Situação de aprendizagem

448 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
448
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
128
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Situação de aprendizagem

  1. 1. Texto: Avestruz Nesta Situação de Aprendizagem serão apresentadosaos alunos o gênero textual “crônica” e suas principaiscaracterísticas; além disso, serão retomados oselementos da narrativa, no entanto, o foco estará napercepção do foco narrativo e nacompreensão/interpretação do texto pelos alunos.Espera-se que, ao final das atividades propostas, oaluno seja capaz de reconhecer o gênero em estudo, anarrativa com foco na 1ª. pessoa e que tenhacompreendido o texto como um todo significativo.
  2. 2.  Ano: 6º. Ano - Ensino Fundamental. Tempo previsto: 12 aulas. Conteúdos: conceito de crônica; retomada doselementos da narrativa (com ênfase no foconarrativo); leitura do texto “Avestruz”, de MarioPrata; roteiro de perguntas e produção escrita. Competências e habilidades: conhecer ogênero “crônica narrativa”, identificar oselementos narrativos (ênfase no foco narrativo);interpretar um texto pertencente ao gênero emestudo. Estratégias: estudo do gênero e dos elementos danarrativa; leitura e interpretação do texto“Avestruz”; discussão com os alunos fazendo asdevidas intervenções.
  3. 3.  Recursos: Cópia do texto; uso de datashow parareprodução dos slides com o conteúdo das aulas e uso dasala de informática. Avaliação: produção de um questionário e debate em sala. 1º O professor apresenta aos alunos o plano de aulacontendo o tema (assunto) a ser trabalhado durante asemana, os respectivos objetivos e o que será avaliado. 2º Para trabalhar o conceito de crônica, o professor, apóspesquisa, entrega para os alunos (em grupos) exemplaresde jornais e revistas e, em seguida, direciona os alunos paraa leitura de um determinado texto, ou seja, uma crônica.Nessa etapa, o grupo pode eleger um representante, que,após a leitura com os colegas do grupo, lerá o texto paratoda a sala. Espera-se com isso que os alunos obtenham asprimeiras impressões a respeito do gênero textual emestudo. Durante a leitura, o professor pode fazerintervenções apontando os aspectos que julgar importantepara as etapas seguintes. Por exemplo: O que os textos têmem comum? Trata-se de textos longos ou curtos? Eles sãoparecidos com outros gêneros textuais? E quanto àestrutura?...
  4. 4.  3º Apresentação do conceito de crônica efocalização dos aspectos presentes nos textoslidos de acordo com a definição adotada e ostextos pré-selecionados pelo professor. 4º Após esclarecer as possíveis dúvidas dosalunos, o professor propõe a leitura dacrônica Avestruz do autor Mário Prata. Noentanto, antes da leitura, o professor fala umpouco sobre a vida e obra do autor a fim dedespertar nos alunos o interesse por outros textose obras do autor em questão. O professor propõeque a primeira leitura seja individual e pede aosalunos para lerem quantas vezes acharemnecessárias e pede, também, para que os mesmosregistrem, caso seja necessário, os vocábulos eexpressões não conhecidas.
  5. 5.  5º Neste momento, o professor retoma o conceitode gênero e propõe aos alunos uma atividade derevisão dos elementos da narrativa, estudados emanos anteriores, porém presentes no texto lido.Para isso, o professor, a partir de um modeloexplicativo, solicita aos alunos que preencham umquadro de informações que deverá ser corrigido ediscutido em seguida.Aspecto História analisadaFoconarrativo1ª ou 3ª pessoa?Personagem Quais são?Enredo Quais os principais acontecimentos da história, nasequência em que são apresentados?Tempo Quanto tempo a história parece apresentar? Hámarcas da passagem do tempo no texto? Quais?Espaço O que sabemos sobre os espaços em que aspersonagens vivem as ações?
  6. 6.  6º Após a correção/discussão da atividadeanterior, o professor retoma a leitura do textofazendo ele mesmo essa leitura. O objetivo agoraé fazer com que os alunos percebam cada detalhedo texto (pontuação, entonação, sequência danarrativa...). Ao término da leitura, o professorprocura, por meio de perguntas, ativar oconhecimento de mundo dos alunos fazendoperguntas como: Quem já viu um avestruz? Comoele é? Quem sabe como são seus hábitos? etc. 7º O professor apresenta para os alunos umquestionário com perguntas relacionadas aotexto. O objetivo aqui é fazer uma interpretaçãodos acontecimentos narrados e de seuspersonagens. Dessa forma perguntas como: Porque o garoto queria uma avestruz? Onde viviamas personagens da história? O que eles eram? etc.são necessárias para o objetivo proposto.
  7. 7.  8º Depois de explorar tais aspectos, o professor deve aprofundaros estudos na compreensão do texto. Percebe-se em suaconstrução que o autor faz uso da descrição e do humor paracaracterizar a avestruz. Assim, o professor pode explorar amaneira como o autor descreveu o animal, quais as comparaçõesfeitas e se são os não verdadeiras, se são possíveis ou não. Seriainteressante propor aos alunos uma pesquisa a respeito desseanimal e seus hábitos. 9º Em seguida, o professor pode explorar com os alunos por queo autor usou os termos “menopausa”, “TPM” e “gigolô” no texto.Uma vez que tais palavras causarão certa curiosidade aos alunos.É interessante fazer com que eles discutam e cheguem a uma oumais conclusões. No entanto, o professor deve estar atento nodirecionamento da discussão. Além dos termos mencionados,seria interessante perguntar aos alunos o porquê de o meninogostar e querer criar em casa animais tão distantes da realidadeurbana? A produção de hipóteses expande as possibilidades deinterpretação, o que torna o texto mais rico.
  8. 8.  10º Por fim, o professor pede aos alunos queproduzam um pequeno texto apontando seuscomentários pessoais, impressões, expectativas eoutras possibilidades de finalização para ahistória.
  9. 9. BibliografiaDOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros eprogressão em expressão oral e escrita – elementos parareflexão sobre uma experiência suíça (francófona). In:Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado dasLetras, 2010.ROJO, R. H. R. (2002) A concepção de leitor e produtor detextos nos PCNs “Ler é melhor do que estudar”. In M. T. A.Freitas & S. R. Costa (orgs) Leitura e Escrita na Formação deProfessores, PP.31-52. SP: Musa/ UFJF/INEP-COMPED.Caderno do professor. Língua Portuguesa: ensinofundamental. – São Paulo: SEE, 6º ano EF vol.2/2008.

×