Câncer de boca 6 ano

3.153 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.153
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
116
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • Câncer de boca 6 ano

    1. 1. CÂNCER DA BOCA DISCIPLINA DE CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES- UMC
    2. 2. EPIDEMIOLOGIA❖ 6.000 CASOS/ ANO NA CIDADE DE São Paulo (RAPOPORT A 1997)❖ EM SÃO PAULO, 1,6% DOS TUMORES NO SEXO MASCULINO E 0,6% NO SEXO FEMININO❖ 3 CAUSA DE MORTE EM SÃO PAULO EM 1999 (MIRRA 2003)❖ 5 TUMOR MAIS COMUM NO MUNDO (GATH 1999)❖ NOS EUA, 11,2 CASOS POR 100.000, 3,45% DE TODOS OS TUMORES, 30% DOS DE CP (MYERS 1996)❖ ÍNDIA 50% DE TODOS OS TUMORES (MYERS 1996)
    3. 3. HISTÓRIA NATURAL❖ MORTE EM 3,8 MESES QUANDO NÃO TRATADO (KOWALSKI LP 1999)❖ SIGMUND FREUD
    4. 4. HISTÓRIA NATURAL❖ MORTE EM 3,8 MESES QUANDO NÃO TRATADO (KOWALSKI LP 1999)❖ SIGMUND FREUD
    5. 5. BOCA – REGIÃO ANATÔMICA TAWLEY SE 1999
    6. 6. BOCA – REGIÃO❖ LÁBIOS ANATÔMICA TAWLEY SE 1999
    7. 7. BOCA – REGIÃO❖ LÁBIOS ANATÔMICA❖ MUCOSA JUGAL TAWLEY SE 1999
    8. 8. BOCA – REGIÃO❖ LÁBIOS ANATÔMICA❖ MUCOSA JUGAL❖ LÍNGUA ORAL-2/3 ANTERIORES TAWLEY SE 1999
    9. 9. BOCA – REGIÃO❖ LÁBIOS ANATÔMICA❖ MUCOSA JUGAL❖ LÍNGUA ORAL-2/3 ANTERIORES❖ PALATO DURO TAWLEY SE 1999
    10. 10. BOCA – REGIÃO❖ LÁBIOS ANATÔMICA❖ MUCOSA JUGAL❖ LÍNGUA ORAL-2/3 ANTERIORES❖ PALATO DURO❖ SOALHO ORAL TAWLEY SE 1999
    11. 11. BOCA – REGIÃO❖ LÁBIOS ANATÔMICA❖ MUCOSA JUGAL❖ LÍNGUA ORAL-2/3 ANTERIORES❖ PALATO DURO❖ SOALHO ORAL❖ GENGIVA SUPERIOR TAWLEY SE 1999
    12. 12. BOCA – REGIÃO❖ LÁBIOS ANATÔMICA❖ MUCOSA JUGAL❖ LÍNGUA ORAL-2/3 ANTERIORES❖ PALATO DURO❖ SOALHO ORAL❖ GENGIVA SUPERIOR❖ GENGIVA INFERIOR TAWLEY SE 1999
    13. 13. BOCA – REGIÃO❖ LÁBIOS ANATÔMICA❖ MUCOSA JUGAL❖ LÍNGUA ORAL-2/3 ANTERIORES❖ PALATO DURO❖ SOALHO ORAL❖ GENGIVA SUPERIOR❖ GENGIVA INFERIOR❖ TRÍGONO TAWLEY SE 1999 RETROMOLAR
    14. 14. BOCA – REGIÃO❖ LÁBIOS ANATÔMICA❖ MUCOSA JUGAL❖ LÍNGUA ORAL-2/3 ANTERIORES❖ PALATO DURO❖ SOALHO ORAL❖ GENGIVA SUPERIOR❖ GENGIVA INFERIOR❖ TRÍGONO TAWLEY SE 1999 RETROMOLAR
    15. 15. PATOLOGIA❖ CEC- 96%❖ ADENÓIDE CÍSTICO, MUCO- EPIDERMÓIDE❖ NÃO EPITELIAIS- SARCOMAS, LINFOMAS
    16. 16. ETIOLOGIA
    17. 17. ❖ TABACO ETIOLOGIA
    18. 18. ❖ TABACO ETIOLOGIA❖ ALCOOL
    19. 19. ❖ TABACO ETIOLOGIA❖ ALCOOL❖ DIETA – DEFICIÊNCIA DE FERRO , VITAMINA A , C ?
    20. 20. ❖ TABACO ETIOLOGIA❖ ALCOOL❖ DIETA – DEFICIÊNCIA DE FERRO , VITAMINA A , C ?❖ GENÉTICA
    21. 21. ❖ TABACO ETIOLOGIA❖ ALCOOL❖ DIETA – DEFICIÊNCIA DE FERRO , VITAMINA A , C ?❖ GENÉTICA❖ VIRAL – HPV
    22. 22. ❖ TABACO ETIOLOGIA❖ ALCOOL❖ DIETA – DEFICIÊNCIA DE FERRO , VITAMINA A , C ?❖ GENÉTICA❖ VIRAL – HPV❖ EXPOSIÇÃO SOLAR
    23. 23. ❖ TABACO ETIOLOGIA❖ ALCOOL❖ DIETA – DEFICIÊNCIA DE FERRO , VITAMINA A , C ?❖ GENÉTICA❖ VIRAL – HPV❖ EXPOSIÇÃO SOLAR❖ HIGIENE ORAL
    24. 24. ❖ TABACO ETIOLOGIA❖ ALCOOL❖ DIETA – DEFICIÊNCIA DE FERRO , VITAMINA A , C ?❖ GENÉTICA❖ VIRAL – HPV❖ EXPOSIÇÃO SOLAR❖ HIGIENE ORAL❖ OCUPAÇÃO – INDÚSTRIA TÊXTIL NA INGLATERRA . NÍQUEL,ÁCIDO SULFÚRICO , METAIS PESADOS E ÓLEOS
    25. 25. ❖ TABACO ETIOLOGIA❖ ALCOOL❖ DIETA – DEFICIÊNCIA DE FERRO , VITAMINA A , C ?❖ GENÉTICA❖ VIRAL – HPV❖ EXPOSIÇÃO SOLAR❖ HIGIENE ORAL❖ OCUPAÇÃO – INDÚSTRIA TÊXTIL NA INGLATERRA . NÍQUEL,ÁCIDO SULFÚRICO , METAIS PESADOS E ÓLEOS
    26. 26. BETEL
    27. 27. BETEL
    28. 28. 1.goma de cal 2.extracto del palmera del acerca(una especie de palmera) 3.semillas de hinojo 4.papaya 5.goma de (pétalo de la rosa + azucar + miel) 6.nueces de betel + almendra + pistacho 7.higo + almendraBETEL 8.anacardos 9.caramelo de jengibre 10.orozuz(bueno para la garganta) 11.menta + azucar + papel de plata
    29. 29. 1.goma de cal 2.extracto del palmera del acerca(una especie de palmera) 3.semillas de hinojo 4.papaya 5.goma de (pétalo de la rosa + azucar + miel) 6.nueces de betel + almendra + pistacho 7.higo + almendraBETEL 8.anacardos 9.caramelo de jengibre 10.orozuz(bueno para la garganta) 11.menta + azucar + papel de plata
    30. 30. LESÕES PRÉ - MALIGNAS❖ LEUCOPLASIA❖ ERITROPLASIA❖ DISPLASIA❖ QUEILITE ACTÍNICA❖ HIPERPLASIA VERRUCOSA
    31. 31. RAPOPORT A 1997
    32. 32. RAPOPORT A 1997
    33. 33. RAPOPORT A 1997
    34. 34. RAPOPORT A 1997
    35. 35. RAPOPORT A 1997
    36. 36. RAPOPORT A 1997
    37. 37. RAPOPORT A 1997
    38. 38. LEUCOPLASIA❖ LESÃO BRANCA , EM PLACA NA BOCA , NÃO SE DESTACA COM ESPÁTULA❖ PLACA EM FORMA DE GESSO❖ PRINCIPALMENTE NA GENGIVA INFERIOR E LÍNGUA
    39. 39. LEUCOPLASIA
    40. 40. ERITROPLASIA❖ LESÃO AVERMELHADA❖ MAIS COMUM EM PALATO DURO❖ NEO ANGIOGÊNESE , DAÍ SER CONSIDERADA COMO CARCINOMA “IN SITU”❖ BIÓPSIA EXCISIONAL SEMPRE
    41. 41. CARACTERÍSTICAS COMUNS DOS SÍTIOS PRIMÁRIOSVIA DE DRENAGEM CERVICALRECIDIVA LOCAL E LOCO-REGIONALSEGUNDOS PRIMÁRIOSMAIS COMUNS :LÍNGUA , SOALHO,LÁBIOMAIS RARO: RETRO- MOLAR E GENGIVA SUPERIOR
    42. 42. CARACTERÍSTICAS COMUNS DOS SÍTIOS PRIMÁRIOSVIA DE DRENAGEM CERVICALRECIDIVA LOCAL E LOCO-REGIONALSEGUNDOS PRIMÁRIOSMAIS COMUNS :LÍNGUA , SOALHO,LÁBIOMAIS RARO: RETRO- MOLAR E GENGIVA SUPERIOR
    43. 43. SÍTIOS MAIS COMUNS❖ LÍNGUA ORAL❖ SOALHO ORAL❖ LÁBIO❖ MUCOSA JUGAL❖ PALATO DURO❖ GENGIVA INFERIOR❖ TRÍGONO
    44. 44. CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS
    45. 45. CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS❖ LÍNGUA – MAIS AGRESSIVO , META CERVICAL,META DISTÂNCIA
    46. 46. CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS❖ LÍNGUA – MAIS AGRESSIVO , META CERVICAL,META DISTÂNCIA❖ SOALHO – AGRESSIVO , INVASÃO LOCAL
    47. 47. CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS❖ LÍNGUA – MAIS AGRESSIVO , META CERVICAL,META DISTÂNCIA❖ SOALHO – AGRESSIVO , INVASÃO LOCAL❖ LÁBIO – BAIXO ÍNDICE DE META CERVICAL, RECONSTRUÇÃO
    48. 48. CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS❖ LÍNGUA – MAIS AGRESSIVO , META CERVICAL,META DISTÂNCIA❖ SOALHO – AGRESSIVO , INVASÃO LOCAL❖ LÁBIO – BAIXO ÍNDICE DE META CERVICAL, RECONSTRUÇÃO❖ PALATO – BAIXO ÍNDICE DE METÁSTASE – CHARUTO E CACHIMBO , INVASÃO DO SEIO MAXILAR
    49. 49. CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS❖ LÍNGUA – MAIS AGRESSIVO , META CERVICAL,META DISTÂNCIA❖ SOALHO – AGRESSIVO , INVASÃO LOCAL❖ LÁBIO – BAIXO ÍNDICE DE META CERVICAL, RECONSTRUÇÃO❖ PALATO – BAIXO ÍNDICE DE METÁSTASE – CHARUTO E CACHIMBO , INVASÃO DO SEIO MAXILAR❖ GENGIVA SUPERIOR – BAIXO ÍNDICE DE META CERVICAL
    50. 50. CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS❖ LÍNGUA – MAIS AGRESSIVO , META CERVICAL,META DISTÂNCIA❖ SOALHO – AGRESSIVO , INVASÃO LOCAL❖ LÁBIO – BAIXO ÍNDICE DE META CERVICAL, RECONSTRUÇÃO❖ PALATO – BAIXO ÍNDICE DE METÁSTASE – CHARUTO E CACHIMBO , INVASÃO DO SEIO MAXILAR❖ GENGIVA SUPERIOR – BAIXO ÍNDICE DE META CERVICAL❖ GENGIVA INFERIOR – INVASÃO MANDÍBULA , META CERVICAL
    51. 51. CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS❖ LÍNGUA – MAIS AGRESSIVO , META CERVICAL,META DISTÂNCIA❖ SOALHO – AGRESSIVO , INVASÃO LOCAL❖ LÁBIO – BAIXO ÍNDICE DE META CERVICAL, RECONSTRUÇÃO❖ PALATO – BAIXO ÍNDICE DE METÁSTASE – CHARUTO E CACHIMBO , INVASÃO DO SEIO MAXILAR❖ GENGIVA SUPERIOR – BAIXO ÍNDICE DE META CERVICAL❖ GENGIVA INFERIOR – INVASÃO MANDÍBULA , META CERVICAL❖ RETRO – MOLAR – RARO , ÁREA DA BOCA , COMPORTAMENTO DA OROFARINGE
    52. 52. SCREENING❖ BIÓPSIA PRÉVIA- CUIDADO!!!❖ LARINGOSCOPIA❖ ENDOSCOPIA❖ TOMOGRAFIA❖ RX TORAX❖ AVALIAR MANDÍBULA - PANORÂMICA
    53. 53. TAMANHO❖ T1 - ATÉ 2 CM❖ T2 – 2-4 CM❖ T3 – ACIMA DE 4 CM❖ T4 – INVASÃO DE ESTRUTURAS
    54. 54. PESCOÇO❖ N0 – NEGATIVO❖ N1 – ATÉ 3 CM DO MESMO LADO❖ N2a – UM DO MESMO LADO , MAIOR QUE 3 E MENOR QUE 6 CM❖ N2b – M AIS DE UM DO MESMO LADO , TODOS MENORES QUE 6 CM❖ N2c – BILATERAIS , TODOS MENORES QUE 6 CM.❖ N3 – MAIOR QUE 6CM , PLANOS PROFUNDOS
    55. 55. PESCOÇO❖ N0 – NEGATIVO❖ N1 – ATÉ 3 CM DO MESMO LADO❖ N2a – UM DO MESMO LADO , MAIOR QUE 3 E MENOR QUE 6 CM❖ N2b – M AIS DE UM DO MESMO LADO , TODOS MENORES QUE 6 CM❖ N2c – BILATERAIS , TODOS MENORES QUE 6 CM.❖ N3 – MAIOR QUE 6CM , PLANOS PROFUNDOS
    56. 56. METÁSTASE A DISTÂNCIA❖ RASTREADO PELO RX DE TÓRAX❖ M0 – SEM META PULMONAR❖ M1 – COM META PULMONAR
    57. 57. METÁSTASE A DISTÂNCIA❖ PULMÃO- 80%❖ OSSOS❖ FÍGADO❖ CÉREBRO, PELE
    58. 58. SEGUNDOS PRIMÁRIOS❖ 6 E 15% NA BOCA❖ CAVIDADE ORAL, ESOFAGO, PULMÃO, LARINGE❖ CRITÉRIO (WARREN 1932, MODIFICADO POR HONG 1990). EXAME DOS DOIS DE MALIGNIDADE, SEPARADOS POR 2 cm, DESCARTAR A POSSIBILIDADE DO SEGUNDO SER METASTASE DO PRIMEIRO
    59. 59. SEGUNDOS PRIMÁRIOS- TEMPO DE APARECIMENTO❖ MOERTEL 1964❖ SIMULTÂNEOS- ATÉ 30 DIAS❖ SINCRÔNICOS- 1 A 6 MESES❖ METACRÔNICOS- ACIMA DE 6 MESES
    60. 60. PRINCÍPIOS DO TRATAMENTO❖ RESSECÇÃO TOTAL- RADICALIDADE❖ CURA❖ NÃO DEIXAR DOENÇA RESIDUAL❖ RESSECAR O TUMOR, METÁSTASE LOCO- REGIONAL E RECONSTRUÇÃO EM MESMO TEMPO CIRÚRGICO❖ COMBINADO
    61. 61. CONDUTACIRURGIA- LOCAL MANDÍBULA PESCOÇO RECONSTRUÇÃORADIOTERAPIAQUIMIOTERAPIA
    62. 62. LOCAL❖ MARGEM MACROSCÓPICA DE 1 cmMC MAHON J 2003MONOBLOCO- “PULL THROUGH” FAVERO E 2005DIBLOCO
    63. 63. LOCAL❖ MARGEM MACROSCÓPICA DE 1 cmMC MAHON J 2003MONOBLOCO- “PULL THROUGH” FAVERO E 2005DIBLOCO
    64. 64. QUANTO A MANDÍBULA❖ MARCHETTA FC 1970❖ SEGMENTAR❖ MARGINAL❖ RX PANORÂMICO TAWLEY SE 1999❖ TOMOGRAFIA
    65. 65. QUANTO A MANDÍBULA❖ MARCHETTA FC 1970❖ SEGMENTAR❖ MARGINAL❖ RX PANORÂMICO TAWLEY SE 1999❖ TOMOGRAFIA
    66. 66. RECONSTRUÇÃO❖ RETALHO VIZINHANÇA PEDICULADOS MICROCIRÚRGICOS❖ ENXERTOS❖ PRÓTESE
    67. 67. RETALHO PEDICULADO❖ PEITORAL❖ PLATISMA❖ GRANDE DORSAL❖ NASO- GENIANO❖ ABBÉ- ESTLANDER❖ KARAPANDZICK❖ ZIMANOWSKI❖ MAC GREGOR
    68. 68. FAVERO E 2005
    69. 69. ÍNDICESPROGNÓSTICOS
    70. 70. ÍNDICES PROGNÓSTICOS❖ MARGEM
    71. 71. ÍNDICES PROGNÓSTICOS❖ MARGEM❖ INFILTRAÇÃO PERI-NEURAL
    72. 72. ÍNDICES PROGNÓSTICOS❖ MARGEM❖ INFILTRAÇÃO PERI-NEURAL❖ EXPESSURA TUMORAL (2MM – 40% META CERVICAL)
    73. 73. ÍNDICES PROGNÓSTICOS❖ MARGEM❖ INFILTRAÇÃO PERI-NEURAL❖ EXPESSURA TUMORAL (2MM – 40% META CERVICAL)❖ ESTADIO DO PESCOÇO
    74. 74. ÍNDICES PROGNÓSTICOS❖ MARGEM❖ INFILTRAÇÃO PERI-NEURAL❖ EXPESSURA TUMORAL (2MM – 40% META CERVICAL)❖ ESTADIO DO PESCOÇO❖ ESTADIO CLÍNICO
    75. 75. SEGUIMENTO❖ EXAME LOCAL❖ EXAME DO PESCOÇO❖ TC❖ RX TORAX❖ LARINGO E ENDOSCOPIA
    76. 76. CÂNCER DAOROFARINGEDISCIPLINA DE CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇOUNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES- UMC
    77. 77. OROFARINGE❖ PLANO SUPERIOR DO PALATO MOLE (ISTMO DAS FAUCES)❖ SOALHO DA VALÉCULA❖ CONTINUAÇÃO DA BOCA❖ PALATO MOLE, PILAR AMIGDALIANO, AMIGDALA, PAREDE POSTERIOR, BASE DA LÍNGUA, VALÉCULA❖ RELAÇÃO COM GLOSSOFARINGEO, HIPOGLOSSO
    78. 78. OROFARINGE❖ PLANO SUPERIOR DO PALATO MOLE (ISTMO DAS FAUCES)❖ SOALHO DA VALÉCULA❖ CONTINUAÇÃO DA BOCA❖ PALATO MOLE, PILAR AMIGDALIANO, AMIGDALA, PAREDE POSTERIOR, BASE DA LÍNGUA, VALÉCULA❖ RELAÇÃO COM GLOSSOFARINGEO, HIPOGLOSSO
    79. 79. CARACTERÍSTICAS❖ CEC 96%❖ GLÂNDULAS SALIVARES❖ RICA DRENAGEM LINFÁTICA❖ PEQUENOS TUMORES COM GRANDES METÁSTASES CERVICAIS
    80. 80. CARACTERÍSTICAS❖ CEC 96%❖ GLÂNDULAS SALIVARES❖ RICA DRENAGEM LINFÁTICA❖ PEQUENOS TUMORES COM GRANDES METÁSTASES CERVICAIS
    81. 81. CARCTERÍSTICAS❖ PRIMÁRIO RESPONDE BEM A RADIOTERAPIA❖ FALHA DE TRATAMENTO NO PESCOÇO❖ MUITAS VEZES REQUER MANDIBULOTOM IA PARA ACESSO
    82. 82. TRATAMENTO❖ RESSECÇÃO COM MARGEM DE 1 cm❖ TRATAMENTO DO PESCOÇO❖ RADIOTERAPIA PODE SER BOA OPCÇÃO❖ SEGUIMENTO COMO A BOCA
    83. 83. RECONSTRUÇÃO
    84. 84. RECONSTRUÇÃO
    85. 85. DIFERENÇAS BOCA OROFARINGEPRIMÁRIO GRANDE PEQUENO PESCOÇO PEQUENO GRANDERADIOTERAPI MÁ BOA A RESPOSTA RESPOSTA SOMENTEMANDIBULA RESSECÇÃO ACESSO
    86. 86. Hospital geral de Massaschusetts 16 de outubro de 1846. Morton Warren
    87. 87. Hospital geral de Massaschusetts 16 de outubro de 1846. Morton Warren
    88. 88. CASO 1❖ WA , MASCULINO,66 ANOS❖ LESÃO ULCERADA NA LÍNGUA HÁ 4 MESES❖ EX- ETILISTA E EX-TABAGISTA , PARANDO HÁ 3 ANOS❖ PORTADOR DE ADENOCARCINOMA DE BEXIGA , TRATANDO HÁ 1 ANO COM BCG
    89. 89. CASO 1❖ BIÓPSIA – CEC GRAU II❖ EXAME – LESÃO EM BORDA LATERAL DE LÍNGUA DE 3,5 CM❖ PESCOÇO NEGATIVO❖ SCRENNIG – SEM ALTERAÇÕES
    90. 90. CONDUTA❖ RESSECÇÃO INTRA-ORAL❖ RECONTRUÇÃO COM RETALHO DE PLATISMA❖ ESVAZIAMENTO – SOH DIREITO
    91. 91. CASO 1❖ ESVAZIAMENTO CERVICAL SELETIVO A DIREITA
    92. 92. CASO 1❖ ESVAZIAMENTO HIPOGLOSSO❖ GLANDULA SUB- MANDIBULAR❖ N . HIPOGOSSO DIGÁSTRICO❖ TENDÃO DO DIGÁSTRICO
    93. 93. CASO 1❖ RETALHO DE PLATISMA PREPARADO
    94. 94. CASO 1❖ LÍNGUA , PORÇÃO LATERAL DIREITA , RESSECADA COM MARGEM DE 1 CM❖ CONGELAÇÃO DE CAMPO = NEGATIVA
    95. 95. CASO 1❖ RETALHO ACOLADO
    96. 96. CASO 1❖ TUMOR PRIMÁRIO❖ 2,5 CM❖ MARGENS LIVRES
    97. 97. CASO 1❖ PEÇA COM ESVAZIAMENTO❖ 0/6 LINFONODOS❖ NÃO FOI A RXT❖ EVOLUI COM FIBROSE DO RETALHO❖ NOVA BIÓSIA = NEGATIVA❖ GANHO EXCESSIVO DE PESO
    98. 98. CASO 2❖ AT , 53 ANOS , MASCULINO❖ LESÃO NA BOCA HÁ 18 MESES COM INTENSA DOR LOCAL❖ PERDA DE 12 KG❖ FUMANTE DE 40 CIGARROS POR DIA❖ EX-ETILISTA , PARANDO HÁ 3 MESES
    99. 99. CASO 2❖ SCRENNIG – SEM ALTERAÇÕES❖ BIÓPSIA – CEC GRAU II❖ PESCOÇO – METÁSTASE BILATERAL EM CADEIA I E II A DIREITA E I A ESQUERDA❖ RX TORAX = SEQUELA DE TUBERCULOSE❖ ESTADIO T3 N2c M0 - IV
    100. 100. CASO 2 ❖ PANORÂMICO
    101. 101. CASO 2 ❖ TOMOGRAFIA ❖ PRÉ-OPERATÓRIO
    102. 102. CONDUTA – CASO 2❖ RESSECÃO EM MONOBLOCO❖ MANDIBULECTOMIA MARGINAL❖ PLACA EM MANDÍBULA❖ RECONTRUÇÃO COM RETALHO MIOCUTÂNEO DE PEITORAL MAIOR❖ ESVAZIAMENTO RADICAL MODIFICADO TIPO III BILATERAL
    103. 103. CASO 2❖ ESVAZIAMENTO FUNCIONAL BILATERAL CAR❖ VEIA JUGULAR JUG INTERNA ESP❖ ECM MUSCULO ESTERNO- CLEIDO MASTOIDEO❖ NERVO ESPINAL (ACESSÓRIO – XI PAR)
    104. 104. CASO 2❖ MANDIBULECTO MIA MARGINAL TUMOR❖ LESÃO NO SOALHO
    105. 105. CASO 2❖ COMPLEMENTO DA MANDIBULECTO MIA COM FORMÃO
    106. 106. CASO 2❖ LESÃO RESSECADA❖ SOALHO ABERTO❖ FACE DORSAL DA LÍNGUA RESSECADA❖ MARGENS NEGATIVAS NO CAMPO
    107. 107. CASO 2❖ RETALHO MIOCUTÂNEO DE PEITORAL MAIOR❖ DO TÓRAX ATRAVES DO TÓRAX PESCOÇO PARA RECONSTRUÇÃO RETALHO DO SOALHO E FACE VENTRAL DA LÍNGUA
    108. 108. CASO 2❖ COLOCAÇÃO DA PLACA
    109. 109. CASO 2❖ RETALHO EM SEU SÍTIO RECEPTOR RETALHO PEITORAL NA BOC
    110. 110. CASO 2 TUMOR❖ PEÇA COM MANDÍBULA MANDIBULA
    111. 111. CASO 2❖ PEÇA COM CARCINOMA ESPINOCELULAR
    112. 112. CASO 2❖ PEÇA❖ ESVAZIAMENTO DIREITO❖ ESVAZIAMENTO ESQUERDO
    113. 113. CASO 2 - EVOLUÇÃO❖ EVOLUI COM INTEGRIADE TOTAL DO RETALHO❖ TUMOR DE 4,5 CM , CEC GRAU II❖ MARGENS LIVRES❖ SEM INVASÃO PERI –NEURAL OU LINFÁTICA OU VASCULAR❖ GÂNGLIOS – D = 0/14
    114. 114. CASO 3❖ JAD , MASCULINO , 57 ANOS❖ LESÃO NO LÁBIO HÁ 2 ANOS , CRESCENDO LENTAMENTE❖ TABAGISTA DE 20 CIGARROS POR DIA❖ ETILISTA DE 3 PINGAS POR DIA❖ TRABALHA EM MONTADORA DE VEÍCULOS
    115. 115. CASO 3❖ BIÓPSIA – CEC GRAU I❖ LESÃO EM LÁBIO INFERIOR , POUPANDO COMISSURA DE 2,5 CM❖ PESCOÇO NEGATIVO❖ RX TORAX – SEM LESÕES❖ SCRENNIG – SEM ALTERAÇÕES.❖ ESTADIO – T2 N0 M0
    116. 116. CASO 3 ❖ LESÃO
    117. 117. CASO 3❖ RESSECÇAÕ COM MARGEM DE 1 CM❖ RECONTRUÇÃO A ABBÉ-ESTLANDER❖ ESVAZIAMENTO SOH ESQUERDO
    118. 118. CASO 3❖ ÁREA RESSECADA
    119. 119. CASO 3 LABIO SUPERIOR❖ RETIRA DO RETALHO DE ABBÉ- ESTLANDER DO RESSECÇÃO LÁBIO SUPERIOR
    120. 120. CASO 3❖ RETALHO COLOCADO❖ ABBÉ ASPECTO FINAL
    121. 121. CASO 3 PEÇA❖ PEÇA COM MARGEM❖ ESVAZIAMENTO CADEIAS I,II E II ESVAZIAMEN ESQUERDA - SOH
    122. 122. CASO 3 - EVOLUÇÃO❖ TUMOR DE 2,5 CM , MARGENS LIVRES❖ GÂNGLIOS – 0/6❖ NÃO FEZ RXT❖ AMPLIAÇÃO DA BOCA CERCA DE 30 DIAS DEPOIS❖ BOA FALA, BOCA AMPLA❖ SEM SINAIS DE RECIDIVA

    ×