Plano de Comunicação
RaciocínioEstratégico
Nosso ponto de par tida              O posicionamento atual              trouxe vários destaques              positivos pa...
No entanto, faz-se necessária uma evolução doconceito, que o torne ainda mais crível e eficiente.Ainda existe uma barreira...
É preciso encontrar um argumento criativodiferenciador no mercado.Tal argumento deve dizer o que essa escolharepresenta e ...
E principalmente: é preciso que essaevolução maximize o impacto junto aopúblico alvo, chamando a atenção,trazendo relevânc...
Tendo este desafio em mente, nossodiagnóstico par tiu da observação detrês elementos:          O CONTEXTO          Modelo ...
1 O CONTEXTOModelo do Ensino Superior no Brasil
Lógica do mercado brasileiroENSINO SUPERIOR           ENSINO SUPERIOR   GRATUITO                    PAGO
GRATUIDADE                          Filtro (Vestibular)   + “indústria do                       concorrido e disputado    ...
PÚBLICAS             PRIVADASUniverso da aura;   Universo do valor;  do intangível;       do tangível;    subjetivo       ...
O papel da comunicação, nessecontexto, deverá ser o de agregar à marca um argumento tangível, direto e objetivo de diferen...
2 O PÚBLICOComo pensa o pré-universitário
Uma cer teza: vestibulandos não tem cer teza de nada.1)   Não sabe se vai passar no vestibular.2)   Se passar, não sabe qu...
Exceções à par te, o que melhor define umjovem pré-universitário é a INSEGURANÇA.E não é pra menos. Afinal, o vestibulando...
Como se não bastasse toda essa insegurança, oano do vestibular é, ainda, um ano de escolhasdeterminantes.A primeira e a ma...
E isso não é uma tarefa fácil. O momento é de ENORMEexpectativa. Expectativas de uma vida inteira.                        ...
Além do mais, o jovem “Geração Y” é pragmático.Ele quer ter a prova de que a universidade oferecetudo que ele precisa para...
3 O MERCADOComo se apresentam as universidadespar ticulares concorrentes no RJ
Se o território da universidade par ticular é ouniverso do tangível;Se o jovem, nessa fase, é inseguro e busca umauniversi...
Acreditamos que a concorrência erra ao venderapenas as facilidades que o aluno encontra nauniversidade, como bolsa de estu...
Um tablet é só um detalhe se comparado com o  CONTEÚDO                                     que vem dentro dele.
É o foco no conteúdo que passa confiança aoestudante de que ele será preparado da melhorforma possível.
O que é ter conteúdo? Ensino que extrapola o material didático Não apenas dar respostas, provocar o pensamento Formar pess...
É, essencialmente, uma transferência de foco:  da universidade                  para as pessoas
Uma universidade sem conteúdo, cujo foco nãoestá sobre as pessoas, definitivamente nãointeressa ao jovem.Essa universidade...
CONCEITO ESTRATÉGICOFormando pessoascom conteúdo.
TangibilizaçãoCriativa
Mídia Impressa
Filme
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Concorrência Gama Filho 2011
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Concorrência Gama Filho 2011

1.195 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.195
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Concorrência Gama Filho 2011

  1. 1. Plano de Comunicação
  2. 2. RaciocínioEstratégico
  3. 3. Nosso ponto de par tida O posicionamento atual trouxe vários destaques positivos para a Gama Filho, transmitindo objetividade, confiança, compromisso.
  4. 4. No entanto, faz-se necessária uma evolução doconceito, que o torne ainda mais crível e eficiente.Ainda existe uma barreira a ser derrubada paraatingir em cheio as expectativas do público.
  5. 5. É preciso encontrar um argumento criativodiferenciador no mercado.Tal argumento deve dizer o que essa escolharepresenta e ratificar essa cer teza.Para que a campanha de fato combata a insegurançanatural da escolha, é preciso dar um passo além.
  6. 6. E principalmente: é preciso que essaevolução maximize o impacto junto aopúblico alvo, chamando a atenção,trazendo relevância e, por consequência,lembrança e reconhecimento.
  7. 7. Tendo este desafio em mente, nossodiagnóstico par tiu da observação detrês elementos: O CONTEXTO Modelo do Ensino Superior no Brasil O PÚBLICO Como pensa o pré-universitário O MERCADO Como se apresentam as universidades par ticulares concorrentes no RJ
  8. 8. 1 O CONTEXTOModelo do Ensino Superior no Brasil
  9. 9. Lógica do mercado brasileiroENSINO SUPERIOR ENSINO SUPERIOR GRATUITO PAGO
  10. 10. GRATUIDADE Filtro (Vestibular) + “indústria do concorrido e disputado vestibular” “aura” da Migração de alunos maisuniversidade pública bem preparados e com (Objeto de desejo) maior renda Apelo e presença no mercado de trabalho
  11. 11. PÚBLICAS PRIVADASUniverso da aura; Universo do valor; do intangível; do tangível; subjetivo objetivo
  12. 12. O papel da comunicação, nessecontexto, deverá ser o de agregar à marca um argumento tangível, direto e objetivo de diferenciação que consiga embasar seu valor.
  13. 13. 2 O PÚBLICOComo pensa o pré-universitário
  14. 14. Uma cer teza: vestibulandos não tem cer teza de nada.1) Não sabe se vai passar no vestibular.2) Se passar, não sabe qual universidade é a melhor.3) Muitas vezes, não sabe nem qual curso deve fazer.4) Tem receio de não se dar bem na área que escolher.5) Não sabe se vai conseguir emprego, se não vai...6) Ad infinitum.
  15. 15. Exceções à par te, o que melhor define umjovem pré-universitário é a INSEGURANÇA.E não é pra menos. Afinal, o vestibulandoestá terminando uma longa etapa da vidaque começa no maternal e vai até o final doensino médio.A universidade acaba sendo a transição entrea vida de estudante e a vida profissional, ou“vida adulta”. Isso, por si só já significa muito,pois toda a expectativa de sucesso na vidaprofissional está em jogo.
  16. 16. Como se não bastasse toda essa insegurança, oano do vestibular é, ainda, um ano de escolhasdeterminantes.A primeira e a mais impor tante escolha de um vestibulandoé o curso. O que ele quer fazer (pro resto da vida)? Tendoresolvido isso, a segunda escolha é a escola na qual ele querestudar (diariamente, por vários anos).
  17. 17. E isso não é uma tarefa fácil. O momento é de ENORMEexpectativa. Expectativas de uma vida inteira. pico da expectativa difícil escolha insegurança pouca expectativa trampolim para o sucesso sucesso/fracasso longa formação cur ta formação sonhos VIDA DE ESTUDANTE TRANSIÇÃO VIDA ADULTA colégio universidade carreira Na cabeça do jovem é na universidade que se define como vai ser a vida adulta. Logo, é necessário fazer a melhor ofer ta para ser a IES preferida.
  18. 18. Além do mais, o jovem “Geração Y” é pragmático.Ele quer ter a prova de que a universidade oferecetudo que ele precisa para estar preparado para avida adulta, isto é, ter tudo o que precisa paracrescer na carreira que escolheu.
  19. 19. 3 O MERCADOComo se apresentam as universidadespar ticulares concorrentes no RJ
  20. 20. Se o território da universidade par ticular é ouniverso do tangível;Se o jovem, nessa fase, é inseguro e busca umauniversidade que o prepare da melhor formapossível para os desafios que virão...
  21. 21. Acreditamos que a concorrência erra ao venderapenas as facilidades que o aluno encontra nauniversidade, como bolsa de estudo, graduação àdistância, infraestrutura moderna, dupla cer tificação...E erra ainda mais quando não tangibiliza atributoscomo tradição, garantia de um futuro brilhante, índicede satisfação dos alunos, sustentabilidade, etc.
  22. 22. Um tablet é só um detalhe se comparado com o CONTEÚDO que vem dentro dele.
  23. 23. É o foco no conteúdo que passa confiança aoestudante de que ele será preparado da melhorforma possível.
  24. 24. O que é ter conteúdo? Ensino que extrapola o material didático Não apenas dar respostas, provocar o pensamento Formar pessoas, não alunos
  25. 25. É, essencialmente, uma transferência de foco: da universidade para as pessoas
  26. 26. Uma universidade sem conteúdo, cujo foco nãoestá sobre as pessoas, definitivamente nãointeressa ao jovem.Essa universidade seria apenas uma impressorade diplomas, mas qual o valor de um papel?
  27. 27. CONCEITO ESTRATÉGICOFormando pessoascom conteúdo.
  28. 28. TangibilizaçãoCriativa
  29. 29. Mídia Impressa
  30. 30. Filme

×