SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
Índice
Amarra Diagonal
Amarra Paralela
Amarra Quadrada
Ancoragens
Balso pelo Seio
Carioca
Catau
Costura Curta
Costura em Alça
Estacas e Espeques
Falcaça com Agulha
Falcaça de Veleiro
Falcaça do Ocidente
Falcaça Inglesa
Falcaça Simples
Içamentos e Multiplicação de Força
Introdução
Lais de Guia Espanhol
Lais de Guia
Nó de Ajuste
Nó de Arnez
Nó de Boca de Saco
Nó de Caçador
Nó de Cadeira de Bombeiro
Nó de Cirurgião
Nó de Escota Duplo
Nó de Escota
Nó de Pescador
Nó Direito Alceado
Nó Direito
Nó em Oito Duplo
Nó em Oito
Volta Corrediça
Volta Redonda com Cotes
Volta Sobre Cabo
7
7
7
10
6
6
6
9
9
12
8
8
8
9
8
13
3
6
6
5
4
5
5
6
4
5
5
5
4
4
4
4
7
5
5
Anotações:
2
UniãodosEscoteirosdoBrasil
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
INTRODUÇÃO
Todo o escoteiro deve saber fazer nós. Eles são essenciais para o acampamento e também para a
vida do dia a dia.
Um nó, para ser considerado bom deve satisfazer as seguintes condições:
- Simplicidade em ser feito
- Apertar à medida que o esforço sobre ele aumentar.
- Facilidade em ser desatado
A melhor forma de aprender a fazer nós é pedindo a alguém, que saiba, que te ensine. Depois a
prática fará o resto. Da perfeição de um nó pode depender uma vida.
Existem muitos nós, cada um com a sua utilidade diferente. Vamos aqui abordar alguns deles que
podemos classificar do seguinte modo:
Anotações:
3
UniãodosEscoteirosdoBrasil
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
4
UniãodosEscoteirosdoBrasil
NÓ DIREITO
É um nó simétrico e plano que mesmo
quando submetido a grandes tensões
pode ser facilmente desfeito.
NÓ DIREITO ALCEADO
Variação do Nó Direito, tem como
característica principal o fato de poder
ser desfeito facilmente.
NÓ DE CIRURGIÃO
De utilização semelhante à do nó
direito, se mostra mais adequado
quando utilizado em cabos de materiais
sintéticos mais escorregadios.
NÓ EM OITO
Recebe o nome em função do seu
formato. Além de ser utilizado como nó
de arremate, é útil para que o cabo não
escorregue de uma polia ou guia.
NÓ EM OITO DUPLO
Muito utilizado em montanhismo,
proporciona uma alça firme. A figura
3 ilustra o método de se fazer
o nó quando deva ser aplicado
a uma argola.
NÓ DE ARNEZ
Fornece uma alça pelo seio do cabo ou
da corda.
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
5
UniãodosEscoteirosdoBrasil
NÓ DE CAÇADOR
Utilizado em cabos rígidos ou
escorregadios.
NÓ DE AJUSTE
Empregado para unir cabos de qualquer
material e de diâmetros semelhantes.
NÓ DE ESCOTA
Recomendado para unir cabos de
diferentes diâmetros ou fixação em
argolas.
NÓ DE ESCOTA DUPLO
Mesma utilização do Nó de Escota,
proporcionando, entretanto mais firmeza
da união.
NÓ DE PESCADOR
Empregado para unir cabos escorregadios.
VOLTA SOBRE CABO
Bastante útil quando se deseja unir dois
cabos pelos seus seios.
VOLTA REDONDA COM COTES
Útil para que se fixe um cabo à uma
estaca.
NÓ DE BOCA DE SACO
Também conhecido como “Nó de
Bagagem de Marinheiro”.
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
6
UniãodosEscoteirosdoBrasil
C A T A U
Utilizado para se encurtar uma corda ou
isolar uma parte esgarçada ou
enfraquecida do mesmo.
C A R I O C A
Também conhecido como Nó de Caminhoneiro,
Cardenal, etc, serve para esticar cordas ou
cabos..
CADEIRA DE BOMBEIRO
Proporciona duas alças para içamento
ou descida de uma pessoa.
LAIS DE GUIA ESPANHOL
A mesma finalidade da cadeira de bombeiro.
LAIS DE GUIA
Útil em salvamentos, ou em casos em
que se deseja uma alça não corrediça.
BALSO PELO SEIO
Também conhecido como Lais de Guia
Duplo utilizado em ações de salvamento.
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
7
UniãodosEscoteirosdoBrasil
AMARRA DIAGONAL
Utilizada para se unir duas travessas
que estejam afastadas.
AMARRA QUADRADA
Utilizada para se fixar duas travessas que
não estejam afastadas entre si.
AMARRA PARALELA
Fixação de duas varas lado-a-lado.
VOLTA CORREDIÇA
Útil como esticador, porém difícil de ser
desfeita quando submetida a grandes
tensões.
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
8
UniãodosEscoteirosdoBrasil
FALCAÇA SIMPLES
De fácil confecção, tem como única
condição a escolha do fio com a
resistência adequada ao trabalho.
FALCAÇA COM AGULHA
De execução um tanto complexa, dá um
ótimo acabamento ao conjunto.
FALCAÇA DE VELEIRO
Como o próprio nome diz, é usada em
marinharia e proporciona grande
firmeza e bom acabamento aos cabos.
FALCAÇA DO OCIDENTE
Seu trançado dá muita firmeza ao
arremate do cabo.
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
9
UniãodosEscoteirosdoBrasil
FALCAÇA INGLESA
De todos os procedimentos é o que propicia o melhor acabamento e firmeza. A complexidade
de execução é compensada pelo ótimo resultado.
COSTURA CURTA
É a melhor forma de se emendar cordas trançadas, já que além de permitir um acabamento
impecável, permite que a ligadura seja mais forte do que a corda original.
COSTURA EM ALÇA
Utilizada em cordas de atracamento de embarcações, tem uma alça firme.
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
10
UniãodosEscoteirosdoBrasil
ANCORAGENS
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
11
UniãodosEscoteirosdoBrasil
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
12
UniãodosEscoteirosdoBrasil
ESTACAS E ESPEQUES
CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS
13
UniãodosEscoteirosdoBrasil
IÇAMENTOS E MULTIPLICAÇÃO DE FORÇA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

MANUAL DE NÓS
MANUAL DE NÓSMANUAL DE NÓS
MANUAL DE NÓS
chefenei
 
Manual de nós (arte do marinheiro 1)
Manual de nós (arte do marinheiro 1)Manual de nós (arte do marinheiro 1)
Manual de nós (arte do marinheiro 1)
Ismael Rosa
 
Manual de nós (bombeiros 1)
Manual de nós (bombeiros 1)Manual de nós (bombeiros 1)
Manual de nós (bombeiros 1)
Ismael Rosa
 
(Série Ar Livre) - Nós e Amarras
(Série Ar Livre) - Nós e Amarras(Série Ar Livre) - Nós e Amarras
(Série Ar Livre) - Nós e Amarras
GECS
 
Nós e Amarrações
Nós e AmarraçõesNós e Amarrações
Nós e Amarrações
agr740
 

Mais procurados (20)

198
198198
198
 
Manual de nós e amarras
Manual de nós e amarrasManual de nós e amarras
Manual de nós e amarras
 
Materiais Ct Nos Amarras
Materiais Ct Nos AmarrasMateriais Ct Nos Amarras
Materiais Ct Nos Amarras
 
Apostila de nós
Apostila de nósApostila de nós
Apostila de nós
 
MANUAL DE NÓS
MANUAL DE NÓSMANUAL DE NÓS
MANUAL DE NÓS
 
Manual de nós (bombeiros 1)
Manual de nós (bombeiros 1)Manual de nós (bombeiros 1)
Manual de nós (bombeiros 1)
 
Manual de nós
Manual de nósManual de nós
Manual de nós
 
Manual de nós (arte do marinheiro 1)
Manual de nós (arte do marinheiro 1)Manual de nós (arte do marinheiro 1)
Manual de nós (arte do marinheiro 1)
 
Nós
NósNós
Nós
 
Manual de nós (marinheiro)
Manual de nós (marinheiro)Manual de nós (marinheiro)
Manual de nós (marinheiro)
 
Manual de pioneirias e tecnicas de campo
Manual de pioneirias e tecnicas de campoManual de pioneirias e tecnicas de campo
Manual de pioneirias e tecnicas de campo
 
Manual de nós (manual escoteiro 3)
Manual de nós (manual escoteiro 3)Manual de nós (manual escoteiro 3)
Manual de nós (manual escoteiro 3)
 
Manual de nós (manual escoteiro 1)
Manual de nós (manual escoteiro 1)Manual de nós (manual escoteiro 1)
Manual de nós (manual escoteiro 1)
 
Tipos de fogueiras
Tipos de fogueirasTipos de fogueiras
Tipos de fogueiras
 
014 manual sd-cordas
014 manual sd-cordas014 manual sd-cordas
014 manual sd-cordas
 
Manual de nós (bombeiros 1)
Manual de nós (bombeiros 1)Manual de nós (bombeiros 1)
Manual de nós (bombeiros 1)
 
(Série Ar Livre) - Nós e Amarras
(Série Ar Livre) - Nós e Amarras(Série Ar Livre) - Nós e Amarras
(Série Ar Livre) - Nós e Amarras
 
Quadro de nós
Quadro de nósQuadro de nós
Quadro de nós
 
NÓS E AMARRAS
NÓS E AMARRASNÓS E AMARRAS
NÓS E AMARRAS
 
Nós e Amarrações
Nós e AmarraçõesNós e Amarrações
Nós e Amarrações
 

Destaque

Manual de nós (jovens infantes)
Manual de nós (jovens infantes)Manual de nós (jovens infantes)
Manual de nós (jovens infantes)
Ismael Rosa
 
Documento anexo 8.1 fotos projeto torno nardini
Documento anexo 8.1 fotos projeto torno nardiniDocumento anexo 8.1 fotos projeto torno nardini
Documento anexo 8.1 fotos projeto torno nardini
Elias Ribeiro Elias
 
Etapas De Primeira Classe Ramo Escoteiro
Etapas De Primeira Classe Ramo EscoteiroEtapas De Primeira Classe Ramo Escoteiro
Etapas De Primeira Classe Ramo Escoteiro
tropantera
 
Manual tecnico
Manual tecnicoManual tecnico
Manual tecnico
ARQ210AN
 
Curso capitaes e conselheiros e treinamento basico[1]
Curso capitaes e conselheiros e treinamento basico[1]Curso capitaes e conselheiros e treinamento basico[1]
Curso capitaes e conselheiros e treinamento basico[1]
guest36ebd6
 
Construcoes pioneirias -_caleidoscopio_-_portugal
Construcoes pioneirias -_caleidoscopio_-_portugalConstrucoes pioneirias -_caleidoscopio_-_portugal
Construcoes pioneirias -_caleidoscopio_-_portugal
gealfomega66
 

Destaque (18)

Manual de nos_e amarras
Manual de nos_e amarrasManual de nos_e amarras
Manual de nos_e amarras
 
Manual de nós (jovens infantes)
Manual de nós (jovens infantes)Manual de nós (jovens infantes)
Manual de nós (jovens infantes)
 
Documento anexo 8.1 fotos projeto torno nardini
Documento anexo 8.1 fotos projeto torno nardiniDocumento anexo 8.1 fotos projeto torno nardini
Documento anexo 8.1 fotos projeto torno nardini
 
Manual técnico de pintura
Manual técnico de pinturaManual técnico de pintura
Manual técnico de pintura
 
Schulz csl 20 br200lts
Schulz csl 20 br200ltsSchulz csl 20 br200lts
Schulz csl 20 br200lts
 
Etapas De Primeira Classe Ramo Escoteiro
Etapas De Primeira Classe Ramo EscoteiroEtapas De Primeira Classe Ramo Escoteiro
Etapas De Primeira Classe Ramo Escoteiro
 
Por2001
Por2001Por2001
Por2001
 
Torno imor 520_650 pecas
Torno imor 520_650 pecasTorno imor 520_650 pecas
Torno imor 520_650 pecas
 
Etapas De Primeira Classe Ramo Escoteiro
Etapas De Primeira Classe Ramo EscoteiroEtapas De Primeira Classe Ramo Escoteiro
Etapas De Primeira Classe Ramo Escoteiro
 
Manual tecnico
Manual tecnicoManual tecnico
Manual tecnico
 
Unidades
UnidadesUnidades
Unidades
 
Manual de Guerrilha do Servidor Público
Manual de Guerrilha do Servidor PúblicoManual de Guerrilha do Servidor Público
Manual de Guerrilha do Servidor Público
 
O Capitao E A Unidade
O Capitao E A UnidadeO Capitao E A Unidade
O Capitao E A Unidade
 
Curso capitaes e conselheiros e treinamento basico[1]
Curso capitaes e conselheiros e treinamento basico[1]Curso capitaes e conselheiros e treinamento basico[1]
Curso capitaes e conselheiros e treinamento basico[1]
 
Manual de nós para técnicas verticais
Manual de nós para técnicas verticaisManual de nós para técnicas verticais
Manual de nós para técnicas verticais
 
Programa do clube classes
Programa do clube classesPrograma do clube classes
Programa do clube classes
 
Construcoes pioneirias -_caleidoscopio_-_portugal
Construcoes pioneirias -_caleidoscopio_-_portugalConstrucoes pioneirias -_caleidoscopio_-_portugal
Construcoes pioneirias -_caleidoscopio_-_portugal
 
MANUAL BÁSICO DE PESCA DE PRAIA
MANUAL BÁSICO DE PESCA DE PRAIA MANUAL BÁSICO DE PESCA DE PRAIA
MANUAL BÁSICO DE PESCA DE PRAIA
 

Semelhante a Manual Técnico de Nós e Amarras

Manual de nós (bombeiros 1)
Manual de nós (bombeiros 1)Manual de nós (bombeiros 1)
Manual de nós (bombeiros 1)
Ismael Rosa
 
Paixão pelo Carp Fishing - Mini guia de iniciação
Paixão pelo Carp Fishing -  Mini guia de iniciaçãoPaixão pelo Carp Fishing -  Mini guia de iniciação
Paixão pelo Carp Fishing - Mini guia de iniciação
ruiacsoares
 
15630281 1242416344seguran cacomcabosdeacoapresentacaopowerpoint
15630281 1242416344seguran cacomcabosdeacoapresentacaopowerpoint15630281 1242416344seguran cacomcabosdeacoapresentacaopowerpoint
15630281 1242416344seguran cacomcabosdeacoapresentacaopowerpoint
Pelo Siro
 
Eenciclopédia da construção civil - fasc-01 asnas de madeira
Eenciclopédia da construção civil - fasc-01 asnas de madeiraEenciclopédia da construção civil - fasc-01 asnas de madeira
Eenciclopédia da construção civil - fasc-01 asnas de madeira
Hugo Rodrigues
 
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.pptApresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
andrikazi
 
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.pptApresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
FredNery
 

Semelhante a Manual Técnico de Nós e Amarras (20)

Acesso por cordas guia de nos NR 35
Acesso por cordas guia de nos NR 35Acesso por cordas guia de nos NR 35
Acesso por cordas guia de nos NR 35
 
Trabalho nós
Trabalho   nósTrabalho   nós
Trabalho nós
 
Arte naval dos nós
Arte naval dos nósArte naval dos nós
Arte naval dos nós
 
Manual de nós (bombeiros 1)
Manual de nós (bombeiros 1)Manual de nós (bombeiros 1)
Manual de nós (bombeiros 1)
 
CURSO BÁSICO de CABOS e NÓS para ESCOTEIROS.pptx
CURSO BÁSICO de CABOS e NÓS para ESCOTEIROS.pptxCURSO BÁSICO de CABOS e NÓS para ESCOTEIROS.pptx
CURSO BÁSICO de CABOS e NÓS para ESCOTEIROS.pptx
 
Seguran a com_cabos_de_a_o_1_
Seguran a com_cabos_de_a_o_1_Seguran a com_cabos_de_a_o_1_
Seguran a com_cabos_de_a_o_1_
 
Paixão pelo Carp Fishing - Mini guia de iniciação
Paixão pelo Carp Fishing -  Mini guia de iniciaçãoPaixão pelo Carp Fishing -  Mini guia de iniciação
Paixão pelo Carp Fishing - Mini guia de iniciação
 
5- Nós e Laços
5- Nós e Laços5- Nós e Laços
5- Nós e Laços
 
Seguranca cabos
Seguranca cabosSeguranca cabos
Seguranca cabos
 
15630281 1242416344seguran cacomcabosdeacoapresentacaopowerpoint
15630281 1242416344seguran cacomcabosdeacoapresentacaopowerpoint15630281 1242416344seguran cacomcabosdeacoapresentacaopowerpoint
15630281 1242416344seguran cacomcabosdeacoapresentacaopowerpoint
 
Eenciclopédia da construção civil - fasc-01 asnas de madeira
Eenciclopédia da construção civil - fasc-01 asnas de madeiraEenciclopédia da construção civil - fasc-01 asnas de madeira
Eenciclopédia da construção civil - fasc-01 asnas de madeira
 
Fasciculo 01 asnas de madeira
Fasciculo 01 asnas de madeiraFasciculo 01 asnas de madeira
Fasciculo 01 asnas de madeira
 
Treinamento de Sinais e Acessorios içamento 2011.ppt saraiva.ppt
Treinamento de Sinais e Acessorios içamento 2011.ppt saraiva.pptTreinamento de Sinais e Acessorios içamento 2011.ppt saraiva.ppt
Treinamento de Sinais e Acessorios içamento 2011.ppt saraiva.ppt
 
Lingas
LingasLingas
Lingas
 
Salvamento terrestre
Salvamento terrestreSalvamento terrestre
Salvamento terrestre
 
Cabos_de aço.ppt
Cabos_de aço.pptCabos_de aço.ppt
Cabos_de aço.ppt
 
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.pptApresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
 
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.pptApresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
 
Tipos de Nós - Ivan 7d
Tipos de Nós - Ivan 7dTipos de Nós - Ivan 7d
Tipos de Nós - Ivan 7d
 
Ns utilizados em_escalada_em_rocha
Ns utilizados em_escalada_em_rochaNs utilizados em_escalada_em_rocha
Ns utilizados em_escalada_em_rocha
 

Mais de Sérgio Amaral

Mais de Sérgio Amaral (20)

Regulamento especifico futebol de 7 paralímpico
Regulamento especifico futebol de 7 paralímpicoRegulamento especifico futebol de 7 paralímpico
Regulamento especifico futebol de 7 paralímpico
 
Guia de referência para a cobertura jornalística – grandes eventos esportivos...
Guia de referência para a cobertura jornalística – grandes eventos esportivos...Guia de referência para a cobertura jornalística – grandes eventos esportivos...
Guia de referência para a cobertura jornalística – grandes eventos esportivos...
 
Manual boas práticas de manejo de bezerros ao nascimento
Manual boas práticas de manejo de bezerros ao nascimentoManual boas práticas de manejo de bezerros ao nascimento
Manual boas práticas de manejo de bezerros ao nascimento
 
Analise do discurso critica da publicidade
Analise do discurso critica da publicidadeAnalise do discurso critica da publicidade
Analise do discurso critica da publicidade
 
História da Literatura Brasileira
História da Literatura BrasileiraHistória da Literatura Brasileira
História da Literatura Brasileira
 
Guia para viajantes controle aduaneiro e tratamento tributário da receita fed...
Guia para viajantes controle aduaneiro e tratamento tributário da receita fed...Guia para viajantes controle aduaneiro e tratamento tributário da receita fed...
Guia para viajantes controle aduaneiro e tratamento tributário da receita fed...
 
Guia do Estudante e do Pesquisador Brasileiro na França
Guia do Estudante e do Pesquisador Brasileiro na FrançaGuia do Estudante e do Pesquisador Brasileiro na França
Guia do Estudante e do Pesquisador Brasileiro na França
 
Formação e Manejo de Pastagens Tropicais
Formação e Manejo de Pastagens TropicaisFormação e Manejo de Pastagens Tropicais
Formação e Manejo de Pastagens Tropicais
 
Comunicação e Marketing Digitais
Comunicação e Marketing DigitaisComunicação e Marketing Digitais
Comunicação e Marketing Digitais
 
Curso de Matemática Básica
Curso de Matemática BásicaCurso de Matemática Básica
Curso de Matemática Básica
 
Beach Soccer As regras do jogo
Beach Soccer As regras do jogoBeach Soccer As regras do jogo
Beach Soccer As regras do jogo
 
Guia do Chefe Escoteiro
Guia do Chefe EscoteiroGuia do Chefe Escoteiro
Guia do Chefe Escoteiro
 
Manual do Produtor de Mel de Abelhas Sem Ferrão
Manual do Produtor de Mel de Abelhas Sem FerrãoManual do Produtor de Mel de Abelhas Sem Ferrão
Manual do Produtor de Mel de Abelhas Sem Ferrão
 
Manual WordPress 2.7
Manual WordPress 2.7Manual WordPress 2.7
Manual WordPress 2.7
 
Manual de Sobrevivência na Selva
Manual de Sobrevivência na SelvaManual de Sobrevivência na Selva
Manual de Sobrevivência na Selva
 
Manual de Orientação a Pacientes Hipertensos
Manual de Orientação a Pacientes HipertensosManual de Orientação a Pacientes Hipertensos
Manual de Orientação a Pacientes Hipertensos
 
Manual de Formação Política
Manual de Formação PolíticaManual de Formação Política
Manual de Formação Política
 
Manual Câmera Canon 1100 D Rebel T3
Manual Câmera Canon  1100 D Rebel T3Manual Câmera Canon  1100 D Rebel T3
Manual Câmera Canon 1100 D Rebel T3
 
Manual do Consumidor Bancário
Manual do Consumidor BancárioManual do Consumidor Bancário
Manual do Consumidor Bancário
 
Manual de Criação de Peixes em Viveiros
Manual de Criação de Peixes em ViveirosManual de Criação de Peixes em Viveiros
Manual de Criação de Peixes em Viveiros
 

Último

Último (20)

Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 

Manual Técnico de Nós e Amarras

  • 1.
  • 2. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS Índice Amarra Diagonal Amarra Paralela Amarra Quadrada Ancoragens Balso pelo Seio Carioca Catau Costura Curta Costura em Alça Estacas e Espeques Falcaça com Agulha Falcaça de Veleiro Falcaça do Ocidente Falcaça Inglesa Falcaça Simples Içamentos e Multiplicação de Força Introdução Lais de Guia Espanhol Lais de Guia Nó de Ajuste Nó de Arnez Nó de Boca de Saco Nó de Caçador Nó de Cadeira de Bombeiro Nó de Cirurgião Nó de Escota Duplo Nó de Escota Nó de Pescador Nó Direito Alceado Nó Direito Nó em Oito Duplo Nó em Oito Volta Corrediça Volta Redonda com Cotes Volta Sobre Cabo 7 7 7 10 6 6 6 9 9 12 8 8 8 9 8 13 3 6 6 5 4 5 5 6 4 5 5 5 4 4 4 4 7 5 5 Anotações: 2 UniãodosEscoteirosdoBrasil
  • 3. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS INTRODUÇÃO Todo o escoteiro deve saber fazer nós. Eles são essenciais para o acampamento e também para a vida do dia a dia. Um nó, para ser considerado bom deve satisfazer as seguintes condições: - Simplicidade em ser feito - Apertar à medida que o esforço sobre ele aumentar. - Facilidade em ser desatado A melhor forma de aprender a fazer nós é pedindo a alguém, que saiba, que te ensine. Depois a prática fará o resto. Da perfeição de um nó pode depender uma vida. Existem muitos nós, cada um com a sua utilidade diferente. Vamos aqui abordar alguns deles que podemos classificar do seguinte modo: Anotações: 3 UniãodosEscoteirosdoBrasil
  • 4. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS 4 UniãodosEscoteirosdoBrasil NÓ DIREITO É um nó simétrico e plano que mesmo quando submetido a grandes tensões pode ser facilmente desfeito. NÓ DIREITO ALCEADO Variação do Nó Direito, tem como característica principal o fato de poder ser desfeito facilmente. NÓ DE CIRURGIÃO De utilização semelhante à do nó direito, se mostra mais adequado quando utilizado em cabos de materiais sintéticos mais escorregadios. NÓ EM OITO Recebe o nome em função do seu formato. Além de ser utilizado como nó de arremate, é útil para que o cabo não escorregue de uma polia ou guia. NÓ EM OITO DUPLO Muito utilizado em montanhismo, proporciona uma alça firme. A figura 3 ilustra o método de se fazer o nó quando deva ser aplicado a uma argola. NÓ DE ARNEZ Fornece uma alça pelo seio do cabo ou da corda.
  • 5. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS 5 UniãodosEscoteirosdoBrasil NÓ DE CAÇADOR Utilizado em cabos rígidos ou escorregadios. NÓ DE AJUSTE Empregado para unir cabos de qualquer material e de diâmetros semelhantes. NÓ DE ESCOTA Recomendado para unir cabos de diferentes diâmetros ou fixação em argolas. NÓ DE ESCOTA DUPLO Mesma utilização do Nó de Escota, proporcionando, entretanto mais firmeza da união. NÓ DE PESCADOR Empregado para unir cabos escorregadios. VOLTA SOBRE CABO Bastante útil quando se deseja unir dois cabos pelos seus seios. VOLTA REDONDA COM COTES Útil para que se fixe um cabo à uma estaca. NÓ DE BOCA DE SACO Também conhecido como “Nó de Bagagem de Marinheiro”.
  • 6. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS 6 UniãodosEscoteirosdoBrasil C A T A U Utilizado para se encurtar uma corda ou isolar uma parte esgarçada ou enfraquecida do mesmo. C A R I O C A Também conhecido como Nó de Caminhoneiro, Cardenal, etc, serve para esticar cordas ou cabos.. CADEIRA DE BOMBEIRO Proporciona duas alças para içamento ou descida de uma pessoa. LAIS DE GUIA ESPANHOL A mesma finalidade da cadeira de bombeiro. LAIS DE GUIA Útil em salvamentos, ou em casos em que se deseja uma alça não corrediça. BALSO PELO SEIO Também conhecido como Lais de Guia Duplo utilizado em ações de salvamento.
  • 7. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS 7 UniãodosEscoteirosdoBrasil AMARRA DIAGONAL Utilizada para se unir duas travessas que estejam afastadas. AMARRA QUADRADA Utilizada para se fixar duas travessas que não estejam afastadas entre si. AMARRA PARALELA Fixação de duas varas lado-a-lado. VOLTA CORREDIÇA Útil como esticador, porém difícil de ser desfeita quando submetida a grandes tensões.
  • 8. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS 8 UniãodosEscoteirosdoBrasil FALCAÇA SIMPLES De fácil confecção, tem como única condição a escolha do fio com a resistência adequada ao trabalho. FALCAÇA COM AGULHA De execução um tanto complexa, dá um ótimo acabamento ao conjunto. FALCAÇA DE VELEIRO Como o próprio nome diz, é usada em marinharia e proporciona grande firmeza e bom acabamento aos cabos. FALCAÇA DO OCIDENTE Seu trançado dá muita firmeza ao arremate do cabo.
  • 9. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS 9 UniãodosEscoteirosdoBrasil FALCAÇA INGLESA De todos os procedimentos é o que propicia o melhor acabamento e firmeza. A complexidade de execução é compensada pelo ótimo resultado. COSTURA CURTA É a melhor forma de se emendar cordas trançadas, já que além de permitir um acabamento impecável, permite que a ligadura seja mais forte do que a corda original. COSTURA EM ALÇA Utilizada em cordas de atracamento de embarcações, tem uma alça firme.
  • 10. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS 10 UniãodosEscoteirosdoBrasil ANCORAGENS
  • 11. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS 11 UniãodosEscoteirosdoBrasil
  • 12. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS 12 UniãodosEscoteirosdoBrasil ESTACAS E ESPEQUES
  • 13. CURSO TÉCNICO – NÓS E AMARRAS 13 UniãodosEscoteirosdoBrasil IÇAMENTOS E MULTIPLICAÇÃO DE FORÇA