SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
Descoberta e Colonização dos
arquipélagos atlânticos
AÇORESMADEIRA
Prof. Susana Simões
(Re) Descoberta da Madeira
 O arquipélago já aparecera mencionado em mapas anteriores à sua descoberta oficial.
João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz
Teixeira (1419-20) oficializaram a
descoberta do arquipélago.
Prof. Susana Simões
Descoberta dos Açores
O arquipélago dos Açores era completamente desconhecido e a descoberta das
ilhas que o constituem ocorreu entre 1427 e 1452.
As primeiras ilhas foram descobertas em 1427 por Diogo Silves. Em 1452 já eram
conhecidas as 9 ilhas.
Prof. Susana Simões
Método de Colonização
Administração: Os Infantes D.
Henrique e D. Pedro, donatários da
coroa, confiaram a sua colonização
aos capitães-donatários (elementos da
pequena nobreza) para os quais definiu
objetivos e atribuiu diversos poderes.
Como os arquipélagos estavam desabitados, houve necessidade de proceder à sua
colonização, povoando-os e promovendo o seu aproveitamento económico.
Prof. Susana Simões
Este sistema de colonização foi replicado na
colonização de Cabo Verde, de S. Tomé e
Príncipe e do Brasil
Capitães-donatários
- Povoar as ilhas (com colonos
portugueses, flamengos e
escravos);
- Tornar as terras cultiváveis e
habitáveis;
- Defender o território;
- Militares (defender a capitania):
- Administrativos (governar as terras);
- Fiscais (cobrar impostos);
- Judiciais (aplicar a justiça com
exceção das ”penas maiores”);
- Económicos (incentivar o
desenvolvimento das atividades
económicas);
Objetivos: Poderes:
Exemplo: Capitanias-donatarias no arquipélago da
Madeira
Prof. Susana Simões
Exploração económica
Madeira
Recursos naturais: madeira e
peixe
Plantação: Cana de açúcar,
Vinha e Cereais;
Açores
Criação de gado
Plantação: Cereais, Urzela e
Pastel
Estes produtos, em especial a cana-de-açúcar, eram enviados para
a metrópole e depois comercializados com o resto da Europa
Prof. Susana Simões
Urzela
Pastel
Cidade de Mindelo (baía do Porto Grande)
 Administração: Capitanias-donatarias;
 Exploração económica: Urzela e criação de gado; tráfico negreiro;
Colonização de Cabo Verde
Prof. Susana Simões
 Administração: Capitanias-donatarias;
 Exploração económica: Cana-de-açúcar,
tráfico negreiro para a América;
Colonização de S. Tomé e Príncipe
Importância dos arquipélagos
Eram importantes não só devido à sua localização estratégica (ponto de escala nas
viagens para sul), mas também como campos de cereais.
Prof. Susana Simões
As imagens utilizadas neste trabalho foram retiradas da Internet e obtidas através
de pesquisa no Google.
Prof. Susana Simões

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIVA Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIVCarlos Vieira
 
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIVConcelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIVCátia Botelho
 
23 os descobrimentos
23  os descobrimentos23  os descobrimentos
23 os descobrimentosCarla Freitas
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2Vítor Santos
 
E1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeuE1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeuVítor Santos
 
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de PortugalA Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de PortugalCatarina Castro
 
Os motivos que levaram à expansão portuguesa
Os motivos que levaram à expansão portuguesaOs motivos que levaram à expansão portuguesa
Os motivos que levaram à expansão portuguesaMaria Gomes
 
País urbano e concelhio
País urbano e concelhioPaís urbano e concelhio
País urbano e concelhioSusana Simões
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xivcattonia
 
Poder Senhorial
Poder SenhorialPoder Senhorial
Poder Senhorialjorgina8
 
A conquista de ceuta
A conquista de ceuta A conquista de ceuta
A conquista de ceuta Maria Gomes
 
Portugal nos séculos XV e XVI
Portugal nos séculos XV e XVIPortugal nos séculos XV e XVI
Portugal nos séculos XV e XVIcruchinho
 
Atividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIVAtividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIVCátia Botelho
 
Expansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IIExpansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IILucilia Fonseca
 
Formacao de portugal
Formacao de portugalFormacao de portugal
Formacao de portugalcattonia
 
Rumos da expansao
Rumos da expansaoRumos da expansao
Rumos da expansaocattonia
 
O comercio à escala mundial
O comercio à escala mundialO comercio à escala mundial
O comercio à escala mundialSusana Simões
 
Resumo sobre a expansão marítima portuguesa
Resumo sobre a expansão marítima portuguesaResumo sobre a expansão marítima portuguesa
Resumo sobre a expansão marítima portuguesarosivaldo_f_moreira
 

Mais procurados (20)

A Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIVA Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIV
 
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIVConcelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
 
23 os descobrimentos
23  os descobrimentos23  os descobrimentos
23 os descobrimentos
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2
 
E1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeuE1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeu
 
Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
 
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de PortugalA Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
 
Conquista de ceuta
Conquista de ceutaConquista de ceuta
Conquista de ceuta
 
Os motivos que levaram à expansão portuguesa
Os motivos que levaram à expansão portuguesaOs motivos que levaram à expansão portuguesa
Os motivos que levaram à expansão portuguesa
 
País urbano e concelhio
País urbano e concelhioPaís urbano e concelhio
País urbano e concelhio
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
 
Poder Senhorial
Poder SenhorialPoder Senhorial
Poder Senhorial
 
A conquista de ceuta
A conquista de ceuta A conquista de ceuta
A conquista de ceuta
 
Portugal nos séculos XV e XVI
Portugal nos séculos XV e XVIPortugal nos séculos XV e XVI
Portugal nos séculos XV e XVI
 
Atividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIVAtividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIV
 
Expansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IIExpansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João II
 
Formacao de portugal
Formacao de portugalFormacao de portugal
Formacao de portugal
 
Rumos da expansao
Rumos da expansaoRumos da expansao
Rumos da expansao
 
O comercio à escala mundial
O comercio à escala mundialO comercio à escala mundial
O comercio à escala mundial
 
Resumo sobre a expansão marítima portuguesa
Resumo sobre a expansão marítima portuguesaResumo sobre a expansão marítima portuguesa
Resumo sobre a expansão marítima portuguesa
 

Semelhante a Descoberta colonização Arquipélagos Atlânticos

Síntese da expansão
Síntese da expansãoSíntese da expansão
Síntese da expansãoMaria Gomes
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítimasamuelbaiano
 
Início expansão.pptx
Início expansão.pptxInício expansão.pptx
Início expansão.pptxConceio10
 
Descoberta Das Ilhas Atanticas
Descoberta Das Ilhas AtanticasDescoberta Das Ilhas Atanticas
Descoberta Das Ilhas Atanticassandrabranco
 
Da conquista de ceuta ate ao aeroporto de pedras rubas
Da conquista de ceuta ate ao aeroporto de pedras rubasDa conquista de ceuta ate ao aeroporto de pedras rubas
Da conquista de ceuta ate ao aeroporto de pedras rubasJudite Vilardeouro
 
Rumos da expansão quatrocentista
Rumos da expansão quatrocentistaRumos da expansão quatrocentista
Rumos da expansão quatrocentistaimmss
 
Ilhas atlânticas
Ilhas atlânticasIlhas atlânticas
Ilhas atlânticasMaria Gomes
 
4º Arquipélagos da madeira e dos açores
4º Arquipélagos da madeira e dos açores4º Arquipélagos da madeira e dos açores
4º Arquipélagos da madeira e dos açoresBásicas ou Secundárias
 
Resumo sobre a a matéria (A expansão ultramarina portuguesa) de 8ºano.
Resumo sobre a a matéria (A expansão ultramarina portuguesa) de 8ºano. Resumo sobre a a matéria (A expansão ultramarina portuguesa) de 8ºano.
Resumo sobre a a matéria (A expansão ultramarina portuguesa) de 8ºano. HizqeelMajoka
 
A expansao Portuguesa
A expansao PortuguesaA expansao Portuguesa
A expansao Portuguesasandrabranco
 
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02borgia
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesatelmascapelo
 
Os Descobrimentos Portugueses
Os Descobrimentos PortuguesesOs Descobrimentos Portugueses
Os Descobrimentos PortuguesesZé Mário
 
O império português do oriente parte 2
O império português do oriente   parte 2O império português do oriente   parte 2
O império português do oriente parte 2anabelasilvasobral
 

Semelhante a Descoberta colonização Arquipélagos Atlânticos (20)

Síntese da expansão
Síntese da expansãoSíntese da expansão
Síntese da expansão
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
 
Início expansão.pptx
Início expansão.pptxInício expansão.pptx
Início expansão.pptx
 
descobrimentos1.ppt
descobrimentos1.pptdescobrimentos1.ppt
descobrimentos1.ppt
 
Descoberta Das Ilhas Atanticas
Descoberta Das Ilhas AtanticasDescoberta Das Ilhas Atanticas
Descoberta Das Ilhas Atanticas
 
Descobrimentos portugueses
Descobrimentos portuguesesDescobrimentos portugueses
Descobrimentos portugueses
 
Ilhas
IlhasIlhas
Ilhas
 
Da conquista de ceuta ate ao aeroporto de pedras rubas
Da conquista de ceuta ate ao aeroporto de pedras rubasDa conquista de ceuta ate ao aeroporto de pedras rubas
Da conquista de ceuta ate ao aeroporto de pedras rubas
 
Rumos da expansão quatrocentista
Rumos da expansão quatrocentistaRumos da expansão quatrocentista
Rumos da expansão quatrocentista
 
Ilhas atlânticas
Ilhas atlânticasIlhas atlânticas
Ilhas atlânticas
 
4º Arquipélagos da madeira e dos açores
4º Arquipélagos da madeira e dos açores4º Arquipélagos da madeira e dos açores
4º Arquipélagos da madeira e dos açores
 
Resumo sobre a a matéria (A expansão ultramarina portuguesa) de 8ºano.
Resumo sobre a a matéria (A expansão ultramarina portuguesa) de 8ºano. Resumo sobre a a matéria (A expansão ultramarina portuguesa) de 8ºano.
Resumo sobre a a matéria (A expansão ultramarina portuguesa) de 8ºano.
 
A expansao Portuguesa
A expansao PortuguesaA expansao Portuguesa
A expansao Portuguesa
 
Fortuna
FortunaFortuna
Fortuna
 
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesa
 
Colonização
ColonizaçãoColonização
Colonização
 
Exp.MaríTima Edwards
Exp.MaríTima EdwardsExp.MaríTima Edwards
Exp.MaríTima Edwards
 
Os Descobrimentos Portugueses
Os Descobrimentos PortuguesesOs Descobrimentos Portugueses
Os Descobrimentos Portugueses
 
O império português do oriente parte 2
O império português do oriente   parte 2O império português do oriente   parte 2
O império português do oriente parte 2
 

Mais de Susana Simões

O império português do Oriente
O império português do OrienteO império português do Oriente
O império português do OrienteSusana Simões
 
Reestruturação das instituições romanas
Reestruturação das instituições romanasReestruturação das instituições romanas
Reestruturação das instituições romanasSusana Simões
 
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6Susana Simões
 
Revolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em PortugalRevolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em PortugalSusana Simões
 
Momentos de tensão durante a guerra fria
Momentos de tensão durante a guerra friaMomentos de tensão durante a guerra fria
Momentos de tensão durante a guerra friaSusana Simões
 
A Escultura Renascentista
A Escultura RenascentistaA Escultura Renascentista
A Escultura RenascentistaSusana Simões
 
A Arquitetura Renascentista
A Arquitetura RenascentistaA Arquitetura Renascentista
A Arquitetura RenascentistaSusana Simões
 
A Pintura Renascentista
A Pintura RenascentistaA Pintura Renascentista
A Pintura RenascentistaSusana Simões
 
Consequências da segunda guerra
Consequências da segunda guerraConsequências da segunda guerra
Consequências da segunda guerraSusana Simões
 
A Segunda Guerra Mundial
A Segunda Guerra MundialA Segunda Guerra Mundial
A Segunda Guerra MundialSusana Simões
 
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmica
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmicaArte grega: arquitetura, escultura e cerâmica
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmicaSusana Simões
 
A administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios PeninularesA administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios PeninularesSusana Simões
 
A cultura da Ágora - Contextualização
A cultura da Ágora - ContextualizaçãoA cultura da Ágora - Contextualização
A cultura da Ágora - ContextualizaçãoSusana Simões
 
Portugal: o projeto pombalino de inspiração iluminista.
Portugal: o projeto pombalino de inspiração iluminista.Portugal: o projeto pombalino de inspiração iluminista.
Portugal: o projeto pombalino de inspiração iluminista.Susana Simões
 
Portugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicasPortugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicasSusana Simões
 
Dinâmicas económicas entre os sécs. XVI-XVIII
Dinâmicas económicas entre os sécs. XVI-XVIIIDinâmicas económicas entre os sécs. XVI-XVIII
Dinâmicas económicas entre os sécs. XVI-XVIIISusana Simões
 
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder políticoA Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder políticoSusana Simões
 
A sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo RegimeA sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo RegimeSusana Simões
 

Mais de Susana Simões (20)

O império português do Oriente
O império português do OrienteO império português do Oriente
O império português do Oriente
 
Reestruturação das instituições romanas
Reestruturação das instituições romanasReestruturação das instituições romanas
Reestruturação das instituições romanas
 
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
 
Revolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em PortugalRevolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em Portugal
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Momentos de tensão durante a guerra fria
Momentos de tensão durante a guerra friaMomentos de tensão durante a guerra fria
Momentos de tensão durante a guerra fria
 
Nascimento dos EUA
Nascimento dos EUANascimento dos EUA
Nascimento dos EUA
 
A Escultura Renascentista
A Escultura RenascentistaA Escultura Renascentista
A Escultura Renascentista
 
A Arquitetura Renascentista
A Arquitetura RenascentistaA Arquitetura Renascentista
A Arquitetura Renascentista
 
A Pintura Renascentista
A Pintura RenascentistaA Pintura Renascentista
A Pintura Renascentista
 
Consequências da segunda guerra
Consequências da segunda guerraConsequências da segunda guerra
Consequências da segunda guerra
 
A Segunda Guerra Mundial
A Segunda Guerra MundialA Segunda Guerra Mundial
A Segunda Guerra Mundial
 
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmica
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmicaArte grega: arquitetura, escultura e cerâmica
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmica
 
A administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios PeninularesA administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios Peninulares
 
A cultura da Ágora - Contextualização
A cultura da Ágora - ContextualizaçãoA cultura da Ágora - Contextualização
A cultura da Ágora - Contextualização
 
Portugal: o projeto pombalino de inspiração iluminista.
Portugal: o projeto pombalino de inspiração iluminista.Portugal: o projeto pombalino de inspiração iluminista.
Portugal: o projeto pombalino de inspiração iluminista.
 
Portugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicasPortugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicas
 
Dinâmicas económicas entre os sécs. XVI-XVIII
Dinâmicas económicas entre os sécs. XVI-XVIIIDinâmicas económicas entre os sécs. XVI-XVIII
Dinâmicas económicas entre os sécs. XVI-XVIII
 
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder políticoA Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
 
A sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo RegimeA sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo Regime
 

Último

CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 

Último (20)

CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 

Descoberta colonização Arquipélagos Atlânticos

  • 1. Descoberta e Colonização dos arquipélagos atlânticos AÇORESMADEIRA Prof. Susana Simões
  • 2. (Re) Descoberta da Madeira  O arquipélago já aparecera mencionado em mapas anteriores à sua descoberta oficial. João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira (1419-20) oficializaram a descoberta do arquipélago. Prof. Susana Simões
  • 3. Descoberta dos Açores O arquipélago dos Açores era completamente desconhecido e a descoberta das ilhas que o constituem ocorreu entre 1427 e 1452. As primeiras ilhas foram descobertas em 1427 por Diogo Silves. Em 1452 já eram conhecidas as 9 ilhas. Prof. Susana Simões
  • 4. Método de Colonização Administração: Os Infantes D. Henrique e D. Pedro, donatários da coroa, confiaram a sua colonização aos capitães-donatários (elementos da pequena nobreza) para os quais definiu objetivos e atribuiu diversos poderes. Como os arquipélagos estavam desabitados, houve necessidade de proceder à sua colonização, povoando-os e promovendo o seu aproveitamento económico. Prof. Susana Simões Este sistema de colonização foi replicado na colonização de Cabo Verde, de S. Tomé e Príncipe e do Brasil
  • 5. Capitães-donatários - Povoar as ilhas (com colonos portugueses, flamengos e escravos); - Tornar as terras cultiváveis e habitáveis; - Defender o território; - Militares (defender a capitania): - Administrativos (governar as terras); - Fiscais (cobrar impostos); - Judiciais (aplicar a justiça com exceção das ”penas maiores”); - Económicos (incentivar o desenvolvimento das atividades económicas); Objetivos: Poderes: Exemplo: Capitanias-donatarias no arquipélago da Madeira Prof. Susana Simões
  • 6. Exploração económica Madeira Recursos naturais: madeira e peixe Plantação: Cana de açúcar, Vinha e Cereais; Açores Criação de gado Plantação: Cereais, Urzela e Pastel Estes produtos, em especial a cana-de-açúcar, eram enviados para a metrópole e depois comercializados com o resto da Europa Prof. Susana Simões Urzela Pastel
  • 7. Cidade de Mindelo (baía do Porto Grande)  Administração: Capitanias-donatarias;  Exploração económica: Urzela e criação de gado; tráfico negreiro; Colonização de Cabo Verde
  • 8. Prof. Susana Simões  Administração: Capitanias-donatarias;  Exploração económica: Cana-de-açúcar, tráfico negreiro para a América; Colonização de S. Tomé e Príncipe
  • 9. Importância dos arquipélagos Eram importantes não só devido à sua localização estratégica (ponto de escala nas viagens para sul), mas também como campos de cereais. Prof. Susana Simões
  • 10. As imagens utilizadas neste trabalho foram retiradas da Internet e obtidas através de pesquisa no Google. Prof. Susana Simões