As Tecnologias e o Ensino do Português: Uma Leitura do Novo Programa de Português do Ensino Básico Paulo Manuel Faria Alti...
Fazer  era o grande verbo humano, aquele que  claramente tinha separado o homem da formiga, do cão, ou das plantas: os seu...
<ul><li>Expectativas e circunstâncias do surgimento dos novos Programas de Português. </li></ul><ul><li>2.  O  lugar e a f...
Por que surgem os novos Programas de Português?
<ul><ul><li>1. Expectativas e circunstâncias do surgimento dos novos Programas de Português </li></ul></ul><ul><li>“ O ens...
2. O  lugar e a abordagem das TIC nos novos Programas  -  Eixos de Actuação E1  – Literacias Múltiplas  E2 - Pesquisa e os...
E1  – Literacias Múltiplas “ Convém ter em conta que a existência de novos cenários, linguagens e suportes para o acesso à...
Literacias Múltiplas –  multimodalidade . Vivemos tempos de profunda transformação nas práticas de comunicação, com a ling...
Multimodalidade :  esta palavra consta dos NPP. No mesmo meio ou suporte encontramos dois ou mais meios de comunicação. Ve...
E1 – Literacias Múltiplas  E2  - Pesquisa e os direitos de autor E3 - Procedimental: operacionalização em cada um dos cicl...
“ Ler (…)  na  web , requer capacidades para  decifrar  uma possível complexidade na relação entre as diferentes páginas [...
“ No que respeita ao acesso à Internet, os alunos terão de aprender, desde cedo, regras básicas de  segurança  e de compor...
E1 – Literacias Múltiplas  E2 - Pesquisa e os direitos de autor E3  - Procedimental: operacionalização em cada um dos cicl...
Resultados esperados no final do 2.º ciclo “ Utilizar com autonomia processos de planificação, textualização e revisão, co...
“ O trabalho de alfabetização deve acontecer, cada vez mais, em comunidades de escrita onde alunos e professor mantêm uma ...
“ Em contexto escolar, como na sociedade em geral, os alunos deparam com quadros comunicativos que implicam combinatórias ...
Considera-se fundamental que neste ciclo se dê continuidade a práticas que instituam a turma enquanto comunidade de leitor...
<ul><li>Assim, importa dar ao aluno oportunidades para: </li></ul><ul><ul><li>i)  Utilizar  criticamente  a Internet na bu...
Resultados esperados no 3.º ciclo “ Na concretização destes percursos, é fundamental consolidar a apropriação de estratégi...
“ Participação na construção de utensílios (quadros-síntese, mapas conceptuais) para  sistematizar  e registar a informaçã...
“ A utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação deve  ser favorecida como  ferramenta de aprendizagem , como re...
<ul><li>O uso  crítico  das TIC na selecção e na avaliação da informação obtida; </li></ul><ul><li>O respeito pelas regras...
3. A essência é estarmos ligados. “ Com o aparecimento da  Web 2.0 , a facilidade em publicar  online , contactar e estar ...
 
Referências Bibliográficas AAVV (2007).  Conferência Intenacional sobre o Ensino do Português : Ministério da educação Bol...
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Paulo Faria e Altina Ramos ticLINGUAS2010

1.121 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.121
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
307
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Paulo Faria e Altina Ramos ticLINGUAS2010

  1. 1. As Tecnologias e o Ensino do Português: Uma Leitura do Novo Programa de Português do Ensino Básico Paulo Manuel Faria Altina Ramos Universidade do Minho - Braga Dezembro de 2010
  2. 2. Fazer era o grande verbo humano, aquele que claramente tinha separado o homem da formiga, do cão, ou das plantas: os seus fazeres eram gigantescos, poderosos; nunca imortais mas bem mais permanentes que qualquer outra construção de qualquer outra espécie”. Gonçalo M. Tavares, Aprender a rezar na Era da Técnica , p. 49 .
  3. 3. <ul><li>Expectativas e circunstâncias do surgimento dos novos Programas de Português. </li></ul><ul><li>2. O lugar e a função das TIC nos novos Programas - Eixos de Actuação: </li></ul><ul><ul><li>E1 – Literacias Múltiplas; </li></ul></ul><ul><ul><li>E2 - Pesquisa e os direitos de autor; </li></ul></ul><ul><ul><li>E3 - Procedimental: operacionalização em cada um dos ciclos. </li></ul></ul><ul><li>3. A essência é estarmos ligados. </li></ul>
  4. 4. Por que surgem os novos Programas de Português?
  5. 5. <ul><ul><li>1. Expectativas e circunstâncias do surgimento dos novos Programas de Português </li></ul></ul><ul><li>“ O ensino do Português desenrola-se hoje num cenário que apresenta diferenças substanciais, relativamente ao início dos anos 90 do século passado. Exemplo flagrante disso: a projecção, no processo de aprendizagem do idioma, das ferramentas e das linguagens facultadas pelas chamadas tecnologia da informação e comunicação, associadas a procedimentos de escrita e de leitura de textos electrónicos e à disseminação da Internet e das comunicações em rede ”. (p.5) </li></ul>
  6. 6. 2. O lugar e a abordagem das TIC nos novos Programas - Eixos de Actuação E1 – Literacias Múltiplas E2 - Pesquisa e os direitos de autor E3 - Procedimental: operacionalização em cada um dos ciclos
  7. 7. E1 – Literacias Múltiplas “ Convém ter em conta que a existência de novos cenários, linguagens e suportes para o acesso à informação exige o domínio de literacias múltiplas , nomeadamente, a literacia informacional (associada às tecnologias de informação e comunicação) e a literacia visual (leitura de imagens). Este facto torna imprescindível, desde cedo, a convivência com diferentes suportes e com diferentes linguagens ”. (p.63)
  8. 8. Literacias Múltiplas – multimodalidade . Vivemos tempos de profunda transformação nas práticas de comunicação, com a linguagem visual a ganhar espaços de significação que outrora eram propriedade da linguagem verbal.
  9. 9. Multimodalidade : esta palavra consta dos NPP. No mesmo meio ou suporte encontramos dois ou mais meios de comunicação. Veja-se que interagimos diariamente com dispositivos electrónicos através pela leitura de símbolos e ícones . (Gouveia, 2009).
  10. 10. E1 – Literacias Múltiplas E2 - Pesquisa e os direitos de autor E3 - Procedimental: operacionalização em cada um dos ciclos “ Outra área onde se espera que a biblioteca – como a escola em geral – desempenhe um papel relevante é a da implementação do uso das TIC, tendo em vista a criação de hábitos de pesquisa e o desenvolvimento de competências que permitam a todos aceder à informação em diferentes suportes e linguagens.
  11. 11. “ Ler (…) na web , requer capacidades para decifrar uma possível complexidade na relação entre as diferentes páginas [links hipertextuais ], para além das capacidades convencionais inerentes à linearidade da prosa de cada página” (Bolter, 1998).
  12. 12. “ No que respeita ao acesso à Internet, os alunos terão de aprender, desde cedo, regras básicas de segurança e de comportamento ético , principalmente no que diz respeito às questões de autoria da informação.” (p. 67)
  13. 13. E1 – Literacias Múltiplas E2 - Pesquisa e os direitos de autor E3 - Procedimental: operacionalização em cada um dos ciclos “ A escola do 1.º ciclo deve, assim, constituir-se como um contexto favorável ao desenvolvimento de literacias múltiplas , nomeadamente na leitura, na escrita e nas tecnologias de informação e comunicação ”. (p. 66)
  14. 14. Resultados esperados no final do 2.º ciclo “ Utilizar com autonomia processos de planificação, textualização e revisão, com recurso a instrumentos de apoio e ferramentas informáticas ”. (p. 77)
  15. 15. “ O trabalho de alfabetização deve acontecer, cada vez mais, em comunidades de escrita onde alunos e professor mantêm uma espécie de conversação ao longo do tempo decorrente de uma continuada actividade intertextual . Esta pode acontecer em espaços comuns e em relação virtual ” (Niza, 2005).
  16. 16. “ Em contexto escolar, como na sociedade em geral, os alunos deparam com quadros comunicativos que implicam combinatórias de diferentes modalidades textuais , tal como, no interior de um mesmo texto, com diferentes sequências. Esta circunstância, que exige o domínio de literacias múltiplas , nomeadamente a literacia visual (com suporte nas imagens) e, de uma maneira geral, a tecnológica (TIC), deve ser instituída enquanto critério ao serviço da diversidade textual” . (p.101)
  17. 17. Considera-se fundamental que neste ciclo se dê continuidade a práticas que instituam a turma enquanto comunidade de leitores, intérpretes e divulgadores de textos, com recurso frequente aos meios tecnológicos e informáticos disponíveis, num espectro de linguagens muito alargado , com a consequente compreensão e valoração do seu papel social e cultural (p. 102).
  18. 18. <ul><li>Assim, importa dar ao aluno oportunidades para: </li></ul><ul><ul><li>i) Utilizar criticamente a Internet na busca e no tratamento de informação multimodal, em função de diferentes objectivos de estudo; </li></ul></ul><ul><ul><li>ii) Utilizar programas informáticos tendo em vista uma apresentação cuidada de trabalhos; </li></ul></ul><ul><ul><li>iii) Utilizar programas de processamento e edição de texto para as tarefas de revisão da escrita ; </li></ul></ul><ul><ul><li>iv) Trocar e partilhar informação por via electrónica, respeitando regras de comportamento no uso da Internet; </li></ul></ul><ul><ul><li>v) Ser crítico , relativamente ao uso das TIC no acesso à informação, na resolução de problemas ou na produção de trabalho criativo (p.109). </li></ul></ul>
  19. 19. Resultados esperados no 3.º ciclo “ Na concretização destes percursos, é fundamental consolidar a apropriação de estratégias e o domínio dos instrumentos de acesso à informação , tendo em vista uma utilização autónoma e criteriosa das tecnologias da informação e comunicação”.
  20. 20. “ Participação na construção de utensílios (quadros-síntese, mapas conceptuais) para sistematizar e registar a informação de modo estruturado, metódico e progressivo , nomeadamente com recurso a ferramentas tecnológicas”. (p.152)
  21. 21. “ A utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação deve ser favorecida como ferramenta de aprendizagem , como recurso documental para acesso à informação, na resolução de problemas ou como auxiliar na elaboração de trabalhos”. (p.153)
  22. 22. <ul><li>O uso crítico das TIC na selecção e na avaliação da informação obtida; </li></ul><ul><li>O respeito pelas regras éticas no uso da informação pesquisada; </li></ul><ul><li>iii) A utilização crítica e criativa das potencialidades das TIC na produção, revisão, correcção e comunicação de trabalhos. (p.154) </li></ul>
  23. 23. 3. A essência é estarmos ligados. “ Com o aparecimento da Web 2.0 , a facilidade em publicar online , contactar e estar em comunidade aumentou de uma forma impensável há alguns anos atrás. [...]. E, por toda essa evolução tecnológica interactiva, ensinar na geração Net (Tapscott, 1998) como se fosse a geração do papel, aumenta o desfasamento entre a escola e o meio circundante &quot; (Carvalho & Aguiar, 2010).
  24. 25. Referências Bibliográficas AAVV (2007). Conferência Intenacional sobre o Ensino do Português : Ministério da educação Bolter, Jay David (1998). HyperText and the Question of Visual Literacy; texto do livro Handbook of literacy and technology: transformations in a post-typographic world de David Reinking. Carvalho A.; Aguiar C. (2010). Podcasts para Ensinar e Aprender em Contexto . Col. Practicum. Santo Tirso. Programa de Português para o ensino Básico. 2009. Ministério da Educação:DGIDC. Niza, S. (coord.) (1998). Criar o gosto pela escrita. Lisboa: Ministério da Educação

×