SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
Oficina de Astrofísica Básica
Marina Dal Ponte
Tamara Salvatori
Módulo II – Vida de Estrelas
Vida de Estrelas
O Módulo II abordará:
Estrelas da Sequência Principal;
Diagrama Hertzsprung-Russell.
Estrelas da Sequência Principal
Vida de Estrelas
Quando as reações nucleares envolvendo o hidrogênio
ocorrem de modo contínuo e são a principal fonte de energia de
uma estrela dizemos que ela pertence à sequência principal.
É importante notar que a estrela levará milhões de anos
até conseguir se estabelecer na sequência principal. Para uma
estrela como o Sol, 10 milhões de anos passarão desde que a
nuvem molecular começou a colapsar até que inicie no seu interior
a queima nuclear do hidrogênio, fazendo-o ingressar na sequência
principal do diagrama H-R.
Estrelas da Sequência Principal
À medida em que aumenta a quantidade de hélio no centro da
estrela, a taxa de produção de energia diminui até cessar. Núcleos de hélio
também podem ser consumidos pela fusão nuclear, mas a temperatura
necessária para isso é de uns 100 milhões de graus, bem maior do que a
temperatura de fusão do hidrogênio (em torno de uns 2 milhões de graus). Para
estrelas pequenas, esta temperatura nunca é atingida, de forma que o centro
rico em hélio permanece dormente.
Obviamente, estrelas que produzem mais energia, a consomem mais
rápido e, portanto, se esgotam em menos tempo. As estrelas de alta massa são
as mais luminosas, tendo assim um tempo de vida na sequência principal mais
curto: uns 10 milhões de anos para as estrelas mais massivas, de umas 20 ou 30
massas solares. Já estrelas como o Sol duram 10 bilhões de anos e estrelas com
0.1 massa solar, duram dezenas de bilhões de anos nessa fase de fusão de
hidrogênio.
Vida de Estrelas
Diagrama Hertzsprung-Russell (HR)
Esses diagramas, chamados
de diagrama Hertzsprung-Russell
ou diagrama HR, plotam a
luminosidade no eixo dos Y e a
temperatura estelar no eixo dos X.
Vida de Estrelas
Figura 1. Diagrama HR.
Vida de Estrelas
Olhando para o diagrama H-R vemos que estrelas formadas
com grande massa estão situadas na parte superior da sequência
principal, estrelas formadas com massas aproximadamente iguais à
do nosso Sol estão próximas à sua região central enquanto que
estrelas de pequena massa encontram-se na parte inferior direita
desta faixa do diagrama H-R.
Em geral consideramos que as estrelas com massa M < 3
Msol são estrelas de pequena massa. Aquelas com massa no
intervalo 3 Msol < M < 10 Msol são estrelas de massa intermediária.
E então as estrelas com massa M > 10 Msol são estrelas de grande
massa.
Diagrama Hertzsprung-Russell (HR)
Diagrama Hertzsprung-Russell (HR)
A maior parte das estrelas é de mais baixa luminosidade e mais fria do que o
Sol. Há também um grupo de estrelas vermelhas (bem frias) e muito
luminosas, chamadas de supergigantes vermelhas e algumas estrelas
quentes, mas pouco luminosas, chamadas de anãs brancas. As estrelas iniciam
sua existência na faixa diagonal que corre do topo à esquerda para a base à
direita (chamada de sequência principal) e evoluem mudando de posição no
diagrama HR.
Algumas regiões do diagrama HR recebem nomes. As estrelas mais
luminosas, por exemplo, são chamadas de supergigantes. Estrelas acima e à
direita da sequência principal (portanto mais luminosas e mais frias) são
denominadas de gigantes vermelhas. Estrelas da sequência principal são por
vezes chamadas de anãs e às vezes simplesmente de estrelas "normais" (por
serem as mais comuns). E as estrelas pouco luminosas e relativamente quentes
da parte inferior esquerda são as anãs brancas.
Vida de Estrelas
Diagrama Hertzsprung-Russell
O diagrama HR é um
instrumento essencial para o
estudo da evolução estelar.
Estrelas iniciam sua evolução na
sequência principal, tornam-se
gigantes ou supergigantes e se
extinguem como anãs brancas
ou, em casos mais raros, de forma
explosiva e peculiar (como
estrelas de nêutrons e buracos
negros, que não podem ser
demonstrados no diagrama HR).
Vida de Estrelas
Figura 2. Exemplo de diagrama HR.
Referências Bibliográficas
Vida de Estrelas
Observatório Nacional. As Estrelas da Sequência Principal. Disponível em
<http://www.on.br/>.
Diagrama HR. Observatório Educativo Itinerante. Disponível em
http://www.if.ufrgs.br/oei/stars/hr/diag_hr.htm. Acesso em Jul 2013.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (19)

As Estrelas
As EstrelasAs Estrelas
As Estrelas
 
Estrelas...
Estrelas...Estrelas...
Estrelas...
 
Evolução estelar
Evolução estelarEvolução estelar
Evolução estelar
 
Trabalho de cometas
Trabalho de cometasTrabalho de cometas
Trabalho de cometas
 
Como são formadas as estrelas
Como são formadas as estrelasComo são formadas as estrelas
Como são formadas as estrelas
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solar
 
(2) biologia e geologia 10º ano - geologia - a terra, um planeta muito espe...
(2) biologia e geologia   10º ano - geologia - a terra, um planeta muito espe...(2) biologia e geologia   10º ano - geologia - a terra, um planeta muito espe...
(2) biologia e geologia 10º ano - geologia - a terra, um planeta muito espe...
 
2 universo 7º
2   universo 7º2   universo 7º
2 universo 7º
 
A4 o universo_luisa_e_rita
A4 o universo_luisa_e_ritaA4 o universo_luisa_e_rita
A4 o universo_luisa_e_rita
 
Estrelas
EstrelasEstrelas
Estrelas
 
Cometas
CometasCometas
Cometas
 
Cometas
CometasCometas
Cometas
 
Gliese 581d
Gliese 581dGliese 581d
Gliese 581d
 
Astros & Sol
Astros & SolAstros & Sol
Astros & Sol
 
Asteróides
AsteróidesAsteróides
Asteróides
 
A Terra, um planeta muito especial
A Terra, um planeta muito especialA Terra, um planeta muito especial
A Terra, um planeta muito especial
 
FormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema SolarFormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema Solar
 
Ficha informativa nº 1 organização e formação do universo
Ficha informativa nº 1   organização e formação do universoFicha informativa nº 1   organização e formação do universo
Ficha informativa nº 1 organização e formação do universo
 
Evoluçao estelar_2013
Evoluçao estelar_2013Evoluçao estelar_2013
Evoluçao estelar_2013
 

Semelhante a Oficina de astrofísica básica - Módulo II - Vida de Estrelas

Anas brancas
Anas brancasAnas brancas
Anas brancasganatali
 
Crítica da evolução estelar
Crítica da evolução estelarCrítica da evolução estelar
Crítica da evolução estelarDiegofortunatto
 
Diagrama hertzsprung russell
Diagrama hertzsprung russellDiagrama hertzsprung russell
Diagrama hertzsprung russellAna Paula Roldão
 
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001Thommas Kevin
 
Apresentaçao final 7o ano
Apresentaçao final 7o anoApresentaçao final 7o ano
Apresentaçao final 7o anocarolzinhaveloso
 
O que tem lá em cima?
O que tem lá em cima?O que tem lá em cima?
O que tem lá em cima?Lariene Paula
 
Capítulo 3 o sistema solar_Fundamentos da Astronomia
Capítulo 3   o sistema solar_Fundamentos da AstronomiaCapítulo 3   o sistema solar_Fundamentos da Astronomia
Capítulo 3 o sistema solar_Fundamentos da AstronomiaBeatriz Furtado
 
Fisico Quimica - O Universo 7ºano
Fisico Quimica - O Universo 7ºanoFisico Quimica - O Universo 7ºano
Fisico Quimica - O Universo 7ºanojmamata
 
Material OBA Pt.3
Material OBA Pt.3Material OBA Pt.3
Material OBA Pt.3eing2010
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solarBonoo
 
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema SolarC:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solarguestd7f9cbb
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema SolarCatir
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema SolarCosta
 
Formação do Sistema Solar
Formação do Sistema SolarFormação do Sistema Solar
Formação do Sistema Solarguestdbe434
 

Semelhante a Oficina de astrofísica básica - Módulo II - Vida de Estrelas (20)

Objetos estelares
Objetos estelaresObjetos estelares
Objetos estelares
 
Estrelas variaveis
Estrelas variaveisEstrelas variaveis
Estrelas variaveis
 
Anas brancas
Anas brancasAnas brancas
Anas brancas
 
3 ° aula
3 ° aula3 ° aula
3 ° aula
 
Crítica da evolução estelar
Crítica da evolução estelarCrítica da evolução estelar
Crítica da evolução estelar
 
Diagrama hertzsprung russell
Diagrama hertzsprung russellDiagrama hertzsprung russell
Diagrama hertzsprung russell
 
O sol estruturaemecanica
O sol estruturaemecanicaO sol estruturaemecanica
O sol estruturaemecanica
 
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
 
Apresentaçao final 7o ano
Apresentaçao final 7o anoApresentaçao final 7o ano
Apresentaçao final 7o ano
 
O que tem lá em cima?
O que tem lá em cima?O que tem lá em cima?
O que tem lá em cima?
 
Capítulo 3 o sistema solar_Fundamentos da Astronomia
Capítulo 3   o sistema solar_Fundamentos da AstronomiaCapítulo 3   o sistema solar_Fundamentos da Astronomia
Capítulo 3 o sistema solar_Fundamentos da Astronomia
 
Fisico Quimica - O Universo 7ºano
Fisico Quimica - O Universo 7ºanoFisico Quimica - O Universo 7ºano
Fisico Quimica - O Universo 7ºano
 
Estrelas.ppt
Estrelas.pptEstrelas.ppt
Estrelas.ppt
 
Material OBA Pt.3
Material OBA Pt.3Material OBA Pt.3
Material OBA Pt.3
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solar
 
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema SolarC:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema Solar
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema Solar
 
Formação do Sistema Solar
Formação do Sistema SolarFormação do Sistema Solar
Formação do Sistema Solar
 
Caf c 25.03.11
Caf c 25.03.11Caf c 25.03.11
Caf c 25.03.11
 

Último

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoprofleticiasantosbio
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 

Último (20)

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 

Oficina de astrofísica básica - Módulo II - Vida de Estrelas

  • 1. Oficina de Astrofísica Básica Marina Dal Ponte Tamara Salvatori Módulo II – Vida de Estrelas
  • 2. Vida de Estrelas O Módulo II abordará: Estrelas da Sequência Principal; Diagrama Hertzsprung-Russell.
  • 3. Estrelas da Sequência Principal Vida de Estrelas Quando as reações nucleares envolvendo o hidrogênio ocorrem de modo contínuo e são a principal fonte de energia de uma estrela dizemos que ela pertence à sequência principal. É importante notar que a estrela levará milhões de anos até conseguir se estabelecer na sequência principal. Para uma estrela como o Sol, 10 milhões de anos passarão desde que a nuvem molecular começou a colapsar até que inicie no seu interior a queima nuclear do hidrogênio, fazendo-o ingressar na sequência principal do diagrama H-R.
  • 4. Estrelas da Sequência Principal À medida em que aumenta a quantidade de hélio no centro da estrela, a taxa de produção de energia diminui até cessar. Núcleos de hélio também podem ser consumidos pela fusão nuclear, mas a temperatura necessária para isso é de uns 100 milhões de graus, bem maior do que a temperatura de fusão do hidrogênio (em torno de uns 2 milhões de graus). Para estrelas pequenas, esta temperatura nunca é atingida, de forma que o centro rico em hélio permanece dormente. Obviamente, estrelas que produzem mais energia, a consomem mais rápido e, portanto, se esgotam em menos tempo. As estrelas de alta massa são as mais luminosas, tendo assim um tempo de vida na sequência principal mais curto: uns 10 milhões de anos para as estrelas mais massivas, de umas 20 ou 30 massas solares. Já estrelas como o Sol duram 10 bilhões de anos e estrelas com 0.1 massa solar, duram dezenas de bilhões de anos nessa fase de fusão de hidrogênio. Vida de Estrelas
  • 5. Diagrama Hertzsprung-Russell (HR) Esses diagramas, chamados de diagrama Hertzsprung-Russell ou diagrama HR, plotam a luminosidade no eixo dos Y e a temperatura estelar no eixo dos X. Vida de Estrelas Figura 1. Diagrama HR.
  • 6. Vida de Estrelas Olhando para o diagrama H-R vemos que estrelas formadas com grande massa estão situadas na parte superior da sequência principal, estrelas formadas com massas aproximadamente iguais à do nosso Sol estão próximas à sua região central enquanto que estrelas de pequena massa encontram-se na parte inferior direita desta faixa do diagrama H-R. Em geral consideramos que as estrelas com massa M < 3 Msol são estrelas de pequena massa. Aquelas com massa no intervalo 3 Msol < M < 10 Msol são estrelas de massa intermediária. E então as estrelas com massa M > 10 Msol são estrelas de grande massa. Diagrama Hertzsprung-Russell (HR)
  • 7. Diagrama Hertzsprung-Russell (HR) A maior parte das estrelas é de mais baixa luminosidade e mais fria do que o Sol. Há também um grupo de estrelas vermelhas (bem frias) e muito luminosas, chamadas de supergigantes vermelhas e algumas estrelas quentes, mas pouco luminosas, chamadas de anãs brancas. As estrelas iniciam sua existência na faixa diagonal que corre do topo à esquerda para a base à direita (chamada de sequência principal) e evoluem mudando de posição no diagrama HR. Algumas regiões do diagrama HR recebem nomes. As estrelas mais luminosas, por exemplo, são chamadas de supergigantes. Estrelas acima e à direita da sequência principal (portanto mais luminosas e mais frias) são denominadas de gigantes vermelhas. Estrelas da sequência principal são por vezes chamadas de anãs e às vezes simplesmente de estrelas "normais" (por serem as mais comuns). E as estrelas pouco luminosas e relativamente quentes da parte inferior esquerda são as anãs brancas. Vida de Estrelas
  • 8. Diagrama Hertzsprung-Russell O diagrama HR é um instrumento essencial para o estudo da evolução estelar. Estrelas iniciam sua evolução na sequência principal, tornam-se gigantes ou supergigantes e se extinguem como anãs brancas ou, em casos mais raros, de forma explosiva e peculiar (como estrelas de nêutrons e buracos negros, que não podem ser demonstrados no diagrama HR). Vida de Estrelas Figura 2. Exemplo de diagrama HR.
  • 9. Referências Bibliográficas Vida de Estrelas Observatório Nacional. As Estrelas da Sequência Principal. Disponível em <http://www.on.br/>. Diagrama HR. Observatório Educativo Itinerante. Disponível em http://www.if.ufrgs.br/oei/stars/hr/diag_hr.htm. Acesso em Jul 2013.