1
WALDO ARAUJO RUSSO
waldo.russo@union.eng.br
1
2
 Antes: voz e dados de baixa velocidade
 Terminais dedicados e apenas “transportáveis”
 Aplicações GEO sofriam com la...
3
Velho sonho de
“TV em qualquer lugar!” Casio 1983
Sony 1990
Sinclair 1977
RCA 1963
Seiko 1984
Sony 1982
4
 TV no celular
 TV no carro
 TV “on the go” (PSP, iPod, etc...)
5
Serviços móveis padrão ISDB-T estão sendo recebidos nas 17 principais
cidades do Brasil. Durante a última NAB, o Forum S...
6
Sonho de “Televisão aonde você estiver”
TV móvel neste momento seria:
 TV de alta qualidade para telas pequenas em movi...
7
Sonho de “Televisão aonde você estiver”
Ainda com alguns desafios a serem vencidos:
 Diversidade de Padrões
 Disponibi...
8
• S-DMB
• T-DMB
• DVB-H
• MediaFLO
• ISDB-T / ISDB-TB
• BCMCS / E-BCMCS
•CMMB
•DVB-SH (DVB-SSP)
•MBMS
•TD-SCDMA (TD-MBMS...
9
Definição:
• Recepção de sinal satélite em aparelhos similares a um celular
• Usado na Corea (S-DMB) desde 2005
• Operaç...
10
O sistema híbrido de difusão satélite/terrestre inclui:
1. Um segmento espacial (satélite GEO de alta potência) para di...
11
• Uma solução híbrida implica em uma rede SFN global;
• A sincronização entre os repetidores terrestres e o satélite pe...
12
• OFDM é usado nos sistemas DVB-H e DVB-T
• SH-A usa OFDM tanto no enlace direto (satélite) como no
enlace terrestre (A...
1313
1. O Broadcasting Center empacota e
criptografa o conteúdo;
2. O Broadcasting Center transmite o
conteúdo via banda K...
14
• Sistema híbrido (satélite + ATC);
• MIM – Mobile Interactive Media:
• Entretenimento
• Orientação Geográfica
• Assist...
15
16
 Combinação de potente satélite (na banda L)…
17
18
… Com tecnologia desenvolvida e patenteada pela SkyTerra
que permite o emprego da mesma banda MSS tanto no
segmento sat...
19
Chipset único SkyTerra,
Com interfaces aéreas
Satélite e Celular
Telefones Módulos Embarcados Aparelhos de terceiros
20
 Joint Venture entre Eutelsat e Astra
 Usa payload na banda S do W2A, lançado em Abril 09
21
 Arquitetura baseada no padrão DVB-SH;
 Instalações híbridas satélite / terrestres;
 A banda de frequência empregada...
22
• Vantagens
◦ Cobertura nacional a partir do dia 1;
◦ Desempenho de recepção uniforme;
◦ Banda S: possibilidade de impl...
23
• Uma boa recepção de TV móvel...
◦ Significa boa cobertura interna …
◦ Implica em extensa rede ATC (1000+ transceptore...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Union waldo tv movel via satelite bc day 2009

92 visualizações

Publicada em

Union - TV Móvel por satélite

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
92
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Union waldo tv movel via satelite bc day 2009

  1. 1. 1 WALDO ARAUJO RUSSO waldo.russo@union.eng.br 1
  2. 2. 2  Antes: voz e dados de baixa velocidade  Terminais dedicados e apenas “transportáveis”  Aplicações GEO sofriam com latência  LEO: sonho vira pesadelo  Janela de oportunidade para operadores MSS  Taxa de transmissão mais elevada  Nova geração de terminais móveis  Arquitetura híbrida EVOLUÇÃO DO MSS 2 Contínua evolução nos segmentos terrestre e espacial Anos de pesquisa tecnológica e
  3. 3. 3 Velho sonho de “TV em qualquer lugar!” Casio 1983 Sony 1990 Sinclair 1977 RCA 1963 Seiko 1984 Sony 1982
  4. 4. 4  TV no celular  TV no carro  TV “on the go” (PSP, iPod, etc...)
  5. 5. 5 Serviços móveis padrão ISDB-T estão sendo recebidos nas 17 principais cidades do Brasil. Durante a última NAB, o Forum SBTVD (Sistema Brasileiro de TV Digital) exibiu aparelhos comerciais da LG, Samsung (SGH V820L), Toshiba (CTV 4.1 e MPTV 3521) e AOC. Estimativas chegam a meio milhão de unidades comercializadas. Bmco-forum 2009-05-08
  6. 6. 6 Sonho de “Televisão aonde você estiver” TV móvel neste momento seria:  TV de alta qualidade para telas pequenas em movimento;  Rede de difusão com cobertura externa e interna;  Grande número de canais disponíveis instantaneamente;  Escolha de dispositivos de mão, para automóveis, etc.;  Telefone pessoal + TV integrados;  Possibilidades de ESG, rádio e VoD;  Eventualmente provisão de conteúdo regional/local. COMO DEFINIR TV MÓVEL? SERVIÇOS DE DIFUSÃO DIGITAL TÊM O POTENCIAL DE COMBINAR OS DOIS PRODUTOS DE CONSUMO MAIS BEM SUCEDIDOS DA HISTÓRIA: TVs E CELULARES!
  7. 7. 7 Sonho de “Televisão aonde você estiver” Ainda com alguns desafios a serem vencidos:  Diversidade de Padrões  Disponibilidade de espectro  Combinar os universos de telecom e de TV para viabilizar dispositivos de TV pessoais  Criação de modelos de negócios viáveis  Ajuste de marcos regulatórios (conteúdos obrigatórios, acesso universal, direitos de conteúdo, etc...)  Construção/Adaptação de redes de transmissão  Aumento do tempo de vida útil das baterias COMO DEFINIR TV MÓVEL? Joost Verbrugge - Regional Seminar on DTV Broadcasting, Algiers
  8. 8. 8 • S-DMB • T-DMB • DVB-H • MediaFLO • ISDB-T / ISDB-TB • BCMCS / E-BCMCS •CMMB •DVB-SH (DVB-SSP) •MBMS •TD-SCDMA (TD-MBMS) •ATSC-M/H •Wimax Recepção via Satélite TV Móvel: Tecnologias e Padrões
  9. 9. 9 Definição: • Recepção de sinal satélite em aparelhos similares a um celular • Usado na Corea (S-DMB) desde 2005 • Operações na China (CMMB), Europa (DVB-SH) e Oriente Médio (S2M) • Todos os sistemas usam feixes spot dedicados, na banda S • Todos necessitam de transceptores terrestres para recepção interna na banda S, sincronizada com o feixe direto (ATC) • Sincronismo: os tranceptores necessitam receber o sinal do satélite ANTES dos aparelhos móveis receberem o sinal direto TV MÓVEL VIA SATÉLITE
  10. 10. 10 O sistema híbrido de difusão satélite/terrestre inclui: 1. Um segmento espacial (satélite GEO de alta potência) para difusão de TV a terminais móveis em cobertura nacional; 2. Uma rede de repetidores de média e baixa potência (estações rádio-base para difusão de TV em ambiente urbano), retransmitindo o sinal satélite na mesma frequência; 3. O sistema pode interagir a nível de serviço com a rede celular, visando interatividade.
  11. 11. 11 • Uma solução híbrida implica em uma rede SFN global; • A sincronização entre os repetidores terrestres e o satélite permite ao receptor móvel perceber o sinal satélite como um simples eco do sinal do repetidor. • Conceitos validados pelos projetos de P&D europeus MoDIS e Maestro
  12. 12. 12 • OFDM é usado nos sistemas DVB-H e DVB-T • SH-A usa OFDM tanto no enlace direto (satélite) como no enlace terrestre (ATC); • SH-B usa OFDM no enlace direto e TDM no terrestre. • DVB-SH introduz um segundo esquema, TDM, levando a duas arquiteturas de referência:
  13. 13. 1313 1. O Broadcasting Center empacota e criptografa o conteúdo; 2. O Broadcasting Center transmite o conteúdo via banda Ku para o satélite; 3. O satélite retransmite para os aparelhos móveis, via banda S para aqueles com linha de visada, ou via banda Ku para a rede ATC, a qual então transmite sinais banda S para os aparelhos móveis que não têm visada do satélite; 4. As redes GPRS/EDGE/3G provêm o caminho de retorno para cobrança e serviços interativos como PPV, VoD, MoD e GoD.
  14. 14. 14 • Sistema híbrido (satélite + ATC); • MIM – Mobile Interactive Media: • Entretenimento • Orientação Geográfica • Assistência • Satélite GEO lançado em 14 de abril (ICO G1)
  15. 15. 15
  16. 16. 16  Combinação de potente satélite (na banda L)…
  17. 17. 17
  18. 18. 18 … Com tecnologia desenvolvida e patenteada pela SkyTerra que permite o emprego da mesma banda MSS tanto no segmento satélite como no terrestre, com roaming transparente para o usuário
  19. 19. 19 Chipset único SkyTerra, Com interfaces aéreas Satélite e Celular Telefones Módulos Embarcados Aparelhos de terceiros
  20. 20. 20  Joint Venture entre Eutelsat e Astra  Usa payload na banda S do W2A, lançado em Abril 09
  21. 21. 21  Arquitetura baseada no padrão DVB-SH;  Instalações híbridas satélite / terrestres;  A banda de frequência empregada, em 2 GHz (banda S), integra-se com facilidade ao sistema UMTS implantado em toda a Europa para serviços 3G terrestres;  Aplicações previstas: ◦ Sistemas em automóveis ◦ TV Móvel ◦ Dados Interativos
  22. 22. 22 • Vantagens ◦ Cobertura nacional a partir do dia 1; ◦ Desempenho de recepção uniforme; ◦ Banda S: possibilidade de implementação de técnicas de diversidade; • Desvantagens: ◦ Necessidade de satélite dedicado (+back-up?) ◦ Impossibilidade de recepção indoor • Desafios: ◦ Densa rede terrestre necessária para recepção em regiões urbanas (indoor) ◦ Banda S: propagação indoor é mais difícil do que nas bandas UHF/L ◦ Número limitado de aparelhos móveis disponíveis (a Corea seria uma exeção?) TRANSMISSÃO DE TV MÓVEL VIA SATÉLITE
  23. 23. 23 • Uma boa recepção de TV móvel... ◦ Significa boa cobertura interna … ◦ Implica em extensa rede ATC (1000+ transceptores) ◦ Significa Operação SFN… ◦ Implica em rigorosos requisitos de temporização / estabilidade de frequencia… • …significa distribuição híbrida, direto do satélite combinado com retransmissão via ATC ! CONCLUSÕES SOBRE TV MÓVEL

×