SOLUÇÕES
Módulo 6: Q2
Curso Auxiliar de Saúde 2014/15
1. DISPERSÕES
1.1. Disperso e dispersante
• Quando temos uma mistura de azeite e água, notamos claramente
duas zonas disti...
1. DISPERSÕES
1.2. Dispersão sólida, líquida e gasosa
• Uma dispersão pode ser classificada em sólida, líquida ou gasosa c...
1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e
suspensões
• As dispersões classificam-se em sol...
1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e
suspensões
• Os coloides (da palavra grega que s...
1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e
suspensões
• As partículas de um coloide são men...
1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, colóides e
suspensões
1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, colóides e
suspensões
• O leite é um coloide em que a gordu...
1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e
suspensões
• O leite é um coloide em que a gordu...
1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e
suspensões
1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e
suspensões
• Fazendo incidir um feixe de luz num...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

1. dispersões

675 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre os diversos tipos de dispersões (soluções, suspensões e coloides).

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
675
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1. dispersões

  1. 1. SOLUÇÕES Módulo 6: Q2 Curso Auxiliar de Saúde 2014/15
  2. 2. 1. DISPERSÕES 1.1. Disperso e dispersante • Quando temos uma mistura de azeite e água, notamos claramente duas zonas distintas ou fases – a fase do azeite e a fase da água. • Uma dispersão é uma mistura de duas ou mais substâncias em que as partículas de uma fase (fase dispersa) se encontram distribuídas no seio de outra (fase dispersante). • Contudo, nem sempre é possível distinguir as fases que constituem uma mistura, como é o caso das misturas homogéneas.
  3. 3. 1. DISPERSÕES 1.2. Dispersão sólida, líquida e gasosa • Uma dispersão pode ser classificada em sólida, líquida ou gasosa conforme o estado de agregação do dispersante (ver a tabela, se a dispersão for uma solução). Tabela 1 • Estados físicos do solvente, do soluto e da solução.
  4. 4. 1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e suspensões • As dispersões classificam-se em soluções, colóides e suspensões, em função da dimensão média das partículas do disperso. 1 nm (nanómetro) = 10-9 m • Solução é a dispersão com partículas do disperso de menor dimensão e suspensão é a dispersão com partículas do disperso de maior dimensão.
  5. 5. 1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e suspensões • Os coloides (da palavra grega que significa cola) parecem misturas homogéneas a olho nu mas são, de facto, dispersões heterogéneas quando vistas ao microscópio. • Uma solução é uma mistura homogénea de duas ou mais substâncias (numa só fase). Numa solução, não se observa deposição do soluto. • Uma suspensão (por exemplo, pó de giz em água) consiste em partículas suficientemente grandes (10 000 – 500 000 nm) para poderem ser observadas, misturadas com água.
  6. 6. 1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e suspensões • As partículas de um coloide são menores do que as de uma suspensão (> 1000 nm) e não se depositam quando o coloide é deixado em repouso, nem podem ser separadas por filtração. • As partículas não se dissolvem e depositam-se no fundo se a suspensão for deixada em repouso, podendo ser separadas por filtração. Formação de uma suspensão (extraído de um site da BASF). Exemplos de coloides (queijo, manteiga, chantilly, mousse, …).
  7. 7. 1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, colóides e suspensões
  8. 8. 1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, colóides e suspensões • O leite é um coloide em que a gordura está dispersa numa solução aquosa. • Um coloide que se assemelha a um líquido é designado por sol, ao passo que um coloide que se assemelha a um sólido é designado por gel.
  9. 9. 1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e suspensões • O leite é um coloide em que a gordura está dispersa numa solução aquosa. É a caseína do leite, uma proteína, que permite que esta mistura de substâncias imiscíveis não se separe em duas fases. A caseína é um agente emulsionante, que estabiliza as gotículas de gordura do leite. • De modo análogo, na maionese é a lecitina da gema de ovo o agente emulsionante. O sangue e a maionese – dois exemplos de coloides .
  10. 10. 1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e suspensões
  11. 11. 1.3. Critérios para a classificação de dispersões em soluções, coloides e suspensões • Fazendo incidir um feixe de luz num coloide, observa-se o feixe de luz sem distinguir as partículas individuais. A este fenómeno dá-se o nome de efeito de Tyndall, que é observado, por exemplo, com o fumo ou o nevoeiro. • Explicação: Um raio de luz ao atravessar uma mistura coloidal deixa um rasto, porque as partículas do disperso, sendo maiores do que na solução, refletem o raio de luz. • Os raios de sol numa floresta são outro exemplo do efeito de Tyndall. O que de facto se observa não são as partículas, porque são pequenas demais para serem visíveis a olho nu, mas a luz nelas refletida.

×