanto um pecado, A abrandar-vos sobeja um só gemido: Que a mesma culpa que vos há ofendido, Vos tem para o perdão lisonjeado. Se uma ovelha perdida e já cobrada[3] Glória tal e prazer tão repentino Vos deu, como afirmais na Sacra História: Eu sou, Senhor, ovelha desgarrada; Cobrai-me; e não queirais, Pastor Divino, Perder na vossa ovelha a vossa glória.'' Poesia Barroca de Gregório Matos

×