Benchmarking - O que é?

884 visualizações

Publicada em

Apresentação PPT introdutória ao Benchmarking, definição e exemplos

Publicada em: Dados e análise
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
884
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Benchmarking - O que é?

  1. 1. Tiago Teixeira BENCHMARKING
  2. 2. BENCHMARKING - Conceito to benchmark… ...medir o desempenho de um item em relação a outro item similar de forma científica e imparcial. O Benchmarking não é mais do que uma pesquisa, uma ferramenta de gestão, através da qual as empresas avaliam o desempenho dos seus próprios processos, sistemas e procedimentos comparando-os com os de outras empresas. Encontrados esses melhores desempenhos, o objectivo é estudá-los e melhorá-los, aplicando-os correctamente à nossa organização, de modo a torná-la mais competitiva, atingindo assim uma superioridade.
  3. 3. Objectivo do BENCHMARKING O objectivo do Benchmarking é o de facilitar e estimular as mudanças organizacionais e a melhoria de desempenho através da aprendizagem com os outros. Tendo o propósito de alcançar objectivos tais como: Melhoramento do processo de trabalho Reformular as estratégias existentes Realização de novos empreendimentos Melhoramento generalizado da Qualidade
  4. 4. BENCHMARKING – a origem Aparece no final dos anos 70 e ganha notoriedade nos EUA, sendo atribuída inicialmente à Rank Xerox Corporation a introdução da prática do Benchmarking, com o objectivo de conseguir ultrapassar as suas desvantagens face à concorrência.
  5. 5. Tipos de BENCHMARKING Interno – Utiliza-se a própria empresa como base de comparação entre precessos/actividades. Compara funções dentro da organização, entre departamentos ou entre unidades de negócio. Concorrencial – estuda-se o que a comcorrência faz. Incide essencialmente em práticas que permitem trazer vantagens competitivas e impulsiona a fixar objectivos a nível estratégico. Funcional – Compara actividades funcionais semelhantes em empresas que não são directamente concorrentes. Estratégico - promove a análise fundamental de processos que cruzam várias funções em sectores que não estão relacionados. Centra-se na melhoria de processos críticos do negócio.
  6. 6. As Fases do BENCHMARKING 1 - Decidir o que se Submeter a Benchmarking 2 - Identificar os parceiros de Benchmarking 3 – Recolha de informação 4 - Análise 5 - Por em Prática
  7. 7. Código de Conduta Devemos ainda realçar um aspecto crítico no processo de benchmarking - a Ética. As actuais práticas de benchmarking regem-se por princípios próprios, resumidos num código de conduta onde a reciprocidade na partilha e no uso da informação, a confidencialidade e o respeito pela individualidade dos parceiros se assumem como regras invioláveis. Nesse código de conduta estão descritos os Princípios (como o de Legalidade e de Confidencialidade) que as organizações deverão respeitar.
  8. 8. Benefícios do BENCHMARKING Ao Benchmarking estão associados um conjunto de vantagens significativas e fundamentais para a Organização: – Introdução de novos conceitos de avaliação. – Identificar as áreas/Departamentos que se pretende melhorar. – Aperfeiçoar o conhecimento da própria Empresa/Organização. – Determinar objectivos realistas e viáveis. – Promover um melhor conhecimento da concorrência e do nível de comportamento no mercado. – Estabelecer critérios de prioridades no Planeamento – Aprender com os melhores.
  9. 9. BENHMARKING É  um processo contínuo  uma investigação que fornece informações valiosas  um trabalho intensivo, que requer disciplina   uma ferramenta viável a qualquer organização e aplicável a qualquer processo  Um processo de aprendizagem (com os outros) NÃO È • uma nova moda da administração • um evento isolado • uma investigação que fornece respostas simples e "receitas” • cópia, imitação • rápido e fácil
  10. 10. Conclusão “ Se conhecermos o inimigo e a nós mesmos, não precisaremos de temer o resultado de uma centena de combates. Se nos conhecermos e não o inimigo, para cada vitória sofreremos uma derrota . Se não nos conhecermos, nem ao inimigo sucumbimos em todas as batalhas” Sun Tzu em “A arte da Guerra”

×