O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Apresentação posicionamento a-batalha_por_sua_mente

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 15 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Mais recentes (20)

Anúncio

Apresentação posicionamento a-batalha_por_sua_mente

  1. 1. Menos é mais também no marketing Faculdade Cásper Líbero Pós-Graduação Lato Sensu Matéria: Marketing e Comunicação Persuasiva Professor Marcelo Miyashita Aluna: Suzi Vitoriano de Almeida 18 de junho de 2012
  2. 2. Resumo da resenha crítica do livro Posicionamento: a Batalha por sua Mente de Al Ries e Jack Trout
  3. 3. O “Pretinho Básico” do Marketing Fazendo uma analogia com o mundo da moda, Posicionamento: a Batalha por sua Mente escrito no início dos anos 1970 é a obra que todo profissional e estudante de marketing devem ter em suas prateleiras e usar nas várias situações de sua vida acadêmica e profissional. É um clássico.
  4. 4. Como um manual Um texto enxuto e objetivo, recheado de exemplos que ilustram cada ideia, o livro se assemelha a um manual prático de como se aplicar o revolucionário conceito de “Posicionamento Competitivo”.
  5. 5. O livro explica e exemplifica o paço-a-paço de como se faz um posicionamento competitivo. E mostra como usar os conceitos para posicionar desde uma empresa e um produto até uma ilha, uma igreja ou uma carreira profissional.
  6. 6. No prefácio do livro escrito por Philip Kotler, ele afirma que o conceito de posicionamento competitivo antecede e permeia os Ps de Produto, Preço, Praça e Promoção.
  7. 7. Mas afinal, o que é um posicionamento competitivo? Posicionamento não é o que você faz com seu produto. Posicionamento é o que você faz com a mente do seu potencial cliente. Ou seja, posiciona o produto na mente do potencial consumidor.
  8. 8. Mensagens-chave: Ser o primeiro a entrar na mente do consumidor. Saber enxergar soluções no óbvio que muitas vezes estão apresentadas de forma simples. Ter foco.
  9. 9. Menos é mais O livro trabalha com o clichê do “menos é mais” e traz um rosário de regras fáceis de assimilar e argumentos consistentes para convencer o leitor que a solução para um posicionamento bem sucedido está naquelas páginas.
  10. 10. Um único senão do livro diz respeito ao foco. Se por um lado, ter um objetivo com contornos muito bem definidos é uma medida eficaz, no caso do posicionamento, pode também ser um limitador. A mensagem do livro é claramente contra a extensão de linhas de produtos, por exemplo. Ou, no caso do posicionamento de uma carreira profissional, você é uma única impressão que está fixada na mente das pessoas.
  11. 11. Dove: o exemplo que contraria a regra Chegou ao Brasil em 1992 como o primeiro sabonete hidratante do mercado. Posicionou-se como “cuidado com a pela na hora do banho” num mercado onde sabonete era percebido como “perfume e limpeza”. Rapidamente conseguiu aceitação expressiva pelos consumidores e colocou o país como o quinto mercado consumidor da marca no mundo. Em dez anos, o famoso sabonete ganhou a companhia de uma extensa linha de produtos composta por desodorantes, versões líquidas do sabonete, loções hidratantes e produtos para os cabelos.
  12. 12. Pois, mesmo com todos esses produtos derivados da marca, ao serem indagadas, as pessoas ainda respondem que Dove é a marca de um sabonete. Além disso, a marca está sempre presente nas pesquisas do Top Of Mind.
  13. 13. Esse caso me faz lembrar uma aula do Professor Marcelo Miyashita, quando ele disse que a marca líder pode e deve trabalhar as extensões de linha e a segmentação como forma de manter a marca sempre presente na mente dos consumidores.
  14. 14. Tendo a considerar que a teoria do foco deve-se ao contexto em que a obra foi escrita. Há 40 anos o mundo era outro e os mercados se comportavam de forma muito diferente do que é hoje. O fenômeno da globalização e as novas formas de comunicação, que romperam com muitos paradigmas, mudaram a forma de os consumidores se relacionarem com as marcas.
  15. 15. Esta crítica, entretanto, não tira de maneira alguma o brilho desta obra que merece estar entre os must have (para usar mais um jargão do mundo da moda) dos livros de marketing de todos os tempos.

×