Departamento de Ciência Política e Políticas PúblicasO contributo da Web 2.0 para a inovação nos   processos de trabalho n...
Um contexto de mudança que exige mudanças naforma como trabalhamos                    Ambientes                    de trab...
Reforma administrativa: oportunidade para apromoção de novos ambientes de trabalhoA reforma administrativa      Tecido soc...
Porquê inovar nos processos de trabalho• Necessidade de promover ambientes de trabalho que  permitam às organizações públi...
Aspectos a melhorar• Descoordenação do trabalho colaborativo• Apoiar a aprendizagem colaborativa e a partilha de  experiên...
Ambiente de trabalho 2.0• Contextos de trabalho alinhados com as  tendências que emergem com os novos  paradigmas organiza...
Ambiente de trabalho 2.0• Contextos de actuação profissional em que as  tecnologias, aplicações e valores associados à Web...
Dimensões constituintes do ambiente de trabalho 2.0                                                                   Conj...
Porquê fomentar um ambiente de trabalho 2.0• Proporcionar um conjunto de funcionalidades  que visam não só fomentar formas...
Web 2.0 no sector público                                   Áreas de utilização no sector público                     Back...
Contextos propícios ao desenvolvimento de umambiente de trabalho 2.0                              Trabalho                ...
Que ferramentas para um ambiente de trabalho 2.0• As ferramentas que suportem:   – ambientes de desenvolvimento colaborati...
Áreas de intervenção de inciativas que promovam um ambiente de trabalho 2.0                                               ...
Open Source Software (OSS)COLABORAÇÃO                                                       CONTENÇÃO DESPESASPermite uma ...
Benefícios esperados•   Partilha e colaboração     –   Coordenação e optimização do trabalho colaborativo     –   Gestão d...
Conclusões• Importância que no actual contexto de mudança vivido pelo Estado e pela  Administração Pública assume a inovaç...
Conclusões• Projectos de inovação nos processos de trabalho devem adoptar uma  abordagem que combine intervenções a vários...
SELMA VEDOR FERNANDESWWW.SELMAVEDOR.NETSELMAFERNANDES@YAHOO.COM
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Contributo da Web 2.0 para a inovação nos processos de trabalho nas organizações públicas - Ambiente de trabalho 2.0

843 visualizações

Publicada em

Trabalho de projeto do Mestrado em Administração Pública, ISCTE, que defende a promoção de lógicas de trabalho favoráveis ao trabalho em rede e equipa, marcadas por uma dinâmica mais horizontal, multidisciplinar e colaborativa e onde a aprendizagem colaborativa e a gestão do conhecimento assumem um lugar de destaque
A reforma da Administração Pública portuguesa tem tido implicações ao nível das estruturas organizacionais, práticas de gestão, emprego público e valores profissionais, impulsionando lógicas de trabalho assentes na cooperação e na constituição de redes e equipas, marcadas por uma dinâmica mais horizontal, multidisciplinar e colaborativa, e que propiciem a partilha e gestão do conhecimento. Dado o potencial que a Web 2.0 apresenta para apoiar estas lógicas de trabalho, assim como os valores associados a estas tecnologias, apelidou-se estas lógicas pela expressão “ambiente de trabalho 2.0”.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
843
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Contributo da Web 2.0 para a inovação nos processos de trabalho nas organizações públicas - Ambiente de trabalho 2.0

  1. 1. Departamento de Ciência Política e Políticas PúblicasO contributo da Web 2.0 para a inovação nos processos de trabalho nas organizações públicas - Ambiente de trabalho 2.0 Trabalho de projecto submetido como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre em Administração Pública Selma Vedor Fernandes Orientador(a): Doutor Juan Mozzicafreddo, Professor Catedrático, ISCTE- Instituto Universitário de Lisboa Co-orientador(a): Doutor Gustavo Cardoso, Professor Auxiliar com Agregação, ISCTE- Instituto Universitário de Lisboa
  2. 2. Um contexto de mudança que exige mudanças naforma como trabalhamos Ambientes de trabalho de trabalho
  3. 3. Reforma administrativa: oportunidade para apromoção de novos ambientes de trabalhoA reforma administrativa Tecido social e económico mais Afirmação de umaalterou os 5 pilares da complexo, dimensão internacional sociedade baseada noestrutura clássica da de algumas questões, optimização conhecimento exige que asburocracia: hierarquia, do desempenho dos serviços, organizações públicas criemcentralização, cidadãos mais exigentes - mecanismos adequados aosestandardização, desenvolvimento de lógicas de processos de criação,formalização e trabalho mais horizontais, adopção retenção, partilha e re-especialização - surgimento de várias formas de cooperação em utilização do conhecimento.de arquitecturas rede e de colaboração (intra e interorganizacionais mais organizacional, interministerial eflexíveis, com estruturas multidisciplinar). Modelos de serviçohierárquicas menos densas, público, orientados para a oferta,mais descentralizadas, requerem formas de trabalhargeralmente organizadas em assentes na cooperação entregrupos de trabalho e entidades, e rompem com aequipas. organização vertical por silos ministeriais da AP INOVAR NOS PROCESSOS DE TRABALHO
  4. 4. Porquê inovar nos processos de trabalho• Necessidade de promover ambientes de trabalho que permitam às organizações públicas: – Valorizar activos intagíveis – Impulsionar redes e a cooperação entre várias entidades – Potenciar a colaboração e a aprendizagem colaborativa – Lidar com envolventes heterogéneas e mutáveis – Promover novos valores profissionais - eficácia, eficiência, inovação, flexibilidade e predisposição para o risco – Captar colaboradores qualificados, capazes de fazer face às mudanças, gerir situações complexas, desenvolver soluções inovadoras, à medida que os principais pólos de atracção do emprego público (estabilidade e segurança) perdem expressividade.
  5. 5. Aspectos a melhorar• Descoordenação do trabalho colaborativo• Apoiar a aprendizagem colaborativa e a partilha de experiências• Criar e gerir repositórios de conhecimento, que apoiem a actualização de saberes e competências, reduzam a perda de conhecimento associada à rotatividade de colaboradores e o esforço com a integração de novos membros• Deficiente gestão da informação• Agilizar a actualização de regras, procedimentos e a incorporação de melhorias• Diminuir a sobrecarga de trabalho/trabalho redundante
  6. 6. Ambiente de trabalho 2.0• Contextos de trabalho alinhados com as tendências que emergem com os novos paradigmas organizacionais impulsionados pela reforma e modernização da Administração Pública: – ambientes marcados por intensos fluxos de informação e conhecimento, assentes no trabalho em equipa e na constituição de redes, na partilha e aprendizagem colaborativa, que contemplam diversos mecanismos de participação.
  7. 7. Ambiente de trabalho 2.0• Contextos de actuação profissional em que as tecnologias, aplicações e valores associados à Web 2.0 são uma das suas dimenões constituintes • Utilizador-produtor, inteligência Valores colectiva, beta perpétuo, facilidade de utilização WEB 2.0 Aplicações • Blogue, wiki, podcast, RSS feeds, redes sociais, motores de busca Tecnologias • Ajax, XML, API abertas, microformatos, PHP, MySQL Adaptado de Osimo (2008)
  8. 8. Dimensões constituintes do ambiente de trabalho 2.0 Conjunto de tecnologias, valores e aplicações. O que distingue estas tecnologias é o facto de partilharem um conjunto de valores - constroem-se sobre o conhecimento e competências dos utilizadores, possibilitando a WEB 2.0 emergência de um utilizador-produtor que, com base nas aplicações e tecnologias disponíveis, pode criar novos serviços/conteúdos/produtos.Fomentar o sentido de Favorecer a constituição decomunidade, comportamentos redes de conhecimento entreadequados ao trabalho AMBIENTE E CULTURA LIDERANÇA ATRAVÉS os colaboradores, respeitar acolaborativo, estimular os ORGANIZACIONAL DE REDES autonomia dos colaboradorescolaboradores a colaborar e a nas escolhas e utilização deaprender, proporcionando-lhes meios, fixar metas claras eo tempo e os recursos delegar responsabilidades.necessários.
  9. 9. Porquê fomentar um ambiente de trabalho 2.0• Proporcionar um conjunto de funcionalidades que visam não só fomentar formas de trabalhar mais produtivas, eficazes e eficientes, mas que potenciem também a partilha, a colaboração e a aprendizagem colaborativa, contribuindo para a gestão da informação e do conhecimento.
  10. 10. Web 2.0 no sector público Áreas de utilização no sector público Back-office Front-officeRegulação Prestação de serviçosColaboração inter-organizacional eParticipaçãoGestão do conhecimento Aplicação da leiInteroperabilidade Informação sobre o sector públicoGestão de recursos humanos Comunicação públicaCompras públicas Transparência e accountability Adaptado de Osimo (2008)O impacto da Web 2.0 parece convergir com tendências de longo prazo nodesenvolvimento das sociedades ao nível de cidadãos mais exigentes, aemergência de trabalhadores do conhecimento, a importância da aprendizageminformal e da inovação gerada pelos utilizadores, a passagem de formas deorganização baseadas na hierarquia para as baseadas em redes, assim como oconsumo de tecnologias da informação (Osimo, 2008).
  11. 11. Contextos propícios ao desenvolvimento de umambiente de trabalho 2.0 Trabalho colaborativo Recurso à Web Gestão de 2.0 informação Ambiente de trabalho 2.0 Área de Trabalhadores conhecimento do em rápida conhecimento mutação Versatilidade, flexibilidade, inovação
  12. 12. Que ferramentas para um ambiente de trabalho 2.0• As ferramentas que suportem: – ambientes de desenvolvimento colaborativos/realização colaborativa de tarefas (ex.: edição colaborativa de conteúdos) – acesso remoto – definição e monitorização de fluxos de trabalho – manutenção do repositório de documentos, com funcionalidades avançadas (registo do histórico da actividade sobre os documentos, controlo e comparação de versões, reposição de versões anteriores, catalogação, permissões de utilização, etc.) – criação e gestão de repositórios de conhecimento – aprendizagem colaborativa e partilha de experiências – aprendizagem informal
  13. 13. Áreas de intervenção de inciativas que promovam um ambiente de trabalho 2.0 GESTÃO DA INFORMAÇÃO Proporcionar funcionalidades adequadas de GESTÃO DA gestão, arquivo, catalogação e pesquisa de INFORMAÇÃO informação.PARTILHA E COLABORAÇÃO PARTILHA E GESTÃO DO GESTÃO DO CONHECIMENTOApoiar o trabalho em equipa, COLABORAÇÃO CONHECIMENTO Suportar os processos dea aprendizagem colaborativa, criação, retenção, partilha ea partilha de experiências e re-utilização dopromover sinergias da conhecimento.colaboração.
  14. 14. Open Source Software (OSS)COLABORAÇÃO CONTENÇÃO DESPESASPermite uma forma de Diminui custos comcolaboração no sector licenciamento de softwarepúblico não alcançável com osoftware proprietário, COLABORAÇÃO CONTENÇÃO DESPESASpossibilitando a partilhaentre organismos deaplicações desenvolvidasinternamente.LIBERDADEPermite realizar alterações ESCALABILIDADEcom total independência Facilita a expansão futura dorelativamente a LIBERDADE ESCALABILIDADE sistema, de forma a acomodarfornecedores. eventuais melhorias e desenvolvimentos futuros.
  15. 15. Benefícios esperados• Partilha e colaboração – Coordenação e optimização do trabalho colaborativo – Gestão dos processos de trabalho – Flexibilidade e mobilidade – Gestão e controlo da informação produzida colaborativamente• Gestão do conhecimento – Manutenção da memória organizacional (reutilização de boas práticas, diminuição da perda de conhecimento e do esforço dispendido com a integração de novos colaboradores, redução de perdas de conhecimento associadas à saída de colaboradores) – Potenciação da aprendizagem colaborativa – Apoiar a actualização de conhecimentos• Gestão da informação – Gestão mais eficaz e eficiente da informação (eliminação de tarefas redundantes relacionadas com arquivo, catalogação e organização, redução das dificuldades e do tempo dispendido na pesquisa de ficheiros e na identificação das versões mais recentes) – Diminuição da perda e uso indevido de informação
  16. 16. Conclusões• Importância que no actual contexto de mudança vivido pelo Estado e pela Administração Pública assume a inovação na forma como se trabalha nas organizações públicas.• Promover novas formas de trabalhar que não se foquem somente na qualidade, eficácia e eficiência, mas também ao desenvolvimento de lógicas de trabalho favoráveis à cooperação em rede e ao trabalho em equipa, marcadas por uma dinâmica mais horizontal e multidisciplinar, onde a aprendizagem colaborativa e a gestão do conhecimento assumem um lugar de destaque - medir e avaliar hoje a modernização administrativa não passa necessariamente por saber se a Administração Pública é mais ou menos electrónica, mas sobretudo se ela é mais ou menos colaborativa, se está mais ou menos perto do modelo em rede e como utiliza as TIC para modernizar a sua organização (Leitão Marques,2007).
  17. 17. Conclusões• Projectos de inovação nos processos de trabalho devem adoptar uma abordagem que combine intervenções a vários níveis (tecnológico, organizacional, cultural, etc.) – ultrapassar obstáculos que levam a um uso instrumental destas tecnologias e a uma inovação de carácter tecnocrático, em detrimento de mudanças e inovações mais profundas.• Aprofundar o estudo da capacidade transformativa das tecnologias Web 2.0 na forma como se trabalha nas organizações públicas. Ex.:a capacidade destas tecnologias para promover a mobilidade e o trabalho a distância (tele- trabalho), no contexto de desenvolvimento de formas de trabalhar que ultrapassem os tradicionais limites físicos, e que respondam igualmente a preocupações de desenvolvimento sustentável.• Para um aprofundamento das perspectivas em torno do desenvolvimento da mobilidade nos processos e dinâmicas de trabalho consultar The Future Workspace: Mobile and Collaborative Working Perspectives, Hans Schaffers et al., 2006.
  18. 18. SELMA VEDOR FERNANDESWWW.SELMAVEDOR.NETSELMAFERNANDES@YAHOO.COM

×