Zika Virus O que sabemos ate agora

4.858 visualizações

Publicada em

Arboviroses
Epidemiologia
Fisiopatologia
Clínica
Diagnóstico
Condutas
Conclusões

Publicada em: Saúde

Zika Virus O que sabemos ate agora

  1. 1. Alexandre Naime Barbosa MD, PhD Professor Doutor - Infectologia Disciplina de Microbiologia - 2o Med UNESP - Faculdade de Medicina Jan/2016 - Botucatu - SP - Brasil
  2. 2. O material que se segue faz parte do projeto didático do Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa Objetivos 1. Ensino: Treinamento de Estudantes e Profissionais da Área de Saúde; 2. Extensão: Facilitar o Contato da População em Geral com Conceitos Científicos; 3. Científico: Fomentar a Discussão Científica e Compartilhar Material Didático. Autoria e Cessão 1. Conteúdo: Os dados contidos estão referenciados, em respeito ao autor original; 2. Uso: Está permitido o uso do material, desde que citada a fonte; 3. Contato: fale com o autor e conheça o seu projeto didático em:
  3. 3. Qual o animal mais mata seres humanos?
  4. 4. Um pequeno animal…
  5. 5. 1. Arboviroses 2. Epidemiologia 3. Fisiopatologia 4. Clínica 5. Diagnóstico 6. Condutas 7. Conclusões
  6. 6. Arbovirus: Arthropod Borne virus Definição da OMS: vírus mantidos na natureza através da transmissão biológica entre hospedeiros vertebrados suscetíveis a artrópodes hematófagos, ou por transmissão transovariana e possivelmente venérea em artrópodes. Podem ou não ter reservatórios em outros animais.
  7. 7. Família Membros Bunyaviridae La Crosse, Oropouche, Rift Valley, Sandfly, Crimean-Congo Flaviviridae Febra Amarela, Dengue, Zika, Japanese Encephalitis, Saint Louis Encephalitis, West Nile, Kyasanur Forest, Omsk Togaviridae Chikungunya, O’nyong-nyong, Ross River, Equine Encephalitis (East, West, Venezuelan), Sindbis
  8. 8. Síndrome de Encefalite Vírus Gênero Vetor Distribuição EEE Alphavirus Mosq. USA, Canada WEE Alphavirus Mosq. USA, W. Indies J.E Flavivirus Mosq. Orient St. L.E Flavivirus Mosq. USA, C. America La Crosse Bunyavirus Mosq. USA
  9. 9. Febre, com ou sem rash e artralgia Vírus Gênero Vetor Distribuição Chickungunya Alphavirus Mosq. Africa, Asia, C&S Amer. Zika Flavivirus Mosq Africa, Asia, C&S Amer. O’nyong-nyong Alphavirus Mosq. Africa Sindbis Alphavirus Mosq. Africa, Asia, India Dengue Flavivirus Mosq. Entire tropics, India West Nile Flavivirus Mosq. Africa, India Sandfly Phlebovirus M. Pólvora Med, Asia, India Oropouche Bunyavirus Mosq. W.I, South America (N)
  10. 10. Febre Hemorrágica Vírus Gênero Vetor Distribuição Chickungunya Alphavirus Mosq. Africa, Asia, C&S Amer. Dengue Flavivirus Mosq. Entre tropics Febre Amarela Flavivirus Mosq. Africa, S. America Kyasanur Forest Disease Flavivirus Carrapato India Febre de Omsk Flavivirus Carrapato Russia Crimean-Congo HF Nairovirus Carrapato Africa, Asia, E.U.
  11. 11. - 1940 - 50: primeiras evidências de infecção humana (Zika = Floresta em Uganda)
  12. 12. - 1940 - 50: primeiras evidências de infecção humana (Leste da África) - 2007: grande surto na ilha de Yap e em outras ilhas da Micronésia (80% da população) - 2013: Polinésia Francesa (complicações neurológicas, e outras) - 2015: Brasil e América do Sul (microcefalia)
  13. 13. Início de 2015: - 21 casos “Dengue-Like”: 8 RT-PCR ZKV Positivos (Natal - RN)
  14. 14. Primeiros Casos Identificados: - Abril de 2015: Camaçari (BA) - Maio de 2015: Natal (RN) - Maio de 2015: Sumaré (SP) Teoria da Introdução Campeonato Mundial de Canoagem (RJ, Ago/2014) - Países do Pacífico: Polinésia Francesa, Nova Caledônia, Ilhas Cook, e Ilha de Páscoa - Circulação do ZIKV em 2014 - Proximidade filogenética entre as cepas do Brasil e da Polinésia Francesa
  15. 15. 26/01/2016 26/01/2016
  16. 16. Fauci, NEJM- 2016
  17. 17. Brasil, Ministério da Saúde - 2016
  18. 18. Brasil, Ministério da Saúde - 2016
  19. 19. - Família: Flaviviridae - Gênero: Flavivirus - Vírus RNA - Arbovírus - Duas linhagens - Africana - Asiática CDC - 2016
  20. 20. Importância Epidemiológica: Transmissão Vetorial - Aedes aegypti, Aedes africanus e outros Aedes - Culex??? Outras Vias Possíveis - Perinatal - Transfusional - Sexual - Saliva e Urina (???)
  21. 21. Transmissão: 2 Padrões (Ciclos) 1. Pessoa para Pessoa pelo Aedes sp. 2. Macaco para Pessoa por mosquitos silvestres Aedes aegypti Aedes africanus, Aedes apicoargenteus Aedes furcifer Aedes luteocephalus Aedes vitattus
  22. 22. - Período de Incubação (Mosquitos): 10 dias - Reservatórios de Importância: Humanos e Pequenos Primatas - Infecção em Humanos: Células Dendríticas Linfonodos Corrente Sanguínea - Sintomas Clínicos: Leves a Moderados (Febre, Rash Cutâneo e Conjuntivite) - Associação Possível e Provável com Microcefalia e Síndrome de Guillain-Barré - Associação Causal e Dano Neurológico Direto: em estudo e análise
  23. 23. Sintomas Sintomáticos: 18% - Febre baixa, rash cutâneo, conjuntivite e dores articulares. - Mialgia, cefaleia, dor retrorbitária, náuseas e vômitos - Magnitude leve a moderada - Internação: raro - Óbitos: primeiros casos vistos no Brasil
  24. 24. Pacientes com quadro de exantema máculo-papular e DOIS dos seguintes sintomas: - febre (<38,5º C) ou - hiperemia conjuntival sem secreção ou - prurido ou - artralgia ou - edema periarticular Outros Achados: mialgia, cefaleia, edema de membros inferiores, dor retrorbital, anorexia, vômitos, diarreia ou dor abdominal. Manifestações neurológicas: - Síndrome de Guillain Barré, ADEM: 4 a 20 dias após o início dos sintomas
  25. 25. Brasil, Ministério da Saúde - 2016
  26. 26. 1º e 5º dia de Sintomas: Detecção molecular (soro): RT-PCR Tempo para liberação do resultado: 4 dias (BIOMOL) Após o 5º dia de Sintomas: Sorologia para Zika vírus (IgG e IgM quantitativos) - Tempo de liberação do resultado: 16 dias Brasil, Ministério da Saúde - 2016
  27. 27. Não há tratamento antiviral específico - Repouso - Hidratação - Anti-histamínicos para erupções pruriginosas - Anti-térmicos como paracetamol - Não é recomendável o uso de ácido acetilsalicílico e de drogas anti-inflamatórias devido ao risco de síndrome hemorrágica, como ocorre com outras infecções por flavivírus.
  28. 28. Não há vacina Eliminação dos criadouros dos mosquitos Evitar locais com presença do mosquito, uso de telas Repelentes - < 6 meses: sem indicação - 6 meses – 2 anos: IR3535 - 2 anos a 12 anos: DEET 10% (no máximo, aplicar 3x/dia) ou Icaridina; > 12 anos ou gestantes: DEET > 10% ou Icaridina Uso de inseticidas Uso de cobertura de áreas expostas com roupa Atualização de carteira vacinal
  29. 29. Obrigado pela Atenção! SAE de Infectologia HC UNESP Botucatu Faculdade de Medicina UNESP

×