SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
CÁLCULOS DE MEDICAMENTOS
PROF. ESP. FRANCIELLY BORDON
LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS
Amp. Ampola
Fr. Frasco
Fr-amp Frasco-ampola
g Grama
h Hora
Mg Miligramas
mcg Micrograma
min. Minutos
mL Mililitros
SF Soro fisiológico
SG Soro glicosado
Vol. Volume
- Dose: quantidade de medicamento introduzido no organismo a fim de
produzir efeito terapêutico.
- Dose máxima: maior quantidade de medicamento capaz de produzir ação
terapêutica sem ser acompanhada de sintomas tóxicos.
- Dose tóxica: quantidade que ultrapassa a dose máxima e pode causar
conseqüências graves; a morte é evitada se a pessoa for socorrida a tempo.
- Dose letal: quantidade de medicamento que causa morte. - Dose de
manutenção:
CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO
DE MEDICAMENTOS
SOLUÇÃO: mistura homogênea composta de soluto e solvente.
Exemplo: No soro glicosado a água é o solvente e a glicose é
o soluto.
CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO
DE MEDICAMENTOS
◼ SUSPENSÃO: composta por duas partes, mas difere da
solução por ser heterogênea, o que significa que após
centrifugação ou repouso, é possível separar os componentes,
o que não ocorre na solução
CONCENTRAÇÃO: a relação entre a quantidade de soluto e solvente.
Exemplo: g/ml a quantidade em gramas de soluto pela quantidade em
mililitros de solvente.
CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO
DE MEDICAMENTOS
PROPORÇÃO: forma de
consiste na relação entre
“partes”.
expressar
soluto e solvente expressa
uma concentração e
em
Exemplo: 1:500, significa que há 1g de soluto para 500ml de
solvente.
CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO
DE MEDICAMENTOS
PORCENTAGEM (%): é uma outra forma de expressar uma
concentração.
Exemplo: 7%, significa que há 7g de soluto em cada 100ml
de solvente.
CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO
DE MEDICAMENTOS
Outro exemplo:
SG 5% = É o mesmo que dizer que
temos: 5g de glicose + 100 ml de
água.
100 x 5 = 500 ml
5 x 5 = 25
Ou seja em 500ml de SG 5% = 500 ml de água + 25g de
glicose.
CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO
DE MEDICAMENTOS
UNIDADES DE MEDIDAS
◼ Grama: unidade de medida de peso; sua milésima parte é o miligrama
(mg), logo 1g corresponde a 1000mg e 1000g correspondem a 1 kg.
◼ Litro: unidade de volume; sua milésima parte corresponde ao ml, logo,
1000ml é igual a 1l; dependendo do diâmetro do conta-gotas, 1ml
corresponde a 20 gotas e 1 gota corresponde a 3 microgotas.
◼ Centímetro cúbico (cc ou cm³): é similar ao ml, logo 1cc equivale a
1ml.
FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS
MEDICAMENTOS
Número de gotas (macrogotas) por min. (tempo em horas):
1 gota = 3 microgotas
V
Nºgts/min =-----
T . 3
Ex. Quantas macrogotas (gotas) deverão correr por minuto.
Para administrar 100ml de SG a 5% em 2 horas.
Nºgts/min = V = 100 = 100 = 16,66 = 17 gts/min
T . 3 2.3 6
FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS
MEDICAMENTOS
Ex. Quantas macrogotas (gotas) deverão correr por minuto. Para
administrar 500 ml de SG a 5% em 4 horas.
Nºgts/min =
gts/min
T . 3
V = 500 = 500 = 41,6 = 42
4.3 12
Número de microgotas por minuto (tempo em horas)
V
Nº mgts = -----
T
Ex. Quantas microgotas deverão correr por minuto, para
administrar 100ml de SG 5% em 2 horas:
FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS
MEDICAMENTOS
Nºmgts/min = V = 100 = 50 mgts/min
T 2
Número de gotas (macrogotas) por min. (tempo em minutos):
Nºmgts/min = V . 20
T
Devemos administrar 100ml de SG5% em 40 minutos.
Quantas gotas deverão correr por minuto?
FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS
MEDICAMENTOS
Nºmgts/min = V.20 = 100.20 = 2000 = 50 gts/min
T 40 40
Número de microgotas por min. (tempo em minutos):
Nºmgts/min = V . 60
T
Devemos administrar 50ml de SG5% em 40 minutos. Quantas
microgotas deverão correr por minuto?
FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS
MEDICAMENTOS
Nºmgts/min = V.60 = 50.60 = 3000 = 75 mgts/min
T 40 40
Nºmgts/min = V.60 = 100.60 = 6000 = 200 mgts/min
T 30 30
Nº gts/min = V.20 = 100.20 = 2000 = 66,66 = 67gts/min
T 30 30
PRESCRITO 100 ML,PARA ADMINISTRAR EM 30 MINUTOS
NUMERO DE GOTAS POR MINUTO
NUMERO DE MICROGOTAS POR MINUTO
Quando tenho em ml/h e eu quero descobri em quanto tempo
determina solução vai correr. Como devo proceder?
Ex. 100ml de SG 5% para correr 20ml/h. Em quanto tempo vai
correr?
V
T = --------
Ml/h
100
T = -------- T = 5h
20
FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS
MEDICAMENTOS
❑Aregra de três simples serve para resolver problemas que relacionam dois
valores de uma grandeza. O valor desconhecido será tratado por “X”.
Disponível solvente
(o que tem no frasco em mg) (quantos ml têm o frasco)
Prescrito ---------------------------------- solução desejada
(o que pede a prescrição em mg) (quantos ml aplicar?)
REGRA DE TRÊS SIMPLES
Prescrição médica: Garamicina (gentamicina) 30mg IM.
Disponível ampolas de 80mg/2ml. Quantos ml devo
administrar?
REGRA DE TRÊS SIMPLES EXEMPLO:
80mg 2ml
30mg X
(lê-se que 80mg está para 2ml)
(enquanto 30 mg está para “X”,onde o
“X” é o valor que eu busco).
REGRA DE TRÊS SIMPLES EXEMPLO:
1º passo: organizar a tabela
80mg 2ml
30mg X
2º passo: multiplicar cruzado;
Então: 80X = 30.2
80X = 60
3º passo: isolar o X;
X = 60
80
X = 0,75
Então X equivale a 0,75 ml de
Garamicina a serem administrados
◼ Foram prescritos 45mg de ranitidina VO de 12/12h. Temos na
clínica frasco de Ranitidina com 150mg/10ml. Quantos mls
devo administra? Por 5 dias.
150mg 10ml
45mg X
◼ Foram prescritos 45mg de ranitidina VO de 12/12h. Temos na
clínica frasco de Ranitidina com 150mg/10ml. Quantos mls
devo administra? Por 5 dias.
Cada dose será 3 ml x 2 = 6ml por dia
6 ml x 5 dias = 30 ml
REGRA DE TRÊS SIMPLES
150 X = 45.10
X? = 450
150
X = 3
Então X equivale a 3 ml de
Ranitidina a serem administrados
10ml
150mg
45mg X?
150 X = 450
CÁLCULO DE PENICILINA CRISTALINA
REGRA DE TRÊS SIMPLES EXEMPLO:
5.000.000 10ML (8+2)
2.000.000 X
5.000.000 X = 20.000.000
X = 20.000.000
5.000.000
X = 4 ml
◼ Quantos gramas de permanganato de potássio são
necessários para preparar 250 ml de solução a 2%?
◼ Onde cada 100 ml contém 2 g de permanganato
◼ Eu quero preparar 250 ml
◼ 100 ml ---------------2 g
◼ 250 ml --------------x
◼ Quantos gramas de glicose tem 500ml de SG 5%?
◼ 5 g ------------------100 ml
◼ X? ----------------------500 ml
◼ Diluir a penicilina cristalina 5.000.000 U (pó liofilizado) em 8 ml
de água destilada. Quantos ml você deverá aspirar para adquirir
2.700.000UI.
◼ 5.000.000UI --------------------10 ML
◼ 2.700.000 UI-------------------------X
◼ A prescrição é de 150mg de ampicilina . Na unidade temos
frascos com 1,0 grama, e diluente de 10 ml. Como proceder?
Quanto iremos administrar?
◼ 1000 mg ---------------------10 ml
◼ 150 mg-------------------------x?
As prescrições nem sempre condizem com a medicação adotada
como padrão pela instituição. No dia a dia a equipe de
enfermagem deve estar preparada para adequar essas
dosagens, o objetivo é preparar uma solução cujo volume e
concentração sejam o mais próximo do prescrito.
Regra de três:
Exemplo: Prescrição: 500 ml de soro glicosado (SG) 10%.
Disponível: 500 ml de SG 5% e 50%.
1º) Calcular quantos gramas de glicose há no frasco de
500ml de SG 5%:
Aplicando a regra de três:
100mL........................5g
500mL.........................x x = 25g
Conclui-se que: o frasco de 500ml de SG 5% contém 25g de
glicose.
2º) Calcular quantos gramas de glicose há no frasco de
500mL de SG 10%:
Aplicando a regra de três:
100ml..........................10g
500ml............................x x = 50g
Conclui-se que: há no frasco de 500 ml de SG 10%, 50g de
glicose.
3º) Calcular a diferença, em gramas, entre o SG disponível
(5%) e o SG solicitado (10%).
Portanto: 50g - 25g = 25g, isto significa que serão necessários 25g
de glicose para acrescentar ao soro disponível (SG 5%) e essa
quantidade será obtida do SG 50%.
4º) Calcular quantos ml de SG 50% são necessários para obter
25g de glicose:
Aplicando a regra de três:
100mL..........................50g
x.............................25g x = 50mL
Sabe-se, então, que será necessário acrescentar 50ml de SG 50%
ao frasco de 500ml de SG 5%, porém o volume final será 550ml,
ultrapassando o volume solicitado.
Devendo desprezar 50 ml de SG 5% e refazer o cálculo:
5º) Calcular a quantidade de glicose desprezada:
Aplicando a regra de três:
100ml.........................5g
50ml.........................x x = 2,5g
Conclui-se que há perda de 2,5g de glicose do SG 5%; deve-se
refazer o cálculo para acrescentar esta falta:
6º) Será necessário acrescentar 2,5g de glicose do SG
50%:Aplicando a regra de três:
100mL........................50g
x............................2,5g x = 5ml
Serão necessários mais 5ml de SG 50%, resultando em 55ml de SG
50% que devem ser acrescidos ao frasco de SG 5%, uma vez que
foram desprezados 50ml de SG 5%, formando uma solução de
505ml de SG 10%.
Resultado:
SG 5% → V1 = 450mL → 22,5g de glicose
+ SG 50% → V2 = 55 ml → 27,5g de glicose
SG 10% → Vf = 505 ml → 50,0g de glicose
Portanto, prepara-se 505ml de SG 10%, contendo 50g de
glicose, porém como o volume ultrapassa em 5ml, deve-se
refazer o cálculo até obter 500ml de SG 10%.
◼ Prescrito 120 ml de uma solução, para correr em 30 minutos.
Faça o cálculo de gotas e microgotas para essa prescrição.
◼ O médico prescreveu a um paciente 150 mg de amicacina e, na
clínica, existem apenas ampolas contendo 500 mg/2 mL.
Execute o cálculo:
◼ Precisamos administrar um soro fisiológico 0,9% de 1000 mL em
24 horas a um paciente usando equipo de macrogotas e
microgotas, quantas gotas e microgotas serão administradas por
minuto, respectivamente?
◼ A prescrição para uma criança internada é de 200mg de dipirona
gotas, via oral, em caso de febre. Na farmácia do hospital, havia
dipirona gotas, 500mg/ml. A criança está com 38,5 ºC. Como
proceder?
◼ A prescrição é de azitromicina 350 mg após o almoço, por 5 dias.
Na unidade temos disponível, frascos de 15 mL, numa
concentração de 200mg /5mL. Faça o calculo da dose diária, e
de quanto deverá ser dispensado para o tratamento completo.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a CALCULO DE MEDICAMENTOS (1).pptx

Semelhante a CALCULO DE MEDICAMENTOS (1).pptx (20)

Cálculos para administração de medicamentos
Cálculos para administração de medicamentosCálculos para administração de medicamentos
Cálculos para administração de medicamentos
 
Calculo2
Calculo2Calculo2
Calculo2
 
Calculo2
Calculo2Calculo2
Calculo2
 
Calculo de medicamentos
Calculo de medicamentosCalculo de medicamentos
Calculo de medicamentos
 
Apostila-calculos-1-pdf
Apostila-calculos-1-pdfApostila-calculos-1-pdf
Apostila-calculos-1-pdf
 
Transformação de soros
Transformação de sorosTransformação de soros
Transformação de soros
 
Exercícios medicamentos
Exercícios medicamentosExercícios medicamentos
Exercícios medicamentos
 
Calculos medicamentos apostila
Calculos medicamentos apostilaCalculos medicamentos apostila
Calculos medicamentos apostila
 
9 CALCULO DE MEDICAMENTO.pdf
9 CALCULO DE MEDICAMENTO.pdf9 CALCULO DE MEDICAMENTO.pdf
9 CALCULO DE MEDICAMENTO.pdf
 
9 CALCULO DE MEDICAMENTO.pptx
9 CALCULO DE MEDICAMENTO.pptx9 CALCULO DE MEDICAMENTO.pptx
9 CALCULO DE MEDICAMENTO.pptx
 
Cálculo+d..
Cálculo+d..Cálculo+d..
Cálculo+d..
 
Cálculos i e ii
Cálculos  i e iiCálculos  i e ii
Cálculos i e ii
 
Curso de medicacao
Curso de medicacaoCurso de medicacao
Curso de medicacao
 
aula de cálculo.pptx
aula de cálculo.pptxaula de cálculo.pptx
aula de cálculo.pptx
 
Ebook cálculo fácil de medicamentos 2020
Ebook cálculo fácil de medicamentos 2020Ebook cálculo fácil de medicamentos 2020
Ebook cálculo fácil de medicamentos 2020
 
CALCULO - AULA 07.pptx
CALCULO - AULA 07.pptxCALCULO - AULA 07.pptx
CALCULO - AULA 07.pptx
 
Transformando soluções
Transformando soluçõesTransformando soluções
Transformando soluções
 
Unidades de medidas e suas transformações
Unidades de medidas e suas transformaçõesUnidades de medidas e suas transformações
Unidades de medidas e suas transformações
 
Cálculos com medicamentos
Cálculos com medicamentosCálculos com medicamentos
Cálculos com medicamentos
 
Calculos com medicamentos 1
Calculos com medicamentos 1Calculos com medicamentos 1
Calculos com medicamentos 1
 

Mais de ssuser51d27c1

Trabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptxTrabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptxssuser51d27c1
 
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptxSISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptxssuser51d27c1
 
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptx
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptxATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptx
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptxssuser51d27c1
 
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.ppt
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.pptAS TEORIAS PEDAGÓGICAS.ppt
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.pptssuser51d27c1
 
educaçao em saude aula 01.pptx
educaçao em saude aula 01.pptxeducaçao em saude aula 01.pptx
educaçao em saude aula 01.pptxssuser51d27c1
 
slaid educação permanente.pptx
slaid educação permanente.pptxslaid educação permanente.pptx
slaid educação permanente.pptxssuser51d27c1
 
DOENÇA CORONARIANA.pptx
DOENÇA CORONARIANA.pptxDOENÇA CORONARIANA.pptx
DOENÇA CORONARIANA.pptxssuser51d27c1
 
AULA DIA 27.04.2021.pptx
AULA DIA 27.04.2021.pptxAULA DIA 27.04.2021.pptx
AULA DIA 27.04.2021.pptxssuser51d27c1
 
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptxVIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptxssuser51d27c1
 
atribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxatribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxssuser51d27c1
 
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdf
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdfAula_4_-modelos_de_atenção.pdf
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdfssuser51d27c1
 
aula 02 politicas publicas.pptx
aula 02 politicas publicas.pptxaula 02 politicas publicas.pptx
aula 02 politicas publicas.pptxssuser51d27c1
 
impactos ambientais.pptx
 impactos ambientais.pptx impactos ambientais.pptx
impactos ambientais.pptxssuser51d27c1
 
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptxDEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptxssuser51d27c1
 
TERRITORIALIZAÇÃO.pptx
TERRITORIALIZAÇÃO.pptxTERRITORIALIZAÇÃO.pptx
TERRITORIALIZAÇÃO.pptxssuser51d27c1
 
indicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptxindicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptxssuser51d27c1
 
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptx
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptxBiossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptx
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptxssuser51d27c1
 

Mais de ssuser51d27c1 (20)

Trabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptxTrabalhando em Grupos na AB.pptx
Trabalhando em Grupos na AB.pptx
 
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptxSISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
SISTEMA CIRCULATÓRIO II novo.pptx
 
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptx
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptxATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptx
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.pptx
 
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.ppt
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.pptAS TEORIAS PEDAGÓGICAS.ppt
AS TEORIAS PEDAGÓGICAS.ppt
 
educaçao em saude aula 01.pptx
educaçao em saude aula 01.pptxeducaçao em saude aula 01.pptx
educaçao em saude aula 01.pptx
 
slaid educação permanente.pptx
slaid educação permanente.pptxslaid educação permanente.pptx
slaid educação permanente.pptx
 
DOENÇA CORONARIANA.pptx
DOENÇA CORONARIANA.pptxDOENÇA CORONARIANA.pptx
DOENÇA CORONARIANA.pptx
 
AULA DIA 27.04.2021.pptx
AULA DIA 27.04.2021.pptxAULA DIA 27.04.2021.pptx
AULA DIA 27.04.2021.pptx
 
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptxVIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
 
atribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptxatribuição da enfermagem.pptx
atribuição da enfermagem.pptx
 
08 abdome.pptx
08 abdome.pptx08 abdome.pptx
08 abdome.pptx
 
DANT DCNT.pptx
DANT DCNT.pptxDANT DCNT.pptx
DANT DCNT.pptx
 
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdf
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdfAula_4_-modelos_de_atenção.pdf
Aula_4_-modelos_de_atenção.pdf
 
aula 02 politicas publicas.pptx
aula 02 politicas publicas.pptxaula 02 politicas publicas.pptx
aula 02 politicas publicas.pptx
 
impactos ambientais.pptx
 impactos ambientais.pptx impactos ambientais.pptx
impactos ambientais.pptx
 
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptxDEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
 
DHAA.pptx
DHAA.pptxDHAA.pptx
DHAA.pptx
 
TERRITORIALIZAÇÃO.pptx
TERRITORIALIZAÇÃO.pptxTERRITORIALIZAÇÃO.pptx
TERRITORIALIZAÇÃO.pptx
 
indicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptxindicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptx
 
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptx
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptxBiossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptx
Biossegurança e resíduos de serviços de saúde (1).pptx
 

Último

Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOvilcielepazebem
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinaaula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinajarlianezootecnista
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALCarlosLinsJr
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdfHELLEN CRISTINA
 
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemAula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemCarlosLinsJr
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obrasosnikobus1
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfMarceloMonteiro213738
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdfHELLEN CRISTINA
 

Último (15)

Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinaaula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
 
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemAula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdf
 

CALCULO DE MEDICAMENTOS (1).pptx

  • 1. CÁLCULOS DE MEDICAMENTOS PROF. ESP. FRANCIELLY BORDON
  • 2. LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS Amp. Ampola Fr. Frasco Fr-amp Frasco-ampola g Grama h Hora Mg Miligramas mcg Micrograma min. Minutos mL Mililitros SF Soro fisiológico SG Soro glicosado Vol. Volume
  • 3. - Dose: quantidade de medicamento introduzido no organismo a fim de produzir efeito terapêutico. - Dose máxima: maior quantidade de medicamento capaz de produzir ação terapêutica sem ser acompanhada de sintomas tóxicos. - Dose tóxica: quantidade que ultrapassa a dose máxima e pode causar conseqüências graves; a morte é evitada se a pessoa for socorrida a tempo. - Dose letal: quantidade de medicamento que causa morte. - Dose de manutenção: CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO DE MEDICAMENTOS
  • 4. SOLUÇÃO: mistura homogênea composta de soluto e solvente. Exemplo: No soro glicosado a água é o solvente e a glicose é o soluto. CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO DE MEDICAMENTOS
  • 5. ◼ SUSPENSÃO: composta por duas partes, mas difere da solução por ser heterogênea, o que significa que após centrifugação ou repouso, é possível separar os componentes, o que não ocorre na solução
  • 6. CONCENTRAÇÃO: a relação entre a quantidade de soluto e solvente. Exemplo: g/ml a quantidade em gramas de soluto pela quantidade em mililitros de solvente. CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO DE MEDICAMENTOS
  • 7. PROPORÇÃO: forma de consiste na relação entre “partes”. expressar soluto e solvente expressa uma concentração e em Exemplo: 1:500, significa que há 1g de soluto para 500ml de solvente. CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO DE MEDICAMENTOS
  • 8. PORCENTAGEM (%): é uma outra forma de expressar uma concentração. Exemplo: 7%, significa que há 7g de soluto em cada 100ml de solvente. CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO DE MEDICAMENTOS
  • 9. Outro exemplo: SG 5% = É o mesmo que dizer que temos: 5g de glicose + 100 ml de água. 100 x 5 = 500 ml 5 x 5 = 25 Ou seja em 500ml de SG 5% = 500 ml de água + 25g de glicose. CONCEITOS BÁSICOS ENVOLVIDOS NO CÁLCULO DE MEDICAMENTOS
  • 10. UNIDADES DE MEDIDAS ◼ Grama: unidade de medida de peso; sua milésima parte é o miligrama (mg), logo 1g corresponde a 1000mg e 1000g correspondem a 1 kg. ◼ Litro: unidade de volume; sua milésima parte corresponde ao ml, logo, 1000ml é igual a 1l; dependendo do diâmetro do conta-gotas, 1ml corresponde a 20 gotas e 1 gota corresponde a 3 microgotas. ◼ Centímetro cúbico (cc ou cm³): é similar ao ml, logo 1cc equivale a 1ml.
  • 11. FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS MEDICAMENTOS Número de gotas (macrogotas) por min. (tempo em horas): 1 gota = 3 microgotas V Nºgts/min =----- T . 3 Ex. Quantas macrogotas (gotas) deverão correr por minuto. Para administrar 100ml de SG a 5% em 2 horas. Nºgts/min = V = 100 = 100 = 16,66 = 17 gts/min T . 3 2.3 6
  • 12. FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS MEDICAMENTOS Ex. Quantas macrogotas (gotas) deverão correr por minuto. Para administrar 500 ml de SG a 5% em 4 horas. Nºgts/min = gts/min T . 3 V = 500 = 500 = 41,6 = 42 4.3 12
  • 13. Número de microgotas por minuto (tempo em horas) V Nº mgts = ----- T Ex. Quantas microgotas deverão correr por minuto, para administrar 100ml de SG 5% em 2 horas: FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS MEDICAMENTOS Nºmgts/min = V = 100 = 50 mgts/min T 2
  • 14. Número de gotas (macrogotas) por min. (tempo em minutos): Nºmgts/min = V . 20 T Devemos administrar 100ml de SG5% em 40 minutos. Quantas gotas deverão correr por minuto? FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS MEDICAMENTOS Nºmgts/min = V.20 = 100.20 = 2000 = 50 gts/min T 40 40
  • 15. Número de microgotas por min. (tempo em minutos): Nºmgts/min = V . 60 T Devemos administrar 50ml de SG5% em 40 minutos. Quantas microgotas deverão correr por minuto? FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS MEDICAMENTOS Nºmgts/min = V.60 = 50.60 = 3000 = 75 mgts/min T 40 40
  • 16. Nºmgts/min = V.60 = 100.60 = 6000 = 200 mgts/min T 30 30 Nº gts/min = V.20 = 100.20 = 2000 = 66,66 = 67gts/min T 30 30 PRESCRITO 100 ML,PARA ADMINISTRAR EM 30 MINUTOS NUMERO DE GOTAS POR MINUTO NUMERO DE MICROGOTAS POR MINUTO
  • 17. Quando tenho em ml/h e eu quero descobri em quanto tempo determina solução vai correr. Como devo proceder? Ex. 100ml de SG 5% para correr 20ml/h. Em quanto tempo vai correr? V T = -------- Ml/h 100 T = -------- T = 5h 20 FÓRMULA/REGRA PARA CÁLCULOS DOS MEDICAMENTOS
  • 18. ❑Aregra de três simples serve para resolver problemas que relacionam dois valores de uma grandeza. O valor desconhecido será tratado por “X”. Disponível solvente (o que tem no frasco em mg) (quantos ml têm o frasco) Prescrito ---------------------------------- solução desejada (o que pede a prescrição em mg) (quantos ml aplicar?) REGRA DE TRÊS SIMPLES
  • 19. Prescrição médica: Garamicina (gentamicina) 30mg IM. Disponível ampolas de 80mg/2ml. Quantos ml devo administrar? REGRA DE TRÊS SIMPLES EXEMPLO: 80mg 2ml 30mg X (lê-se que 80mg está para 2ml) (enquanto 30 mg está para “X”,onde o “X” é o valor que eu busco).
  • 20. REGRA DE TRÊS SIMPLES EXEMPLO: 1º passo: organizar a tabela 80mg 2ml 30mg X 2º passo: multiplicar cruzado; Então: 80X = 30.2 80X = 60 3º passo: isolar o X; X = 60 80 X = 0,75 Então X equivale a 0,75 ml de Garamicina a serem administrados
  • 21. ◼ Foram prescritos 45mg de ranitidina VO de 12/12h. Temos na clínica frasco de Ranitidina com 150mg/10ml. Quantos mls devo administra? Por 5 dias. 150mg 10ml 45mg X
  • 22. ◼ Foram prescritos 45mg de ranitidina VO de 12/12h. Temos na clínica frasco de Ranitidina com 150mg/10ml. Quantos mls devo administra? Por 5 dias. Cada dose será 3 ml x 2 = 6ml por dia 6 ml x 5 dias = 30 ml
  • 23. REGRA DE TRÊS SIMPLES 150 X = 45.10 X? = 450 150 X = 3 Então X equivale a 3 ml de Ranitidina a serem administrados 10ml 150mg 45mg X? 150 X = 450
  • 25. REGRA DE TRÊS SIMPLES EXEMPLO: 5.000.000 10ML (8+2) 2.000.000 X 5.000.000 X = 20.000.000 X = 20.000.000 5.000.000 X = 4 ml
  • 26. ◼ Quantos gramas de permanganato de potássio são necessários para preparar 250 ml de solução a 2%? ◼ Onde cada 100 ml contém 2 g de permanganato ◼ Eu quero preparar 250 ml ◼ 100 ml ---------------2 g ◼ 250 ml --------------x
  • 27. ◼ Quantos gramas de glicose tem 500ml de SG 5%? ◼ 5 g ------------------100 ml ◼ X? ----------------------500 ml
  • 28. ◼ Diluir a penicilina cristalina 5.000.000 U (pó liofilizado) em 8 ml de água destilada. Quantos ml você deverá aspirar para adquirir 2.700.000UI. ◼ 5.000.000UI --------------------10 ML ◼ 2.700.000 UI-------------------------X
  • 29. ◼ A prescrição é de 150mg de ampicilina . Na unidade temos frascos com 1,0 grama, e diluente de 10 ml. Como proceder? Quanto iremos administrar? ◼ 1000 mg ---------------------10 ml ◼ 150 mg-------------------------x?
  • 30. As prescrições nem sempre condizem com a medicação adotada como padrão pela instituição. No dia a dia a equipe de enfermagem deve estar preparada para adequar essas dosagens, o objetivo é preparar uma solução cujo volume e concentração sejam o mais próximo do prescrito.
  • 31. Regra de três: Exemplo: Prescrição: 500 ml de soro glicosado (SG) 10%. Disponível: 500 ml de SG 5% e 50%. 1º) Calcular quantos gramas de glicose há no frasco de 500ml de SG 5%: Aplicando a regra de três: 100mL........................5g 500mL.........................x x = 25g
  • 32. Conclui-se que: o frasco de 500ml de SG 5% contém 25g de glicose. 2º) Calcular quantos gramas de glicose há no frasco de 500mL de SG 10%: Aplicando a regra de três: 100ml..........................10g 500ml............................x x = 50g Conclui-se que: há no frasco de 500 ml de SG 10%, 50g de glicose.
  • 33. 3º) Calcular a diferença, em gramas, entre o SG disponível (5%) e o SG solicitado (10%). Portanto: 50g - 25g = 25g, isto significa que serão necessários 25g de glicose para acrescentar ao soro disponível (SG 5%) e essa quantidade será obtida do SG 50%. 4º) Calcular quantos ml de SG 50% são necessários para obter 25g de glicose: Aplicando a regra de três: 100mL..........................50g x.............................25g x = 50mL
  • 34. Sabe-se, então, que será necessário acrescentar 50ml de SG 50% ao frasco de 500ml de SG 5%, porém o volume final será 550ml, ultrapassando o volume solicitado. Devendo desprezar 50 ml de SG 5% e refazer o cálculo: 5º) Calcular a quantidade de glicose desprezada: Aplicando a regra de três: 100ml.........................5g 50ml.........................x x = 2,5g
  • 35. Conclui-se que há perda de 2,5g de glicose do SG 5%; deve-se refazer o cálculo para acrescentar esta falta: 6º) Será necessário acrescentar 2,5g de glicose do SG 50%:Aplicando a regra de três: 100mL........................50g x............................2,5g x = 5ml
  • 36. Serão necessários mais 5ml de SG 50%, resultando em 55ml de SG 50% que devem ser acrescidos ao frasco de SG 5%, uma vez que foram desprezados 50ml de SG 5%, formando uma solução de 505ml de SG 10%. Resultado: SG 5% → V1 = 450mL → 22,5g de glicose + SG 50% → V2 = 55 ml → 27,5g de glicose SG 10% → Vf = 505 ml → 50,0g de glicose
  • 37. Portanto, prepara-se 505ml de SG 10%, contendo 50g de glicose, porém como o volume ultrapassa em 5ml, deve-se refazer o cálculo até obter 500ml de SG 10%.
  • 38. ◼ Prescrito 120 ml de uma solução, para correr em 30 minutos. Faça o cálculo de gotas e microgotas para essa prescrição.
  • 39. ◼ O médico prescreveu a um paciente 150 mg de amicacina e, na clínica, existem apenas ampolas contendo 500 mg/2 mL. Execute o cálculo:
  • 40. ◼ Precisamos administrar um soro fisiológico 0,9% de 1000 mL em 24 horas a um paciente usando equipo de macrogotas e microgotas, quantas gotas e microgotas serão administradas por minuto, respectivamente?
  • 41. ◼ A prescrição para uma criança internada é de 200mg de dipirona gotas, via oral, em caso de febre. Na farmácia do hospital, havia dipirona gotas, 500mg/ml. A criança está com 38,5 ºC. Como proceder?
  • 42. ◼ A prescrição é de azitromicina 350 mg após o almoço, por 5 dias. Na unidade temos disponível, frascos de 15 mL, numa concentração de 200mg /5mL. Faça o calculo da dose diária, e de quanto deverá ser dispensado para o tratamento completo.