Aula 1 introdução comunicação

731 visualizações

Publicada em

Introdução à disciplina de Teorias da Comunicação.
O que é comunicação e os tipos de comunicação.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
731
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 1 introdução comunicação

  1. 1. COMUNICAÇÃO JORNALISMO Disciplina Teorias da Comunicação Professora Raquel Andrés Caram Guimarães
  2. 2. CONQUISTANDO O MUNDO Comunicação não é apenas coisa que se pratica no dia-a- dia, geralmente sem se dar conta disso, ou atividade que se domina após longo tempo de experiência profissional: é disciplina que tem uma teoria e se estuda em escola, a fim de que seja o mais possível prática humana consciente.
  3. 3. • A comunicação pode ser considerada o processo social básico, primário, porque é ela que torna possível a própria vida em sociedade. Vida em sociedade significa troca, intercâmbio entre as pessoas. E todo intercâmbio entre os seres humanos só se realiza através da comunicação.
  4. 4. A comunicação preside, rege, todas as relações humanas. Além do mais, ela não se limita a tornar possível a circulação social de bens e serviços. Tem um produto próprio. • Transformou-se numa grande indústria e num grande comércio, que movimentam muitos bilhões de dólares por ano.
  5. 5. • O que é produzido e vendido pela comunicação? • Uma mercadoria cada vez mais valiosa, apesar de imaterial: informação. Ou seja: notícias, dados, ideias, conhecimento, ficção, cultura, arte.
  6. 6. O Conceito de Comunicação Falar no papel social da comunicação deixa implícito que se saiba de que fenômeno estamos tratando. Mas o que é comunicação? • Comunicação é dessas coisas que todo mundo sabe o que é mas ninguém consegue definir com precisão.
  7. 7. • “Ato de comunicar (algo) ou de comunicar-se (com alguém)”, diz o dicionário. • O verbo vem do latim communicare, que significava participar, fazer saber, tornar comum. • Quando eu comunico alguma coisa a alguém essa coisa se torna comum a ambos. • Quando se publica uma notícia ela passa a fazer parte da comunidade.
  8. 8. Comunicação, comunhão, comunidade, etc. são palavras que têm a mesma raiz e estão relacionadas à mesma ideia de algo compartilhado.
  9. 9. • A etimologia da palavra sugere que se trata de um conceito eminentemente social na sua origem. • Assim sendo, em primeiro lugar diz respeito ao homem, e por extensão a seres vivos que mantenham relações sociais entre si.
  10. 10. • Em segundo lugar, trata-se em princípio de um fenômeno concreto, objetivo, que ocorre quando um ser A transfere informação para um ser B.
  11. 11. • Em terceiro lugar, a comunicação seria um processo ativo, ou seja, envolve na sua essência um propósito (ainda que geneticamente programado) que é o de um ser influenciar outro ser, modificar seu comportamento, obter uma resposta.
  12. 12. • Em quarto lugar, a tendência da relação comunicativa a se fechar em circulo, ou mais propriamente a evoluir segundo uma espiral de influências recíprocas e sucessivas.
  13. 13. • Essas características do ato comunicativo estão reunidas na mais típica forma de comunicação, a humana, na sua modalidade mais típica, a falada.
  14. 14. Mas, como várias palavras-chave da nossa língua ou de outras, o termo comunicação, com o tempo, perdeu toda nitidez conceitual e adquiriu significados muito amplos e variados, cada vez mais metafóricos. Tomou sentidos fisiológicos (troca de substâncias no organismo), neurológicos (passagem de informação entre os neurônios do cérebro), (vasos comunicantes), mecânicos (transferência de dados entre máquinas), viários (uma ponte, um túnel, uma estrada, um rio, uma linha aérea estabelecendo ligação entre dois lugares), esotéricos (telepatia), místicos, etc. Enfim, pode aplicar-se hoje a tudo que signifique contato, ligação, relação, união, passagem, diálogo, entendimento, convívio,contágio e similares.
  15. 15. Para alguns, tudo no universo e na vida seria, em última instância, comunicação, na medida em que há sempre o deslocamento de uma forma ou outra de informação.
  16. 16. Seguramente, mesmo em sentido restrito, não se trata apenas de um fenômeno social humano.
  17. 17. Processo Geral de Emissão, Transmissão e Recepção de Mensagens Esta definição engloba todas as formas de comunicação que nos interessam estudar aqui: a comunicação do dia-a-dia, a comunicação pelo jornal, pelo rádio, pela televisão, pela propaganda, pelo design, pelo e-mail, pela home page — e até com o próprio computador. Significa dizer que focalizaremos a comunicação como um processo concreto, de base material, que ocorre no espaço e no tempo e que pode ser estudado objetivamente. Um processo que se realiza em três etapas: emissão, transmissão e recepção. Ou que envolve três elementos básicos: um emissor, uma mensagem e um receptor.
  18. 18. Tipos de Comunicação Humana Classificação 1 De um lado existe a comunicação do dia-a-dia, a comunicação espontânea e informal entre as pessoas, através da fala, do gesto, do telefonema, da carta. Você não pensa nela, apenas usa. E de outro lado existe a comunicação profissional, a atividade do jornalista, do publicitário, do escritor, do desenhista, do fotógrafo, do cineasta, do homem de tevê, do homem de teatro. A diferença é que esta última exige aprendizado técnico e teórico. E tem que ser muito consciente.
  19. 19. • Há quatro formas distintas de comunicação profissional mercado. Cada uma é uma especialidade, requer especialização. Técnica e teórica. . Elas se distinguem pela finalidade pelos objetivos. Você observa as diferenças entre uma e outra quando a televisão passa do telejornal para a novela, novela para o comercial, ou começa o dia com um curso inglês ou o Telecurso. • Quais são essas quatro formas de comunicação profissional?
  20. 20. Comunicação persuasiva — • Representada pela propaganda, pela publicidade, pelo discurso do político, do promotor ou do advogado de defesa. Seu objetivo é persuadir, convencer, vender uma idéia.
  21. 21. Comunicação artístico-cultural — • Representada pelo cinema, pelo teatro, pela novela, pela programação musical do rádio, pelo show, pelo circo, pela arte popular, pelo folclore. Seu objetivo é o entretenimento, a cultura e a arte. Pode-se considerar que inclui a literatura, a poesia, a pintura, a escultura e todas as artes tradicionais.
  22. 22. Comunicação jornalística — Representada pelo jornal, pela revista, pelo telejornal, pelo noticiário do rádio, pelas agências de notícia. O objetivo aqui é informar o que acontece, de acordo com o critério do interesse público do fato.
  23. 23. Comunicação educativa Representada pelos livros didáticos, pelos telecursos, pelas aulas, palestras, cursos de línguas, etc. O objetivo é ensinar, transmitir conhecimento. Podem ocorrer superposições, fusões ou deliberadas confusões entre uma forma e outra. Uma cena de novela pode ter função comercial (merchandising) ou didática (receitas, campanhas de conscientização).
  24. 24. Classificação 2 • Segundo o órgão sensorial usado pelo receptor para captar a mensagem, existem, naturalmente, cinco categorias de comunicação humana:
  25. 25. • Comunicação visual — sinalização de trânsito, rodoviária, ferroviária, marítima, aeroviária, escrita, gestos, desenho, programação visual, fotografia, pintura, escultura, etc.
  26. 26. • Comunicação sonora (ou auditiva) — fala, música, cometas, apitos, sinos, businas, alarmes, aplausos, gritos, vaias.
  27. 27. .Comunicação tátil — escrita braile, aperto de mãos, tapinha nas costas, abraços, carícias, beijos.
  28. 28. .Comunicação olfativa — odores (como perfume) na função de mensagens.
  29. 29. .Comunicação gustativa — sabores como mensagens (oferecer à pessoa amada seus bombons de chocolate prediletos no Dia dos Namorados etc.).
  30. 30. • Considerada separadamente, qual das cinco seria a mais usada universalmente pelos seres humanos?
  31. 31. • A olfativa e a gustativa são específicas para a comunicação humana. • A tátil exige proximidade e contato físico, enquanto a visual e a sonora podem ser feitas a distância, e até mesmo a distâncias interplanetárias. • A visual necessita de luz para existir e que o receptor esteja de frente para a mensagem. • A sonora eliminaria esses últimos problemas.
  32. 32. A fala não requer instrumento artificial algum e utiliza apenas o aparelho vocal humano. Vantajosa mesmo, entanto, é a combinação da visual com a sonora para formar poderosa comunicação audiovisual (cinema, televisão, teatro, show).
  33. 33. Classificação 3 Segundo a quantidade de pessoas envolvidas no processo comunicação, desde a menor até a maior, a comunicação humana pode ser:
  34. 34. • Intrapessoal — quando uma pessoa se comunica consigo ma (agenda, diário, anotações para uso próprio, um lembrete pregado na porta da geladeira).
  35. 35. .Interpessoal- quando a pessoa se comunica com outra (conversa entre dois namorados).
  36. 36. .Intragrupal — quando as mensagens circulam dentro de um grupo (alunos elegendo o representante de turma).
  37. 37. • Intergrupal — quando as mensagens circulam entre grupos (turmas de alunos, bancadas de partidos, nações).
  38. 38. • Comunicação de massa — quando as mensagens são dirigidas ao grande público através do rádio, da televisão, do cinema jornal, da revista. E a mais ampla porque pode atingir simultaneamente até bilhões de pessoas nos mais diferentes pontos da.
  39. 39. • Alguns autores incluem nesta categoria o pensamento (a conversação interior), que lembram o devaneio, o sonho. • Mas deve-se indagar se processos puramente mentais, ainda pouco conhecidos podem ser chamados de comunicação.
  40. 40. Classificação 4 • A comunicação humana também pode ser direta (o emissor e o receptor estão em presença um do outro) e indireta, quando o emissor está distante do receptor e precisa usar um meio artificial (carta, telefone, e-mail, rádio, televisão) para alcançá-lo.
  41. 41. Esta classificação permite distinguir os espetáculos diretos (circo, teatro, ópera, show) dos indiretos (televisão, cinema). E a importância dessa distinção está em que, se a comunicação tende a ser interação, os primeiros são muito mais interativos do que os segundos. Quando a comunicação indireta ocorre em tempo real (telefonema, programas de rádio ou TV ao vivo), ainda é ou pode ser bastante interativa.
  42. 42. Para que haja comunicação, evidentemente não é preciso que receptor responda ao emissor, ou seja, que exista uma troca de mensagens. Você pode mandar uma carta, um e-mail, e não obter resposta. • Quando a comunicação é de mão única, ou pelo menos quando o emissor emite muito mais do que recebe (um general falando à tropa, o patrão demitindo sumariamente o empregado), temos a comunicação unidirecional. • Pelo contrário, a comunicação bidirecional é aquela de mão dupla, em que a participação do emissor e do receptor é mais ou menos equivalente (conversa, reunião, debate). Classificação 5
  43. 43. Classificação 6 • A comunicação humana pode também ser dividida em particular, ou fechada (entre namorados por exemplo), • e pública, ou aberta (comício na praça, televisão).
  44. 44. História da Comunicação Humana Do homem primitivo, mudo e analfabeto, até o homem do espaço, da televisão via satélite e da internet, qual o caminho percorrido por nós, no campo da comunicação? Cinco etapas marcam a evolução da comunicação humana, até o presente:
  45. 45. Comunicação Corporal • Os ancestrais do homem se comunicavam como os outros animais: através de expressões faciais, gestos, posturas, vocalizações. • Recursos comunicativos não-verbais: sorrisos de simpatia, risadas de alegria, gargalhadas de galhofa, palidez e rubor denunciando emoções fortes, caretas de medo ou de dor, testa franzida de preocupação ou aborrecimento, olhares de ternura ou de ferocidade, resmungos e rosnados, gritos de chamamento ou de afugentamento, gestos de carinho ou de ameaça. • A esse conjunto de meios de comunicação, parte fixada instintivamente, parte adquirida socialmente por imitação, se pode chamar de comunicação corporal (ou expressiva), que o homem partilha com os animais, utiliza intensamente ainda hoje e até sofisticou ao máximo, como mostram as artes da mímica e da dança.
  46. 46. Comunicação Oral Quando o homem começou a falar? As primeiras palavras podem ter surgido da expressão vocal de emoções (interjeições) e da imitação de sons naturais (onomatopéias), até que decorresse tempo suficiente para tornarem convencionais. Passou a combinar sons elementares para dar nome às coisas, pessoas, ações e relações
  47. 47. O segundo grande salto na história da comunicação ocorreu quando o homem descobriu que podia registrar o que falava. Inventou a escrita, marco fundamental que separa pré- história humana da história das civilizações.
  48. 48. Comunicação Massiva Um impulso decisivo para a alfabetização popular e a comunicação foi dado pelo advento do jornal e do livro impressos.
  49. 49. Comunicação Impressa A imprensa tornou viável uma difusão muito maior da informação, o surgimento dos jornais e das revistas, o aparecimento das livrarias e a popularização das bibliotecas públicas. E teve o efeito de acelerar o progresso científico e cultural.
  50. 50. A massa popular adotou o rádio e a televisão para ouvir as notícias (gratuita e sem esforço mental)
  51. 51. Comunicação Eletrônica O último estágio da comunicação humana, o atual, começou com o advento do rádio no início do século XX, chega até nossos dias com a televisão e a internet e projeta-se para o futuro com o desenvolvimento da teleinformática (transmissão e processamento de dados à distância).
  52. 52. O rádio é essencialmente um invento dos anos 20 e 30. A televisão, dos anos 40 e 50. O rádio foi o capítulo-chave de uma longa história de descobertas e invenções através das quais o homem procurava resolver um antigo problema: como fazer a informação alcançar longas distâncias o mais rapidamente possível.
  53. 53. • Voltemos ao passado e imaginemos um mundo sem internet, celular, fax, televisão, rádio, telefone, telégrafo. Como as pessoas podiam se comunicar à longa distância?
  54. 54. • Pelo mensageiro a cavalo, pelo pombo-correio, pelo correio postal. Se precisassem de uma comunicação mais rápida e segura, usavam o tambor, a corneta e os tiros de canhão, precursores remotos da telefonia. Ou espelhos e lanternas no alto das montanhas, precursores remotos da telegrafia. A limitação desses métodos é evidente: eles dependiam do alcance da audição e da visão humanas.
  55. 55. • Vistos de uma perspectiva atual, resolver os problemas da comunicação a distância consistia em criar meios de transmitir rapidamente texto, som e imagem.
  56. 56. • Texto, som e imagem passaram a trafegar via satélite, simultaneamente, a partir de 1958. • O efeito comunicação eletrônica foi, pois, tornar a informação praticamente instantânea e planetária. • Ela reduz ao mínimo distâncias locais, regionais, nacionais e internacionais, massifica e globaliza ao máximo a informação, e cria uma cultura mundial homogênea. • Seu efeito final está em produzir uma aceleração fantástica no intercâmbio humano e das mudanças tecnológicas.
  57. 57. Corpo, fala, escrita, imprensa, telecomunicações. Esta é, em resumo, a história da comunicação humana. Uma característica dessa evolução é que ela ocorreu de maneira mais cumulativa e integrativa do que substitutiva. Cada estádio permanece no seguinte e, de certo modo, se ajusta e se integra a ele.
  58. 58. • Essas diversas formas de comunicação na verdade se completam, se apóiam umas nas outras, se influenciam mutuamente, se integram.
  59. 59. Até a próxima aula!

×