O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

O cognitivismo de Jean Piaget (2).pptx

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 36 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Mais recentes (20)

Anúncio

O cognitivismo de Jean Piaget (2).pptx

  1. 1. O cognitivismo de Jean Piaget FABRICIO RODRIGUES PEREIRA HELDER OSVALDO BISCARDIN VIEIRA RUTE JANAÍNA DA COSTA SILVA PROF. FABIANA KAUARK MESTRADO PROFISIONAL EM QUÍMICA – PROFQUI IFES – CAMPUS DISCIPLINA: SEMINÁRIOS WEB II
  2. 2. Jean William Fritz Piaget “O principal objetivo da educação é criar pessoas capazes de fazer coisas novas e não simplesmente repetir o que outras gerações fizeram.’’ 1970
  3. 3.  Nascimento: 09/08/1896 – Neuchâtel- Suíça  Morre: 17/09/1980 (Suíça)- Genebra  Ambiente familiar intelectualizado  7- 10 anos- Se interessa por assuntos variados e escreve pequenas notas sobre o que lia.  1907 => publicação do primeiro artigo (11 anos)  1918 => doutorado em biologia ( 22 anos)- Filosofia  Zurich => Psicólogo Experimental- Aulas com Jung- Clinica Psiquiátrica - (Psicologia Experimental e Métodos informais de Psicologia.  1919 – Mudou-se para França=> padronização de testes de inteligência (Binet); início do interesse pelos processos de raciocínio infantil.  1921 => direção do Instituto de Pesquisas Psicológicas e Educacionais J. J. Rousseau (Genebra) DADOS BIOGRÁFICOS
  4. 4.  1919- Pesquisas: Mente Humana e Habilidades Cognitivas.  1921- Retorna a Suíça – Diretor de estudos no Instituto J. J. Rousseau da Universidade de Genebra. Início de seus trabalhos com crianças.  1923- Casa-se com Valentine Châtenay, com quem teve três filhas: Jacqueline (1925), Lucienne (1927) e Laurent (1931).Observação de seus filhos.  Fundou e dirigiu o Centro Internacional para Epistemologia Genética.
  5. 5. Algumas obras importantes: •A linguagem e o pensamento na criança (1923) • A representação do mundo na criança (1926) • O julgamento moral na criança (1932) •O nascimento da inteligência na criança (1936) • A construção do real na criança (1937) • A formação do símbolo na criança (1946) •Da lógica da criança à lógica do adolescente (c/ B. Inhelder - 1955) •A gênese das estruturas lógicas elementares: a classificação e a seriação (1956) •Seis estudos de Psicologia (1964) •Psicologia da criança (c/ B. Inhelder – 1966) •Epistemologia genética (1970) •Psicologia e pedagogia (1969) • Para onde vai a educação (1971) Análise das respostas verbais das crianças a questões colocadas verbalmente (méodo clínico) Observação de bebês de 0 a 2 anos Provas operatórias (respostas verbais + Manipulação de objetos) “livros-síntese” da teoria Obras sobre educação
  6. 6. QUESTÕES BÁSICAS: COMO O SER HUMANO ADQUIRE CONHECIMENTO? COMO SE PASSA DE UM NÍVEL MAIS ELEMENTAR DE CONHECIMENTO A OUTRO MAIS ELABORADO? INTERESSES: APERFEIÇOANDO ATÉ ATINGIR UM ESTADO DE EQUILÍBRIO SUPERIOR, NA ADOLESCÊNCIA. PSICOLOGIA FILOSOFIA BIOLOGIA
  7. 7. CONTEXTO HISTÓRICO INATISMO: Platão, Descartes e Kant Fonte: https://cosmos.bluesoft.com.br/produtos/74463 3189113-tabula-rasa-roman-wax-tabletgle Tábua Rasa. Aprendizagem Passiva http://ivancarlo.blogspot.com/2022/0 6/a-pedagogia-tradicional.html
  8. 8. CONTEXTO HISTÓRICO Aprendizagem por repetição: Reforço positivo ou negativo- ‘’Informação gravada’’. Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=c6kVJNkAeH4 Teorias da aprendizagem da época:  BEHAVEORIMO: os psicólogos John B. Watson e B.F. Skinner
  9. 9. EIXOS DA TEORIA DE PIAGET  EQUILIBRAÇÃO- ASSIMILAÇÃO - ACOMODAÇÃO Fonte: https://br.freepik.com/fotos- premium/cerebro-de-conceito- de-cerebro-logico-feito-de- pecas-de-quebra-cabeca- omplex-em-uma-cabeca- humana_23801707.htm Fonte: https://br.freepik.com/fotos- premium/cerebro-de-conceito- de-cerebro-logico-feito-de- pecas-de-quebra-cabeca- omplex-em-uma-cabeca- humana_23801707.htm Fonte: https://br.freepik.com/fotos- premium/cerebro-de-conceito- de-cerebro-logico-feito-de- pecas-de-quebra-cabeca- omplex-em-uma-cabeca- humana_23801707.htm
  10. 10. Fatores do Desenvolvimento cognitivo MATURAÇÃO (crescimento físico /SNC) Possibilidades e limites EXPERIÊNCIA ATIVA (ações sobre objetos) Conhecimento físico (objetos) e lógico-matemático (ações) INTERAÇÃO SOCIAL (linguagem; educação) Conhecimento social Conflitos (sócio)cognitivos EQUILIBRAÇÃO (auto-regulação; tendência a compensar perturbações) O desenvolvimento resulta da interação desses 4 fatores
  11. 11. INTELIGÊNCIA ORGANIZAÇÃO (aspecto interno, ESTRUTURAL) ADAPTAÇÃO (aspecto externo, FUNCIONAL) ASSIMILAÇÃO (incorporação de elementos do meio às estruturas do organismo) Implica numa “transformação” do objeto em função das estruturas do sujeito ACOMODAÇÃO (modificação das estruturas do sujeito para poder assimilar os elementos/objetos do meio) EX. BIOLÓGICO DE ADAPTAÇÃO => ALIMENTAÇÃO
  12. 12. Cognitivismo Por volta da década de 1960 e 1970, muitos psicólogos começaram a rejeitar o modelo clássico do estímulo e resposta do Behaviorismo, que tendia a ignorar atividades humanas, como o raciocínio, o planejamento, a tomada de decisões e a comunicação, buscando cada vez mais tentar entender o que acontecia dentro da mente humana. A partir disso, dá-se início ao cognitivismo.
  13. 13. Cognitivismo Sternberg (2000), p. 38, define a psicologia cognitiva como o estudo de como as pessoas percebem, aprendem, recordam e ponderam as informações. Por outro lado, o Cognitivismo pode ser descrito como uma perspectiva psicológica sugerindo que o estudo da maneira como as pessoas pensam levará a um ampla compreensão sobre grande parte do comportamento humano.
  14. 14. Cognitivismo Segundo Moreira e Masini (1982, p. 3) o conceito de cognição perpassa por um processo através do qual o mundo de significados tem origem, ou seja, à medida que o ser se situa no mundo, se estabelecem relações de significação, isto é, atribui significados à realidade em que se encontra. Esses significados não são entidades estáticas, mas pontos de partida para a atribuição de outros significados. Tem origem, então, a estrutura cognitiva (os primeiros significados), constituindo-se nos pontos básicos de ancoragem dos quais derivam outros significados.
  15. 15. Construtivismo Para Boyle (1997), o Construtivismo tem sido a abordagem teórica mais utilizada para orientar o desenvolvimento de materiais didáticos informatizados, principalmente o de ambientes multimídia de aprendizagem, mas esse fato não significa que essas abordagens têm que permear como única tendência no ensino midiático.
  16. 16. Construtivismo De acordo com Biaggio (1976) o biólogo, doutor em Filosofia e Epistemólogo Jean Piaget foi o estudioso que mais se destacou nos estudos sobre o Construtivismo. O Construtivismo se baseia no princípio de que o saber não é algo pronto e acabado, e sim um processo constante de construção e concepção considerando a interação com o meio, para que haja a formação da personalidade do indivíduo.
  17. 17. Piaget, construtivismo e o cognitivismo  Pioneiro nos estudos sobre a inteligência e o pensamento lógico-matemático  Nunca exerceu a profissão de educador  Seus escritos sobre educação são uma porcentagem bem pequena na totalidade de sua obra  Interesse em entender de que forma o individuo compreende o mundo Sua obra se desenvolve pelo contato dele com teorias psicológicas, cognitivas e biológicas.
  18. 18. Piaget foi sem dúvidas o pioneiro do enfoque construtivista à cognição humana. Suas propostas configuram uma teoria construtivista do desenvolvimento cognitivo humano. (MOREIRA, 2013) Piaget, construtivismo e o cognitivismo
  19. 19. Períodos de Desenvolvimento Mental SENSÓRIO-MOTOR PRÉ-OPERACIONAL OPERACIONAL- CONCRETO OPERACIONAL FORMAL Assimilação, Acomodação e Equilibração Tão importante quanto os Períodos de Desenvolvimento Mental O método clínico  Acompanhar o processo do pensamento infantil  Biologia como fundamento para a Psicologia Piaget, construtivismo e o cognitivismo
  20. 20. OS CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA TEORIA COGNITIVA PIAGETIANA  HEREDITARIEDADE: estruturas neurossensoriais; amadurecimento do organismo devido as relações estabelecidas com o meio ambiente e a herança biológica.  ESQUEMA: unidade estruturante do desenvolvimento cognitivo; funcionamento em vários contextos; sequência bem organizada e definida de ações (físicas e mentais).  ADAPTAÇÃO: Desafio do ambiente social e físico; rompimento com o equilíbrio; busca de comportamentos mais adaptados Piaget, construtivismo e o cognitivismo
  21. 21. OS CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA TEORIA COGNITIVA PIAGETIANA  EQUILÍBRIO OU PROCESSO DE EQUILIBRAÇÃO: resultado da acomodação e da assimilação; conflito entre as respostas e as novas situações; geração de novas respostas.  OPERAÇÃO: elemento essencial do processo do desenvolvimento cognitivo; reversibilidade. Toda operação apresenta um contrário lógico. Piaget, construtivismo e o cognitivismo
  22. 22. OS CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA TEORIA COGNITIVA PIAGETIANA  Chegamos a uma ideia de “estrutura cognitiva” dentro da teoria piagetiana: para ele, a mente é um conjunto de esquemas que se aplicam à realidade. Esses esquemas tendem a incorporar os elementos que lhes são exteriores e que são compatíveis com sua natureza. O esquema de classificação, por exemplo, tende a classificar tudo o que é classificável; as teorias explicativas são também esquemas de assimilação da realidade. Tais esquemas, no entanto, tendem a assimilar-se mutuamente em estruturas cada vez mais amplas, móveis e estáveis até alcançarem o poder de “manipular” todos os “possíveis”. Quando um esquema se reestrutura e adota um modelo mais eficiente de ação, diz-se que houve acomodação do esquema. (MOREIRA, 2013) Piaget, construtivismo e o cognitivismo
  23. 23. OS CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA TEORIA COGNITIVA PIAGETIANA  A “estrutura cognitiva” de um indivíduo é, pois, um complexo de esquemas de assimilação que, segundo Piaget, tendem a se organizar segundo os modelos matemáticos de grupo e rede. (MOREIRA, 2013) Piaget, construtivismo e o cognitivismo
  24. 24. OS CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA TEORIA COGNITIVA PIAGETIANA  Piaget considera as ações humanas (e não as sensações) como a base do comportamento humano. Tudo no comportamento parte da ação. Até mesmo a percepção é, para ele, uma atividade, e a imagem mental é uma imitação interior do objeto. “O comportamento (motor, verbal e mental) é, simplesmente, a estruturação dos movimentos do organismo em esquemas que evoluem para os modelos matemáticos de grupo ou de rede (passando, em seu processo genético, pelos ‘grupamentos’).” (Oliveira Lima, 1980, p. 33.)  Pode-se falar em ação sensório-motora, ação verbal e ação mental. O pensamento é, simplesmente, a interiorização da ação Piaget, construtivismo e o cognitivismo
  25. 25. OS CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA TEORIA COGNITIVA PIAGETIANA  A teoria de Piaget não é propriamente uma teoria de aprendizagem, e sim uma teoria de desenvolvimento mental. Piaget não enfatiza o conceito de aprendizagem talvez por não concordar com a definição usual de “modificação do comportamento resultante da experiência”. Essa definição traz consigo uma ideia de dependência passiva do meio ambiente, enquanto na assimilação, segundo Piaget, o organismo se impõe ao meio – na acomodação, a mente se reestrutura para adaptar-se ao meio. Piaget prefere, então, falar em “aumento do conhecimento”, analisando como isso ocorre: só há aprendizagem (aumento de conhecimento) quando o esquema de assimilação sofre acomodação. (MOREIRA, 2013) Piaget, construtivismo e o cognitivismo
  26. 26. ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO COGNITIVO- PIAGET
  27. 27. ESTÁGIO SENSÓRIO- MOTOR ESTÁGIO PRÉ–OPERACIONAL ESTÁGIO DAS OPERAÇÕES CONCRETAS E S T Á G I O D A S O P E R A Ç Õ E S F O R M A I S DESENVOLVIMENTO COGNITIVO  Processo de construção de sucessivas estruturas cognitivas, sendo que cada nova estrutura resulta da precedente, englobando-a e superando-a. Os estágios têm um caráter integrativo. As estruturas cognitivas construídas num determinado estágio são integradas nas estruturas do estágio seguinte A ordem de sucessão dos estágios é constante. Porém, as idades em que as crianças atingem cada estágio podem variar em função de aspectos biológicos e ambientais
  28. 28. I - ESTÁGIO SENSÓRIO-MOTOR (0 A 2 ANOS)  Egocentrismo inconsciente  indiferenciação entre o eu e o mundo  Ausência de pensamento e linguagem  Construção de noções práticas de objeto permanente, espaço, tempo e causalidade  https://www.youtube.com/watch?v=LWehMRtdGY8  inteligência prática (solução de problemas concretos, baseando-se na percepção e ação) => coordenação de esquemas de ação diferenciando entre meios e fins Ex: puxar um barbante para pegar o objeto amarrado a ele  A inteligência prática ou S-M consiste no alicerce de toda a inteligência posterior
  29. 29. I - ESTÁGIO SENSÓRIO-MOTOR (0 A 2 ANOS) Piaget dividiu o período sensório-motor em seis subestágios:  1º subestágio – do nascimento até aproximadamente um mês e meio de vida;  2º subestágio – de um mês e meio de vida até os quatro meses;  3º subestágio – dos quatro meses até os oito meses;  4º subestágio – de aproximadamente oito meses até um ano de idade;  5º subestágio – acontece entre 1 ano e 1 ano e meio de idade;  6º subestágio – de 1 ano e meio a 2 anos de idade.
  30. 30. II- ESTÁGIO PRÉ-OPERATÓRIO (2 A 7 ANOS) capacidade de representação ou função simbólica capacidade de utilizar um símbolo para representar um objeto ausente Condutas Simbólicas • Imitação diferida (ocorre posteriormente, na ausência do modelo) • Jogo simbólico (brincadeira de “faz de conta”) • Desenho • Linguagem (egocêntrica => linguagem social) • Imagem mental
  31. 31. • CARACTERÍSTICAS DO PENSAMENTO PRÉ- OPERATÓRIO (4 a 6 anos) http://www.youtube.com/watch?v=qyNGFOpRSE4 1. raciocínio pré-lógico => baseado na percepção (imagens mentais estáticas, não acompanham transformações) 2. ausência de reversibilidade => incapacidade de reverter mentalmente uma ação ou pensamento efetuado 3. ausência da noção de conservação (quantidade, líquido, substância, peso, volume) 4. Pensamento animista => atribuição de vida a objetos inanimados 5. Egocentrismo => Incapacidade para raciocinar a partir do ponto de vista do outro http://www.youtube.com/watch?v=OinqFgsIbh0&feature=related
  32. 32. III- ESTÁGIO DAS OPERAÇÕES CONCRETAS (7 A 12 ANOS) •Surgimento das operações: ações internalizadas (realizadas mentalmente) e reversíveis (passíveis de serem revertidas mentalmente), •Reversibilidade => possibilita pensamento lógico sobre a realidade concreta, Ações Ações internalizadas (representação) Ações internalizadas reversíveis Estágio Sensório-Motor Estágio Pré-operatório Estágio Operatório
  33. 33. Piaget, construtivismo e o cognitivismo  Segundo Dumard (2015), p. 30, cada pessoa, no limite de cada período, consegue fazer o que pode dentro do seu melhor, mas no campo da faixa etária proposta. As faixas etárias indicadas por Piaget, no entanto, são apenas uma referência, tendo em vista que fatores biológicos, sociais e educacionais podem influenciar o individuo no avançar, ou não, dos períodos de desenvolvimento cognitivo humano.
  34. 34. Piaget, construtivismo e o cognitivismo  Para Piaget o que difere os “bons alunos” em Matemática ou Física daqueles que possuem mais dificuldades nestas disciplinas está na capacidade de adaptação ao tipo de ensino que é ofertado a eles. Pois os alunos que têm dificuldades nestas disciplinas são bem sucedidos em outras, assim eles estão aptos a dominar assuntos que parecem não compreender. Piaget também alega que o insucesso escolar em alguns tópicos esteja na forma que o conteúdo é repassado ao aluno, o que normalmente é algo rápido.  O ensino deve ser acompanhado de ações e demonstrações e, sempre que possível, deve dar aos alunos a oportunidade de agir (trabalho prático). No entanto, essas ações e demonstrações devem estar sempre integradas à argumentação e ao discurso do professor.
  35. 35. REFERÊNCIAS BIAGGIO, Ângela M. Brasil. Psicologia do Desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 1976. BOYLE, Tom. Design for Multimedia Learning. London: Prentice Hall. 1997. COELHO, M.A; DUTRA, L.R. Behaviorismo, cognitivismo e construtivismo: confronto entre teorias remotas com a teoria conectivista. Caderno de Educação, ano 20 - n. 49, v.1, 2017/2018 - p. 51 a 76. MOREIRA, M.A.; MASINI, E.A.F.S. Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo, Editora Moraes. 1982. STERNBERG, Robert J. Psicologia Cognitiva. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000. KESSELRING.T. Jean Piaget.3ª ed. Caxias do Sul,RS:Educs,2008. MOREIRA.M.A. Teorias da Aprendizagem- 3ª ed.ampl.- Rio de Janeiro: LTC, 2022. Psicologia da educação.- São Paulo: Education do Brasil, 2014. Pearson. DUMARD, Katia. Aprendizagem e sua Dimensão Cognitiva, Afetiva e Social. São Paulo. Cengage Learning Brasil, 2015. E- book. ISBN 9788522123513. MOREIRA, Marco A. Teorias de Aprendizagem. Rio de Janeiro. Grupo GEN, 2013. E-book. ISBN 9788521637707.

×