SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
UNIVERSIDADE ESTAUDAL DA PARAÍBA (UEPB) 
CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA 
SAÚDE-CCBS 
DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM 
DISCIPLINA: BIOQUIMICA 
DOCENTE: ALESSANDRA 
DISCENTES: 
ANA PAULA LOPES 
GLIlCLEENE 
KLERYBIA THAYSE 
TAILLANY
• Apenas uma pequena quantidade de lipídios é digerida na 
boca (lipase lingual); 
• No estômago (lipase gástrica), também digere apenas uma 
pequena parte dos lipídeos; 
• A digestão dos lipídios, propriamente dita, ocorre no 
duodeno, através da ação da bile e da enzima lipase 
pancreática; 
• Os ácidos graxos livres e monoglicerídios irão formar 
complexos com os sais biliares.
• Processamento dos lipídeos da dieta no estômago. 
- Lipase lingual 
- Lipase gástrica 
• Emulsificação dos lipídeos da dieta no intestino 
delgado. 
- Sais biliares. 
- Ação peristáltica.
• Degradação de TAG; 
• Degradação de ésteres de 
colesterol; 
• Degradação de fosfolipídios; 
• Controle de digestão dos lipídeos.
Hormô 
nio 
Fonte Estímulo Modo de ação 
Gastri 
na 
Estômago 
contato de alimentos 
protéicos com as 
paredes do estômago 
estimula a secreção de suco 
gástrico e a contração da 
musculatura estomacal 
Secret 
ina 
Intestino 
delgado 
contato 
do HCl estomacal com 
o duodeno 
estimula o pâncreas a produzir 
suco rico em bicarbonato e o 
fígado a secretar bile 
Coleci 
stoqui 
ninaou 
Pancre 
ozimin 
a 
Intestino 
delgado 
contato de lipídios e 
aminoácidos na 
parede duodenal 
estimula a liberação de enzimas 
digestivas e liberação de bile no 
duodeno 
Entero 
gastro 
na 
Intestino 
delgado 
presença de gordura 
no intestino delgado 
inibe a secreção de suco gástrico 
bem como a motilidade do 
estômago
• Lipases intestinais hidrolisam os triacilgliceróis. 
• Os ácidos graxos são absorvidos pela mucosa intestinal e reconvertidos em 
triacilgliceróis. 
• Os triacilglicerós juntamente com o colesterol e as apoliproteinas Formam o 
quilomícrom. 
• Os quilomicrons migram para o sistema linfático, depois para a corrente 
sanguinea e seguem para os tecidos. 
• Ativada pelo APO-II 9 lipoproteina lipase), libera ácido graxo e glicerol. 
• Os ácidos graxos entram nos adipócitos ou miócitos. Os ácidos graxos são 
oxidados em combustíceis ou reesterificados para a armazenagem.
Má absorção de 
lipídeos 
Esteatorréia (Aumento de 
lipídeos nas fezes) 
Distúrbios na digestão e/ou na 
absorção de lipídeos.
• No estômago: 
- O pH ácido desnatura as moléculas de proteínas e a enzima 
pepsina começa a clivagem (quebra) das ligações que unem os 
aminoácidos. 
- Com a chegada do quimo (bolo alimentar formado no 
estômago) no duodeno(intestino delgado), ocorre a liberação 
da enzima enteroquinase pelas células intestinais. 
- A enteroquinase ativa uma enzima do pâncreas, a tripsina que 
desencadeia reações de ativação, em cascata, das demais enzimas 
pancreáticas proteolíticas, responsáveis pela quebra das proteínas. 
– tripsina ativa, quimotripsina, eslastase, carboxipeptidases e 
aminopeptidases.
• Ácido clorídrico; 
• Pepsina;
• Especificidade; 
• Liberação de Zimogênios; 
• Ativação de zimogênios; 
• Anormalidades na digestão de 
proteínas.
Normal Doença celíaca
Os aminoácidos são absorvidos por transporte 
ativo (que envolve uma molécula carregadora – por 
exemplo, sódio) e transportados até o fígado pela 
circulação porta. 
• Aminoácidos livres Na+ 
• Dipeptideos e os Tripeptídeos H+
Aminoácidos 
livres 
Enterócitos 
Na+ 
Porta Fígado 
citosol 
Células do 
intestino 
Dipeptídeos H+ 
Circulação 
geral
• a) transferência passiva por difusão 
simples; 
• b) transferência passiva por difusão 
facilitada; 
• c) transferência ativa por co-transporte.
• CHAMPE, Pamela C.. Bioquímica 
Ilustrada. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 
2006. 534 p. il. ISBN 8536305908.
Digestão das proteínas e lipidios

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Aula 5 - B
Aula 5 - BAula 5 - B
Aula 5 - B
 
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoFisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
 
Histologia do fígado e do pâncreas
Histologia do fígado e do pâncreasHistologia do fígado e do pâncreas
Histologia do fígado e do pâncreas
 
Lipidios
Lipidios Lipidios
Lipidios
 
Aula Proteinas
Aula ProteinasAula Proteinas
Aula Proteinas
 
Anti-hipertensivos
Anti-hipertensivosAnti-hipertensivos
Anti-hipertensivos
 
Bioquímica
BioquímicaBioquímica
Bioquímica
 
Agonista e antagonista colinérgico
Agonista e antagonista colinérgicoAgonista e antagonista colinérgico
Agonista e antagonista colinérgico
 
Aminoácidos e proteínas
Aminoácidos e proteínasAminoácidos e proteínas
Aminoácidos e proteínas
 
Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
 
Carboidratos aula (2)
Carboidratos aula (2)Carboidratos aula (2)
Carboidratos aula (2)
 
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologiaAula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
 
Apresentação dieta e nutrição
Apresentação dieta e nutriçãoApresentação dieta e nutrição
Apresentação dieta e nutrição
 
Glicocorticoides - Farmacologia
Glicocorticoides - FarmacologiaGlicocorticoides - Farmacologia
Glicocorticoides - Farmacologia
 
Digestão e absorção de carboidratos
Digestão e absorção de carboidratosDigestão e absorção de carboidratos
Digestão e absorção de carboidratos
 
Digestão e absorção de nutrientes
Digestão e absorção de nutrientesDigestão e absorção de nutrientes
Digestão e absorção de nutrientes
 
Apresentação - Estudo de Caso Clínico
Apresentação - Estudo de Caso ClínicoApresentação - Estudo de Caso Clínico
Apresentação - Estudo de Caso Clínico
 
Aula Bioquimica
Aula BioquimicaAula Bioquimica
Aula Bioquimica
 
Metabolismo de lipídeos para enfermagem
Metabolismo de lipídeos para enfermagemMetabolismo de lipídeos para enfermagem
Metabolismo de lipídeos para enfermagem
 
Sistema digestivo
Sistema digestivoSistema digestivo
Sistema digestivo
 

Semelhante a Digestão das proteínas e lipidios

Semelhante a Digestão das proteínas e lipidios (20)

Digestão humana
Digestão humanaDigestão humana
Digestão humana
 
Sistema digestivo ou digestório
Sistema digestivo ou digestórioSistema digestivo ou digestório
Sistema digestivo ou digestório
 
DIGESTÃO.ppt
DIGESTÃO.pptDIGESTÃO.ppt
DIGESTÃO.ppt
 
Aula 09 sistema digestório
Aula 09   sistema digestórioAula 09   sistema digestório
Aula 09 sistema digestório
 
Colesterol
ColesterolColesterol
Colesterol
 
Digestory d&a
Digestory d&aDigestory d&a
Digestory d&a
 
Aula 02 metabolismo lipidico
Aula 02 metabolismo lipidicoAula 02 metabolismo lipidico
Aula 02 metabolismo lipidico
 
Sistema digestório
Sistema digestórioSistema digestório
Sistema digestório
 
Frente 2 módulo 4 o sistema digestório humano
Frente 2 módulo 4 o sistema digestório humanoFrente 2 módulo 4 o sistema digestório humano
Frente 2 módulo 4 o sistema digestório humano
 
2016 Frente 2 módulo 4 o sistema digestório humano
2016 Frente 2 módulo 4 o sistema digestório humano2016 Frente 2 módulo 4 o sistema digestório humano
2016 Frente 2 módulo 4 o sistema digestório humano
 
Dtp11 sp
Dtp11 spDtp11 sp
Dtp11 sp
 
Sistema digestorio
Sistema digestorioSistema digestorio
Sistema digestorio
 
SISTEMA DIGESTORIO
SISTEMA DIGESTORIOSISTEMA DIGESTORIO
SISTEMA DIGESTORIO
 
Sistema digestório
Sistema digestórioSistema digestório
Sistema digestório
 
Sistema Digestório
Sistema DigestórioSistema Digestório
Sistema Digestório
 
PPT-Sistema-Gastrointestinal-UFCD-6567.pptx
PPT-Sistema-Gastrointestinal-UFCD-6567.pptxPPT-Sistema-Gastrointestinal-UFCD-6567.pptx
PPT-Sistema-Gastrointestinal-UFCD-6567.pptx
 
Td 10 biologia i
Td 10   biologia iTd 10   biologia i
Td 10 biologia i
 
Fisiologia - Sistema Digestorio
Fisiologia - Sistema DigestorioFisiologia - Sistema Digestorio
Fisiologia - Sistema Digestorio
 
Sistema digestivo
Sistema digestivoSistema digestivo
Sistema digestivo
 
Sistema Digestório
Sistema DigestórioSistema Digestório
Sistema Digestório
 

Mais de Taillany Caroline

Mais de Taillany Caroline (11)

Acesso Venoso Central
Acesso Venoso CentralAcesso Venoso Central
Acesso Venoso Central
 
Genoma humano e reprodução assistida
Genoma humano e reprodução assistidaGenoma humano e reprodução assistida
Genoma humano e reprodução assistida
 
Hipotireoidismo e Hipertireoidismo
Hipotireoidismo e HipertireoidismoHipotireoidismo e Hipertireoidismo
Hipotireoidismo e Hipertireoidismo
 
Atresia do Esôfago
Atresia do Esôfago Atresia do Esôfago
Atresia do Esôfago
 
Manual de educação em saúde 1º cap.
Manual de educação em saúde 1º cap.Manual de educação em saúde 1º cap.
Manual de educação em saúde 1º cap.
 
Imunodiagnostico
ImunodiagnosticoImunodiagnostico
Imunodiagnostico
 
Fármacos anti helmínticos e anti-protozoários
Fármacos anti helmínticos e anti-protozoáriosFármacos anti helmínticos e anti-protozoários
Fármacos anti helmínticos e anti-protozoários
 
Embriologia taillany
Embriologia  taillanyEmbriologia  taillany
Embriologia taillany
 
Educação em saúde
Educação em saúdeEducação em saúde
Educação em saúde
 
SUS
SUSSUS
SUS
 
Endomembranas
EndomembranasEndomembranas
Endomembranas
 

Digestão das proteínas e lipidios

  • 1. UNIVERSIDADE ESTAUDAL DA PARAÍBA (UEPB) CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE-CCBS DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM DISCIPLINA: BIOQUIMICA DOCENTE: ALESSANDRA DISCENTES: ANA PAULA LOPES GLIlCLEENE KLERYBIA THAYSE TAILLANY
  • 2. • Apenas uma pequena quantidade de lipídios é digerida na boca (lipase lingual); • No estômago (lipase gástrica), também digere apenas uma pequena parte dos lipídeos; • A digestão dos lipídios, propriamente dita, ocorre no duodeno, através da ação da bile e da enzima lipase pancreática; • Os ácidos graxos livres e monoglicerídios irão formar complexos com os sais biliares.
  • 3.
  • 4.
  • 5. • Processamento dos lipídeos da dieta no estômago. - Lipase lingual - Lipase gástrica • Emulsificação dos lipídeos da dieta no intestino delgado. - Sais biliares. - Ação peristáltica.
  • 6. • Degradação de TAG; • Degradação de ésteres de colesterol; • Degradação de fosfolipídios; • Controle de digestão dos lipídeos.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10. Hormô nio Fonte Estímulo Modo de ação Gastri na Estômago contato de alimentos protéicos com as paredes do estômago estimula a secreção de suco gástrico e a contração da musculatura estomacal Secret ina Intestino delgado contato do HCl estomacal com o duodeno estimula o pâncreas a produzir suco rico em bicarbonato e o fígado a secretar bile Coleci stoqui ninaou Pancre ozimin a Intestino delgado contato de lipídios e aminoácidos na parede duodenal estimula a liberação de enzimas digestivas e liberação de bile no duodeno Entero gastro na Intestino delgado presença de gordura no intestino delgado inibe a secreção de suco gástrico bem como a motilidade do estômago
  • 11. • Lipases intestinais hidrolisam os triacilgliceróis. • Os ácidos graxos são absorvidos pela mucosa intestinal e reconvertidos em triacilgliceróis. • Os triacilglicerós juntamente com o colesterol e as apoliproteinas Formam o quilomícrom. • Os quilomicrons migram para o sistema linfático, depois para a corrente sanguinea e seguem para os tecidos. • Ativada pelo APO-II 9 lipoproteina lipase), libera ácido graxo e glicerol. • Os ácidos graxos entram nos adipócitos ou miócitos. Os ácidos graxos são oxidados em combustíceis ou reesterificados para a armazenagem.
  • 12.
  • 13. Má absorção de lipídeos Esteatorréia (Aumento de lipídeos nas fezes) Distúrbios na digestão e/ou na absorção de lipídeos.
  • 14.
  • 15. • No estômago: - O pH ácido desnatura as moléculas de proteínas e a enzima pepsina começa a clivagem (quebra) das ligações que unem os aminoácidos. - Com a chegada do quimo (bolo alimentar formado no estômago) no duodeno(intestino delgado), ocorre a liberação da enzima enteroquinase pelas células intestinais. - A enteroquinase ativa uma enzima do pâncreas, a tripsina que desencadeia reações de ativação, em cascata, das demais enzimas pancreáticas proteolíticas, responsáveis pela quebra das proteínas. – tripsina ativa, quimotripsina, eslastase, carboxipeptidases e aminopeptidases.
  • 16.
  • 17. • Ácido clorídrico; • Pepsina;
  • 18.
  • 19. • Especificidade; • Liberação de Zimogênios; • Ativação de zimogênios; • Anormalidades na digestão de proteínas.
  • 21. Os aminoácidos são absorvidos por transporte ativo (que envolve uma molécula carregadora – por exemplo, sódio) e transportados até o fígado pela circulação porta. • Aminoácidos livres Na+ • Dipeptideos e os Tripeptídeos H+
  • 22. Aminoácidos livres Enterócitos Na+ Porta Fígado citosol Células do intestino Dipeptídeos H+ Circulação geral
  • 23. • a) transferência passiva por difusão simples; • b) transferência passiva por difusão facilitada; • c) transferência ativa por co-transporte.
  • 24.
  • 25. • CHAMPE, Pamela C.. Bioquímica Ilustrada. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006. 534 p. il. ISBN 8536305908.