3ano 2bi sociologia_ex

6.907 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.907
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
96
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3ano 2bi sociologia_ex

  1. 1. O PENSAMENTO DE KARL MARX<br />1- Para Marx, a consciência é sempre consciência de classe. Isso significa que:<br /> A) A consciência não sofre qualquer ameaça de cair em estado de alienação. <br /> B) A consciência coletiva é uma realidade externa ao indivíduo. <br /> C) A consciência é sempre coerente e unitária. <br /> D) A consciência é fragmentada. <br /> E) A consciência é estrutura determinante das relações sociais.<br />2- Através da teoria da mais-valia, Marx demonstra que tudo é trocado pelo seu valor e, no entanto, existe uma fonte de lucro. Para chegar a explicar a mais-valia, precisamos expor três proposições. Sobre a teoria da mais-valia, julgue as assertivas abaixo:<br />I- Proposição primeira: o valor de qualquer mercadoria é proporcional a uma quantidade de valor de trabalho social nela embutido. Trata-se da teoria do valor-trabalho. Para Marx o único valor quantificável é a quantidade de valor-trabalho e por isso sabemos que um determinado objeto tem efetivamente mais valor que outro. <br />II- Proposição segunda: o valor-trabalho pode ser medido como valor de mercadoria. Já vimos que o operário assalariado é o que vende a sua força de trabalho como se ela fosse uma mercadoria, isso quer dizer que o salário pago ao trabalhador deve equivaler ao valor de trabalho social embutido na mercadoria, de acordo com a proposição primeira. Porém, em se tratando de trocas sociais, o salário deve corresponder à quantia que garanta a sobrevivência do trabalhador e de sua família. <br />III- Proposição terceira: o tempo de trabalho necessário para o operário produzir um valor igual ao que recebe sob a forma de salário é inferior à duração de seu trabalho de fato. Assim, um operário precisará, por suposição, de quatro horas de trabalho para receber o valor que garanta a sua sobrevivência, que corresponde ao seu salário, mas ele, na verdade, trabalha nove horas. <br />IV- Uma parte do tempo, ele trabalha para si e a outra, para o patrão. A mais-valia é exatamente a quantidade de valor produzido pelo operário além do trabalho necessário correspondente ao valor do trabalho que recebe em forma de salário. Em outros termos, o valor produzido durante o sobretrabalho é mais-valia. Marx julgava injusto que no capitalismo o trabalhador se apropriasse da mais-valia. <br />São verdadeiras:<br />A) I e II B) II e III C) Todas D) I, II e IV E) I, II e III<br />3-“... Não é a consciência dos homens que determina a sua existência, é, pelo contrário, a sua existência que determina a sua consciência”. <br /> A reflexão acima pode ser considerada expressão do método:<br /> A) Materialismo dialético. B) Sociologia compreensiva. <br />C) Método dedutivo. D) Positivismo. E) Funcionalismo.<br />4-Leia as colocações abaixo:<br />I – Anunciar a autodestruição do capitalismo e incitar os homens a contribuir para a realização desse destino já traçado.<br />II – O motor do movimento histórico é a contradição e esta se encontra no desenvolvimento das forças produtivas.<br />III – A consciência dos homens não é resultante da realidade objetiva, mas, ao contrário, o mundo material e objetivamente dado e fruto da consciência.<br />São colocações coerentes com o pensamento dialético de Karl Marx: A) I, II e III. B) Apenas I e II. <br /> C) Apenas II e III. D) Apenas I e III. E) Apenas II.<br />5-Leia as proposições abaixo e assinale a alternativa que agrupa as coerentes com o pensamento de Karl Marx.<br />I – O homem tornou-se alienado politicamente, pois o Estado não é um órgão político imparcial, como se supõe. Na sociedade capitalista, o Estado representa apenas os interesses da classe dominada, ou seja, o proletariado.<br />II – A indústria, a propriedade privada e o assalariamento alienavam ou separavam o operário dos meios de produção (ferramentas, matéria-prima e terra).<br />III – A sociedade capitalista é dividida em duas classes: a dominada que vende a sua força de trabalho, entendida como mercadoria; e a dominante, que possui os meios de produção.<br />IV - A divisão social do trabalho, no capitalismo, fez com que o pensamento filosófico e o conhecimento fossem acessíveis a todos os grupos sociais.<br /> A) Apenas I e II B) Apenas I e III C) Apenas III e IV<br /> D) Apenas II e III E) Apenas II e IV<br />6-São conceitos básicos da sociologia ou propostas políticas de Marx:<br /> A) Classe social, ação social e liberalismo econômico. <br /> B) Fato social e solidariedade orgânica. <br /> C) Mais-valia, alienação e classe social. <br /> D) Propriedade privada e economia de mercado. <br /> E) Conservadorismo e Capitalismo utópico.<br />7-Sobre Karl Marx, analise as proposições abaixo:<br />I - Foi o fundador do socialismo científico, e acreditava estar dando um caráter teórico mais consistente às propostas socialistas.<br />II - Ele defendeu a causa burguesa e operária; escreveu O Capital, defendendo um capitalismo mais justo e igualitário.<br />III - Marx percebeu as contradições do sistema econômico e apontava para uma superação.<br />São verdadeiras apenas:<br />A) I e II B) II C) I e III D) II e III E) III<br />8-“Pobreza não é uma escolha do indivíduo nem uma condenação divina, é o resultado de forças sociais”. (Hebert Gans)<br />Sobre a frase é possível afirmar:<br />I- Está fundamentada no senso comum, como um ditado popular destituído de rigor e coerência.<br />II- É coerente e está fazendo referência às causas históricas da pobreza.<br />III- É uma afirmação baseada somente no ateísmo.<br />IV- É uma colocação que se preocupa em enraizar adequadamente as causas da exclusão social.<br />São verdadeiras apenas: <br /> A) I e II B) II e III C) I e III D) III e IV E) II e IV<br />9-Para Marx, a consciência social seria necessariamente fragmentada. Por quê?<br /> A) Porque “cada um é cada um” e a interpretação do mundo é em grande parte pessoal.<br /> B) Porque é, no mínimo, consciência de classe.<br /> C) Porque a consciência depende da cultura e do país em que se nasce e se vive. <br /> D) Porque a existência humana resulta de reflexões individuais, de acordo com as experiências pessoais.<br /> E) Porque a consciência coletiva se transforma com as condições históricas.<br />10-Leia as afirmações abaixo:<br />I- “Na produção social da sua existência, os homens travam relações determinadas, necessárias, independentes de sua vontade; essas relações de produção correspondem a um determinado grau de desenvolvimento das suas forças produtivas materiais”. <br />II- “... Não é a consciência dos homens que determina a sua existência, é, pelo contrário, a sua existência que determina a sua consciência”. <br />As duas afirmações são:<br /> A) Complementares e representam o pensamento de Max Weber. <br /> B) Contrárias. Enuquanto a primeira é de Weber, a segunda é de Marx. <br /> C) Contrárias. Enuquanto a primeira é de Marx, a segunda é de Weber. <br /> D) Complementares e as duas são de Marx <br /> E) Diferentes, pois enuanto a primeira revela uma dialética que privilegia a autonomia do espírito humano, a segunda revela-se materialista.<br />11-Leia e julgue as assertivas abaixo sobre o pensamento marxista.<br />I- A dialética marxista postula que as leis do pensamento correspondem às leis da realidade. A dialética não é só pensamento: é pensamento e realidade a um só tempo. Mas, a matéria e seu conteúdo histórico ditam a dialética do marxismo: a realidade é contraditória com o pensamento dialético. <br />II- A contradição dialética não é apenas contradição externa, mas unidade das contradições, identidade: "a dialética é ciência que mostra como as contradições podem ser concretamente (isto é, vir-a-ser) idênticas, como passam uma na outra, mostrando também porque a razão não deve tomar essas contradições como coisas mortas, petrificadas, mas como coisas vivas, móveis, lutando uma contra a outra em e através de sua luta."<br />III- Os momentos contraditórios são situados na história com sua parcela de verdade, mas também de erro; não se misturam, mas o conteúdo, considerado como unilateral é recaptado e lançado a nível inferior de desenvolvimento.<br />São verdadeiras:<br /> A) I e II B) II e III C) Todas D) I, II e IV E) I, II e III<br />12-Sobre Marx, assinale a única alternativa falsa.<br /> A) Marx viveu numa Europa próspera e conturbada. Percebeu e estudou as contradições do desenvolvimento do capitalismo e sua obra apontava para uma possibilidade de superação dos conflitos e contradições desse modo de produção que acumulava e concentrava riqueza nas mãos de poucos.<br /> B) Marx teve e ainda tem uma grande quantidade de seguidores na intelectualidade e entre políticos em todo o mundo.<br /> C) Sua obra mostrou uma preocupação em lançar as bases científicas para o pensamento socialista, e politicamente, defendeu a causa operária, marca que acompanhará toda e qualquer tendência ou postura que se tenha intitulado de marxista.<br /> D) Para Marx, a sociedade não era um tecido solidário como queria Durkheim, mas uma organização baseada nas relações de produção. <br /> E) Na produção social da sua existência, dizia Marx, os homens travam relações determinadas pelas sua próprias vontades.<br />13-Esse desenvolvimento seria, então, o movimento próprio da história. O motor da história, portanto, é a contradição, pois cada etapa - que Marx entendia como etapas evolutivas - trazia em si um princípio contraditório e por isso o pensamento marxista é um pensar dialético. Assim, para Marx, o motor da história seria:<br /> A) A evolução da cultura humana. <br /> B) O desenvolvimento das forças produtivas. <br /> C) A convivência entre pessoas de diferentes classes sociais. <br /> D) O desenvolvimento do pensamento humano e da filosofia. <br /> E) A vontade dos homens e o exercício político da cidadania.<br />14-Sobre o pensamento marxista, leia e julgue as assertivas abaixo.<br />I- Para Marx, a história era um processo conduzido pela vontade dos homens, podendo ser determinada também pela forma como os homens produzem e reproduzem sua riqueza material. <br />II- Marx percebia nessa ordem das coisas, as relações de conflito, principalmente entre as classes sociais, que apresentavam posições e interesses diferentes. <br />III- Para Marx, existiam duas classes sociais: a classe dominante e a dominada. Na sociedade de produção capitalista, a classe dominante está representada pela burguesia que detém os meios de produção (donos de fábricas, por exemplo) e a classe dominada, pelo proletariado (a classe operária e camponesa) que, nada possuindo, vende a sua força de trabalho como se fosse uma mercadoria. <br />IV- As classes sociais são opostas e interdependentes. Só existem proprietários que acumulam riqueza porque há uma massa de despossuídos. <br />São verdadeiras: <br />A)Todas B) I, II e III C) II, III e IV D) I, III e IV E) II e IV<br />15-Para Marx e Engels, a sociedade, portanto seria um tecido repleto de nós. Sobre esses autores, leia e julgue as assertivas abaixo.<br />I- Ao contrário de Durkheim, para eles não bastava a constatação de uma consciência coletiva. Na ótica marxista, não é a consciência dos homens que determina a sua existência, mas, ao contrário, a existência social é que determina a sua consciência. <br />II- Além disso, não pode haver uma única e externa consciência coletiva, como pensava Durkheim, porque, segundo Marx, a consciência é no mínimo, consciência de classe. Em outros termos, a consciência de um indivíduo da classe dominante será diferente da consciência daquele pertencente à classe dominada. <br />III- Os valores de uma sociedade, os sentimentos, a forma de pensar e de interpretar o mundo, seja pela arte, pelo senso comum ou pela filosofia, a forma de agir em sociedade são reflexos das relações de produção. <br />São verdadeiras:<br /> A) I e II B) II e III C) Todas D) I, II e IV E) I, II e III<br />16-Enquanto para Durkheim, a divisão do trabalho social gerava uma solidariedade, para Marx:<br /> A) tal divisão implica situação de conflito e alienação: uma classe privilegiada tem acesso ao conhecimento filosófico e esse pensar parcial e classista torna-se o pensamento dominante e a visão geral da sociedade como um todo.<br /> B) tal divisão é sempre fruto de um planejamento governamental.<br /> C) só no capitalismo pode haver a superação dessa divisão das desigualdades, mas para isso, há necessidade de criar chances iguais e valorização de vocações.<br /> D) não deve haver tal divisão e a construção de uma sociedade igualitária implica a completa superação da divisão social do trabalho.<br /> E) tal divisão deve atender aos interesses de mercado, mas também aos interesses de vocação dos trabalhadores.<br />17-N’ O Capital, Marx analisa a essência do capitalismo. A obra inicia expondo dois tipos de troca: um primeiro em que a mercadoria é trocada por mercadoria, sendo uma troca imediatamente inteligível e humana; um segundo tipo que é a troca que vai do dinheiro para o dinheiro, passando pela mercadoria, sendo que no fim da troca, espera-se ter conseguido mais dinheiro do que aquele inicial. Marx, nesse raciocínio, explicou uma característica do capitalismo que é:<br /> A) a propriedade privada. B) a propriedade coletiva. <br /> C) o lucro. D) a mais-valia. E) a luta de classes.<br />18-(UFPB - adaptada) Leia o texto abaixo:<br />“[...] o primeiro pressuposto de toda a existência humana e, portanto, de toda a História, é que os homens devem estar em condições de viver para poder ‘fazer história’. Mas, para viver, é preciso antes de tudo comer, beber, ter habitação, vestir-se e algumas coisas mais. O primeiro ato histórico é, portanto, a produção dos meios que permitam a satisfação destas necessidades, a produção da própria vida material, e de fato este é um ato histórico, uma condição fundamental de toda história, que ainda hoje, como há milhares de anos, deve ser cumprido todos os dias e todas as horas, simplesmente para manter os homens vivos.” MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987, p. 39.<br />As análises históricas de Marx (1818-1883), pensador alemão, exerceram e ainda exercem grande influência nas ciências humanas e sociais, entre elas, a História. Sobre a concepção marxista de História, assinale a alternativa verdadeira.<br /> A) A concepção da luta de classes como motor da História foi atribuída indevidamente ao marxismo, para o qual as transformações históricas decorrem apenas das ações dos indivíduos.<br /> B) O marxismo defende, teoricamente, uma postura neutra do historiador diante da sociedade e do conhecimento produzido sobre a mesma e, assim, nega validade prática a sua própria concepção.<br /> C) As sociedades, para Marx, não podem ser compreendidas sem um estudo pormenorizado de sua base econômica, e esse entendimento significa a análise da sua organização material para a produção da sobrevivência humana.<br /> D) Os marxistas são ardorosos defensores do fim da história, pois essa tese representa a culminância do desenvolvimento humano, com a glorificação da sociedade de mercado e da democracia liberal.<br /> E) A História, para Marx, não é feita por todos, tampouco pelos trabalhadores, e essa concepção estava de acordo com a idéia, bastante comum no século XIX, de uma História feita apenas pelos “grandes homens”.<br />19-Para ele, os fatos econômicos e a luta de classes são o motor da História; o triunfo do proletariado e a implantação de uma sociedade sem classes são o objetivo final. Esse objetivo, contudo, só será alcançado com a união de todos os proletários. <br />O texto acima refere-se ao criador do socialismo científico: A) Karl Marx B) Vladimir Lenin <br /> C) Saint-Simon D) Pedro Kropotkin E) Adam Smith<br />20-UEL) Analise a figura a seguir.<br /> <br />NOVAES, Carlos Eduardo. Capitalismo para principiantes. São Paulo: Ática, 1995. p.123.<br />A figura ilustra, por meio da ironia, parte da crítica que a perspectiva sociológica baseada nas reflexões teóricas de Karl Marx (1818-1883) faz ao caráter ideológico de certas noções de Estado. Sobre a relação entre Estado e sociedade segundo Karl Marx, é correto afirmar:<br /> A) A finalidade do Estado é o exercício da justiça entre os homens e, portanto, é um bem indispensável à sociedade.<br /> B) O Estado é um instrumento de dominação e representa, prioritariamente, os interesses dos setores hegemônicos das classes dominantes.<br /> C) O Estado tem por finalidade assegurar a felicidade dos cidadãos e garantir, também, a liberdade individual dos homens.<br /> D) O Estado visa atender, por meio da legislação, a vontade geral dos cidadãos, garantindo, assim, a harmonia social.<br /> E) Os regimes totalitários são condição essencial para que o Estado represente, igualmente, os interesses das diversas classes sociais.<br />A SOCIOLOGIA DE MAX WEBER<br />1-Para Weber, existem três formas ou tipos de autoridade: a primeira baseada no costume; a segunda, fundamentada nas qualidades excepcionais da pessoa e a terceira, na atribuição formal. Os três tipos são respectivamente:<br /> A) Legal, racional e carismática.<br /> B) Tradicional, carismática e legal-racional.<br /> C) Racional, emotiva e legal. <br /> D) Legítima, ilegítima e tradicional. <br /> E) Política, religiosa e social.<br />2-Toda ação social é uma ação com sentido. Cada indivíduo age motivado por algo que pode ser uma tradição, um interesse racional ou por uma emoção e é o motivo da ação que revela o seu sentido. Compete ao sociólogo compreender o sentido da ação que lhe interessa. A ação social se decompõe revelando o seu nexo que pode ser da ordem política, religiosa ou econômica. A sociedade, para o sociólogo aqui estudado, se revela apenas aí: nos agentes da ação que se expressam por motivos internos e pessoais. O método aqui proposto é conhecido como:<br /> A) Materialismo histórico de Marx. <br /> B) Positivismo de Comte. <br /> C) Sociologia compreensiva de Weber. <br /> D) Funcionalismo de Durkheim. <br /> E) Dialética marxista, inspirada na dialética idealista de Hegel.<br />3-“... a ação social significa uma ação que, quanto ao sentido visado pelo agente ou os agentes, se refere ao comportamento de outros, orientando-se por este em seu curso”.<br />A frase acima deve ser atribuída a:<br /> A)Karl Marx. B) Max Weber. C)Émile Durkheim. <br />D)Augusto Comte. E) Friedrich Engels.<br />4-São colocações corretas sobre a sociologia de Max Weber.<br />I – O cientista social é exterior ao seu objeto de estudo, no caso, o fato social.<br />II – O objeto da sociologia, na verdade, é o acontecimento e o cientista deve desvendar as suas causas, daí a necessidade de se aplicar o método compreensivo.<br />III - A sociedade de classes está condenada à extinção e uma socialização dos meios de produção a substituirá.<br />IV – O tipo ideal é uma construção sociológica testada, depois aplicada a diferentes situações em que dado fenômeno pode ter ocorrido.<br /> A) Apenas II e IV. <br /> B) Apenas I e III. C) Apenas II e III. <br /> D) Apenas I e IV. E) Apenas III e IV.<br />5-Identifique as correntes do pensamento sociológico, baseado no uso das categorias e assinale a alternativa que expõe corretamente a seqüência os seus autores, respectivamente. <br />Texto A<br />“... a sociedade não é a simples soma de indivíduos, e sim sistema formado pela associação, que representa uma realidade específica com seus caracteres próprios... Agregando-se, penetrando-se, fundindo-se, as almas individuais dão nascimento a um ser, psíquico se quisermos, mas que constitui individualidade psíquica de novo gênero”.<br />Texto B<br />“Na produção social da sua existência, os homens travam relações determinadas, necessárias, independentes de sua vontade; essas relações de produção correspondem a um determinado grau de desenvolvimento das suas forças produtivas materiais”. <br />Texto C<br />“... a ação social significa uma ação que, quanto ao sentido visado pelo agente ou os agentes, se refere ao comportamento de outros, orientando-se por este em seu curso”.<br /> A) A - Max Weber; B – Karl Marx e C - Émile Durkheim. <br /> B) A – Karl Marx; B – Max Weber e C – Émile Durkheim. <br /> C) A – Émile Durkheim; B – Max Weber e C – Karl Marx. <br /> D) A – Émile Durkheim; B – Karl Marx e C – Max Weber. <br /> E) A – Karl Marx; B – Émile Durkheim e C – Max Weber.<br />6-“A sociologia é uma ciência que pretende compreender interpretativamente a ação social e assim explicá-la causalmente em seus cursos e efeitos”. (Max Weber)<br />O autor pretendeu afirmar que:<br /> A) O sociólogo quer produzir um sistema explicativo que se adéqüe a qualquer realidade social estudada.<br /> B) O sociólogo deve ser um agente habilitado a trazer soluções para os problemas sociais.<br /> C) O sociólogo deve produzir um conhecimento crítico, capaz de enxergar as contradições da sociedade.<br /> D) O sociólogo quer compreender a causa e a motivação da ação social. <br /> E) A sociologia expõe um conhecimento politicamente comprometido.<br />7-(UEL) Leia o texto a seguir, escrito por Max Weber (1864-1920), que reflete sobre a relação entre ciência social e verdade:<br />“[...] nos é também impossível abraçar inteiramente a seqüência de todos os eventos físicos e mentais no espaço e no tempo, assim como esgotar integralmente o mínimo elemento do real. De um lado, nosso conhecimento não é uma reprodução do real, porque ele pode somente transpô-lo, reconstruí-lo com a ajuda de conceitos, de outra parte, nenhum conceito e nem também a totalidade dos conceitos são perfeitamente adequados ao objeto ou ao mundo que eles se esforçam em explicar e compreender. Entre conceito e realidade existe um hiato intransponível. Disso resulta que todo conhecimento, inclusive a ciência, implica uma seleção, seguindo a orientação de nossa curiosidade e a significação que damos a isto que tentamos apreender”.<br />(Traduzido de: FREUND, Julien. Max Weber. Paris: PUF, 1969. p. 33.)<br />Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar que, para Weber:<br /> A) A ciência social, por tratar de um objeto cujas causas são infinitas, ao invés de buscar compreendê-lo, deve limitar-se a descrever sua aparência.<br /> B) A ciência social revela que a infinitude das variáveis envolvidas na geração dos fatos sociais permite a elaboração teórica totalizante a seu respeito.<br /> C) O conhecimento nas ciências sociais pode estabelecer parcialmente as conexões internas de um objeto, portanto, é limitado para abordá-lo em sua plenitude.<br /> D) Alguns fenômenos sociais podem ser analisados cientificamente na sua totalidade porque são menos complexos do que outros nas conexões internas de suas causas. <br /> E) O obstáculo para a ciência social estabelecer um conhecimento totalizante do objeto é o fato de desconsiderar contribuições de áreas como a biologia e a psicologia, que tratam dos eventos físicos e mentais.<br />8-Sobre a sociologia de Max Weber, leia e julgue as assertivas abaixo:<br />I- Para Max Weber, não existe uma oposição entre sociedade e indivíduo e sequer desenvolveu uma teoria geral da sociedade. Não acreditava em um conceito abstrato de sociedade, como algo em si, mas estudava as particularidades sociais e, nesse sentido, foi um historicista. <br />II- Para fazer sociologia, Weber adotou a noção durkheimiana de fato social, uma vez que aceitava a objetividade do ser social. A sociedade, pensava Weber, emerge na ojetividade da ação social dos homens. <br />III- Uma ação é social quando se leva em consideração a existência dos outros e, portanto, nem toda ação humana é necessariamente social. Assim, por exemplo, o choque de dois ciclistas não passa de um fenômeno natural, mas torna-se uma ação social a tentativa de se desviar a bicicleta, pois, nesse caso, levou-se em conta o outro. Não necessariamente os outros precisam estar presentes. Um homem educado, por exemplo, não jogará lixo ou papéis no chão de uma sala, mesmo que se encontre só no ambiente, pois sabe que mais tarde, esse lugar estará ocupado por outros e então o abster-se de jogar um papel no chão é uma ação social. <br />São verdadeiras:<br /> A) I e II. B) II e III. C) Todas. D) I, II e IV. E) I e III.<br />9-Weber não reconhece um caráter coercitivo da sociedade, como pensava Durkheim, pois as normas sociais se encontram no indivíduo, sob a forma de motivação. Assim:<br />I-toda ação social carrega um significado que lhe é atribuído pela consciência externa e coletiva e o papel do sociólogo é exatamente o de conhecer tal consciência. <br />II- Além disso, para Weber, toda ação social é uma ação com sentido. Cada indivíduo age motivado por algo que pode ser uma tradição, um interesse racional ou por uma emoção e é o motivo da ação que revela o seu sentido. <br />III- Compete ao sociólogo compreender o sentido da ação que lhe interessa. A ação social se decompõe revelando o seu nexo que pode ser da ordem política, religiosa ou econômica. <br />IV- A sociedade, para o sociólogo aqui estudado, se revela apenas aí: nos agentes da ação que se expressam por motivos externos e impessoais. <br />São verdadeiras:<br /> A) Apenas II e IV.<br /> B) Apenas I e III. C) Apenas II e III.<br /> D) Apenas I e IV. E) Apenas III e IV.<br />10-Para Weber, o sociólogo está impregnado do seu objeto de estudo (pois pertence à sociedade estudada) e, assim, uma imparcialidade objetiva se torna pouco provável. Por isso, Weber:<br /> A) Preocupou-se em defender o máximo de neutralidade científica possível.<br /> B) Mostrou a impossibilidade de buscar qualquer neutralidade política durante o exercício científico.<br /> C) Defendeu o comprometimento político do sociólogo.<br /> D) Elaborou conscientemente uma sociologia ideológica. <br /> E) Defendeu uma posição pro capitalismo e politicamente conservadora.<br />11-Se para Durkheim, a sociedade era um tecido solidário e para Marx, um campo de lutas e espaço de contradições, para Weber, a sociedade seria um processo de tensões. Assim sendo, julgue as assertivas abaixo:<br />I- Além da categoria de ação social, Weber elaborou seu pensamento social com base no conceito de classe social.<br />II- Ele teorizou que o poder perpassa todos os níveis de uma sociedade, pois a sociedade se constitui a partir de uma relação de hierarquia. Não se entende aqui, porém, poder no sentido estritamente econômico ou político. Poder também não é sinônimo de autoridade, mesmo porque nem sempre o poder é um exercício aceito pela sociedade. <br />III- Quando o poder é aceito como legítimo, então ele coincide com a autoridade. Para que seja legítima, a autoridade se sustenta em três tipos: a autoridade tradicional, fundamentada no costume; a autoridade carismática, baseada na crença de que o indivíduo que exerce tal poder seja portador de qualidades excepcionais e a autoridade legal-racional, fundamentada na atribuição formal.<br />São verdadeiras:<br /> A) I e II. B) II e III. C) Todas. D) I, II e IV. E) I e III.<br />12-Trata-se de construções teóricas e abstratas, feitas a partir da realidade, mas acentuando as características de distinção. Esse artifício utilizado por Weber não é um modelo original e perfeito, não representa rigidamente o real, mas é o estereótipo que ajuda a classificar formas diferentes em que aparecem os fenômenos estudados. Trata-se do conceito de:<br /> A) Sociologia compreensiva. B) Ação social. <br /> C) Fato Social. D) Classe Social. E) Tipo ideal.<br />13-Segundo o materialismo histórico, as relações entre os homens, as consciências, assim como toda produção cultural, seriam determinadas pelas relações de produção. É o que se costuma chamar de determinismo econômico. Max Weber, por sua vez:<br /> A) Concorda com essa concepção, compactuando a ideia de que a economia é a mola propulsora das relações sociais.<br /> B) Discorda em parte, acreditando que a causa única determinante das relações sociais é a religião. Para isso, defendeu sua tese A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo.<br /> C) Ao contrário, tentou mostrar que a concepção religiosa é um determinante da conduta econômica e que pode promover transformações na economia em dadas sociedades, defendendo assim a multicausalidade.<br /> D) Posicionou-se na vertente contrária, afirmando que a vontade dos homens é o motor único da História e das relações sociais.<br /> E) Concorda com essa concepção, contudo desenvolveu uma dialética mais idealista do que materialista.<br />14-Para Weber, assim como não se pode falar em uma sociedade, como algo abstrato, pois o que existe são sociedades, também não há um único capitalismo. Leia e julgue as assertivas:<br />I- Toda sociedade capitalista apresenta singularidades, e, então, há vários capitalismos. Já vimos que Weber era um historicista, e, portanto ele diria que o capitalismo japonês, por exemplo, possui particularidades históricas e estruturais absolutamente próprias. <br />II- Por isso, ele aplicou o método da construção do tipo-ideal estudado na aula anterior, para definir o capitalismo. <br />III- Visto, então, sob um modelo ideal, com certas características acentuadas, o capitalismo aos olhos de Weber seria marcado pela organização empresarial, pelo objetivo de se produzir o máximo de lucro e pela disciplina racional. Assim, uma empresa capitalista atinge seus objetivos (de acumular lucro) por meio da organização burocrática.<br />São verdadeiras:<br /> A) I e II. B) II e III. C) Todas. D) I, II e IV. E) I e III.<br />15-Weber aplicou uma concepção de características gerais para identificar o capitalismo. Assinale a alternativa que revela tais características.<br /> A) Mais-valia e luta de classes. <br /> B) Lucro e propriedade privada. <br /> C) Exploração e acúmulo. <br /> D)Burocracia e racionalidade. <br /> E) Legitimidade e encantamento.<br />16-Uma obra muito importante de Max Weber é A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, em que ele propõe a hipótese de que:<br /> A) A concepção de existência dos protestantes gerou motivações que favoreceram o desenvolvimento do capitalismo.<br /> B) A religião associa-se ao corpo social não instituições e não pelos valores que o indivíduo carrega.<br /> C) A ética puritana protestante é motivada pelo trabalho experimentado como propósito de acúmulo.<br /> D) A ascese consiste em uma renúncia aos prazeres mundanos, condenados pela religião, assim, o protestante não consegue acumular capital, vivendo na simplicidade e modéstia.<br /> E) A concepção de mundo católico foi historicamente mais adequada para apoiar o desenvolvimento de um racionalismo econômico do que o protestantismo.<br />17-Weber, em sua obra A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, lembra que o protestantismo inaugura certo desencantamento do mundo. Tal desencantamento significa:<br /> A) Um rompimento com a magia do desenvolvimento tecnológico. <br /> B) Uma postura religiosa anti-mágica e anti- ritualista, que indiretamente apóia a investigação científica.<br /> C) Uma visão de mundo em que não há espaço para a religiosidade. <br /> D) Uma concepção religiosa materialista e sem espaço para o conceito de transcendente. <br /> E) Uma visão de mundo tomada pelos interesses materiais e de lucro.<br />18-Há muitas divergências entre Marx e Weber. Leia as colocações abaixo a respeito de tais divergências.<br />I- Marx crê numa neutralidade científica; enquanto Weber a julga impossível e até desejável certo comprometimento político por parte do cientista social.<br />II- Weber defende a multicausalidade em contraposição ao materialismo histórico de Marx.<br />III- Weber não acredita que existe um capitalismo único da forma como foi estudada por Marx. E também não apontava para uma solução das contradições do capitalismo como fazia Marx. <br />São verdadeiras:<br /> A) I e II. B) II e III. C) Todas. D) I, II e IV. E) I e III.<br />19-(UFMA) Assinale a opção que contenha as categorias básicas da sociologia de Max Weber.<br /> A) Função social, tipo ideal, mais-valia. <br /> B) Expropriação, compreensão, fato patológico.<br /> C) Ação social, materialismo, idealismo. <br /> D) Vontade de poder, julgamento de valor, solidariedade mecânica. <br /> E) Ação social , relação social, tipo ideal.<br />20-Para esse sociólogo a análise deve concentrar-se nos atores e em suas ações; a sociedade não é algo exterior e superior aos indivíduos. Para ele é qualquer ação que o indivíduo pratica orientando-se pela ação de outros. Só existe ação social quando o indivíduo tenta estabelecer algum tipo de comunicação, a partir de suas ações, com os demais. Trata-se do pensamento de:<br /> A) Karl Marx. B) Èmile Durkheim. <br /> C) Max Weber. <br /> D) Augusto Comte. E) Pierre Bourdieu.<br />

×