O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Liderança empreendedora 2013 bb

5.891 visualizações

Publicada em

aula de liderança empreendedora

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

Liderança empreendedora 2013 bb

  1. 1. LiderançaEmpreendedora Joyce Ajuz Coelho 2013
  2. 2. ObjetivosCONHECIMENTO• Identificar os diversos estilos de liderança, possibilitando desenvolver as características de líder de equipe.• Reconhecer a mudança dos conceitos de liderança desenvolvidos e aplicados ao longo do tempo.• Adquirir informações para influenciar, desenvolver, comprometer pessoas e construir equipes, refletindo sobre a conduta e o comportamento dos indivíduos na organização.
  3. 3. ObjetivosHABILIDADETransformar os conceitos em processos de aprendizagem e em práticas de auto- desenvolvimento das competências necessárias para liderar equipes, ampliando a compreensão sobre o papel do líder na dinâmica organizacional.
  4. 4. ObjetivosATITUDE• Estimular o desenvolvimento de atitudes éticas e responsáveis nos processos de liderança. Desenvolver a capacidade para selecionar alternativas de forma sistematizada e perspicaz, obtendo e implementando soluções adequadas diante de problemas identificados, considerando limites e riscos, com foco em melhores resultados.
  5. 5. Programa• Cenário Atual das organizações• Os principais desafios de um líder• Reflexões sobre a liderança• Líderes x Gestores• Bases do poder
  6. 6. Programa• Evolução das Teorias de Liderança• Liderança Situacional• Estilos de Liderança em função da Maturidade da equipe• Auto-Conhecimento em relação ao estilo de liderança
  7. 7. Programa• Competências do Líder• Interfaces da liderança• O líder como Coach• O líder como agente de mudanças
  8. 8. O DESAFIO DASEMPRESAS MODERNAS 8
  9. 9. Segunda Terceira Quarta Quinta Onda Onda Onda Onda (1860-1970) (1975-1995) (2000-09) (2010- .... Rede Web 3.0Industrial Tecnológica Conhecimento Mídias Sociais 9 Estratégia
  10. 10. Era da Informação• Rede de comunicação e de relacionamentos• Parceria• Trabalho físico x Trabalho Imaterial• Homogeneidade x heterogeneidade• Trabalho Individual x Trabalho em Equipe• Líderes Tradicionais x Líderes de Pessoas 10
  11. 11. A TRANSIÇÃO DA RELAÇÃO EMPREGADO X EMPRESA• Relação de emprego mais estável - Permanência • Mudanças - Temporariedade• Abundância de oportunidades para a média gerência • Organizações mais enxutas• Emprego por toda a vida • Empregável por toda vida• Promoção a cada dois anos • Movimentação lateral• Plano de carreira oferecido e controlado pelas empresas • Auto-gerenciamento da carreira 11
  12. 12. No Plano Individual Paternalismo AutogestãoCompromisso Compromisso consigocom a empresa tambémSegurança de Desenvolvimento eemprego realizaçãoCrescimento linear Carreiras múltiplas eda carreira Aprendizado permanente 12
  13. 13. Evolução do papel do gestor Liderança Técnico/ GerencialCapacitação do gestor Administrativo Visão Técnico Integrada Visão de Conheciment de Negócios o& Pessoas, Habilidade Gestão de Processos, Conheciment Pessoas Gestão Clientes o Administrativ a Gestão por Resultados 70 80 90 00 13 Instituto Chiavenato
  14. 14. PRINCIPAIS DESAFIOS DO LÍDER 14
  15. 15. Adaptabilidade PESSOAS INOVAÇÃOCapacidade OportunidadesInterna externas POLÍTICAS MERCADO & PROCEDIMENTOS University of Michigan Estabilidade 15 Business School
  16. 16. MERCADO• Pensar e planejar estrategicamente• Melhorar a satisfação do cliente• Estar à frente na competição
  17. 17. POLÍTICAS E PROCEDIMENTOS• Alinhar visão estratégica e comportamento• Melhorar processos internos• Produzir produtos e serviços de alta qualidade
  18. 18. INOVAÇÃO• Estimular a inovação na organização
  19. 19. PESSOAS Atrair, manter e desenvolver bons profissionais Manter a motivação Gerenciar tempo e pressão Manter o equilíbrio entre trabalho e vida Liderar a mudança da cultura organizacional Desenvolver os futuros líderes 19
  20. 20. Existe um modo latino de Administrar? Cultura Brasileira e GestãoAs práticas de gestão são universais? 20
  21. 21. Diferenças Culturais• A abordagem convergente (universalista)• A abordagem divergente (relativista)• A divergência convergente: mais integradora 21
  22. 22. Principais Pilares da Cultura Brasileira• O Poder – hierarquia e centralização do poder decisório• As relações – coletivista e emocional – evita-se o conflito• Flexibilidade – adaptabilidade, criatividade e indisciplina 22
  23. 23. Novas Organizações de Trabalho, seus objetivos e estratégias• Estrutura tradicional• Estruturas em rede e o Teletrabalho 23
  24. 24. LiderançaÉ o processo de influenciar um grupoorganizado em direção ao alcance deobjetivos (Roach & Behling, 1984)
  25. 25. Liderança• “Uma relação interpessoal na qual os outros se engajam porque querem, e não porque têm que se engajar” (Merton, 1969)• Liderança é o uso da influência não coercitiva para dirigir as atividades dos membros de um grupo e levá- los à realização dos objetivos do grupo. (JAGO, A – 1982)• “Liderança diz respeito a mudar a ordem das coisas” (Fiorina, 2007)25
  26. 26. Para reflexão:• Diálogo entre dois personagens de Bertold Brecht:_ Feliz o povo que possui heróis._ Infeliz o povo que necessita de heróis.As organizações geralmente fazem a apologia do heroísmo, do martírio e da genialidade.Todavia heróis, mártires e gênios são anti-líderes, não desenvolvem equipes.Mais do que líderes carismáticos, uma organização precisa de liderança.
  27. 27. Liderança x Gestão
  28. 28. Líder Administrador• Trabalha criativamente com integração e coesão grupais (criatividade e improvisação);• Induz à motivação espontânea, à ampla participação, ao poder decisório compartilhado, ao planejamento estratégico coletivo; às avaliações frequentes e às reformulações estratégicas periódicas (visão, inspiração, mudança)• É um estrategista
  29. 29. Administrador líder (Gestor)• Trabalha com objetivos definidos por instância superior;(planejamento,• Estimula a motivação e coesão grupais; (estrutura e consistência)• Faz cumprir o planejamento estratégico; (controle e eficiência)• Delega e avalia desempenhos;(coordenação e consistência) MATOS, FG• É um tático (2002)
  30. 30. Liderança: Combinação de 4 variáveis Douglas McGregor1. As Características do líder2. As atitudes, necessidades e outras características dos liderados3. As características da organização (cultura, tarefas, missão)4. Conjuntura social, econômica e política
  31. 31. Bases do Poder• Poder coercitivo – é baseado no medo. As pessoas cumprem as tarefas com medo de punições.• Poder de conexão – é baseado nas “ligações” do líder com pessoas importantes e influentes dentro ou fora da organização. 31
  32. 32. • Poder da Competência Técnica – é baseado na especialização, habilidade ou conhecimento do líder.• Poder de informação – é baseado na posse ou acesso pelo líder, da informação que é percebida como valiosa para os demais.• Poder legítimo – é baseado na posiçãoque é mantida pelo líder, na estruturaorganizacional. 32
  33. 33. • Poder de referência – é baseado nos traços pessoais do líder. É admirado e apreciado por suas características de personalidade.• Poder de recompensa – é baseado na capacidade do líder em prover recompensas. As pessoas acreditam que a sua aprovação irá levá -las a ganhar incentivos positivos, tais como aumento, promoção ou reconhecimento. 33
  34. 34. Teorias sobre Liderança 1900 Estudo dos tempos e movimentos (Taylor)• O bom líder é o que consegue melhorar métodos e técnicas para o aumento da produção;• A administração deve ser separada dos problemas humanos. Foco nas necessidades da organização
  35. 35. Teorias sobre Liderança 1920/30 Movimento das relações humanas (Elton Maio)• A produtividade melhora se os líderes se voltarem aos problemas humanos;• A função do líder é facilitar a realização de objetivos e dar oportunidade para o crescimento pessoal de seus liderados. Foco nas necessidades individuais
  36. 36. Teorias sobre Liderança 1960• Managerial Grid (Grade gerencial) - (Blake/Mouton) – Visão bidimensional da liderança, considerando ênfase nas pessoas e na produção em gradações diferenciadas.• Crítica: Não há um estilo que seja melhor que os outros qualquer que seja a situação. A idéia de que a eficácia do estilo é condicionada pela situação resultou no desenvolvimento da teoria da Liderança Situacional.
  37. 37. Liderança Situacional• Para ser eficaz o estilo tem que se ajustar à situação.• O principal problema é descobrir qual estilo ajusta-se a qual situação e como avaliar a situação.• Liderança Situacional (Fiedler, P.Hersey/K.Blanchard) Foco na situação
  38. 38. Teorias sobre Liderança 1990 • Ausência de liderança formal (Co- gestão)Foco nas informações e competências das pessoas Foco em talentos e competências
  39. 39. Liderança Situacional• Liderança: capacidade de influenciar pessoas para a realização de um objetivo comum. Envolve a realização do objetivo com e através de pessoas.• Processo de liderança: função do líder, do liderado e de variáveis situacionais. É dinâmico.
  40. 40. Liderança Situacional Maturidade: capacidade e disposição da pessoa de assumir a responsabilidade de dirigir seu próprio comportamento:1-Maturidade de Trabalho: capacidade de fazer alguma coisa (conhecimento e capacidade técnica). Saber fazer.2-Maturidade psicológica: disposição ou motivação para fazer alguma coisa (confiança em si mesmo e no empenho). Querer fazer.
  41. 41. Modelo de Hersey e Blanchard• A maturidade do subordinado, avaliada em termos de grau de capacidade e interesse de fazer um bom trabalho, é a principal característica da situação que qualquer líder enfrenta.• O uso da autoridade deve ser inversamente proporcional à maturidade dos liderados.
  42. 42. Os Estilos de LiderançaDiretivo – Adequado a grupos/funcionários novos (baixa maturidade e insegurança), ou quando são introduzidos novos objetivos ou tarefas.• É caracterizado pelo controle, direção, por tarefas altamente estruturadas, instruções específicas e alta supervisão.
  43. 43. Persuasivo – Adequado a grupos que embora ainda tenham baixa maturidade, possuem alto envolvimento e identificação.• É caracterizado pela alta/moderada supervisão. Permite questionamentos, troca de informações, explica decisões, obtém compromisso.
  44. 44. Participativo – Considerado o estilo mais atual, é adequado a grupos que já dominam as habilidades essenciais e agem com maturidade.• É caracterizado pela moderada/baixa supervisão. O líder atua como mediador, obtendo idéias do grupo e facilitando o processo de decisão. Ele dá suporte, reconhece, encoraja, reduz tensões, avalia e fornece feedback constante.
  45. 45. Delegador – Adequado a grupos com alta maturidade e seguros.• É caracterizado pela baixa supervisão, pelo monitoramento à distância, pela delegação da responsabilidade para tomada e implementação de decisões.• O líder ouve atentamente, demonstra interesse, obtém informações e participa.
  46. 46. A dinâmica dos estilos de liderança Identificação Dono do Definição Dono da Grau de /definição do problema da solução solução participação problema do grupo e de influência no líder Líder O líder Líder define O líder Baixo identifica/defiDIRETIVO ne Líder define, O líder, com Líder O líder, mas Baixo para explana e apoio do define, com o grupo moderadoPERSUASIVO discute com o grupo informação identifica-se grupo e possível com a discussão solução com o grupo
  47. 47. PARTICI- Grupo e O grupo, Grupo O grupo, ModeradoPATIVO líder com define, com com suporte para alto definem envolvimen assistência e do líder to e acordo acordo do do líder líderDELEGA- O líder O grupo O grupo O grupo AltoDOR estabelece a com apoio e define com linha. O revisão do o consenso grupo ident. líder do líder. E define o Líder é problema. membro do Líder revê e grupo concorda.
  48. 48. Ganhos com Envolvimento• Qualidade na Tomada de Decisão – Melhor identificação de problemas – Melhor identificação de soluções• Maior Comprometimento com Decisões – Menor resistência – Maior empenho na implementação – Aumenta a percepção de justiça• Maior Satisfação e Empoderamento
  49. 49. Práticas importantes no exercício da liderança• Desenvolver pessoas• Tomar decisões• Orientar a visão e dar a direção• Comunicar bem• Obter resultados• Ser modelo na função• Impulsionar mudanças• Estabelecer uma relação de confiança, credibilidade e justiça 49
  50. 50. Liderança e ConfiançaPrincipais tipos de relacionamento no trabalho Relacionamento Elemento -chave Colaborador Confiança Liderança Colaborador Orgulho Trabalho Colaborador Camaradagem Colaborador
  51. 51. Confiança• Credibilidade – Qualidade da liderança• Jogo Limpo - Regras justas, transparência nas ações, objetivos claros• Respeito - atitudes básicas expressas na ação da liderança em relação aos subordinados Fonte: Levering, R. Um excelente lugar para trabalhar, 2000.
  52. 52. Liderança e MotivaçãoPrincípio: Cada um traz dentro de si suas próprias motivaçõesPapel do líder• Encontrar e adotar recursos organizacionais capazes de não sufocar as forças motivacionais inerentes às pessoas• Agir de tal forma que as pessoas não percam a sua sinergia motivacional
  53. 53. Liderança e MotivaçãoConhecer as pessoasIncentivar as pessoasReconhecer o bom trabalhoEstabelecer metas difíceismas atingíveisFestejar o alcance de metasParticipar dos resultados
  54. 54. Liderança e Motivação• Princípio: Há diferenças individuais na motivaçãoPapel do líder Basear-se na justiça e não na igualdade quando se tratar de recompensas e punições – garantir que as recompensas sejam proporcionais ao desempenho e não equitativas
  55. 55. Liderança e MotivaçãoDiagnóstico de problemas motivacionais• As metas e expectativas de desempenho foram claramente comunicadas e entendidas?• A (s) pessoa (s) tem as habilidades, treinamento e autoconfiança necessários para apresentar o desempenho solicitado?• O desempenho é recompensado claramente e a tempo?
  56. 56. Liderança e MotivaçãoDiagnóstico de problemas motivacionais• O resultado é importante para a pessoa?• Como eu sei o que essa pessoa valoriza nessa ocasião?• As recompensas são proporcionais ao esforço e aplicadas de um modo direto e a tempo?• O trabalho está estruturado para maximizar as dimensões centrais do trabalho? O que pode ser feito para tornar o trabalho uma fonte de motivação?
  57. 57. Liderança e Comunicação• Centralização ou descentralização da informação.Redes de Pequenos Grupos Roda Todos os Cadeia canais
  58. 58. As Redes e o Critério de EficáciaCritério Cadeia Roda Todos os canaisVelocidade Moderada Rápida RápidaAcurácia Moderada Alta ModeradaLiderança Moderada Alta BaixaSatisfação Moderada Baixa Altaequipe
  59. 59. • Redes informais – rede de rumores: rádio- peão, rádio-corredorAções para reduzir as consequências negativas:1. Antecipar as notícias2. Explicar decisões e comportamentos que possam parecer inconsistentes ou misteriosos.3. Discutir abertamente as piores possibilidades, para evitar ansiedade e fantasia4. Enfatizar vantagens e desvantagens de decisões e planos futuros
  60. 60. Liderança on-line• Liderança de pessoas fisicamente distantes, cujas interações dependem da comunicação escrita – situação que tende a aumentar.• Como substituir o contato face a face e verbal pelas interações informatizadas?• O componente não-verbal que muitas vezes suaviza palavras mais duras não existe nas interações on-line.
  61. 61. Liderança on-line• A estrutura do texto na comunicação on-line também tem o poder de desmotivar o receptor ou incentivá-lo. Cuidado com textos lacônicos.• O tom da mensagem reflete as emoções. É preciso ler as entrelinhas e não usar a comunicação digital para se “esconder” ao dar más notícias.• As habilidades de redação devem se tornar uma extensão das habilidades interpessoais.
  62. 62. Liderança de nível 5 Referência bibliográfica:Empresas feitas para vencer Jim Collins 62
  63. 63. Hierarquia de nível 5• Executivo de nível 5 - Constrói excelência duradoura – humildade e força de vontade.• Nível 4 - Líder eficaz – Estimula padrão elevado de desempenho. Visão clara e forte.• Nível 3 - Gerente competente – Organiza pessoas e recursos na busca de objetivos determinados.• Nível 2 – Membro colaborador da equipe - com capacidades individuais para atingimento dos objetivos. Forma equipe.• Nível 1 – Indivíduo altamente capacitado – Faz contribuições produtivas através das suas competências. 63
  64. 64. Características• Primeiro quem...depois o quê – selecionar as pessoas certas• Verdade nua e crua• Conceito do porco-espinho – paixão, motor econômico e ser o melhor do mundo.• Cultura da disciplina• Aceleradores tecnológicos• O volante e o círculo da destruição 64
  65. 65. Competências do líder atual• Selecionar, formar e manter uma equipe;• Treinar e desenvolver continuamente as pessoas, mantendo um elevado grau de habilidades e de conhecimentos;
  66. 66. • Analisar e planejar o trabalho de modo a assegurar um desenho de tarefas sintonizado com as capacidades individuais dos membros de sua equipe e gerenciar as mudanças necessárias;
  67. 67. • Liderar pessoas e grupos de trabalho, traçando e revendo os objetivos a serem alcançados.• Conseguir o comprometimento sincero com relação a objetivos e metas individuais, grupais e organizacionais.
  68. 68. • Manter pessoas e grupos motivados através da própria tarefa e do clima organizacional adequado, elevando a sua auto-estima, a sua criatividade e o seu sentimento de realização.
  69. 69. • Monitorar e avaliar o desempenho das pessoas e grupos, fornecendo feedback sincero e constante.• Recompensar para garantir reforço positivo do desempenho eficiente e eficaz dos subordinados e da equipe.
  70. 70. Outras Características• Foco nos objetivos• Orientação para ação• Autoconfiança• Habilidade no relacionamento humano• Criatividade e inovação• Flexibilidade• Tomada de decisão• Busca da excelência• Visão de futuro• Agente de mudanças
  71. 71. Características de um líder de mudança • Compromisso com uma forma melhor de fazer as coisas • Coragem de desafiar as bases do poder e as normas existentes • Iniciativa para transpor barreiras • Motivação própria e persuasão • Preocupação com as pessoas e com o desempenho • Modéstia • Sadiamente insatisfeito
  72. 72. O que é Coach ?É o processo contínuo de munir pessoas com ferramentas, conhecimentos e oportunidades que elas precisam para se desenvolverem no seus cargos atuais
  73. 73. O papel do “Coach” na integração da equipe e no desenvolvimento da criatividade e da motivação• O que caracteriza o coach são suas atitudes.• Sua comunicação é fácil, ele é tratado como um “igual”, um “colega” de trabalho.• É alguém sempre aberto e disposto a ouvir novas idéias.
  74. 74. • Fornece feedback direto e sincero. Sua crítica é confiável e construtiva.• É um excelente ser humano. Com humildade demonstra profundo respeito pelo outro.
  75. 75. • Responde todas as perguntas, mesmo as mais simples e aparentemente óbvias.• É exigente – não deixa passar um trabalho de má qualidade, preservando sua equipe.• É um catalisador ativo do processo de mudança - envolve o grupo nas decisões e busca o comprometimento de todos. Cria condições para verdadeiros líderes emergirem.
  76. 76. • Equipes lideradas por pessoas assim têm liberdade de ação, em geral se sentem impulsionadas a criar e são altamente motivadas.

×