Sistema digestório humano

424 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
424
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema digestório humano

  1. 1. SISTEMA DIGESTÓRIO HUMANO Sistema responsável pela preensão, mastigação, deglutição, digestão e absorção dos alimentos ingeridos, e eliminação de produtos sólidos do catabolismo, sob a forma de fezes. • Consiste em: • (1) à um longo tubo muscular (canal alimentar) que começa nos lábios e termina no ânus, e inclui: boca (e cavidade bucal), faringe, esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso. (2) à glândulas localizadas fora do tubo digestivo, e que esvaziam suas secreções no tubo, incluindo: glândulas salivares, fígado e pâncreas. Boca • Estrutura – comunica-se anteriormente com o exterior pela rima bucal, circundada pelos lábios e, posteriormente, com a parte bucal da faringe ou orofaringe, através do istmo das fauces. Lateralmente, é limitada pelas bochechas, superiormente pelo palato, e inferiormente pelo assoalho da boca, onde encontramos os dentes, as gengivas, e a língua. 1
  2. 2. • Divisão – A cavidade bucal pode ser assim dividida: • Vestíbulo da Boca – espaço entre lábios e bochechas, e gengivas e dentes. • Cavidade Bucal Propriamente Dita – é o restante da cavidade bucal Dentes •Reduzem os alimentos a pequenos pedaços, misturando-os à saliva. Língua •Movimenta o alimento empurrando-o em direção à garganta, para que seja engolido. •Papilas gustativas  Células sensoriais percebem os quatro sabores primários: amargo (A), azedo ou ácido (B), salgado (C) e doce (D). •Distribuição dos receptores gustativos na superfície da língua: não é homogênea. •Combinação dos sabores primários: centenas de sabores distintos. 2
  3. 3. Glândulas Salivares •Parótida, submandibular e sublingual. •Amilase salivar ou ptialina  Digere o amido e outros polissacarídeos (como o glicogênio), reduzindo-os a moléculas de maltose (dissacarídeo). •Os sais da saliva neutralizam substâncias ácidas e mantêm, na boca, um pH neutro (7,0) a levemente ácido (6,7), ideal para a ação da ptialina. 3
  4. 4. FARINGE E ESÔFAGO •Faringe  Situada no final da cavidade bucal  Canal comum aos sistemas digestório e respiratório  Por ela passam o alimento, que se dirige ao esôfago, e o ar, que se dirige à laringe. •Esôfago  Canal que liga a faringe ao estômago  O bolo alimentar leva de 5 a 10 segundos para percorrê-lo. ESTÔMAGO A Digestão no Estômago •Suco gástrico  Contêm ácido clorídrico, muco, enzimas e sais. •Pepsina  Enzima mais potente do suco gástrico que catalisa a digestão de proteínas ∅ secretada na forma de pepsinogênio: 4
  5. 5. Túnica Muscular do Estômago 5
  6. 6. Atividades Digestivas no Estômago 6
  7. 7. INTESTINO DELGADO •Divisão: duodeno (cerca de 25 cm), jejuno (cerca de 5 m) e íleo (cerca de 1,5 cm). •Digestão: ocorre predominantemente no duodeno:  Suco entérico,  Suco pancreático,  Bile (não contém enzimas digestivas) •Absorção do alimento: jejuno-íleo 7
  8. 8. A Digestão do Intestino Delgado Etapas da Digestão Química Secreçã o digestiva Órgão secretor Local de ação Enzimas pH ótimo Saliva Glândulas salivares Boca Ptialina Neutro a ligeiramente ácido Suco gástrico Mucosa gástrica Estômago Pepsina Ácido Suco pancreático Pâncreas Intestino Delgado Tripsina, Quimiotripsina, Amilase, Alcalino (Básico) 8
  9. 9. Lípase, Nucleases Suco entérico (Intestinal) Intestino delgado (Duodeno) Intestino delgado Entetoquinase, Peptidases, Nucleases, Dissacaridases, Maltase, Sacarase, Lactase Alcalino Controle da Atividade Digestiva •Alimento na boca:  Saliva  Estimula o nervo vago  Início da liberação do suco gástrico •Alimento no estômago:  Gastrina  Estimula a produção do suco gástrico (1) •Alimento no duodeno:  Secretina  Estimula a produção do suco pancreático (2)  Colecistocinina  Estimula secreção do suco pancreático (3) e o lançamento da bile no duodeno (4)  Enterogastrona  Inibe produção de gastrina (e de suco gástrico) (5) INTESTINO DELGADO E VILOSIDADES 9
  10. 10. FÍGADO •Maior glândula do corpo humano. •Funções: o Formação da bile; o Armazenamento de carboidratos (glicogênio), ferro e certas vitaminas; o Metabolização de lipídeos; o Metabolização do álcool e de substâncias tóxicas; o Outras. 10 O intestino delgado é o local onde a digestão é concluída e começa a absorção dos nutrientes. Isso é possível graças às microvilosidades. Microvilosidades
  11. 11. FÍGADO, VESÍCULOA BILIAR E A EMULSIFICAÇÃO DE GORDURAS •Bile  Sintetizada pelo fígado e armazenada na vesícula biliar  Emulsiona gorduras, facilitando a ação das lipases. 11
  12. 12. PÂNCREAS •Glândula mista ou anfícrina: o Porção exócrina: secreta o suco pancreático. o Porção endócrina: ilhotas de Langehans: ◦ Células β (beta): insulina ◦ Células α (alfa): glucagon 12
  13. 13. INTESTINO GROSSO •Absorção de água. •Formação e lubrificação das fezes. 13
  14. 14. 14
  15. 15. A PORÇÃO FINAL: INTESTINO GROSSO O COLESTEROL •Lipídeo esteróide essencial para a vida: o Faz parte da estrutura das membranas celulares; o Precursor necessário para a biossíntese de vários hormônios (cortisol, aldosterona, testosterona, progesterona, estradiol); o Precursor de sais biliares e da vitamina D. •Endógeno: obtido por meio de síntese celular  70%. •Exógeno: proveniente da dieta  30%. •Excesso em pessoas sem alterações genéticas no metabolismo do colesterol  Maus hábitos alimentares. •Insolúvel em água  Para ser transportado na corrente sanguínea liga-se a algumas proteínas e outros lipídeos através de ligações não-covalentes em um complexo chamado lipoproteína. 15
  16. 16. LIPOPROTEÍNAS De acordo com a natureza e quantidade de lipídeos e proteínas que as constituem. Classes de lipoproteínas: 1. Quilomicrons: grandes partículas que transportam as gorduras alimentares e o colesterol para os músculos e outros tecidos. 2. Very-Low Density Lipoproteins (VLDL) e Intermediate Density Lipoprotein (IDL): transportam triglicerídeos (TAG) e colesterol endógenos do fígado para os tecidos  Perda de TAG e coleta de mais colesterol  LDL. 3. Low-Density Lipoproteins (LDL): transportam do fígado para os tecidos, cerca de 70% de todo o colesterol que circula no sangue  Pequenas e densas o suficiente para se ligarem às membranas do endotélio (revestimento interno dos vasos sangüíneos)  Aterosclerose  Níveis elevados associados com os altos índices de doenças cardiovasculares. 4. High-Density Lipoproteins (HDL): é responsável pelo transporte reverso do colesterol  Transporta o colesterol endógeno de volta para o fígado  Nível elevado associado com baixos índices de doenças cardiovasculares. 16
  17. 17. BIOSSÍNTESE DE LDL O COLESTEROL COLESTEROL IDEAL SUSPEITO ALTO RISCO Total Até 200 mg/dL Entre 201 a 239 mg/dL Maior que 240 mg/dL HDL Acima de 40 mg/dL De 35 a 40 mg/dL Abaixo de 35 mg/dL LDL* Abaixo de 130 mg/dL De 130 a 159 mg/dL Acima de 160 mg/dL 17
  18. 18. * Se existem fatores de risco associados como diabetes, hipertensão e fumo, deve ficar abaixo de 100. Controle do Colesterol •Coma mais frutas e vegetais. •Aumente a ingestão de alimentos ricos em fibras: legumes, verduras, cereais, pães integrais etc. •Coma mais peixe grelhado ou assado, carne de aves sem pele e reduza o consumo de carne vermelha (dê preferência para cortes magros). •Evite frituras. •Limite a ingestão de gorduras saturadas. Ex.: manteiga e gorduras de origem animal. •Limite a ingestão de alimentos ricos em colesterol, como gema de ovo e fígado  Não coma mais que duas gemas por semana. •Dê preferência a queijos brancos e utilize derivados de leite pobres em gordura. Ex.: leite desnatado, iogurte desnatado e sorvetes light. •Faça exercícios físicos regularmente. •Elimine o cigarro. •Controle doenças como diabetes e hipertensão arterial. •Emagreça e mantenha o índice de massa corporal (IMC) até no máximo 25. O calculo é simples, basta dividir o seu peso pela sua altura ao quadrado. Ex.: peso = 70 kg; altura = 1,70 m ∅ IMC = 70 : (1,70)2 ∅ IMC= 70 : 2,89 = 24,22 (<25) CONDIÇÃO IMC Abaixo do peso Abaixo de 18,5 Peso normal Entre 18,5 e 24,9 Excesso de peso Entre 25 e 29,9 Obesidade I (Leve) Entre 30,0 e 34,9 Obesidade II (Moderada) Entre 35,0 e 399,9 Obesidade III (Extrema) Igual ou superior a 40 18

×