A Infectologia nos Dias de Hoje - O Modelo de Emergencia do HIV

315 visualizações

Publicada em

A Infectologia nos Dias de Hoje - O Modelo de Emergência do HIV

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
315
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Infectologia nos Dias de Hoje - O Modelo de Emergencia do HIV

  1. 1. Alexandre Naime Barbosa MD, PhD Professor Doutor - Infectologia Disciplina: MIP II Graduação em Medicina - UNESP Jun/2015 - Botucatu- SP
  2. 2. www.drbarbosa.org
  3. 3. www.drbarbosa.org
  4. 4. Revolução da Saúde (Séc. XX) - Antimicrobianos - Anestesias, Cirurgias - Medidas Sanitárias - Conhecimento Científico - Financiamento Volumoso Aumento médio de 4 meses/ano (Expectativa Vida Global) Alexander Fleming www.drbarbosa.org
  5. 5. www.drbarbosa.org
  6. 6. “O século XX será lembrado como o palco de uma das maiores revoluções do gênero humano: a virtual eliminação das infecções como fator significativo na vida social.” Sir McFarlane Burnett, 1962 www.drbarbosa.org
  7. 7. www.drbarbosa.org
  8. 8. www.drbarbosa.org
  9. 9. www.drbarbosa.org
  10. 10. Campeonato Brasileiro de 2009 (Coritiba x Santos) www.drbarbosa.org
  11. 11. www.drbarbosa.org
  12. 12. Carga Global de Doenças Fatais 57 Milhões 26% www.drbarbosa.org
  13. 13. 23,7% 6,7 m Saúde Global www.drbarbosa.org
  14. 14. Média Alta Renda Alta www.drbarbosa.org
  15. 15. Renda Baixa Média Baixa www.drbarbosa.org
  16. 16. www.drbarbosa.org
  17. 17. Dçs Cerebrovasculares 17.08% Infarto Miocárdio 13.66% Câncer 12.42% Pneumonias 9,47% Diabete Mellitus 9.39% Dçs Pulmonares Crônicas 8.88% Dçs Hipertensivas 7.66% Insuf. Cardíaca 4.72% Outras Dçs Isq Coração 3.46% Cirrose e Dçs Fígado 3,31% Miocardiopatia 2.29% Sepse 2.25% Aids 2,08% Insuf. Renal 1.98% Demais Doenças Perinatais 1.35% 13,8% www.drbarbosa.org
  18. 18. www.drbarbosa.org
  19. 19. www.drbarbosa.org
  20. 20. - Dependência Ecológica Bidirecional (Humanos e Microrganismos) - Múltiplos Fatores de Desequilíbrio (Micro e Macro Ambiente) 1. Evolução Genética (Mutações, Resistência, Novas Espécies) 2. Aumentos de Fatores de Imunossupressão (Envelhecimento) 3. Migrações Geográficas (Globalização) 4. Tendências Comportamentais (Revolução Sexual) 5. Uso Inadequado de Tecnologias (IRAS, Antibióticos) 6. Aumento da Exposição (Ocupacional, Aglomerados) 7. Mudanças Climáticas e de Ecossistemas (Migração de Animais) 8. Pobreza, Desnutrição, Guerras 9. Falta de Políticas Públicas de Saúde e de Distribuição de Renda Saúde Global www.drbarbosa.org
  21. 21. www.drbarbosa.org
  22. 22. Saúde Global Meio Ambiente e Clima Mobilização e Comportamento Evolução Genética Economia e Desenvolvimento www.drbarbosa.org
  23. 23. www.drbarbosa.org
  24. 24. www.drbarbosa.org
  25. 25. www.drbarbosa.org
  26. 26. www.drbarbosa.org
  27. 27. www.drbarbosa.org
  28. 28. www.drbarbosa.org
  29. 29. www.drbarbosa.org
  30. 30. www.drbarbosa.org
  31. 31. “Era novembro de 1980 quando eu vi meu primeiro paciente com pneumonia pelo Pneumocystis carinii; em dois meses vi mais dois; no final de cinco meses tinha visto um total de cinco. A pneumocistose era, então, uma infecção rara que ocorria somente em indivíduos com imunodeficiências graves, mas meus cinco pacientes eram jovens homossexuais masculinos e com boa saúde até então”. Gotlieb, MS. N Engl J Med 2001 www.drbarbosa.org
  32. 32. - Epidemiologia: HSH, Usuários de Drogas, Profissionais do Sexo, Transfundidos - Isolamento do HIV: Robert Gallo vs Luc Montagnier (1983) - Reconhecimento da Pandemia www.drbarbosa.org
  33. 33. www.drbarbosa.org
  34. 34. R. D. Congo www.drbarbosa.org
  35. 35. www.drbarbosa.org
  36. 36. www.drbarbosa.org
  37. 37. www.drbarbosa.org
  38. 38. Exposição ao SIV, Seleção Adaptativa dos Subtipos do HIV, Casos e Surtos Não Identificados Introdução do HIV no Haiti, Disseminação para os EUA, Pandemia www.drbarbosa.org
  39. 39. www.drbarbosa.org
  40. 40. www.drbarbosa.org
  41. 41. www.drbarbosa.org
  42. 42. www.drbarbosa.org
  43. 43. www.drbarbosa.org
  44. 44. www.drbarbosa.org
  45. 45. www.drbarbosa.org
  46. 46. “Até meados da década de 1990, eu duvidava que a medicina viesse a encontrar um meio de diminuir a taxa de mortes por aids, enquanto eu vivesse. No final de 1996, na 12ª Conferência Internacional de Aids, em Vancouver, Canadá, enquanto a euforia preenchia as salas de reuniões, eu permanecia cético em relação a que esquemas anti- retrovirais, contendo inibidores de protease, pudessem ter efeito imediato na mortalidade”. Gotlieb, MS. N Engl J Med 2001 www.drbarbosa.org
  47. 47. “Afortunadamente eu estava errado, esses esquemas representaram uma importantíssima mudança. No primeiro semestre de 1997, a taxa de mortalidade caiu em 75,0% em relação a 1995, assim como a incidência de muitas infecções oportunistas”. Gotlieb, MS. N Engl J Med 2001 www.drbarbosa.org
  48. 48. 2013: 26 drogas , DTV www.drbarbosa.org
  49. 49.  HAART: CV indetectável  Supressão em virgens ou não  Grande redução da mortalidade  Taxas próximas do normal  Objetivo: supressão virológica sustentada Bhaskaran K, Hamouda O, Sannes M, et al. Changes in the risk of death after hiv seroconversion compared with mortality in the general population. JAMA. 2008;300(1):51-59. www.drbarbosa.org
  50. 50. MS – Boletim Epidemiológico, 2012 Unaids - Aids Epidemic Update, 2012 Mundo Brasil Prevalência 34 milhões 0,5 milhão (0,4%) Incidência/ano 2,5 milhões 40 mil Mortalidade/ano 1,7 milhão 12 mil www.drbarbosa.org
  51. 51. www.drbarbosa.org
  52. 52. MS – Boletim Epidemiológico, 2011 www.drbarbosa.org
  53. 53. www.drbarbosa.org
  54. 54.  Abstinência Monogamia, Estabilidade  Sexo Casual  Múltiplos Parceiros  Sexo Profissional  Risco Intencional  Violência Sexual www.drbarbosa.org
  55. 55.  Uso de Drogas  Uso de Álcool www.drbarbosa.org
  56. 56.  Festas Barebacking  Saunas e Casas de Banho  Casas de Swing  Gang Bang  Roleta Russa www.drbarbosa.org
  57. 57. www.drbarbosa.org
  58. 58. www.drbarbosa.org
  59. 59. www.drbarbosa.org
  60. 60. Comparação de Eficácia entre as Estratégias de Prevenção Abdool Karim S, Abdool Karim Q, et al. Lancet. 2011;378:e23-e25. www.drbarbosa.org
  61. 61. www.drbarbosa.org
  62. 62. www.drbarbosa.org
  63. 63. www.drbarbosa.org
  64. 64. www.drbarbosa.org
  65. 65. www.drbarbosa.org
  66. 66. www.drbarbosa.org
  67. 67. www.drbarbosa.org
  68. 68. www.drbarbosa.org
  69. 69. Hutter G, et al N Engl J Med, 2009. www.drbarbosa.org
  70. 70. Serves as proof-of-concept that HIV CURE is possible www.drbarbosa.org
  71. 71. www.drbarbosa.org
  72. 72. www.drbarbosa.org
  73. 73. www.drbarbosa.org
  74. 74. www.drbarbosa.org
  75. 75. www.drbarbosa.org
  76. 76. A maré inquieta: O desafio Persistente do Mundo Microbiano Richard M. Krause, 1981 Devemos estar alertas para a soberania da maré evolutiva, para que não sejamos arrastados... pelo mundo microbiano... www.drbarbosa.org
  77. 77. A Clínica Médica, a Cirurgia, a GO, a Pediatria e a Medicina Preventiva são grandes áreas dentro da INFECTOLOGIA...(Adaptado do Prof. Luiz Jacintho da Silva) www.drbarbosa.org
  78. 78. Obrigado pela Atenção!

×