Tristeza no céu   Carlos Drummond de Andrade
<ul><li>No céu também há uma hora melancólica. </li></ul><ul><li>Hora difícil,em que a duvida penetra as almas. </li></ul>...
<ul><li>Os anjos olham-no com reprovação e plumas caem </li></ul><ul><li>Todas as hipóteses: a graça,a eternidade,o amor c...
<ul><li>Outra pluma, o céu se desfaz Tão manso, nenhum fragor denuncia O momento entre tudo e nada Ou seja, a tristeza de ...
O Filho do Homem Vinicius de Moraes
<ul><li>O mundo parou A estrela morreu No fundo da treva O infante nasceu .   </li></ul>
<ul><li>Nasceu num estábulo Pequeno e singelo Com boi e charrua Com foice e martelo.  </li></ul>
<ul><li>Ao lado do infante O homem e a mulher Uma tal Maria Um José qualquer.   </li></ul>
<ul><li>A noite o fez negro Fogo o avermelhou A aurora nascente Todo o amarelou.  </li></ul>
<ul><li>O dia o fez branco Branco como a luz À falta de um nome Chamou-se  Jesus </li></ul>
Jesus pequenino Filho natural Ergue-te, menino É triste o Natal.  Natal de 1947
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tristeza no céu-O filho do Homem

836 visualizações

Publicada em

Dois Poemas ( tristeza no ceu e o filho do homem )clique para passar ou espere

Publicada em: Educação, Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
836
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tristeza no céu-O filho do Homem

  1. 1. Tristeza no céu Carlos Drummond de Andrade
  2. 2. <ul><li>No céu também há uma hora melancólica. </li></ul><ul><li>Hora difícil,em que a duvida penetra as almas. </li></ul><ul><li>Porque fiz o mundo?- Deus se pergunta </li></ul><ul><li>E se responde :Não sei. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Os anjos olham-no com reprovação e plumas caem </li></ul><ul><li>Todas as hipóteses: a graça,a eternidade,o amor caem </li></ul><ul><li>São plumas </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Outra pluma, o céu se desfaz Tão manso, nenhum fragor denuncia O momento entre tudo e nada Ou seja, a tristeza de Deus” </li></ul>
  5. 5. O Filho do Homem Vinicius de Moraes
  6. 6. <ul><li>O mundo parou A estrela morreu No fundo da treva O infante nasceu . </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Nasceu num estábulo Pequeno e singelo Com boi e charrua Com foice e martelo. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Ao lado do infante O homem e a mulher Uma tal Maria Um José qualquer. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>A noite o fez negro Fogo o avermelhou A aurora nascente Todo o amarelou. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>O dia o fez branco Branco como a luz À falta de um nome Chamou-se Jesus </li></ul>
  11. 11. Jesus pequenino Filho natural Ergue-te, menino É triste o Natal. Natal de 1947

×