Modelo de PCMAT -                                                     abril de 2001                                       ...
Modelo de PCMAT -                                   abril de 2001       Modelo de PCMAT -                                 ...
Modelo de PCMAT -                                      abril de 2001       Modelo de PCMAT -                              ...
Modelo de PCMAT -                                                                    abril de 2001         Modelo de PCMAT...
Modelo de PCMAT -                                                                   abril de 2001         Modelo de PCMAT ...
Modelo de PCMAT -                                                                 abril de 2001         Modelo de PCMAT - ...
Modelo de PCMAT -                                                               abril de 2001        Modelo de PCMAT -    ...
Modelo de PCMAT -                                                               abril de 2001            Modelo de PCMAT -...
Modelo de PCMAT -                                                             abril de 2001        Modelo de PCMAT -      ...
Modelo de PCMAT -                                                                 abril de 2001          Modelo de PCMAT -...
Modelo de PCMAT -                                                                               abril de 2001        Model...
Modelo de PCMAT -                                                                abril de 2001         Modelo de PCMAT -  ...
Modelo de PCMAT -                                                                abril de 2001         Modelo de PCMAT -  ...
Modelo de PCMAT -                                                            abril de 2001         Modelo de PCMAT -      ...
Modelo de PCMAT -                                                   abril de 2001             Modelo de PCMAT -           ...
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •

27.652 visualizações

Publicada em

Modelo de pcmat • blog segurança do trabalho •

  1. 1. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Curitiba, 10 de abril de 2001 OF.:10/2001-SEG Ilmo. Sr. Nononono Nononono Nonono Delegado Regional do Trabalho no Estado do Paraná Nesta Recortar aqui PCMATPrograma de Condições do Meio Ambiente de Trabalho na Construção Civil Conforme determina a lei 6514 de 22 de dezembro de 1977 que instituiu as Normas de Segurança no Trabalho, e em cumprimento ao disposto na NR-18.2 Comunicação Prévia, informamos à essa delegacia o que Programa de Gerenciamento e Prevenção segue: de Acidentes. Modelo para Uso a) Endereço da Obra: Exclussivo de Empresa Associada ao _______________________________________________________; SECONCI-PR. b) Qualificação do Contratante: CNPJ:__________________________________________________; c) Endereço do Contratante: _______________________________________________________; d) Tipo de Obra: _______________________________________________________; e) Início da Obra: _______________ Conclusão da obra: ________; f) Número máximo previsto de trabalhadores: _________________; É o que tinhamos a informar. Atenciosamente; Curitiba - 2001 SECONCI-PR – versão nº III. 2 Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  2. 2. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001 Engº Vixcxvxvc Gtrtrtrtscdfv CAPÍTULO III ÍNDICE Procedimentos Administrativos pg.CAPÍTULO I Treinamento pg.Localização pg. Controle Médico pg.Características do local pg. Mapa de Riscos pg.O Canteiro pg. CIPA pg.Área de Vivência pg. Banheiros pg. CAPÍTULO IV Chuveiros pg. Riscos de Acidentes pg. Local de Refeições pg. Limpeza do Terreno pg. Vestiário pg. Escavações pg.Instalações Elétricas pg. Fundações pg.Máquinas e Equipamentos pg. Estrutura pg. Serra Circular pg. Alvenaria pg. Pistola Finca Pino pg. Acabamento pg. Elevador de pessoal pg. Outras situações pg. Elevador de Carga pg. Cronograma de implantação (Anexo 18) Grua pg. CAPÍTULO V Andaimes pg. ANEXOS (Esquemas, planilhas) pg. Betoneiras pg. Anexo 2.- Locação do canteiro, Imóveis próximos, Postes elétricos, Vegetação, Bob-cat pg. ponto de ônibus, pistas de rolamento. Ferramentas pg. Anexo 3.- Instalações sanitáriasSinalização pg. Anexo 4.- Local de Refeições Interna pg. Anexo 5.- Vestiário Externa pg. Anexo 6.- Ordens de ServiçoProcedimentos de Emergência pg. Anexo 7.- Serra Circular Acidentes leves pg. Anexo 8.- Andaimes, Fachadeiro, Balancim, Acidentes graves pg. Anexo 9.- Sinalização: Cartazes, Testada de Obra, Obstrução temporária Acidentes com óbito pg. Anexo 10.- Roteiro de Emergência Anexo 11.- EPC’s: Plat. De Proteção, Guarda-corpo, Prot. Abertura de pisos,CAPÍTULO II Proteção em escavações, Proteção de pontas de Vergalhões, Proteção de passeios e logradouro, Proteção da entrada da obra, Passarela, Rampas, Escadas de mão,Equipamentos de Proteção Coletiva – EPC’s pg. Barreiras de proteção.Equipamentos de Proteção Individual – EPI’s pg. Anexo 12.- Planilha EPI X FunçãoProteção contra incêndios pg.SECONCI-PR – versão nº III. 3 SECONCI-PR – versão nº III. 4Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  3. 3. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001Anexo 13.- Modelo de registros: EPI, VestimentaAnexo 14.- Planilha Exame X FunçãoAnexo 15.- Mapa de Riscos: Limpeza do Terreno, Escavações, Fundações, CAPÍTULO IEstrutura, Alvenaria e Acabamento. INFORMAÇÕES GERAISAnexo 16.- Planilha CartazesAnexo 17.- Telefones úteis MEMORIALAnexo 18.- CRONOGRAMA. LOCALIZAÇÃO Obra situada no Bairro Cabral na Rua Belém esquina Rua Chichorro Júnior- na Cidade de Curitiba. CARACTERÍSTICAS DO LOCAL As principais características, próximas do canteiro de obras são as seguintes: Comércio: Existe atividade comercial de médio fluxo. Trânsito: Fluxo definido como intenso. Cinco linhas de ônibus passam em frente ao empreendimento. Posteamento elétrico público: Existem postes na calçada da face da obra, sendo que os mais próximos estão a uma distância de 02 metros da face do tapume (ver anexo ) Imóveis: Existem imóveis adjacentes (residências), com garagem contígua (ver anexo ). CARACTERÍSTICAS DO EMPREENDIMENTO Edifício de uso comercial com as seguintes características: Fundações: Fundação profunda por estaca cravada; Estrutura: Concreto armado. 20 lajes tipo, total 21 pavimentos e um sub-solo. Alvenaria: Fechamentos em tijolo 6 furos. Emboço e Reboco em todas as paredes internas e externas; Acabamentos: Faces externas pastilhadas. Esquadrias em alumínio. Portas convencionais internas e externas, pisos cerâmicos nas áreas molhadas e carpê 12mm nas demais áreas. Outras características o Estrutura da cobertura em aço; o Caixa d’água de 50.000litros impermeabilizada; o 3 Elevadores internos; o Pontos de fixação de equipamentos para manutenção predial na cobertura; o Recuos aproximados de 20 metros em todas as faces. O CANTEIRO A alocação do canteiro de obra será realizado conforme croqui (ver anexo ), onde temos além da projeção da planta da obra, a alocação da área de vivência. ÁREA DE VIVÊNCIA Instalações SanitáriasSECONCI-PR – versão nº III. 5 SECONCI-PR – versão nº III. 6Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  4. 4. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001As instalações sanitárias provisórias, estarão dimensionadas adequadamente para atender ao número Característicasmáximo previsto de trabalhadores (40). Os sistemas construtivos serão padronizados, assegurando adurabilidade às instalações. Mesas com tampo forrado com material impermeável.Banheiros (ver anexos) Marmiteiro tipo banho-maria com capacidade para atender aos usuários.Os banheiros serão constituídos de 2 lavatórios, 2 bacias turcas, mictório tipo calha, 4 chuveirosplásticos, seguindo o estipulado na NR-18.4.2.4. Lixeiras para resíduos. Características Limpeza realizada após o café-da-manhã e após o almoço, todos os dias. • Serão utilizadas bacias turcas, por serem mais higiênicas e duráveis. • Instaladas em compartimentos individuais e dotadas de portas indevassáveis. Vestiário (ver esquemas nos anexos) • A ventilação será natural para o exterior através de aberturas (janelas) de ventilação. Características mínimas Com armários e bancos em número suficiente. • As paredes divisórias com altura de 2,10 metros, sendo estas revestidas com material cerâmico (sobras das obras) até uma altura de 1,50m. Armários: Estes armários serão confeccionados em madeira laminada, numerados e com fechadura e cadeado. Não será permitida a guarda de bebida alcoólica nem armas • O piso será revestido com material cerâmico antiderrapante (sobra de obras). de qualquer natureza. • Cada compartimento contará com recipiente para papéis usados. Iluminação natural e artificial adequada. • Papel higiênico ficará à disposição no almoxarifado, em compartimento específico (ver esquema nos anexos) e ao alcance de todos os trabalhadores. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS • Será realizada limpeza diária no início do expediente e às 13 horas. Características mínimas • O quadro geral será aterrado, além de dispor de terminal neutro para alimentar o sistema monofásico. Manter as portas do quadro fechadas para evitar que osChuveiros (ver esquema no anexo 3) funcionários encostem nas partes energizadas (“vivas”) e não guardem roupas, garrafas Características ou outros objetos dentro dele. Os chuveiros serão plásticos com água quente e fria, do tipo coletivo, aterrados • Os fios e cabos serão extendidos de forma aérea e por locais que não atrapalhem a eletricamente. passagem de pessoas máquinas e materiais. Haverá suporte para sabonete e cabide para toalha. • Sempre que se realizarem trabalhos próximo da rede externa elétrica, os mesmos serão acompanhados por pessoa experiente para avisar quando houver risco de acidente. O piso será provido de material emborrachado, e retirado freqüentemente para secagem. • A rede de distribuição nas instalações de apoio será protegida por eletrodutos de PVC. O piso terá caimento necessário para escoamento da água para a rede de esgoto. • Não será permitido o uso de gambiarras. Todas as conexões dos equipamentos serão pelo conjunto “Plug/Tomada”.Local de refeições (ver esquema nos anexos)SECONCI-PR – versão nº III. 7 SECONCI-PR – versão nº III. 8Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  5. 5. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001 • Todos os eletricistas receberão Ordens de Serviço específicas .(ver anexo 6). Pistola finca-pino Somente será operada por funcionário habilitado e credenciado pela Administração da Obra, deve ainda receber Ordem de Serviço (ver anexos). Elevador para transporte de funcionáriosMÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Será utilizado o elevador de cremalheira no canteiro de obra, deve atender as seguintes • As máquinas e equipamentos elétricos serão aterrados adequadamente, a anel de observações: aterramento. O elevador de cremalheira obedecerá as especificações do fabricante para montagem, • Todos os operadores de máquinas e equipamentos receberão instruções via Ordem de operação, manutenção e desmontagem, e estará sob a responsabilidade de profissional Serviço sobre os métodos mais seguros para cada operação ( ver anexo 6). legalmente habilitado, com a emissão de ART.Serra Circular (ver esquema nos anexos) Os manuais de orientação do fabricante estarão na obra, para consulta. Somente será operada por funcionários qualificados, identificados e com o devido EPI 3em 1 ( capacete, protetor facial e protetor auricular num só equipamento). Estes EPI’s ficarão em Este elevador pode transportar materiais desde que não simultaneamente e com o comando externo.compartimento próprio próximos da mesa da serra e ao alcance dos operadores. Na obra daremos prioridade ao transporte de pessoas. Atenderá os seguintes requisitos mínimos: Elevador de carga Será operado por funcionário qualificado e devidamente identificado. Coifa protetora; O posto de trabalho, do operador, será isolado com paredes de madeira compensada, Empurradores ; inclusive com cobertura e porta com cadeado. Caixa coletora de resíduos; Todas as partes móveis da força motriz serão protegidas. Chave de ignição. O sistema de comunicação será feito via campainha elétrica. Extintor tipo PQS. A mesa do elevador será provida de sinalizador acústico, para ser acionado durante sua Aterrada eletricamente. movimentação. Ficará sob cobertura. Em toda a extensão da obra e acompanhando a torre, será instalado o Tubo-fone. Quadros de aviso “Uso exclusivo de carpinteiro” e “Uso obrigatório de EPI”. A cabina será fechada nas laterais e na parte posterior, por painéis até a altura da cobertura basculante da mesa (ver anexos). Alguns procedimentos básicos: Na altura das plataformas em contato com a torre do elevador, serão colocados • Regularmente será verificado o disco de corte. anteparos com no mínimo 1,80m envolvendo a torre, principalmnete nos locais de possíveis contatos acidentais. (ver anexos) • Será esvaziada a caixa coletora de resíduos, principalmente no final do expediente. Terá livro de manutenção periódica, assinado pelo responsável. • Corte de cunhas somente em madeiras com mais de 30cm (trinta centímetros).SECONCI-PR – versão nº III. 9 SECONCI-PR – versão nº III. 10Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  6. 6. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001 Será feita inspeção diária visual pelo operador verificando as condições do cabo de aço, A grua disporá de alarme sonoro que será acionado pelo operador sempre que houver mesa do elevador, campainha, tubo-fone, fim de curso e freios. movimentação de carga. Toda e qualquer irregularidade será comunicada pelo operador imediatamente ao Outras orientações para operação deste equipamento será realizado em conformidade mestre-de-obra e ao responsável pela Administração da obra. com as recomendações do fornecedor do equipamento. As áreas de carga e descarga, dentro do raio de ação da lança, serão constantemente Será sinalizado com os avisos “capacidade máxima”, “proibido transporte de pessoas” vigiadas e isoladas de forma a prevenir acidentes. O responsável será designado pelo “ Não coloque a cabeça no Poço do elevador” em todas as lajes, próximo à torre. engenheiro da obra. A comunicação do vigilante com o operador da grua será necessariamente via rádio. A torre do elevador será revestida com tela nas faces laterais e posterior, até dois metros acima da última parada, para proteção contra a queda de materiais além de seus Andaimes limites. Além das orientações do fornecedor dos andaimes, serão consideradas as seguintes observações: A torre será afastada da beirada da laje no máximo 20cm. A montagem, movimentação e desmontagem dos andaimes, será supervisionado pelo técnico de Segurança da obra para evitar riscos de acidentes, principalmente com redes O acesso à torre do elevador terá cancela, afastada a um metro da borda da laje. elétricas e queda de componentes, que possam atingir não somente aos trabalhadores da obra, como a pedestres. O andaime suspenso disporá de sistema guarda-corpo e rodapé (ver anexo 8), inclusiveGrua nas cabeceiras.Este equipamento de guindar atenderá as seguintes orientações: Todos os andaimes suspensos serão numerados, e no livro da obra registrado o nome A ponta de lança e o cabo de aço ficara afastada no mínimo a três metros de qualquer da(s) pessoa(s) que estiverem nesses equipamentos diariamente (ver anexo 8). obstáculo e terá afastamento da rede elétrica conforme orientação da COPEL. Deve ser feita verificação diária das condições dos cabos de sustentação, assoalho e do O primeiro estaiamento da torre fixa ao solo será no oitavo elemento e a partir daí de cabo guia de segurança, dos balancins. cinco em cinco elementos. Os andaimes fachadeiros fixos, se utilizados, disporão de tela de proteção, desde a Sempre que o equipamento de guindar não estiver em operação, a lança será colocada primeira plataforma de trabalho até pelo menos dois metros acima da última plataforma em posição de descanso. (ver anexos). Não será realizado trabalho sob intempéries desfavoráveis (principalmente em Após o uso dos andaimes suspensos, devem ser devidamente ancorados à estrutura do prenúncio de chuva, durante a chuva, e ventos fortes), que exponham a risco aos prédio. colaboradores da área, e principalmente a terceiros. A grua estará aterrada eletricamente, e se necessário, disporá de pára-raios situado a dois metros acima da ponta mais elevada da torre. Betoneiras O moitão necessariamente disporá de trava de segurança. Serão utilizadas betoneiras com carregador e misturador. Operada apenas por funcionário qualificado, identificado como tal e com os EPI’s necessários (ver planilha EPI X Função). A As áreas de carga e descarga serão convenientemente delimitadas, permitindo o acesso betoneira obedecerá os seguintes requisitos mínimos: às mesmas somente ao pessoal envolvido na operação. Ficará sob cobertura.SECONCI-PR – versão nº III. 11 SECONCI-PR – versão nº III. 12Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  7. 7. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001 Terá sua área isolada com barreira ou cancela. Toda a obra será sinalizada com avisos e cartazes, informando sobre Riscos, Atenção e Avisos, conforme orientações da assessoria de segurança do trabalho e material do Sinduscon/PR/ Seus componentes serão revisados periodicamente (proteções na transmissão de força SECONCI/PR. (ver croqui nos anexos) principalmente). Externa Limpeza do equipamento somente no final do expediente e com o equipamento desligado, colocando sempre um calço de suporte na caçamba. Na sinalização externa serão atendidos os critérios para Bloqueio de testada de Obra e Trânsito de Veículos de Carga e Descarga da Urbanização de Curitiba S/A – URBS, do Diretran e do Controle de Tráfego em Área – CTA. (ver esquema nos anexos)Bob-cat A execução de serviços externos (fora dos limites do canteiro, principalmente na rua) seráSerá operado por funcionário habilitado e identificado. Durante os serviços os cuidados serão os sinalizado com cavaletes, cones, fita zebrada e um orientador de trânsito veicular e de pedestres,mesmos do trator comum. Nos serviços realizados no subsolo deve-se utilizar máscara contra gases quando necessário. Ainda deve ser observado o seguinte:e abafador de ruído. O Bob-cat deverá trabalhar com giroflex e cabina em perfeito estado. • Na eventualidade de obstrução temporária do passeio para fins de descarga deFerramentas materiais, deverá ser providenciado cordão de isolamento, em volta do veículo,O Almoxarifado disporá de todas as ferramentas necessárias à etapa da obra. Caso algumas de maneira a criar um corredor para passagem do pedestre (ver esquema nosferramentas, equipamentos, instrumentos ou similares precisem ser alugados os mesmos deverão anexos).acompanhar garantia explicitada em documento próprio, de funcionamento e de manutenção • Durante a descarga de concreto usinado, será utilizado cordão de isolamento,realizada nos equipamentos alugados. como descrito no item anterior. Pode ser utilizada fita zebrada fixa em balizas, e Antes da saída (das ferramentas) do almoxarifado será verificado o funcionamento da como complemento cones de sinalização (ver esquemas nos anexos). máquina ou equipamento. Verificação visual. • Antes da execução de qualquer serviço na rua verificar e certificar-se que não Serão periodicamente vistoriadas todas as ferramentas e equipamentos de apoio, nas exista risco contra terceiros. Devemos priorizar a segurança dos pedestres suas proteções, estado, fiação elétrica e outros considerados necessários e (principalmente crianças) e veículos. recomendados pelos fabricantes. Se a ferramenta requerer EPI específico, o responsável do almoxarifado entregará a Ferramenta e o EPI obrigatoriamente. (Ex. entalhadora e óculos de segurança). PROCEDIMENTOS DE EMERGÊNCIA Especial atenção para a pistola de fixação à pólvora. Deve ser verificado Em caso de ocorrência de acidente, onde a vítima precise ser removida para centro de principalmente o bocal protetor e seguir as instruções do fabricante. O operador atendimento médico, serão tomadas as seguintes providências: obrigatoriamente usará abafador de ruído e será submetido a avaliações constantes de audiometria pelo serviço médico do SECONCI/PR. Hospital: O hospital mais próximo que deve ser procurado em caso de acidentes é o SÃO LUCAS , Rua São Carlos, 125. Fone: (0##41) 345-0987. (ver esquema do roteiro da obra ao hospital no anexo 10).SINALIZAÇÃO Pequenos acidentesInternaSECONCI-PR – versão nº III. 13 SECONCI-PR – versão nº III. 14Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  8. 8. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001 Encaminhar a vítima para o almoxarifado do canteiro, onde se encontra o material de • 1ª via ao INSS primeiros socorros, e funcionário treinado em primeiros socorros para o atendimento. • 2ª via ao SUS • 3ª via ao sindicato dos trabalhadores A caixa de primeiros socorros estará abastecida com: sal de fruta, mercúrio, • 4ª via à empresa esparadrapo, analgésico em gotas, analgésico em comprimidos, gazes, pomada para • 5ª via ao segurado ou dependente queimaduras, ataduras, algodão, luvas de procedimento, tesoura ponta romba. O • 6ª via à DRT/Ministério do Trabalho. Serviço de Saúde e Segurança controlará periodicamente os mesmos. Igualmente será preenchido o Anexo I da NR-18, com a seguinte destinação: Comunicar ao setor de segurança no trabalho, pelo 333-2033. • 1ª via para Fundacentro/CTN. Rua Capote Valente, 710 – Pinheiros – São Paulo –Acidente de gravidade média e alta SP – CEP: 05409-009. • 2ª via para Seconci/PR. Rua João Viana Seiler, 116 – Curitiba – PR Se esta for a situação, tomar as seguintes providências: Acionar o SIAT pelo telefone 193, ou o convênio de remoção médica ou a ECO pelo 361-1111. Comunicar à Administração da Obra, ao setor de segurança do trabalho ou ao departamento de recursos humanos. A assistência social deverá acompanhar o desenvolvimento do quadro do funcionário acidentado.Acidente com óbito Comunicar à Administração da Obra, ao setor de segurança do trabalho ou ao departamento de recursos humanos. Comunicar a Polícia Civil pelo fone 234-5421 ou 223 – 6565 Isolar a área do acidente, Comunicar à Delegacia Regional do Trabalho pelo fone 200-1600. Não mexer no local até liberação por parte da polícia ou DRT. A assistência social da empresa deverá acompanhar e orientar à família da vítima nos trâmites legais necessários e no apoio psicológico necessário durante e na seqüência do evento. Todo apoio deve ser realizado de forma a mitigar o sofrimento de um acidente, tanto ao acidentado como à família do acidentado. Em todas as situações, o departamento de pessoal, emitirá a Comunicação de Acidentes do Trabalho – CAT , com a seguinte destinação (conforme ordem de serviço do INSS nº 329, de 26.10.93):SECONCI-PR – versão nº III. 15 SECONCI-PR – versão nº III. 16Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  9. 9. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001 • Capacete de segurança nas seguintes cores: Branco: Administração e comando; Verde: Carpinteiros; Vermelho: Eletricistas e Encanadores; Amarelo: Armadores; Azul: Servente; PARTE II Marrom: Pedreiros; EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO Laranja: Visitantes.EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA – EPC’S • Óculos e protetores faciais com filtros de luz para os soldadores;Equipamento de Proteção Coletiva, diz respeito ao coletivo, ao grupo a ser protegido. • Óculos de segurança contra impactos, para trabalhos com esmeril e apicoamento deQuando há risco de acidente ou doença relacionada ao trabalho, a empresa deve providenciar EPC, concreto;visando eliminar o risco no ambiente de trabalho. • Óculos de segurança contra poeiras e respingos, para serviços de lixamento de concreto,Estes são os EPC’s mínimos a serem utilizados durante a construção da obra (ver esquemas pinturas e outros;nos anexos 11): • Outros equipamentos de proteção individual adequados a riscos específicos, tais como: • Capas impermeáveis, para chuvas; • Plataformas de proteção; • Luvas com enchimento de borracha especial, para vibrações de marteletes; • Guarda-corpo; • Perneira , mangote e avental de raspa, para trabalhos com solda. • Proteção de aberturas no piso; • Outros a critério da segurança no Trabalho. • Proteção de escavações; Obs.: Detalhes sobre uso e conservação destes equipamentos ver nos anexos. • Proteção de pontas de vergalhões; • Corda de segurança; EXTINTORES • Tela de proteção; • Proteções de partes móveis de máquinas e equipamentos; Serão colocados extintores (todos de no mínimo 6Kg) contra princípio de incêndios nos seguintes • Proteções para terceiros (passeios e logradouros); locais: • Proteção de entrada da obra; Almoxarifado: 01 PQS (Pó Químico Seco) e 01 água pressurizada. • Passarelas; Serra Circular: 01 PQS. • Rampas; Local de refeições: 01 PQS e 01 água pressurizada. • Escadas de mão; Cabina do Guincheiro: 01 PQS. • Barreiras de proteção (ex. tapume). Administração da obra: 01 PQS. Obs. Todo o perímetro da obra será devidamente isolado com tapumes de forma a evitar o ingresso de pessoas estranhas à obra e que possam colocar-se em situação de risco. Incêndio Princípio de incêndio que não possa ser controlado, ligar imediatamente para o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193.EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – EPI’S(ver planilha X EPI nos anexos)A empresa fornecerá aos trabalhadores, como medida complementar de segurança, atendendo odisposto no quadro do anexo 12: • Calçado fechado de couro resistente para proteção dos pés do trabalhador com solado antiderrapante; • Botas impermeáveis somente para trabalhos de lançamentos de concreto ou em terrenos encharcados • Luvas adequadas ao serviço a ser executado (raspa de couro para trabalhos grosseiros e de borracha para aplicação de massas); • Cinto de segurança do tipo pára-quedista , para trabalhos em alturas superiores a 2m ( dois metros ); • Protetor facial ou óculos de proteção e abafador de ruído para os trabalhos com serra circular;SECONCI-PR – versão nº III. 17 SECONCI-PR – versão nº III. 18Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  10. 10. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001 Remoção de vegetação Ataque de animais Retirar ou escorar arbustiva , com peçonhentos e ferimentos solidamente árvores, ferramentas manuais. por ferramenta de limpeza. rochas, equipamentos, materiais e objetos de qualquer natureza, quando --- for constatado comprometimento de sua estabilidade. Usar luvas de raspa de couro, botas de cano-longo. Remoção de vegetação Risco de acidentes com o Abafador de ruído (se Na entrada e saída do arbustiva, com veículo. necessário), máscara terreno, sinalizar equipamento Poeiras. contra poeiras. adequadamente o local, autopropulsado. inclusive com anteparos (cavaletes) Remoção de cobertura Risco de acidentes com o Atender as Ordens de florestal com motoserra equipamento de corte. Serviço –OS-emitidas. --- ou outro equipamento. ESCAVAÇÕES Além do atendimento ao regulamento da NR-18-6, deve ser atendido o disposto na NBR 9061. ATIVIDADES E PRINCIPAIS EPI’S/Cuidados EPC’S/Prevenção OPERAÇÕES RISCOS (ver anexo ) Escavação manual ou Risco de desabamento. Usar capacete, bota de Pranchões (escorados com máquina. borracha com solado horizontalmente se Quedas em nível e em antiderrapante. Abafador necessário em talude diferença de nível. de ruído, para o operador superiores a 1,20m), da máquina, se necessário Escadas de saída de Inalação de poeiras. e Máscara contra poeiras, emergência. Muros, quando houver excesso de edificações vizinhas e poeira. todas as estruturas adjacentes devem ser PARTE III escoradas. RISCOS DE ACIDENTES O material retirado deve ficar a distância superior à metade da profundidade, medida a partir da bordaRISCOS GERAIS DE ACIDENTES E SEU CONTROLE do talude. Escavação manual ou Risco de choque elétrico. Botas impermeáveis. Verificar a existência de A seguir a relação dos possíveis riscos à integridade física dos trabalhadores e terceiros, com máquina. cabos elétricos subterrâneos e desligar osque podem acontecer durante os diversos serviços da obra, e as correspondentes medidas de mesmos.eliminação ou neutralização e controle por meio de Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC’s) e Não permitir a entrada de pessoas não autorizadas aou medidas administrativas de correção e finalmente por Equipamentos de Proteção Individual este local de trabalho.(EPI’s). FUNDAÇÕESLIMPEZA DO TERRENO ATIVIDADES E PRINCIPAIS EPI’S/Cuidados EPC’S/Prevenção OPERAÇÕES RISCOS ATIVIDADES E PRINCIPAIS EPI’S/Cuidados EPC’S/Prevenção OPERAÇÕES RISCOS (ver anexos)SECONCI-PR – versão nº III. 19 SECONCI-PR – versão nº III. 20Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  11. 11. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001 Cravação de estacas Risco de estouro da estaca, Operador do Utilizar Cuidado com cabos Desmontagem das Ao realizar a Utilizar cinto de Plataforma de (equipamento: golpe de podendo atingir aos abafador de ruídos, luvas elétricos aéreos, evitar fôrmas desforma pelos segurança tipo pára- proteção fixa em martelo por gravidade). trabalhadores. de raspa, botinas de contato com o braço da segurança. máquina. Deve ficar no pilares, soltando-se os quedista, botina de balanço na 2º laje tambor do cabo do pilão, tensores, existe o risco segurança, luvas de (fixa) e seis voltas. O operador do de quedas em nível e raspa de couro, óculos posteriormente de três equipamento deve ser diferença de nível, de segurança. em três lajes (móvel). qualificado. assim como a queda Manter o localArranques Risco de ferimentos Equipamentos rotineiros Proteger as pontas dos de objetos para dentro organizado e livre de (eventuais cortes por ferro) de proteção individual. vergalhões (arranques). com as esperas ou e fora dos limites do entulhos. arranques desprotegidos. empreendimento. Retirar ou rebaterAbertura de valas Risco de soterramento. - Utilizar Risco de ferimentos pregos das madeiras pranchões por pregos das da desfôrma. escorados madeiras. Contusões horizontalmente. nas mãos. Detritos nos (ver anexos) olhos.ESTRUTURAFôrmas ArmadurasO Quadro abaixo mostra os Riscos, os EPI’s e os EPC’s necessários para evitar acidentes duranteesta fase da obra. O quadro abaixo mostra os Riscos, os EPI’s e os EPC’s necessários para evitar acidentes durante a realização desta atividade. ATIVIDADES E PRINCIPAIS EPI’S/Cuidados EPC’S/Prevenção OPERAÇÕES RISCOS (ver anexos) ATIVIDADES E PRINCIPAIS EPI’S/Cuidados EPC’S/PrevençãoConfecção das Contusões nas mãos Protetor facial ou Proteções no disco da OPERAÇÕES RISCOS (ver anexos)fôrmas (martelo), cortes óculos de segurança, serra, proteções Confecção e Ferimento nas mãos, Luvas de raspa, Proteções no severos nas mãos, abafador de ruído. frontal e posterior da policorte, coifa e partículas aos olhos, Não confeccionar mesa, extintor do tipo montagem: Armação Detritos nos olhos, máscara partes móveis. Deve barulho pela serra cunhas com madeiras PQS de 4kg. Ou mais. de ferro, disco de poeiras, contra poeiras, óculos ficar instalado a circular (100dB(A)). menores de 30 cm. corte, lixadeira para Quedas em nível. ampla Policorte sobMontagem das Quando da montagem Cinto de Segurança Plataforma de cobertura.fôrmas dos pilares ou vigas tipo pára-quedista. proteção em balanço, concreto visão. externas (periferia de na 2º laje (fixa) e Transporte: Da Problemas de postura, Ombreiras, luvas de laje), existe o risco de posteriormente de três bancada ao local de principalmente raspa, botina quedas em diferença em três lajes (móvel). de nível. Assim como, Para a montagem de montagem ou quando transporte nos (preferencialmente quando do lançamento pilares externos colocação definitiva. ombros das armaduras com ponta de aço). de fundos de viga a engatar o cinto de prontas. partir da cabeça dos segurança no grampo Montagem na Laje: Queda em diferença Cinto de segurança pilares. de segurança. Trabalhos em de tipo periferia de laje, nível. pára-quedas. com altura superior a 2 metros do nível do solo Concretagem O Quadro abaixo mostra os Riscos, os EPI’s e os EPC’s necessários para evitar acidentes durante esta atividade.SECONCI-PR – versão nº III. 21 SECONCI-PR – versão nº III. 22Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  12. 12. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001 esta fase da obra. ATIVIDADES E PRINCIPAIS EPI’S/Cuidados EPC’S/Prevenção OPERAÇÕES RISCOS (ver anexos) ATIVIDADES E PRINCIPAIS EPI’S/Cuidados EPC’S/PrevençãoConcretagem geral, Queda em diferença Cinto de segurança, Guarda-corpo, OPERAÇÕES RISCOS (ver anexos) Plataforma de Preparo de massa. Irritações para osponta do mangote, de nível, bota de proteção em balanço, Queima de cal. olhos ---adensamento do estouro do mangote, borracha, óculos ou na 2º laje (fixa) e Marcação de Risco de ferimento Assegurar a limpeza Plataforma deconcreto respingos do concreto, protetor depois de três em três proteção inferior. Tela alvenaria de por pregos. Risco de do andar (remover queda e choque facial, sobrecalça de lajes (móveis). de proteção entre as Grampo de vedação queda em diferença de gastalhos, pregos da plataformas. elétrico. PVC. segurança deve ser nível (ao realizar a estrutura, aços de colocado próximo aos vedação de periferia), amarração de pilares e arranques de periferia. A fiação elétrica deve Queda de materiais vigas, poeiras e estar devidamente sobre membros materiais soltos). isolada. inferiores durante o Realizar o transporteConcretagem em Quedas em diferença Cinto de segurança e Guarda-corpo, transporte dos tijolos. dos blocos (tijolos) de Plataforma deperiferia de laje e de nível e em nível. os demais necessários. forma segura. Utilizar proteção em balanço,recebimento de Queda no poço do Supervisionar à na 2º laje (fixa) botina de segurança.gericas na mesa do elevador. Impacto da equipe de carga e posteriormente de três Cinto de segurançaguincho de carga. mesa de elevador em descarga do guincho, em três lajes (móveis) tipo pára-quedista em parte doe corpo de para evitar que periferia de laje. trabalhador coloquem a cabeça Assentamento dos . . . queda das paredes Luvas de látex As paredes levantadas imprudente. dentro da torre do devem ser fixadas blocos (tijolos). levantadas firmemente por meio elevador. (principalmente de cunhas ou bisnagaOperações de Risco de O funcionário que irá A testada da rua será quando recém (entre a viga e o sinalizada por meio de bloco).bombeamento, e atropelamento, dirigir as operações concluídas). Pode cones, fita zebrada emanobra da durante as operações para o cavaletes. Atenção acontecer reaçãoBetoneira (na rua). de estacionamento, estacionamento, redobrada com alérgica descarga e saída doa utilizará colete com terceiros. As áreas de dermatológica pelo acesso desde a betoneira. pintura refletiva. descarga do concreto uso da massa. até o guincho estarão Colocação de Quedas em diferença Utilizar cinto de As periferias das lajes desobstruídas e devem estar prumadas externas de nível segurança tipo pára- regularizadas. adequadamente quedista, engatado a protegidas.Transporte de Queda em diferença A equipe de descarga corda auxiliar.concreto por Guincho de nível (retirada das gericas Aberturas nos pisos Emboço interno e Irritações Utilizar cinto dede carga e gericas. (principalmente ao da mesa do guincho) devem ter proteção externo, serviços dermatológicas. segurança tipo pára- poço do elevador). deverá utilizar cinto provisória. gerais de Quedas em diferença quedista, engatado a Queda em nível. de segurança, quando contrapisos. de nível e em nível. corda auxiliar. estiverem próximosALVENARIAO Quadro abaixo mostra os Riscos, os EPI’s e os EPC’s necessários para evitar acidentes duranteSECONCI-PR – versão nº III. 23 SECONCI-PR – versão nº III. 24Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  13. 13. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001Montagem de Queda em diferença Utilizar cinto de Manter as áreas Pintura interna e Irritações Luvas impermeáveis. Proteções nas áreas abaixo dos balancins abaixo dos serviços.balancim de nível. segurança tipo pára- externa dermatológicas. Óculos de segurança, devidamente isoladas Isolando, mantendo Ferimentos nas mãos quedista, engatado a e protegidas. Quedas em diferença preferencialmente ou colocando pelo cabo de aço. corda auxiliar. de nível e em nível. ampla visão. plataforma de Utilizar luvas de raspa Cinto de segurança, na proteção. de couro. pintura externa,Trabalhos na Queda em diferença Utilizar cinto de Manter as áreas engatado a corda abaixo dos balancinsfachada com de nível. segurança tipo pára- auxiliar de segurança. devidamente isoladasbalancim quedista, engatado a Pastilhado Quedas em diferença Utilizar cinto de Proteções nas áreas e protegidas. abaixo dos serviços. corda auxiliar. de nível. segurança do tipo Isolando, mantendo pára-quedista, ou colocando engatado a corda plataforma deACABAMENTO proteção.O Quadro abaixo mostra os Riscos, os EPI’s e os EPC’s necessários para evitar acidentes durante auxiliar.esta fase da obra. ATIVIDADES E PRINCIPAIS EPI’S/Cuidados EPC’S/Prevenção Limpeza de fachada Quedas em diferença Utilizar cinto de Proteções nas áreas OPERAÇÕES RISCOS (ver anexos) abaixo dos serviços. com produto de nível. segurança do tipo Serviços de Inalação de poeiras, Utilizar máscara Isolando ou colocando regularização de principalmente pelo contra poeiras. químico. Queimaduras por pára-quedista, plataforma de superfícies. lixamento de Utilizar luvas (pastilhado, produto químico, nas engatado a corda proteção. superfícies. impermeáveis. cerâmica, concreto) mãos e rosto. auxiliar. Dermatites e Utilizar luvas conjuntivites. impermeáveis. Queda em nível e Contra quedas utilizar O poço do elevador Utilizar protetor facial diferença de nível. bancada de trabalho deve estar adequado e nunca adequadamente latas improvisadas. fechado. DIVERSAS ATIVIDADES ATIVIDADES E PRINCIPAIS EPI’s cuidados EPC’s prevenção OPERAÇÕES RISCOS (ver anexos) Impermeabilização Queimaduras pelo Prestar muita atenção Os locais confinados GLP. ao uso do bico de devem possuir Intoxicação, via fogo. Utilizar luvas de ventilação e respiratória, raspa de couro. exaustores. Trabalhar principalmente em Utilizar máscara sempre em duplas. locais confinados. respiratória, Incêndio e explosão principalmente em do GLP. locais confinados. Cortes. Ter sempre por perto Extintor de incêndio. Para evitar cortes pelos estiletes, utilizar sempre luvas.SECONCI-PR – versão nº III. 25 SECONCI-PR – versão nº III. 26Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  14. 14. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001Instalações elétricas Choque elétrico. Botinas de segurança Não deixar partes Pequenos reparos em Idem Anterior Idem Idemprovisórias e sem partes metálicas.vivas nas instalações fachada Anterior Anterior, com adefinitivas Óculos de proteção. provisórias. possibilidade de Luvas isolantes. Não realizar serviços instalação de tela de em circuitos proteção e coberturas energizados. de passagem e de Serviço autorizado proteção em somente a trabalhador residências vizinhas. qualificado. Limpéza da caixa Afogamento, asfixia. Não entrar na caixa Utilizar materiais d’água d’água sem a mesma especificados no estar completamente projeto. esvaziada. Retirar aOrganização e Riscos diversos de Utilizar sempre Manter sempre as vias tampa de proteção elimpeza no canteiro acidentes. Capacete e botina de de circulação, escadas afastarse por alguns segurança. e passagens minutos para a saíde desobstruídas. de eventuais vapores. Manter os entulhos Realizar trabalhos afastados da periferia sempre em dupla das lajes (para eventual auxílio).MANUTENÇÃO PREDIAL PÓS-OCUPAÇÃO (destacar e fornecer aos condôminos).Um dos grandes problemas e que trazem graves riscos de acidentes numa edificação habitada está OBS.: CRONOGRAMArelacionada com a limpeza e reparos que normalmente são necessários nas edificações. Como a A obra será executada em conformidade do cronograma físico-executivo do empreendimento.maior parte das edificações carecem de pontos específicos para a realização das atividades de Assim, o cronograma de implantação das medidas de proteção constantes no PCMAT, devem sermanutenção, as mesmas devem ser realizadas de forma muito criteriosa pelas empresas contratadas elaborados de maneira tal que acompanhem o físico-executivo.para a manutenção. Na medida do possível os prédios devem prever pontos para fixação deplataformas, cadeirinhas, eventuais mãos francesas para colocação de telas de proteção e outros.ATIVIDADES E PRINCIPAIS EPI’s cuidados EPC’s prevenção.OPERAÇÕES RISCOS Observações. (ver anexos )Limpeza de fachada Queda em diferença Cinto de segurança Logo abaixo da de nível. Muito grave. preso a cabo guia fachada, isolar a área independente, botina considerando o a antiderrapante, luvas projeção da altura impermeáveis e roupa efetiva de trabalho. adequada. A cadeirinha utilizada deve atender as normas de segurança, nunca devendo ser utilizada cadeira improvisada de madeira.SECONCI-PR – versão nº III. 27 SECONCI-PR – versão nº III. 28Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad
  15. 15. Modelo de PCMAT - abril de 2001 Modelo de PCMAT - abril de 2001 CRONOGRAMA FÍSICO - EXECUTIVO Piscina Fases da obra 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 10.- FORRO1.- SERVIÇOS INICIAIS - Madeira-Projetos - Gesso- Sondagem 11.- REVESTIMENTO INTERNO- Corte d’água - Chapisco- Corte de energia elétrica - Massa- Demolições - Azulejo- Tapumes - Gesso- Locação da obra 12.- REVESTIMENTO EXTERNO- Previsão de empregados - Chapisco2.- INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS - Massa- Escritório - Cerâmica ou tijolo- Sanitário 13.- PISOS- Local de Refeições - Contrapiso- Cozinha - Cerâmica- Vestiário - Outros- Alojamento 14.- INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS- Área de lazer - Prumadas- Almoxarifado - Distribuição3.- MOVIMENTAÇÃO DE TERRA - Esgoto- Escavação mecânica - Louças e metais- Escavação manual 15.- INSTALAÇÕES DE GÁS- Fundação - Prumadas 4.- SERVIÇOS GERAIS - Distribuição-Armação de ferragens -16.- INSTALAÇÕES ELÉTRICAS- Concretagem de fundação - Tubulação das lajes- Instalação de elevador de carga - Tubulação5.- EXECUÇÃO DA ESTRUTURA - AlvenariaSubsolos - Caixas e esquadros- Térreo - Entrada de energia- Periferia - Fiação- Torre - Tomadas e interruptores6.- ALVENARIA - Luminárias e interfones- Interna - Prumadas- Externa 17.- PINTURA7.- ESQUADRIAS - Interna- Esquadrias de alumínio - Externa- Batentes 18.- ELEVADORES- Portas - Instalação dos elevadores definitivos- Guarnições 19.- SERVIÇOS COMPLEMENTARES- Fechaduras - Pavimentação8.- VIDROS - Paisagismo- Instalação de vidros - Limpeza9.- IMPERMEABILIZAÇÃO - Lavagem da fachada- Caixas d’água - Instalação de extintores- Pisos - Instalação de pára-raios- CoberturaSECONCI-PR – versão nº III. 29 SECONCI-PR – versão nº III. 30Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad Engº Segª. Bruno C. Bilbao Adad

×