Número de empresas inadimplentes
aumenta 8,33% em maio na variação anual
Setor de Serviços concentra 70,69% das dívidas de...
com variação de 8,27% e 8,15%, respectivamente; e a região Sul registrou o menor
crescimento, de 4,89%.
Porém, a maior par...
O setor credor que concentra a maior parte das dívidas de pessoas jurídicas é o setor
de Serviços, que engloba Bancos e Fi...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Número de empresas inadimplentes aumenta 8,33% em maio na variação anual

157 visualizações

Publicada em

Setor de Serviços concentra 70,69% das dívidas de pessoas jurídicas, englobando Bancos e Financeiras. Pendências com vencimentos entre 91 e 180 dias têm maior alta

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
157
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Número de empresas inadimplentes aumenta 8,33% em maio na variação anual

  1. 1. Número de empresas inadimplentes aumenta 8,33% em maio na variação anual Setor de Serviços concentra 70,69% das dívidas de pessoas jurídicas, englobando Bancos e Financeiras. Pendências com vencimentos entre 91 e 180 dias têm maior alta O volume de empresas com dívidas atrasadas registrou a terceira aceleração consecutiva em maio. De acordo com o indicador calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a quantidade de empresas inadimplentes apresentou crescimento de 8,33% em maio de 2015 na comparação com o mesmo mês do ano passado. A alta é a maior desde julho de 2013 e representa uma aceleração da inadimplência com relação aos números do início do ano quando o indicador oscilava em torno dos 6%. Na comparação com o mês anterior, o indicador cresceu 1,41% em maio de 2015. Para os especialistas, esse avanço da inadimplência das empresas é reflexo da piora do cenário macroeconômico, que afeta a capacidade de pagamento das famílias e das empresas. A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, explica que a dificuldade dos empresários em manter os compromissos financeiros em dia está relacionada à atual conjuntura econômica de baixo crescimento, quedas da produção industrial, além da elevada inflação e altas taxas juros: "O resultado reflete um cenário econômico com menor atividade da economia e maior restrição ao crédito, ambos fatores que afetam a capacidade de pagamento tanto das famílias como das empresas.” Destaque: dívidas entre 3 e 6 meses A abertura dos dados por tempo de atraso das dívidas revela que, em maio, o número de devedores cresceu em todas as faixas, como reflexo da queda da recuperação de crédito e da entrada de novos inadimplentes. O principal destaque do indicador são as empresas com dívidas em atraso entre 91 e 180 dias que cresceram 14,82%, além da alta anual de 13,89% verificada nas dívidas em atraso entre 3 e 5 anos. Nordeste tem maior alta na variação anual Também houve aumento no número de empresas devedoras nas cinco regiões do Brasil, na comparação com maio de 2014: o Nordeste e Sudeste lideraram a alta,
  2. 2. com variação de 8,27% e 8,15%, respectivamente; e a região Sul registrou o menor crescimento, de 4,89%. Porém, a maior parte das empresas devedoras está concentrada no Sudeste: 43,49% do total de empresas inadimplentes. De acordo com os especialistas, isso ocorre porque a região responde também pela maior parte do PIB brasileiro. O Nordeste apresenta a segunda maior participação no total de empresas inadimplentes, com 19,43%. Inadimplência das empresas do setor de Serviços cresce 12,85% O número de empresas devedoras também cresceu em todos os setores, na comparação com maio de 2014. O destaque ficou por conta do setor de Serviços, englobando Bancos e Financeiras, e que, como nos meses anteriores, liderou o avanço da inadimplência, com um crescimento de 12,85%. O segundo maior avanço ficou por conta da Indústria, com crescimento 9,63% das empresas devedoras, seguido de Comércio e Agricultura que tiveram, respectivamente, variação de 7,53% e 4,08%. O indicador mostra que quase metade das empresas devedoras está concentrada no setor de Comércio (49,42%). “Tal resultado se deve ao importante papel que este setor apresenta na logística da distribuição de produtos. Em muitos casos, são os grandes atacadistas que financiam as vendas”, explica a economista do SPC Brasil. A Agricultura é o setor com menor participação no total de empresas devedoras: apenas 0,67% do total. Quantidade de dívidas em atraso sobe 8,22% em maio Além do aumento no número de empresas inadimplentes, a aceleração atingiu também a quantidade de dívidas em atraso em nome de pessoas jurídicas: 8,22% em maio deste ano, em relação a maio do ano passado. Foi a maior variação desde agosto de 2013. A aceleração se segue após o indicador ter registrado o menor crescimento na série histórica em janeiro, com uma alta de 3,49%. Na comparação mensal, frente a abril, a quantidade de dívidas cresceu 1,62%. O indicador mostra que 70,00% das dívidas registradas nas bases do SPC Brasil, em nome de pessoas jurídicas, têm pelo menos um ano de atraso. Porém, as dívidas mais antigas, com 3 a 5 anos de atraso, têm um crescimento bem acima da média e a segunda maior participação no total de dívidas. Na comparação com maio de 2014, o setor credor que mais viu as pendências de pessoas jurídicas aumentarem foi a Agricultura, que registrou crescimento de 21,27%, ainda que tenha a menor participação no total das dívidas de pessoas jurídicas, de 0,13%.
  3. 3. O setor credor que concentra a maior parte das dívidas de pessoas jurídicas é o setor de Serviços, que engloba Bancos e Financeiras, com expressivos 70,69% do total, seguido de Comércio, com 16,02%. Na divisão por regiões, foi o Sul que obteve um maior crescimento no número de dívidas, com um aumento de 2,15%. Metodologia Os indicadores de inadimplência das empresas sumarizam todas as informações disponíveis nas bases de dados do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito). A abrangência é nacional, com informações de capitais e interior de todos os 26 estados da federação, além do Distrito Federal. Baixe a série histórica em: https://www.spcbrasil.org.br/imprensa/indices-economicos Informações à imprensa: Renan Miret (11) 3254 8810 | (11) 9 7215 6303 renan.miret@inpresspni.com.br Vinícius Bruno (11) 3251-2035 | (11) 9-7142-0742 vinicius.bruno@spcbrasil.org.br

×