O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Doenças Negligenciadas 2016

1.130 visualizações

Publicada em

Doenças Negligenciadas 2016

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Doenças Negligenciadas 2016

  1. 1. Alexandre Naime Barbosa MD, PhD Professor Doutor - Infectologia Simpósio - Liga de Infectologia de Botucatu UNESP - Faculdade de Medicina Out/2016 - Botucatu - SP - Brasil
  2. 2. Declaro ter recebido incentivos na forma de inscrições de eventos científicos e/ou; viagens aéreas e terrestres e/ou; gastos com alimentação, hospedagem e translados e/ou; patrocínio para a realização de congressos; pagamentos por serviços prestados e/ou consultorias das seguintes empresas ou instituições nos últimos 12 meses: - Abbvie - Bristol-Myers Squibb - CNPq - DECIT - FAMESP - Gilead - GSK-ViiV - Jansen - Ministério da Saúde - DDAHV - Merck Sharp and Dohme - Prefeitura de Botucatu - SMS - Sociedade Brasileira de Infectologia - Sociedade Paulista de Infectologia - UNESCO - UNESP
  3. 3. O material que se segue faz parte do projeto didático do Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa Objetivos 1. Ensino: Treinamento de Estudantes e Profissionais da Área de Saúde; 2. Extensão: Facilitar o Contato da População em Geral com Conceitos Científicos; 3. Científico: Fomentar a Discussão Científica e Compartilhar Material Didático. Autoria e Cessão 1. Conteúdo: Os dados contidos estão referenciados, em respeito ao autor original; 2. Uso: Está permitido o uso do material, desde que citada a fonte; 3. Contato: fale com o autor e conheça o seu projeto didático em:
  4. 4. 1 - Opções de tratamento inadequadas ou inexistentes 2 - Populações afetadas não tem acesso ao tratamento
  5. 5. 1. Úlcera de Buruli 2. Doença de Chagas 3. Dengue e Chikungunya 4. Dracunculíase 5. Equinococose 6. Trematodíases Alimentares 7. Doença do Sono 8. Leishmaniose 9. Hanseníase 10. Filariose Linfática 11. Oncocercose 12. Raiva 13. Esquistossomose 14. Helmintíases do Solo 15. Teníase/Cisticercose 16. Tracoma 17. Bouba/Treponematoses 18. Micetoma WHO, 2016
  6. 6. Hotez P, 2014
  7. 7. População Mundial Afetada: 8 milhões Mortalidade Anual: 10 mil Tratamento: ↑ toxicidade, ↓ eficácia
  8. 8. População Mundial Afetada: 390 milhões/ano Mortalidade Anual: 2,5 % dos infectados Tratamento: suporte/vacina
  9. 9. População Mundial Afetada: 300 mil (V); 200 mil (C)/ano Mortalidade Anual: 200 mil (V) Tratamento: ↑ toxicidade, ↓ eficácia
  10. 10. População Mundial Afetada: 200 mil/ano Mortalidade Anual: ? Tratamento: disponível, mas complexo
  11. 11. População Mundial Afetada: 40 milhões Mortalidade Anual: ? Tratamento: disponível
  12. 12. População Mundial Afetada: 18 milhões Mortalidade Anual: - Tratamento: disponível
  13. 13. População Mundial Afetada: 258 milhões Mortalidade Anual: 200 mil Tratamento: disponível
  14. 14. População Mundial Afetada: 2 bilhões Mortalidade Anual: ? Tratamento: disponível
  15. 15. População Mundial Afetada: 50 milhões de epiléticos Mortalidade Anual: ? Tratamento: disponível
  16. 16. População Mundial Afetada: 2,2 milhões de cegos ou com problemas de visão Mortalidade Anual: - Tratamento: disponível
  17. 17. População Mundial Afetada: 10.000/ano Mortalidade Anual: 10.000/ano Tratamento: somente prevenção
  18. 18. 1 - Opções de tratamento inadequadas ou inexistentes 2 - Populações afetadas não tem acesso ao tratamento 3 - Mercado não desperta interesse do setor privado 4 - Falta de ação do setor público Falha do Mercado e de Políticas Públicas
  19. 19. - Lembrar das Doenças Tropicais nos diagnósticos diferenciais, - Relacionar caso com dados epidemiológicos. - Buscar informações e atualizações. - Participar de pesquisas na área, iniciação científica. - Participar de movimentos do 3º setor.
  20. 20. Obrigado pela Atenção! SAE de Infectologia HC UNESP Botucatu Faculdade de Medicina UNESP

×