O G O V E R N O P R E S I D E N C I A L D E F H C T E V E D O I S
M A N D A T O S E F O I M A R C A D O P E L A E F E T I ...
Um pouco sobre o presidente:
 Nasceu em 18 de junho de 1931 no Rio de Janeiro.
 Formou-se em Ciências Sociais pela Unive...
 Perdeu as eleições para a prefeitura de São Paulo para Jânio Quadros no
ano de 1985, mas em 1986 foi eleito senador por ...
Cenário Econômico vigente:
 Substituição de importações (industrialização
induzida, controle de taxas de importação e man...
Cenário Econômico da época:
 Descontrole inflacionário que desestabilizava e
estagnava qualquer tentativa de crescimento ...
Mandatos:
 1º mandato:
jaiusbasbaisbaisbaisbasb
aisbaisbaisbiabsiabsiabia
bsiabsiabsiabsaisbaisbiau
sa
ashauishauihsuahsu...
Primeiro Mandato:
 Durante o tradicional discurso de posse em 1º de
janeiro, FHC comenta sobre a continuidade do Plano
Re...
“Nova” inserção do país na economia global
(através da abertura de mercado)
“Temos de volta a liberdade, portanto. E terem...
Políticas Neoliberais de Privatizações
 Fernando Henrique Cardoso, revogou todas as medidas de
favorecimento dos capitais...
Empresas privatizadas
Consequências:
 Se por um lado esse programa desempenhou um
importante papel na sustentação do Plano Real, atraindo
eleva...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Privatizações no governo de fernando henrique cardoso

423 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
423
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Privatizações no governo de fernando henrique cardoso

  1. 1. O G O V E R N O P R E S I D E N C I A L D E F H C T E V E D O I S M A N D A T O S E F O I M A R C A D O P E L A E F E T I V A I M P L A N T A Ç Ã O D A P O L Í T I C A N E O L I B E R A L N O B R A S I L : 1 º M A N D A T O ( 1 9 9 4- 1 9 9 7 ) 2 º M A N D A T O ( 1 9 9 8 - 2 0 0 2 ) Privatizações no Governo de Fernando Henrique Cardoso.
  2. 2. Um pouco sobre o presidente:  Nasceu em 18 de junho de 1931 no Rio de Janeiro.  Formou-se em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP).  Foi exilado na época da Ditadura. (Chile e França)  Tornou-se professor da USP em 1952.  Foi eleito suplente do Senador paulista Franco Montoro em 1978
  3. 3.  Perdeu as eleições para a prefeitura de São Paulo para Jânio Quadros no ano de 1985, mas em 1986 foi eleito senador por São Paulo.  Foi um dos fundadores do Partido Social Democrático Brasileiro (PSDB)  Durante o governo de Itamar Franco assumiu o Ministério das Relações Exteriores (1992) e o Ministério da Fazenda (1993).  Realizou uma reforma monetária: O Plano Real.  Em 1993 deixou o Ministério da Fazenda e lançou sua candidatura à presidência da República pelo PSDB.
  4. 4. Cenário Econômico vigente:  Substituição de importações (industrialização induzida, controle de taxas de importação e manipulação da taxa de câmbio). “Produzir internamente tudo aquilo que antes era importado.”  Após a crise de 29 a política de substituição de importações foi implementada com o objetivo de desenvolver o setor manufatureiro e resolver os problemas de dependência de capitais externos.
  5. 5. Cenário Econômico da época:  Descontrole inflacionário que desestabilizava e estagnava qualquer tentativa de crescimento econômico. “A taxa anual de inflação quadruplicou entre o início de 1985 e o final de 1988 e atingiu 81% ao mês em março de 1990. Esse cenário se estendeu até 1994.”
  6. 6. Mandatos:  1º mandato: jaiusbasbaisbaisbaisbasb aisbaisbaisbiabsiabsiabia bsiabsiabsiabsaisbaisbiau sa ashauishauihsuahsuiahsi auhsuaihsuiahsaihsuaish a sashiuahs asauishahsai s sahishaisaihuiahsuiahsiu 2º mandato:
  7. 7. Primeiro Mandato:  Durante o tradicional discurso de posse em 1º de janeiro, FHC comenta sobre a continuidade do Plano Real e das políticas reformistas que seriam adotadas no combate à inflação (privatizações): “Ao escolher a mim para sucedê-lo [Itamar Franco], a maioria absoluta dos brasileiros fez uma opção pela continuidade do Plano Real, e pelas reformas estruturais necessárias para afastar de uma vez por todas o fantasma da inflação.”. (BRASIL, 1995, p. 1-9).
  8. 8. “Nova” inserção do país na economia global (através da abertura de mercado) “Temos de volta a liberdade, portanto. E teremos desenvolvimento.(…) Também vemos com satisfação que aumenta o interesse de outros países pelo Brasil.(…) Rapidamente, no ritmo veloz das comunicações e da abertura da economia brasileira, estamos deixando para trás atitudes xenófobas, que foram mais efeito do que causa do nosso relativo fechamento no passado (…). Por isso mesmo, a realização de um projeto nacional consistente de desenvolvimento deve nos fortalecer crescentemente no cenário internacional. (BRASIL, 1995, p. 1-9).  A estratégia de FHC esperava um incremento da produtividade, decorrente do desenvolvimento tecnológico, por meio de maior competitividade e do aumento do investimento externo. A consequência seria o crescimento da economia e do emprego.
  9. 9. Políticas Neoliberais de Privatizações  Fernando Henrique Cardoso, revogou todas as medidas de favorecimento dos capitais nacionais em face dos estrangeiros, privatizou a produção estatal, alterando o relacionamento entre os modos de produção.  “O modo capitalista de produção deixou de ser tutelado pelo Estado”  O papel do Estado na economia brasileira mudou drasticamente, passando de um Estado-empresário, que procurava impulsionar o desenvolvimento econômico definindo diretamente onde os fatores de produção deveriam ser alocados, para um Estado regulador e fiscal, mudando o foco da simples acumulação de capital para uma busca de eficiência e produtividade.
  10. 10. Empresas privatizadas
  11. 11. Consequências:  Se por um lado esse programa desempenhou um importante papel na sustentação do Plano Real, atraindo elevados montantes de investimento direto estrangeiro, que ajudaram a financiar os altos déficits em conta corrente e evitaram a explosão da dívida pública; por outro, como nenhum recurso é captado sem custos, ele representou a desnacionalização de nosso parque industrial.

×