O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Alexandre Naime Barbosa MD, PhD
Professor Doutor - Infectologia
Preceptoria Residência Infectologia
UNESP - Faculdade de M...
Declaro ter recebido incentivos na forma de inscrições de eventos
científicos e/ou; viagens aéreas e terrestres e/ou; gast...
O material que se segue faz parte do projeto didático do
Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa
Objetivos
1. Ensino: Treinament...
VHB VHC
Material Genético DNA RNA
Tamanho 40 nm 50 nm
Provírus Sim Não
Modelo de Cura Funcional Esterilizante
Cura vs Cron...
MS – Boletim Epidemiológico, 2014
WHO, 2015
Prevalência de AgHBs
Alta: ≥ 8%
Intermediário: 2% to 7%
Baixo: < 2%
Mundo Bras...
Oliveira U. B., 2010
1. Fase Aguda e Maior Parte da Fase Crônica = Assintomática
VHB VHC
Parceiros Sexuais de VHB + Transfusões antes de 1994
Múltiplos Parceiros, Violência Sexual Usuários de Drogas
DSTs...
Passo 1: Identificar a infecção crônica pelo VHB
- AgHBs (+) > 6 meses (5 a 10%, acima do 2º ano de vida)
- Anti-HBc: marc...
Interpretação AgHBs AgHBe AntiHBc
AntiHBc
IgM
AntiHBe AntiHBs ALT
DNA-VHB
(UI/ml)
Infecção Aguda (+) (+) (+) (+) (-) (-) ↑...
Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação
- ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação
- ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação
- ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação
- ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
Passo 3: Seguimento prolongado e rotineiro para flagar ↑ ALT e ou ↑ CV VHB
- Monitorar os portadores inativo à cada 6 mese...
Objetivos
Diminuir a progressão do dano hepático → supressão da replicação viral
- AgHBe (+) → (-)
- ALT: normalizar
- CV ...
 Hepatites B : graves problemas de saúde global
 Brasil: desperdício oportunidades, mais infecções e mortes
 Importante...
Obrigado pela Atenção!
SAE de Infectologia HC UNESP Botucatu Faculdade de Medicina UNESP
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Hepatite B   Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Hepatite B Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016

203 visualizações

Publicada em

Hepatite B Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016

Publicada em: Saúde e medicina
  • Posso recomendar um site. Ele realmente me ajudou. Chama-se ⇒ www.boaaluna.club ⇐ Eles me ajudaram a escrever minha dissertação.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui

Hepatite B Imunologia e Impacto Clinico Terapêutico Residência Infectologia Unesp 2016

  1. 1. Alexandre Naime Barbosa MD, PhD Professor Doutor - Infectologia Preceptoria Residência Infectologia UNESP - Faculdade de Medicina Jun/2016 - Botucatu - SP - Brasil
  2. 2. Declaro ter recebido incentivos na forma de inscrições de eventos científicos e/ou; viagens aéreas e terrestres e/ou; gastos com alimentação, hospedagem e translados e/ou; patrocínio para a realização de congressos; pagamentos por serviços prestados e/ou consultorias das seguintes empresas ou instituições nos últimos 12 meses: - Abbvie - Bristol-Myers Squibb - CNPq - DECIT - FAMESP - Gilead - GSK-ViiV - Jansen - Ministério da Saúde - DDAHV - Merck Sharp and Dohme - Prefeitura de Botucatu - SMS - Sociedade Brasileira de Infectologia - Sociedade Paulista de Infectologia - UNESCO - UNESP
  3. 3. O material que se segue faz parte do projeto didático do Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa Objetivos 1. Ensino: Treinamento de Estudantes e Profissionais da Área de Saúde; 2. Extensão: Facilitar o Contato da População em Geral com Conceitos Científicos; 3. Científico: Fomentar a Discussão Científica e Compartilhar Material Didático. Autoria e Cessão 1. Conteúdo: Os dados contidos estão referenciados, em respeito ao autor original; 2. Uso: Está permitido o uso do material, desde que citada a fonte; 3. Contato: fale com o autor e conheça o seu projeto didático em:
  4. 4. VHB VHC Material Genético DNA RNA Tamanho 40 nm 50 nm Provírus Sim Não Modelo de Cura Funcional Esterilizante Cura vs Cronificação 90% - 10% 15% - 85% Cirrose 20% 40% Hepatocarcinoma 30% 60% Transmissão Sexual muito frequente incomum População Mundial 240 milhões 150 milhões
  5. 5. MS – Boletim Epidemiológico, 2014 WHO, 2015 Prevalência de AgHBs Alta: ≥ 8% Intermediário: 2% to 7% Baixo: < 2% Mundo Brasil Prevalência 240 milhões 1 - 2 milhões (0,37%) Incidência/ano 4 milhões (?) 12 mil Mortalidade/ano 700 mil ?
  6. 6. Oliveira U. B., 2010
  7. 7. 1. Fase Aguda e Maior Parte da Fase Crônica = Assintomática
  8. 8. VHB VHC Parceiros Sexuais de VHB + Transfusões antes de 1994 Múltiplos Parceiros, Violência Sexual Usuários de Drogas DSTs (HIV, VHC, Lues, HPV, etc) Hemofílicos, Hemodiálise HSHs HSHs Usuários de Drogas Acidentes Ocupacionais Convívio Domiciliar com VHB + Seringas e Agulhas Não Descartáveis Acidentes Ocupacionais Acupuntura, Piercing ou Tatuagem Hemodiálise Parceiros Sexuais de VHC + Institucionalizados Convívio Domiciliar com VHC + Viajantes para Áreas Endêmicas DSTs (HIV, VHC, Lues, HPV, etc) Filhos de Mães VHB + Filhos de Mães VHC + Sinais de Hepatopatia Sinais de Hepatopatia
  9. 9. Passo 1: Identificar a infecção crônica pelo VHB - AgHBs (+) > 6 meses (5 a 10%, acima do 2º ano de vida) - Anti-HBc: marcador de exposição, contato - Anti-HBs: marcador de imunidade, resolução CDC, 2003 Resolução Espontânea Cronificação
  10. 10. Interpretação AgHBs AgHBe AntiHBc AntiHBc IgM AntiHBe AntiHBs ALT DNA-VHB (UI/ml) Infecção Aguda (+) (+) (+) (+) (-) (-) ↑↑↑↑↑ ↑↑↑↑↑ HVB Pregressa Imune (-) (-) (+) (-) (+) (+) nl não detectado Anti-HBc Isolado/ Infecção Oculta (-) (-) (+) (-) (-) (-) nl não detectado Vacinação Prévia (-) (-) (-) (-) (-) (+) nl não detectado Portador Crônico Inativo (+) (-) (+) (-) (+) (-) nl < 200 Mutantes Pré-Core ou Core Promoter (+) (-) (+) (-) (+/-) (-) nl/↑ < / ≥ 2.000 HVB ativa (perfil clássico) (+) (+) (+) (-) (-) (-) ↑ ≥ 2.000 Passo 1: Identificar a infecção crônica pelo VHB Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação (ALT e CV VHB)
  11. 11. Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação - ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
  12. 12. Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação - ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
  13. 13. Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação - ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
  14. 14. Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação - ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
  15. 15. Passo 3: Seguimento prolongado e rotineiro para flagar ↑ ALT e ou ↑ CV VHB - Monitorar os portadores inativo à cada 6 meses ou à cada ano Passo 4: Tratar - AgHBe (+) com ↑ ALT - AgHBe (-) com ↑ ALT e ↑ CV VHB (> 2.000 UI/ml) - Indicação de Avaliação de Fibrose hepática (F ≥ 2 ou A ≥ 2): • AgHBe (+): > 40 anos, mesmo ALT nl • AgHBe (-): ↑ ALT e CV VHB entre 200 e 2.000 UI/ml - Cirrótico: todos Interpretação AgHBs AgHBe AntiHBc AntiHBe AntiHBs ALT DNA-VHB (UI/ml) Portador Crônico Inativo (+) (-) (+) (+) (-) nl < 200 Mutantes Pré-Core ou Core Promoter (+) (-) (+) (+) (-) nl/↑ < / ≥ 2.000 HVB ativa (perfil clássico) (+) (+) (+) (-) (-) ↑ ≥ 2.000
  16. 16. Objetivos Diminuir a progressão do dano hepático → supressão da replicação viral - AgHBe (+) → (-) - ALT: normalizar - CV DNA VHB: supressão sustentada - AgHBs => Anti-HBs: raro (7%)
  17. 17.  Hepatites B : graves problemas de saúde global  Brasil: desperdício oportunidades, mais infecções e mortes  Importante otimizar ferramentas disponíveis, sem banalizar  Referenciar sempre que tiver dúvidas  Divulgar em grupos mais vulneráveis  Promover sempre o uso do preservativo  Testar e Tratar Sempre
  18. 18. Obrigado pela Atenção! SAE de Infectologia HC UNESP Botucatu Faculdade de Medicina UNESP

×