Neoconcretismo

10.939 visualizações

Publicada em

slides sobre essa época literária

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.939
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
330
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Neoconcretismo

  1. 1. Neoconcretismo<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  2. 2. Concretismo<br />X<br />Neoconcretismo<br />São Paulo;<br />Rio de Janeiro;<br />Objetivo, racional;<br />Subjetivo, experimental;<br />Arte como informação social;<br />Arte como expressão;<br />Arte como PRODUÇÃO;<br />Arte como criação;<br />Princípios geométricos e a prioridade da forma;<br />Sensibiliza a geometria como forma de expressão;<br />Materialista, tecnicista, ver a obra como construção, máquina ou objeto.<br />Existencialista (o tempo, o lugar), humanista, o sujeito participa da obra.<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  3. 3. O MOVIMENTO<br /> No final da década de 50 os artistas cariocas que faziam parte do concretismo fizeram uma revisão crítica em bloco de sua postura anterior. Denunciaram o excesso de dogmatismo a que tinham levado o concretismo, fazendo arte segundo receitas e que terminava, em vez de integrar a arte na vida, submetendo-a a um esquema de produção de potencial crítico e artístico zero.<br /> Então, no dia 23 de março de 1959, foi lançado no Suplemento Dominical do Jornal do Brasil, o Manifesto Neoconcretista assinado por Ferreira Gullar, Ligia Clark, Ligia Pape, Amílcar de Castro, Franz Weissmann, Reynaldo Jardim, TheonSpanudis para definitivamente separar o Rio de Janeiro de São Paulo. Este manifesto serviu de abertura para a I Exposição de Arte Neoconcreta com a participação dos mesmos e outros artistas. <br /> Duas outras exposições nacionais de arte neoconcreta ocorreram nos anos seguintes: uma em 1960, no Ministério da Educação do Rio de Janeiro, e outra em 1961, no Museu de Arte Moderna de São Paulo.<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  4. 4. O que é neoconcretismo?<br /> O neoconcretismo surge como uma reação ao excesso de racionalismo do concretismo e pontua a reabilitação da subjetividade no processo criativo artístico.<br />Foi o responsável pelas principais transformações no campo das artes visuais no Brasil, como a superação dos suportes tradicionais (pintura e escultura), a proposta de novos meios para a criação artística (objetos, ambientes, apropriações), uma modificação radical na recepção das obras de arte (participação ) e um novo modo de escrever como vistos nos poemas de Ferreira Gullar e Reynaldo Jardim.<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  5. 5. Lygia Clark<br />Teve influência em sua formação artística em Paris, com professores como ArpadSzènes, Dobrinsky e Fernand Léger.<br /> Fundadora do grupo frente, criadores do movimento neoconcretista, apresentando nesse período obras como “Superfícies Moduladas, 1955-57” e “Planos em Superfície Modulada, 1957-58”, obras que tinham como propostas o deslocamento a pintura para longe do espaço claustrofóbico da moldura.<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  6. 6. Lygia Clark<br />Em 1959, integra a I Exposição de Arte Neoconcreta, assinando o Manifesto Neoconcreto. Propõe nessa nova fase, as obras querem ganhar o espaço. O trabalho com a pintura resulta na construção do novo suporte para o objeto. Destas novas proposições nascem os “Casulos, 1959”. Feitos em metal, o material permite que o plano seja dobrado, assumindo uma busca da tridimensionalidade pelo plano, deixando-o mais próximo do próprio espaço do mundo. Em 1960, Lygia cria a série “Bichos”: esculturas, feitas em alumínio, possuidoras de dobradiças, que promovem a articulação das diferentes partes que compõem o seu “corpo”.<br />“Superfícies Moduladas, 1955-57” e “Planos em Superfície Modulada, 1957-58”<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  7. 7. Lygia Clark<br />A trajetória de Lygia Clark faz dela uma artista atemporal e sem um lugar muito bem definido dentro da História da Arte. Tanto ela quanto sua obra fogem de categorias. <br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  8. 8. Amilcar Augusto Pereira de Castro1920-2002<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  9. 9. Amilcar de Castro<br />Árvore Genealógica <br />Amilcar Augusto de Castro<br />Maria Nazareth Pereira de Castro<br />Amilcar Augusto Pereira de Castro<br />1920<br />MariaFelicíssima<br />Indiana<br />Cordélia<br />Cordélia<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  10. 10. Amilcar de Castro<br />Linha do Tempo<br />1932<br />1935<br />1943<br />1952<br />1934<br />1945<br />1919 <br />1940<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  11. 11. Amilcar de Castro<br />Sofreu Influência artística de:<br />* Alfredo Volpi<br />* Ferreira Gullar<br />* Lygia Clarck<br />* Reynaldo Jardim<br />* Mario Pedrosa<br />* Guignard<br />* Max Bill<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  12. 12. Amilcar de Castro<br />Ocupação Profissional:<br />* Escritório do Departamento de Café;<br />* 1953 - Revista Manchete;<br />* 1956 - Revista Cigarra;<br />* 1957 - 1959 Jornal do Brasil;<br />* 1963 - Amilcar no Sambódromo;<br />* 1968 – Viajem para EUA;<br />* 1972 - Retorno a Belo Horizonte;<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  13. 13. Amilcar de Castro<br />Algumas Obras:<br />Corte e Drobra Redonda-Amilcar de Castro<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  14. 14. Reynaldo Jardim<br />Nasceu em São Paulo, no dia 13 de dezembro de 1926;<br />Foi jornalista e poeta brasileiro;<br />Foi redator das revistas, o cruzeiro e manchete;<br />Criou o  Suplemento Dominical do Jornal do Brasil (SDJB);<br /> Morreu no dia 2 de fevereiro de 2008.<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  15. 15. Reynaldo Jardim - obras<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  16. 16. Franz Weissmann<br /> Nasceu na Áustria em 1911;<br /> 1921 – com 11 anos de idade chega ao Brasil com a família;<br /> Pintor e escultor;<br /> Recebeu diversos prêmios durante sua carreira ;<br /> Falece em 2005, em sua residência no Rio de Janeiro;<br />Seu estilo: figuras geométricas como cubos e quadrados são fortemente trabalhados em suas obras;<br />Seus trabalhos são identificados por formas ou fases assim identificadas: Fios, Cubo, Neoconcretas, Janelas, Construções, Diagonais, Planos e Fitas;<br />Manteve atelier nas cidades de Belo Horizonte (1950); Madri, Espanha (1962) e Ipanema, Rio de Janeiro (2001).<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  17. 17. Franz Weissmann – obras (fases)<br />Instituto Federal de Pernambuco – 24/05/2011<br />
  18. 18. Referências bibliográficas<br />http://www.amilcardecastro.com.br/#<br />http://www.fotoclubef508.com/blog/?p=7862<br />http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=3810<br />http://www.youtube.com/watch?v=OF71D10D2n8 <br />http://www.lygiaclark.org.br/biografiaPT.asp<br />Monografia: Neoconcretismo , Manifesto e Práxis. Luisa Günther Rosa. <br />http://www.alexandremarino.com/2011/02/reynaldo-jardim-esta-vivo.html<br />http://fw.art.br/fwbio.htm<br />
  19. 19. Créditos<br />Instituto Federal de Pernambuco<br />Profª Edvânia <br />Curso: Química Industrial V<br />Turno: manhã<br />Grupo: Izaquel Miguel<br /> João Victor<br /> Luiz Eduardo<br /> Táffila Acássia<br />

×