Trabalho alice ruivo soniavilarinho

1.107 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.107
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho alice ruivo soniavilarinho

  1. 1. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 2014
  2. 2. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 2 Trabalho realizado por Alice Ruivo e Sónia Vilarinho no âmbito do módulo “Organização da Informação na Biblioteca Escolar”, lecionado pela Docente Irene Mesquita, inserido no Curso de Pós-Graduação em Gestão de Bibliotecas Escolares e que visa apresentar um Manual de Procedimentos para as Bibliotecas Escolares de um Agrupamento de Escolas, com níveis de ensino do 1ºciclo ao secundário.
  3. 3. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 3 SUMÁRIO Introdução I – Seleção/ Aquisição e Avaliação dos Fundos Documentais------------------------ 6 1.1. Seleção e aquisição -------------------------------------------------------------------------------------- 6 1.1.2. Compra ----------------------------------------------------------------------------------------- 7 1.1.3. Ofertas/doações ----------------------------------------------------------------------------- 7 1.1.4.Permuta ou troca ------------------------------------------------------------------------------ 8 1.1.5.Produção editorial própria ----------------------------------------------------------------- 8 1.2. Preservação do Acervo ---------------------------------------------------------------------------------- 8 1.2.1. Conservação ----------------------------------------------------------------------------------- 8 1.2.2. Restauro --------------------------------------------------------------------------------------- 8 1.3. Avaliação e desbaste da coleção ---------------------------------------------------------------------- 8 II – Procedimentos administrativos e técnicos ------------------------------------10 2.1. Receção/ verificação dos documentos ------------------------------------------------------------ 10 2.1.1. Monografias --------------------------------------------------------------------------------- 10 2.1.2. Material Não-livro (MNL) ----------------------------------------------------------------- 10 2.2. Registo --------------------------------------------------------------------------------------------------- 10 2.2.1. O registo de monografias ----------------------------------------------------------------- 11 2.2.2. O registo de publicações periódicas --------------------------------------------------- 11 2.2.3. O registo de documentos não-livro ---------------------------------------------------- 12 2.3. Carimbagem ---------------------------------------------------------------------------------------------- 13 2.3.1. Documentos impressos: monografias --------------------------------------------------13 2.3.2. Documentos impressos: publicações periódicas ------------------------------------ 14 2.3.3. Material não livro: CD-ÁUDIO, CD-ROM, DVD, VHS -------------------------------- 14 2.4. Catalogação --------------------------------------------------------------------------------------------- 14 2.5. Classificação -------------------------------------------------------------------------------------------- 16 2.5.1 Análise do documento --------------------------------------------------------------------- 16 2.5.1.1 Monografias ---------------------------------------------------------------------- 16 2.5.1.2 Material Não Livro -------------------------------------------------------------- 16 2.5.2. Classificação propriamente dita --------------------------------------------------------- 17 2.5.1.1 Monografias ---------------------------------------------------------------------- 17 2.5.1.2 Material Não Livro ------------------------------------------------------------- 17 2.6. Indexação ------------------------------------------------------------------------------------------------- 17 2.6.1. Monografias --------------------------------------------------------------------------------- 18 2.6.2. Material Não-livro -------------------------------------------------------------------------- 18
  4. 4. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 4 2.7. Cotação --------------------------------------------------------------------------------------------------- 18 2.7.1. Atribuição de cota às Monografia ------------------------------------------------------ 19 2.7.2. Atribuição de cota ao Material Não-livro --------------------------------------------- 20 2.7.3. Complemento cromático ----------------------------------------------------------------- 20 2.8. Etiquetagem ---------------------------------------------------------------------------------------------- 21 2.8.1.Etiquetagem de Monografias ------------------------------------------------------------- 21 2.8.2.Etiquetagem de Material Não-livro ----------------------------------------------------- 21 2.9. Arrumação ----------------------------------------------------------------------------------------------- 21 2.9.1. Monografias -------------------------------------------------------------------------------- 21 2.9.1. Publicações Periódicas -------------------------------------------------------------------- 22 2.9.2. Material Não-livro -------------------------------------------------------------------------- 22 2.9.3. Material Acompanhante ------------------------------------------------------------------ 22 2.10. Arquivo -------------------------------------------------------------------------------------------------- 22 2.11. Empréstimo (procedimentos e documentos de registo) ------------------------------------- 23 III – Difusão da informação -------------------------------------------------------------------------- 24 IV- Outras Orientações ------------------------------------------------------------------------------ 25 4.1. Dossiês de recortes e temáticos --------------------------------------------------------------------- 25 4.2. Maletas pedagógicas e/ou itinerantes ------------------------------------------------------------- 26 Anexos -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 27 Anexo I- Sugestões para aquisição departamentos Anexo II- Sugestões de Utlizadores Anexo III- Registo de entradas Anexo IV- Registos de publicações periódicas Anexo V- Módulo de catalogação Bibliobase Anexo VI- Campos a preencher no módulo de catalogação Anexo VII- CDU (simplificada) + Tabela cromática Anexo VIII- Tabela de Classificação de Documentos de Vídeo Anexo IX- Tabela de Classificação de Música Anexo X- Carta para pedido de oferta de materiais às editoras Anexo XI- Carta de Agradecimento por oferta de materiais
  5. 5. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 5 Introdução “Os livros não mudam o mundo quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas” Mário Quintana Concebidas como espaços educativos por excelência, as bibliotecas escolares (BE) constituem recursos imprescindíveis à criação e fomento dos hábitos de leitura nos jovens estudantes, melhorando o seu nível cultural enquanto cidadãos de pleno direito. Neste contexto, de promoção de uma cidadania ativa crítica e responsável, as BE contribuem de uma forma decisiva para alcançar importantes objetivos educativos, designadamente: o hábito e o prazer da leitura, a capacidade de pesquisa, o uso da informação, o manuseamento dos diferentes suportes documentais e a capacidade de investigação, permitindo, assim, que os alunos possam responder, mais facilmente, aos novos desafios da sociedade do conhecimento. A BE democratiza o conhecimento permitindo a utilização dos seus recursos a todos os alunos, independentemente, da sua raiz sociocultural. A necessidade de rentabilizar recursos no sentido de promover a eficiência e eficácia dos serviços levou à necessidade de se produzir o presente Manual de Procedimentos (MP), visando permitir a uniformização, a normalização e a continuidade das decisões, procedimentos e critérios adotados na BE. O presente MP, enquanto instrumento norteador de funcionamento das bibliotecas do Agrupamento de Escolas X e facilitador de procedimentos que permitam uma melhor qualidade de resposta aos utilizadores, contem os princípios, normas, diretrizes e procedimentos operacionais a observar no tratamento técnico do documento. Constitui-se ainda como um documento em aberto e em reestruturação conforme as necessidades de revisão ou atualização das medidas técnicas, entre as quais o tratamento documental nas suas várias componentes, que estabelece o circuito do documento nas bibliotecas do Agrupamento.
  6. 6. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 6 I – Seleção/ Aquisição e Avaliação dos Fundos Documentais 1.1.- Seleção e aquisição A seleção e aquisição dos fundos documentais, nos mais variados suportes, tenta responder ao interesse e curiosidade dos utilizadores e à especificidade das diferentes Áreas Curriculares Disciplinares e não Disciplinares. A seleção e a aquisição dos fundos documentais pautam-se pelos seguintes critérios: - O Currículo Nacional; - O Projeto Curricular e o Projeto Educativo do Agrupamento; - As necessidades educativas especiais e as origens multiculturais dos alunos; - O Equilíbrio entre os níveis de ensino existentes na escola; - A constatação, por parte da equipa responsável, de lacunas no acervo documental (livro e não livro); - A solicitação de pareceres aos Departamentos Curriculares e Conselhos de Docentes quanto às suas necessidades; anexo 1 - Os interesses do público-alvo; - As orientações da RBE; - As sugestões do PNL; - As áreas curriculares, extracurriculares e lúdicas; - As sugestões dadas pelos utilizadores da BE (caixa de sugestões); anexo 2 - Apoios que possam existir. Após a recolha das informações acima referidas, a Equipa da biblioteca escolar analisa as listagens de material e seleciona, estabelecendo prioridades (tendo em atenção os setores mais deficitários e a verba disponível). De seguida, faz-se a aquisição do fundo considerado prioritário, sendo que esta pode ser realizada de quatro formas distintas ou complementares:
  7. 7. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 7 1.1.1.- Compra São feitas várias consultas aos catálogos de diferentes editoras, sendo feita posterior seleção em função dos preços e condições de aquisição apresentadas. A decisão de compra e elaboração de requisições é apresentada pelo coordenador da BE à Direção do Agrupamento de Escolas, a quem compete a aprovação das mesmas. As BE podem também elaborar projetos no âmbito de diversas candidaturas a nível nacional, podendo ser contempladas com vários apoios, que lhe permitem aumentar o número de aquisições. Nota: É da competência dos professores bibliotecários procederem ao arquivo da cópia de faturas, na biblioteca, sendo que o original é entregue nos serviços administrativos. 1.1.2.- Ofertas/doações Através de ofertas e doações a Biblioteca Escolar pode aumentar a sua coleção. No entanto, a integração de doações na escola, e em particular, na coleção da BE, deverão ser definidas acautelando as necessidades da comunidade de utilizadores. O interesse e a aceitação das doações e ofertas deverá assim, obedecer aos seguintes critérios: - Necessidades e interesses dos utilizadores; - Lacunas existentes na coleção; - O bom estado de conservação dos documentos; - A adequação dos suportes e formatos; - A atualidade dos materiais; - O tamanho adequado, ao espaço da BE, das coleções; - Não serem documentos que por serem históricos, raros, necessitem de especial atenção e cuidado na conservação e que a BE não possa assegurar. Nota: Deverá ser elaborado um ofício de agradecimento aos particulares e/ou instituições que doaram ou ofereceram documentos para a BE.
  8. 8. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 8 1.1.3.- Permuta ou Troca Tipo de aquisição realizada através da remessa de publicações de uma instituição visando receber em troca publicações de seu interesse. Na prática esta operação traduz-se frequentemente num acordo, formal ou informal, de intercâmbio entre organismos para fornecimento recíproco de documentos. 1.1.4.- Produção Editorial Própria Conjunto de publicações produzidas e/ou editadas pela biblioteca. 1.2. Preservação do Acervo Esta tarefa passa por duas vertentes essenciais: 1.2.1- A Conservação, relativa ao processo de avaliação e proteção das condições físicas dos materiais da biblioteca e ao conjunto de ações a definir pela coordenação para evitar a deterioração dos mesmos, incluindo a formação de utilizadores para a sensibilização da importância da preservação dos documentos; 1.2.2- O Restauro, relativo às técnicas de reparação dos danos causados pelo uso, tempo e outros fatores, deverá ser usada como último recurso, quando a simples preservação já não é suficiente. 1.3. Avaliação e desbaste da coleção A avaliação da coleção permite verificar a sua dimensão e a forma como esta responde às necessidades da escola, determinando os pontos fracos, onde deve haver intervenção e maior investimento.
  9. 9. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 9 O desbaste é fundamental para manter o interesse e a relevância da coleção. A avaliação da coleção deverá identificar os materiais que não são usados ou que estão em mau estado. Alguns items poderão ser retirados da coleção e colocados em depósito. Critérios para o desbaste: - Materiais obsoletos e / ou desatualizados; - Documentos fisicamente muito danificados, rasgados e velhos; - Documentos que já não correspondem às necessidades e interesses dos utilizadores/ apoio ao currículo; - Documentos que já não correspondem às necessidades institucionais; -Documentos que raramente são usados e ocupam lugares em livre-acesso, impedindo outros mais atuais de serem disponibilizados. 
  10. 10. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 10 II – Procedimentos administrativos e técnicos 2.1. Receção/ verificação dos documentos Quando o documento entra na Biblioteca e antes de se iniciar o tratamento propriamente dito, deve proceder-se à análise do estado físico do documento. 2.1.1.- Monografias Deve analisar-se se os mesmos não apresentam falhas de impressão, páginas rasgadas, lombadas ou encadernação danificada. Caso se trate de coleções em volumes adquiridos em separado, deve verificar-se a sequência numérica para que não haja duplicação ou falta de volumes. 2.1.2.-Material não livro (MNL) Deverá testar-se o seu funcionamento verificando se os mesmos não apresentam falhas de leitura. Nos documentos que forem adquiridos através de compra deve verificar-se o pedido dos mesmos e a faturação. 2.2. Registo É uma operação, realizada na biblioteca, que tem como objetivo a inventariação de todo o fundo documental. Todos os documentos (monografias e material não-livro) entrados na biblioteca serão registados sequencialmente. Este número de registo é fundamental quer para o inventário quer para futuras operações de empréstimo ao utilizador. Antes de se proceder ao registo de um documento avalia-se a necessidade do mesmo: - As publicações efémeras são apenas carimbadas, com o carimbo da biblioteca; - Os manuais escolares não são registados, seguindo-se os mesmos procedimentos referidos para as publicações efémeras.
  11. 11. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 11 2.2.1. O registo de monografias é feito informaticamente no programa de gestão documental Bibliobase. Cada documento terá um número de registo próprio e sequencial, de acordo com o MFN do sistema. Numeração suporte livro exemplo: 1,2,3,4 - Vários exemplares de cada obra têm números de registos diferentes; - No caso de obras em vários volumes, apesar de todos os volumes poderem ter o mesmo número de registo quando o título é o mesmo, optar-se-á pela atribuição de número diferente para cada um, por ser mais aconselhável, pois facilita algumas tarefas habituais da Biblioteca, nomeadamente aquando do estudo estatístico da entrada de obras por ano ou o inventário do número de volumes existentes; - Quando uma obra é acompanhada por material do mesmo formato ou diferente (livro, CD – ROM, CD – Audio; DVD) deve constituir-se com o mesmo nº de registo da obra integrante. No entanto, far-se-á um apontamento nas observações do livro de registos. Proceder-se – á ao registo de material acompanhante em casos muito excecionais, quando este constitua só por si um documento que possa ser considerado autónomo. 2.2.2.- O registo de publicações periódicas, será feito em folhas Kardex, adaptadas para o efeito. A cada folha / ficha corresponderá um título. As fichas devem ordenar-se alfabeticamente da mesma forma que as próprias revistas nas estantes. As folhas Kardex também podem ordenar-se em dossier de argolas. O conjunto de folhas ordenadas constitui o catálogo de publicações periódicas. Cada ficha inclui os seguintes elementos para preenchimento: • Periodicidade • Cidade /País • Título da publicação periódica • Cota • Endereço da edição
  12. 12. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 12 • Diretor/Editor • Data de publicação • Forma de entrada anexo 3 2.2.3- O registo de documentos não-livro (documentos áudio (CD) e os documentos audiovisuais e multimédia (DVD, CD-Rom, DVD-Rom) segue procedimentos idênticos ao adotado para as publicações periódicas, fazendo-se uma descrição abreviada de que constam os seguintes elementos: •Data de entrada do documento na biblioteca; •N.º de registo; •Autor – nome; •Título; •Edição (Local, Editor, Data, Coleção, Volume); •Cota •Tipo de Suporte •Modo de Aquisição anexo 3 Numeração suporte não livro exemplo: Suporte DVD: 1-f, 2-f, 3-f, 4-f Suporte CD áudio: 1-m, 2-m, 3-m, 4-m Suporte CR rom: 1-r 2-r, 3-r, 4-r Nota: Os registos informáticos devem ser periodicamente impressos e as páginas numeradas e rubricadas, servindo de cópia de segurança.
  13. 13. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 13 2.3. Carimbagem Todos os documentos que dão entrada na BE, qualquer que seja a sua natureza, são carimbados com o carimbo da biblioteca. A carimbagem consiste na estampagem de carimbo(s) nos documentos para indicar a sua pertença à biblioteca e fornecer dados relativos ao seu registo, classificação e catalogação. Esta operação tem procedimentos próprios claramente definidos: carimbos a utilizar e formas/locais de aplicação em cada tipo de suporte. A carimbagem deverá ser feita tendo em consideração a salvaguarda da integridade da mancha gráfica, das ilustrações e imagens. Todos os documentos têm de ser carimbados, devendo respeitar-se as zonas específicas ou recomendadas, utilizando-se para tal duas espécies de carimbos: Carimbo de posse ou instituição (carimbo pequeno, redondo) - com o nome da Escola e da biblioteca Escolar. Deverá ser colocado na página de rosto no canto superior direito (no caso da página ser completamente ilustrada o carimbo será colocado na página seguinte). Carimbo de registo (carimbo maior, retangular) – com identificação da BE, número de registo, data e cota; apõe-se na página de rosto, no canto inferior direito. Nota: A aposição do carimbo é tarefa exclusiva da Biblioteca Escolar e obedece aos seguintes requisitos: 2.3.1- Documentos impressos: Monografias O carimbo de posse, de forma circular, será colocado na página de rosto, nas páginas 10, 20 e na última página impressa do livro. A sua aposição não pode, em caso algum, colidir com qualquer elemento fundamental à leitura do documento (texto, ilustração, imagem, gráfico etc.). Aqui, o carimbo de registo deverá de ser colocado na página de rosto, no canto inferior direito, desde que não comprometa a sua mancha gráfica. O seu preenchimento é feito a lápis.
  14. 14. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 14 Nos Manuais Escolares apenas se deve colocar o carimbo de posse, no canto inferior direito da página de rosto. Nota: Nos documentos com folhas plastificadas, ou material ao qual a tinta não adere, o carimbo é efetuado numa etiqueta que deve ser colocada no local estabelecido para o efeito. 2.3.2- Documentos impressos: Publicações periódicas São carimbadas apenas com o carimbo de posse e da seguinte forma: Revistas – Na página do sumário e na última página impressa. Jornais – Junto ao título e na última página. Nota: Este procedimento aplica-se a outras publicações efémeras, como brochuras, desdobráveis e folhetos. Os documentos intercalados (fotografias, mapas) serão carimbados no verso. 2.3.3- Material não livro: DVD, DVD-rom, CD e CD-ROM Em relação ao material não impresso, nos CD’s o carimbo é colocado na parte interior do folheto que constitui a respetiva capa. No próprio documento poderá inscrever-se o nome da escola e o nº de registo com uma caneta de acetato. No Suporte iconográfico (postal, fotografia, etc.) e mapas - Aplicar o carimbo de registo no verso do documento. 2.4.- Catalogação A catalogação é uma operação que consiste na descrição dos dados bibliográficos de um documento e no estabelecimento de pontos de acesso ao mesmo, com a finalidade de o identificar para posterior recuperação, permitindo ao utilizador que encontre, selecione e obtenha informação. A catalogação dos documentos das BE é automatizada, utilizando-se o software Bibliobaseanexo 5 , em formato UNIMARC.
  15. 15. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 15 Na catalogação dos documentos, de modo a garantir uma descrição bibliográfica correta e normalizada, serão seguidos os seguintes normativos:  As Regras Portuguesas de Catalogação (RPC)  A International standard bibliographic description (ISBD) 2007  Manual UNIMARC- formato bibliográfico Procedimentos: - O documento é catalogado uma única vez. Quando existem outros exemplares de um documento (mesma edição) o procedimento consiste em criar mais ocorrências do campo 966 (Cota). São preenchidos os seguintes subcampos: Sigla (^l), o nº de registo/inventário (^a) e a cota (^s). Só deste modo é possível contabilizar as existências e o empréstimo. - Outra edição de um documento: trata-se de um novo documento e como tal deve ser criado um novo registo (mesmo que haja apenas pequenas diferenças no conteúdo). - Para facilitar esta operação podem fazer-se os acertos apenas nos campos em que há alterações e gravar como novo registo. - Obras em mais de um volume: se a obra tem várias unidades físicas regista-se, nas existências, os números de unidades seguidas de v., nas notas, descrevem-se os volumes e respetivo número de páginas de cada um. - Os elementos da descrição bibliográfica são retirados da própria monografia, prioritária e principalmente da página de rosto (material livro), e só quando forem insuficientes é que devem ser retirados de outra fonte de informação. - A sigla é definida por cada BE/instituição. - Número de registo: inserir o número de registo”/”o ano do registo
  16. 16. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 16 - Cota: inserir a notação CDU + as 3 primeiras letras do último apelido do autor - Na catalogação automatizada são preenchidos os campos e subcampos estabelecidos no Anexo 6, que estipula para cada tipo de documento a catalogação mínima a realizar - Inscrever no documento junto ao n.º de registo o MFN de cada documento. - Importação de registos: na informatização do catálogo, poder-se-ão importar registos de outras bases de dados. - Qualquer registo importado deve ser revisto para se adequar às políticas de catalogação, classificação e indexação da Biblioteca. 2.5. Classificação Consiste em fazer corresponder um código numérico de um sistema de classificação a um determinado assunto, contribuindo para que os documentos, a partir de um catálogo, sejam facilmente localizáveis nas estantes. Esta tarefa permite recuperar os documentos pelo seu conteúdo, isto é, pelos principais assuntos neles versados ou pelo género literário a que pertencem. - Metodologicamente devem ser seguidos os seguintes passos: 2.5.1.- Análise do documento: 2.5.1.1.- Monografias:  Analisar títulos, sumários, introduções, conclusões, …  Identificar e selecionar os conceitos inerentes ao documento; 2.5.1.2. - Material não-livro:  Analisar títulos, invólucros, capas, sinopses, o documento em si mesmo.  Identificar e selecionar os conceitos/géneros inerentes ao documento.
  17. 17. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 17 2.5.2.- Classificação propriamente dita: 2.5.2.1.- Monografias: A classificação das monografias está de acordo com a Tabela de Classificação Decimal Universal CDU, (simplificada, dado o público a que se destina)anexo7 . 2.5.2.2.- Material não livro: - Os registos sonoros são classificados com base na Classificação de Registos Sonoros das BDVP (bibliotecas e discotecas da cidade de Paris).anexo 8 - Os registos audiovisuais são classificados com base na Tabela de Classificação da FIAF (Federação Internacional de Arquivo de Filmes)anexo 9 e Tabela de Autoridades da CDU. Nota: Tendo em conta que a CDU é um documento muito extenso abarcando uma imensidão de subclasses; criámos de acordo com os assuntos que predominam nas nossas BE, listas abreviadas. A lista abreviada é utilizada na classificação dos documentos de forma a evitar uma grande dispersão por todas aquelas áreas do conhecimento. Esta lista não dispensa contudo a consulta da própria CDU quando se pretender classificar os documentos com mais minúcia. As Tabela de Classificação da FIAF e BDVP, foram também adaptadas. 2.6. Indexação A indexação é uma das formas de descrição do conteúdo do documento; no entanto, distingue-se da classificação porque esta visa a organização do conhecimento, enquanto a indexação tem como objetivo permitir acessos múltiplos ao documento, de acordo com os assuntos nele focado. Trata-se aqui de escolher os termos que representam os conceitos contidos num documento e de selecionar aqueles que se revelam pertinentes do ponto de vista do utilizador. 2.6.1.- Monografias Deve proceder-se a uma leitura superficial do conteúdo, para conseguir determinar o assunto principal e todos os conceitos representativos e que possam responder a potenciais questões dos utilizadores.
  18. 18. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 18 - Nesta leitura considera-se: • O título do documento; • A introdução (normalmente, é aí que o autor explica o que pretende com uma obra) e a conclusão (aí se explica, frequentemente, se os objetivos foram atingidos); • As primeiras frases dos capítulos e parágrafos; • Gráficos, quadros, figuras e legendas. Para retirar os descritores necessários ao preenchimento do catálogo de assuntos sugere‐se a utilização (sempre que possível e para facilitar os procedimentos) da tabela abreviada da CDU. Tal não implica que se não recorra a outras fontes de indexação (ex.“Lista de Cabeçalhos de Assuntos para Bibliotecas”, Thesauri de Educação da UNESCO, etc.) Apesar de facilmente se poderem encontrar muitas palavras‐chave para cada documento, o mais aconselhado será extrair de cada obra o máximo de três conceitos. 2.6.2. Material não livro Nos documentos não escritos (audiovisuais, visuais ou sonoros e outros) nem sempre é possível analisar o registo na sua totalidade pelo que a indexação é feita com base no título ou resumo/sinopse. 2.7. Cotação Após a classificação e catalogação dos documentos estes são cotados. A cotação é a fase do tratamento documental em que a cada documento é atribuído um código que permite a sua arrumação nas estantes. Trata-se, pois, de um código que permite a fácil localização de um documento no conjunto das obras existentes.
  19. 19. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 19 2.7.1- Monografias As cotas dos documentos são simplificadas por forma a serem rapidamente identificadas/localizadas. Por isso, optou-se pela notação geral da CDU até três, quatro dígitos, o que não significa que não possa haver casos em que haja necessidade de se especificar mais. A cota é formada pela notação CDU (simplificada) + três primeiras letras (maiúsculas) do apelido do autor e pela primeira letra do nome (minúscula), seguidas das três primeiras letras do título (maiúsculas), para permitir distinguir e ordenar alfabeticamente os vários títulos de um mesmo autor. - Assim, a título de exemplo, o livro A espada do rei Afonso, de Alice Vieira terá a cota: 087.5 VIEa ESP No caso das obras em coleções que pela temática tratada interessa agrupar os títulos, de modo a que fiquem juntos na estante, a componente alfabética da cota é formada pelas 4 primeiras letras da coleção: - Assim, os títulos da coleção Descobrir da editora Civilização, terão a cota: 001 DESC Nas coleções, da área de literatura ou temáticas, cujos títulos têm o mesmo autor, a componente alfabética da cota é formada pelas 4 letras do autor (3 iniciais do apelido e inicial do nome), seguidas da 1ª letra da coleção: - Assim, os títulos da coleção Uma aventura da Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, terão a cota: 087.5 MAGAa
  20. 20. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 20 No caso das biografias, deverá dar-se preferência à temática com a qual o biografado se relaciona, sendo a notação constituída pela classe temática correspondente, seguida do nome do biografado (três iniciais do apelido e pela primeira letra do nome, maiúsculas), seguidas da primeira letra do apelido do autor da biografia (minúsculas). Quando o biografado não se relaciona especificamente com nenhuma classe opta-se pela notação 929, relativa às biografias. - Assim, o livro ”Beethoven”, da autora Anne Rachlin, terá a cota: 78 BETLr 2.7.2- Material não livro No caso do Material Não Livro (DVD, CD‐Áudio, CD-ROM …), 1ª linha: notação (FIAF/CDU); 2ª linha: 3 primeiras letras do título e o número de registo do documento para facilitarem a sua localização em depósito Nota: Os artigos definidos e indefinidos que aparecem no início dos títulos não são tidos em conta para o efeito de cota, usando‐se as iniciais da palavra imediatamente a seguir. 2.7.3. Complemento cromático A cada classe principal da CDU é atribuída uma cor para facilitar o acesso aos documentos, nomeadamente pelos alunos mais jovens, bem como para detetar documentos mal arrumados. A sinalização das estantes e das prateleiras, assim como as etiquetas, são elaboradas de acordo com esta norma: anexo 7 087.5 VIEa ESP
  21. 21. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 21 2.8- Etiquetagem 2.8.1.- Etiquetagem de Monografias- Depois de ter sido atribuída uma cota a cada documento, aquela inscreve-se numa pequena etiqueta, que se cola na lombada do documento, sempre à mesma distância (2 cm) da extremidade inferior. 2.8.2- Etiquetagem de Material não livro- a etiqueta coloca-se na embalagem de suporte (exemplo caixa de DVD) e no documento propriamente dito, (exemplo: DVD), de forma visível e sem o danificar. Nota: Uma vez colocadas as etiquetas são protegidas com uma tira de película autocolante transparente, para evitar que se danifiquem. 2.9. Arrumação Os livros, na Biblioteca, estão organizados/arrumados nas estantes, por assuntos, em modelo de livre acesso. Todas as estantes têm um número, uma cor e o assunto principal que ele representa. Cada assunto está indicado no cimo das estantes e nas próprias prateleiras. 2.9.1.- Monografias Nas prateleiras das estantes, os livros são arrumados da esquerda para a direita, de cima para baixo e em ziguezague. Dentro de cada assunto a arrumação faz-se por ordem alfabética dos três primeiras letras (maiúsculas) do apelido do autor e pela primeira letra do nome (minúscula), seguidas das três primeiras letras do título (maiúsculas).
  22. 22. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 22 2.9.2- Publicações periódicas As publicações periódicas são arrumadas numa estante própria, ficando sempre visível e pronto a ser manuseado o último número. No espaço para armazenar cada publicação, o primeiro número estará sempre no fundo, sendo os seguintes colocados em cima. 2.9.3- Material Não Livro O material não-livro, documentos multimédia e audiovisuais (DVD, CD, CD-ROM) é arrumado nas estantes, seguindo as normas do material livro. Porém, nas estantes de livre acesso são colocadas, apenas, as caixas relativas ao documento, devidamente cotadas. Os documentos são arquivados em local próprio, cujo acesso não é livre. 2.9.4- Material Acompanhante Em geral, o material acompanhante deverá manter-se junto do documento correspondente. Contudo, quando o material acompanhante tem um registo próprio (por exemplo, no caso de um livro acompanhado de um CD-Rom), este deverá ser arrumado no local correspondente, de acordo com o seu suporte. 2.10. Arquivo O arquivo dos documentos reger-se-á pelas regras descritas no ponto- Avaliação e desbaste da coleção: - As publicações periódicas são conservadas por um período de um ano, em depósito, findos os quais será feita uma recolha dos artigos relevantes para incluir nos dossiês temáticos. - Os semanários serão eliminados anualmente, seguindo o mesmo critério de recolha de artigos. Os jornais diários serão guardados durante duas semanas, seguindo-se o mesmo processo de recolha de artigos pertinentes a incluir nos dossiês temáticos, após o que
  23. 23. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 23 serão eliminados. 2.11. Empréstimo (procedimentos e documentos de registo) De todos os documentos emprestados é elaborado um registo. As normas são as seguintes: - O Empréstimo domiciliário de qualquer documento impresso é feito eletronicamente, usando para o efeito, o Software de gestão documental “Biibliobase”. - O empréstimo para apoio à sala de aula é registado, manualmente, num dossier preparado para o efeito. - O empréstimo de todos os documentos multimédia e audiovisual, para uso em sala de aula, é registado noutro dossier destinado a esse fim.
  24. 24. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 24 III- Difusão da Informação A difusão de informação não deve ser descorada nas atividades da biblioteca, é através deste serviço que se faz a divulgação, de modo dinâmico, de todo o acervo documental existente. A difusão da informação da BE decorrerá da seguinte forma: - Disponibilização, de um atalho que permite o acesso ao catálogo on-line; - Manutenção de um site próprio, na página da Biblioteca onde serão destacadas as diversas atividade/novidades desenvolvidas na nossa escola, assim como informações e orientações importantes para os alunos; - Manutenção de um expositor onde se poderão ver periodicamente livros relacionados com um determinado tema; - Divulgação das novidades e atividades através do Blogue/Sítio Web da BE; - Divulgação das novas aquisições através de exposição dos documentos em estante/ espaço destinado para o efeito; - Através de formação de utilizadores, para toda a comunidade escolar; - Guias de utilizador com a informação básica sobre o funcionamento e organização da BE disponibilizados na BE e o seu Blog /Sítio Web.; - Desenvolvimento de competências de literacia da informação, que terão por base a explicitação e aplicação dos guias de pesquisa elaborados para o efeito (com base no modelo de pesquisa da informação adotados pela escola (BIG6) e que deverão integrar informações e sessões de aplicação na BE relativas à pesquisa com recurso ao catálogo e à pesquisa e localização nas estantes.
  25. 25. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 25 IV- Outras Orientações 4.1. Dossiers de recortes e temáticos Os dossiês temáticos a disponibilizar aos utilizadores na biblioteca poderão conter: artigos que vão saindo na imprensa; fotocópias de parte de um documento considerado importante para uma dada temática; recompilação de materiais complementares (ex.: folhetos, desdobráveis...) e trabalhos dos alunos. O tratamento da informação que se vai recolhendo faz-se mediante a seleção de assuntos pertinentes para o currículo, para a cultura geral, ou para o interesse dos utilizadores. Adotar-se-ão os seguintes procedimentos: - Delimitar os assuntos a serem tratados e criar os respetivos dossiers temáticos; - Selecionar os artigos que vão surgindo em jornais e revistas (atenção à diversidade de opiniões); - Recortar, aproveitar as folhas do jornal ou revistas que vão ser abatidas ou fotocopiar, quando sejam para conservar; - Identificar a fonte, nome do jornal / revista / entidade / disciplina / projeto …, e a data da publicação; - Dentro de cada dossier, organizar os artigos cronologicamente, do mais antigo para o mais recente; - Organizar e manter atualizado um índice de que constará o número sequencial do documento, o título, o autor e a proveniência; - Publicitar a listagem dos dossiers existentes; - Arquivar os dossiers temáticos numa estante de livre acesso, disponibilizada para o efeito.
  26. 26. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 26 4.2. Maletas pedagógicas e/ou itinerantes As maletas pedagógicas são consideradas recursos de muita utilidade, sobretudo no apoio à atividade pedagógica, em contexto de sala de aula. Nelas se agrupam materiais, em suportes diversificados, sob uma determinada temática. A sua utilização tem as seguintes regras: - São preparadas segundo a solicitação dos utilizadores; - Nelas são colocados os materiais temporariamente (apenas durante o período de tempo em que é solicitada a sua utilização); - Existe, no interior de cada maleta, o inventário dos materiais que a compõem; - A requisição das maletas para apoio à sala de aula faz-se mediante o preenchimento de uma ficha preparada para o efeito; - A maleta deve regressar à BE/CRE, após cada utilização; - O professor requisitante é responsável pelos materiais que constam da maleta; - No caso particular das maletas que apoiam o Plano Nacional de Leitura (20 ou mais exemplares do mesmo título) e cujos documentos se destinam à leitura orientada na sala de aula, além da ficha de requisição, existe um calendário de utilização dos mesmos, onde é registada a sua utilização; - Periodicamente são preparadas maletas itinerantes que se destinam a apoiar as Escolas do primeiro ciclo do Agrupamento. A circulação destas maletas tem normas próprias.
  27. 27. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar 27 V- Anexos
  28. 28. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar I Anexo I Sugestão para a Aquisição de Documentos Anexo I
  29. 29. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar II Anexo II Sugestões de Utilizadores
  30. 30. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar III Anexo III Registo de Entradas Nº Data de entrada Autor Título Edição Nº Vol. Suporte1 Modo de Aquisição 2 CDU Obs.3 AAAA/MM/DD Local Editor Data O C P Transporte: C_____ O _____ P_____ A Transportar: _____ Transporte. ……….. Transporte: C_____ O _____ P_____ A Transportar: _____ Transporte. ……….. Papel, CD, CD-Rom, DVD 1 Compra, oferta, permuta( preço) 2 Aspetos relevantes da situação do documento: abatido, extraviado… 3
  31. 31. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar IV Anexo IV
  32. 32. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar IV
  33. 33. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar IV
  34. 34. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar IV
  35. 35. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar V ANEXO V MÓDULO DE CATALOGAÇÃO BIBLIOBASE A descrição bibliográfica de um documento no software Bibliobase far-se-á de acordo com os seguintes procedimentos: a) aceder ao módulo de catalogação e pesquisa, selecionando-o no ícone do Bibliobase; b) digitar a senha de acesso na “janela” que se abre e carregar em “OK”; c) selecionar a base de dados “Base Bibliográfica Geral” no interface que se abre; d) criar um registo novo, acedendo ao menu “Registos” e selecionando a função Novo registo”; e) Selecionar o tipo de documento que se vai descrever, escolhendo:  “Monografia-Texto Impresso (MTI)” - para livros, obras de referência e séries monográficas;    “Monografias – produtos de computador” - livros e obras de referência em suporte CD-ROM;    “Registos Sonoros – Musicais” - para documentos musicais em cassete ou “CD”;    “Registos Sonoros – Não musicais” - para documentários em cassete ou “CD”;    “Multimédia” – para CD-ROM e DVD Rom;  
  36. 36. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar V   “Material de Projeção e Vídeo” – para filmes e documentários em suporte DVD e VHS;    “Material Gráfico” – Fotografias, cartazes, etc…;    “Miscelâneas” - para todo o tipo de documentos que não se inclua nas categorias anteriores.   f) preencher os campos para descrição bibliográfica do documento de acordo com as indicações do Anexo 4; g) gravar e validar o registo .     Fazer Cópia de Segurança   A segurança da base de dados é um procedimento de extrema importância para a biblioteca escolar, pelo que deverão ser feitas sempre 2 cópias em diferentes suportes.   A cópia de segurança faz-se de acordo com os seguintes procedimentos:   a) aceder ao menu “Utilitários” e escolher a opção “Cópias de Segurança”.                    b) indicar sempre a localização para a cópia ou anotar a localização indicada por defeito.               
  37. 37. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI Anexo VI CAMPOS A PREENCHER NO MÓDULO DE CATALOGAÇÃO Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados a vermelho. Registo de Monografias Dados Gerais de 933 – Ano de Publicação Identificação 010 – ISBN ^a – Número (ISBN) 021 – Nº de Depósito Legal ^a – Código do país ^b – Número (Caso o documento não possua ISBN, o campo 021 deverá ser utilizado.) Informação Codificada 100 – Dados Gerais de Processamento ^a – Dados gerais de processamento (AAAA–MM–DD) 101 – Língua da publicação ^a – Língua do texto 102 – País de publicação ^a – País de publicação Informação Descritiva 200 – Título ^a – Título próprio ^d – Título paralelo (título na língua original) (obras bilingues) ^e – Informação de outro título (quando existe outro título/complemento) ^f – Primeira menção de responsabilidade (autores seguidos até 3) ^g – Outras menções de responsabilidade: tradutor, ilustrador, revisor 205 – Menção da edição (referir a partir da 2ª) ^a Menção da edição 210 – Publicação, Distribuição ^a – Lugar da edição ^c – Nome do editor ^d – Data publicação, da impressão (imp.) ou copyright (cop.)
  38. 38. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI 215 – Descrição Física ^a – descrição física, nº de páginas impressas ^c – Outras indicações físicas, ilustrado ^d – Dimensões da altura da lombada, por excesso: ^e – Material acompanhante, 225 – Coleção ^a – Título próprio da coleção ^v – Indicação do volume Notas 300 – Notas gerais ^a – Texto da nota 304 – Título ^a Texto da nota: ex. Tit. Orig.: título noutra língua Assuntos 606 – Nome comum ^a – Elemento de entrada ^x – Subdivisão de assunto ^y – Subdivisão Geográfica ^z – Subdivisão cronológica ^2 – Código do sistema, thesaurus 610 – Termos não controlados ^a – Elemento de entrada 675 – CDU ^a – Notação ^v – Edição ^z – Língua da edição Responsabilidade Intelectual 700 – Responsabilidade principal ^a – Palavra de ordem ^b – Outra parte do nome ^c – Elementos de identificação ou distinção: ex.: pseud. ^f – Datas 701 – Co-responsabilidade ^a – Palavra de ordem, vide campo 700 ^b – Outra parte do nome, vide campo 700 ^f – Datas, vide campo 700 ^4 – Código da função, seleccionar a partir da lista de opções 702 – Responsabilidade secundária (ilustrador, tradutor…) ^a – Palavra de ordem, vide campo 700 ^b – Outra parte do nome, vide campo700
  39. 39. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI ^f – Datas, vide campo 700 ^4 – Código da função, seleccionar a partir da lista de opções 710 – Colectividade (responsabilidade principal) ^a Palavra de ordem 711 – Co-responsabilidade ^a – Palavra de ordem, vide campo 700 ^4 – Código da função, seleccionar a partir da lista de opções 712 – Responsabilidade secundária ^a – Palavra de ordem, vide campo 700 ^4 – Código da função, seleccionar a partir da lista de opções Bloco internacional 856 – Localização e acesso electrónico ^u – Uniform Resource Location (URL) ^z – Nota para informação ao público 859 – Imagem da capa ^u – Uniform Resource Location (URL) ^z – Nota informativa Existências 966 – Cota ^a – Nº de registo ^l – Sigla da Instituição ^s – Cota ^6 – Empréstimo Domiciliário, selecionar a partir da lista de opções N.B. Se uma obra tem vários volumes, abre-se o subcampo “^v” e indica-se o nº do volume em letra romana.
  40. 40. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI Registo de Vídeo Dados Gerais de Processamento 933 – Ano de Publicação Identificação 021 – Nº de Depósito Legal ^a – Código do país ^b – Número 071 – Nº do editor ^a – Número do editor Informação Codificada 100 – Dados Gerais de Processamento ^a – Dados gerais de processamento (AAAA–MM–DD) 101 – Língua da publicação ^a – Língua do texto, banda sonoro, etc. 102 – País de publicação ^a – País de publicação 115 – ^a – Dados codificados – Geral ^b – Dados codificados do filme animado Informação Descritiva 200 – Título ^a – Título próprio (c/ maiúscula a primeira letra e os substantivos próprios) ^b – Indicação geral da natureza do documento registo vídeo ^e – Informação de outro título (quando existe outro título/complemento) ^f – Primeira menção de responsabilidade (autores seguidos até 3) realizado por ^g – Outras menções de responsabilidade: 210 – Publicação, Distribuição ^a – Lugar da edição, distribuição ^c – Nome do editor, distribuidor ^d – Data publicação, distribuição 215 – Descrição Física ^a – descrição física ^e – Material acompanhante 225 – Coleção ^a – Título próprio da coleção ^v – Indicação do volume
  41. 41. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI Notas 304 – Título ^a Texto da nota: ex. Tit. Orig.: título noutra língua 333 – Potenciais utilizadores ^a – Texto da nota Assuntos 606 – Nome comum ^a – Elemento de entrada ^x – Subdivisão de assunto ^2 – Código do sistema, thesaurus 610 – Termos não controlados ^a – Elemento de entrada 686 – Outras classificações ^a – Notação Responsabilidade Intelectual 700 – Responsabilidade principal ^a – Palavra de ordem ^b – Outra parte do nome 701 – Coresponsabilidade ^a – Palavra de ordem, vide campo 700 ^b – Outra parte do nome, vide campo 700 ^f – Datas, vide campo 700 ^4 – Código da função, selecionar a partir da lista de opções 702 – Responsabilidade secundária (repetir o campo se necessário) ^a – Palavra de ordem, ^b – Outra parte do nome, ^f – Datas, vide campo 700 ^4 – Código da função, selecionar a partir da lista de opções Bloco internacional 856 – Localização e acesso eletrónico ^u – Uniform Resource Location (URL) ^z – Nota para informação ao público 859 – Imagem da capa ^u – Uniform Resource Location (URL) ^z – Nota informativa
  42. 42. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI Existências 966 – Cota ^a – Nº de registo ^l – Sigla da Instituição ^s – Cota ^6 – Empréstimo Domiciliário, selecionar a partir da lista de opções Nota: caso o documento possua informação, o campo 021 deverá ser utilizado.
  43. 43. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI Registos Sonoros Musicais Dados Gerais de Processamento 933 – Ano de Publicação 1 Identificação 021 – Nº de Depósito Legal ^a – Código do país ^b – Número Informação Descritiva 200 – Título ^a – Título próprio (c/ maiúscula a primeira letra e os substantivos próprios) ^b – Indicação geral da natureza do documento ^e – Informação de outro título ^f – Primeira menção de responsabilidade ^g – Outras menções de responsabilidade 210 – Publicação, Distribuição ^a – Lugar da edição ^c – Nome do editor ^d – Data publicação, distribuição 215 – Descrição Física ^a – Descrição física ^c – Outras indicações físicas digital áudio ^d – Dimensões ^e – Material acompanhante, Notas 327 – Nota de conteúdo ^a – Texto da nota Contém: Assuntos 606 – Nome comum ^a – Elemento de entrada 610 – Termos não controlados ^a – Elemento de entrada 686 – Outras classificações ^a – Notação
  44. 44. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI Responsabilidade Intelectual 700 – Responsabilidade principal ^a – Palavra de ordem ^b – Outra parte do nome 701 – Vide ficha monografia 702 – Vide ficha monografia Bloco internacional 856 – Localização e acesso eletrónico ^u – Uniform Resource Location (URL) ^z – Nota para informação ao público 859 – Imagem da capa ^u – Uniform Resource Location (URL) ^z – Nota informativa Existências 966 – Cota ^a – Nº de registo ^c – Nº de Exemplares ^l – Sigla da Instituição ^s – Cota ^6 – Empréstimo Domiciliário, selecionar a partir da lista opções Nota: Caso o documento possua informação, o campo 021 deverá ser utilizado.
  45. 45. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI Registos de Multimédia Dados Gerais de Processamento 933 – Ano de Publicação 1 Identificação 010 – ISBN ^a – Número (ISBN) 021 – Nº de Depósito Legal ^a – Código do país ^b – Número Informação Codificada 100 – Dados Gerais de Processamento ^a – Dados gerais de processamento (AAAA–MM–DD) 101 – Língua da publicação ^a – Língua do texto 102 – País de publicação ^a – País de publicação Informação Descritiva 200 – Título ^a – Título próprio (c/ maiúscula a primeira letra e os substantivos próprios) ^b – Indicação geral da natureza do documento ^e – Informação de outro título (quando existe outro título/complemento) ^f – Primeira menção de responsabilidade (autores seguidos até 3) ^g – Outras menções de responsabilidade: tradutor, ilustrador, revisor 205 – Menção da edição ^a Menção da edição (referir a partir da 2ª) 210 – Publicação, Distribuição ^a – Lugar da edição ^c – Nome do editor ^d – Data publicação, da impressão (imp.) ou copyright (cop.) 215 – Descrição Física ^a – descrição física ^c – Outras indicações físicas, ^d – Dimensões 230 – Ficheiros de computador ^a – Designação e extensão do ficheiro
  46. 46. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI Notas 300 – Notas gerais ^a – Texto da nota 337 – Pormenores técnicos ^a Texto da nota: Assuntos 606 – Nome comum ^a – Elemento de entrada ^x – Subdivisão de assunto ^2 – Código do sistema, thesaurus 610 – Termos não controlados ^a – Elemento de entrada 675 – CDU ^a – Notação ^v – Edição ^z – Língua da edição Responsabilidade Intelectual 700 – Responsabilidade principal ^a – Palavra de ordem ^b – Outra parte do nome ^c – Elementos de identificação ou distinção: ^f – Datas 701 – Coresponsabilidade ^a – Palavra de ordem, vide campo 700 ^b – Outra parte do nome, vide campo 700 ^f – Datas, vide campo 700^4 – Código da função, seleccionar a partir da lista de opções ^4 – Código da função, selecionar a partir da lista de opções 702 – Responsabilidade secundária (ilustrador, tradutor…) ^a – Palavra de ordem, vide campo 700 ^b – Outra parte do nome, vide campo 700 ^f – Datas, vide campo 700 ^4 – Código da função, selecionar a partir da lista de opções 712 – Responsabilidade secundária ^a – Palavra de ordem ^4 – Código da função, selecionar a partir da lista de opções
  47. 47. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VI Bloco internacional 856 – Localização e acesso eletrónico ^u – Uniform Resource Location (URL) ^z – Nota para informação ao público 859 – Imagem da capa ^u – Uniform Resource Location (URL) ^z – Nota informativa Existências 966 – Cota ^a – Nº de registo ^l – Sigla da Instituição ^s – Cota ^6 – Empréstimo Domiciliário, selecionar a partir da lista de opções Nota: Caso o documento possua informação, os campos 010, 021 e 700 deverão ser utilizados.
  48. 48. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII Anexo VII CLASSIFICAÇÃO DECIMAL UNIVERSAL (simplificada) 1º Ciclo Ensino Básico CDU Denominação Utilizar para 0. Generalidades 004 Ciências e tecnologia informáticas. Computação TIC 030 Obras Gerais de referência: Enciclopédias, dicionários, etc. 087.5 Publicações para crianças e jovens. 1. Filosofia/Psicologia 1 Filosofia 159.9 Psicologia 2. Religião 2 Religião 3. Ciências Sociais 3 Ciências sociais 32 Política 33 Economia. Ciência económica Profissões 37 Educação 39 Etnologia. Etnografia. Usos e costumes. Tradições. Modo de vida. Lendas Folclore /contos 4. (Vaga) 5. Matemática/Ciências Naturais 50 Ambiente, poluição 502 O meio ambiente e a sua proteção Energias renováveis
  49. 49. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII 51 Matemática Geometria 52 Astronomia. Astrofísica. Investigação Espacial. Geodesia 53 Física 54 Química 55 Ciências da Terra. Ciências geológicas 58 Botânica 59 Zoologia 6. Ciências aplicadas. Medicina. Tecnologia 61 Ciências médicas 62 Engenharia. Tecnologia em geral 63 Agricultura. Ciências agrárias e técnicas relacionadas. Silvicultura. Explorações agrícolas. Exploração da vida selvagem 64 Economia doméstica. Ciências domésticas Culinária 7. Arte/Desporto/Passatempos 70 Arte (generalidades) 74 Desenho. Design. Artes e ofícios aplicados 75 Pintura 78 Música 79 Divertimentos. Espetáculos. Jogos. Desportos. 791 Cinema. Filmes 8. Língua/Literatura 80 Questões gerais relativas à linguística e à literatura. Filologia. 81 Linguística. Línguas 811.111(038)=134.3 Dicionário de Inglês-Português 811.133.1 (038) Dicionário de Francês 811.134.2 (038) Dicionário de Espanhol 811.134.3(038) Dicionário de Português
  50. 50. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII 811.134.3 ‘36 Gramática da língua portuguesa 811.134.3 ‘35 Prontuário da língua portuguesa Utilizar para a literatura estrangeira traduzida para a língua portuguesa. Para a literatura estrangeira não traduzida utilizar as notações 821.1/.8 82-1 Poesia 82-2 Drama / Peças de teatro 82-34 Conto 82-9 Outros géneros literários (banda desenhada) 82-93 Literatura infantil e juvenil 9. Geografia/ Biografia/ História. 90 Monografias (na CDU em linha aparece com a denominação: Estudos regionais. Estudo de uma localidade) 91 Geografia. Exploração da terra e de países. Viagens. Geografia regional 929 Biografias 94 História em geral 94(469) História de Portugal Auxiliares de forma (1) Bibliografias (31) Enciclopédias (38) Dicionários. Dicionários de língua. Dicionários técnicos (5) Publicações em série. Periódicos (75) Manuais escolares (apenas casos especiais, pois os manuais escolares não deverão ser inventariados e catalogados) (08) Coleções e poligrafias. Formulários. Listas. Ilustrações. Publicações Comerciais.
  51. 51. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII CLASSIFICAÇÃO DECIMAL UNIVERSAL - 2º, 3º Ciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário - CDU Denominação Utilizar para 0. Generalidades 001 Ciência e conhecimento em geral 004 Ciências e tecnologia informáticas. Computação TIC 01 Ciência e técnica bibliográfica. Bibliografias. Catálogos. 02 Biblioteconomia. Bibliotecas. 030 Obras Gerais de referência: Enciclopédias, dicionários, etc. 050 Publicações periódicas. 070 Jornalismo 087.5 Publicações para crianças e jovens. 1. Filosofia/Psicologia 1 A/ Z Filósofos 1(031) Enciclopédia de filosofia 1(038) Dicionário de filosofia 1(091) História da filosofia 1 Filosofia 159.9 Psicologia 2. Religião 2 Religião 21 Religiões pré-históricas e primitivas 25 Religiões da antiguidade 27 Cristianismo. Igrejas e denominações cristãs
  52. 52. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII 3. Ciências Sociais 3(031) Enciclopédia das ciências sociais 3(038) Dicionário de ciências sociais 3(091) História das ciências sociais 31 Estatística. Demografia. Sociologia 32 Política 33 Economia. Ciência económica Profissões 338 Situação económica. Política económica. Gestão da economia. Turismo Planeamento económico. Produção. Serviços. Preços 34 Direito. Jurisprudência 35 Administração pública. Assuntos militares Proteção das necessidades materiais e mentais da vida. Serviço 36 social. Ajuda social. Segurança social. Habitação. Consumo. Segu- ros 37 Educação 39 Etnologia. Etnografia. Usos e costumes. Tradições. Modo de vida. Folclore 4. (Vaga) 5. Matemática/Ciências Naturais 5(031) Enciclopédia de ciências exatas 5(038) Dicionário de ciências exatas 5(091) História das ciências exatas 502 O meio ambiente e a sua proteção Energias renováveis 51 Matemática Geometria 52 Astronomia. Astrofísica. Investigação Espacial. Geodesia 53 Física 541 Química 55 Ciências da Terra. Ciências geológicas
  53. 53. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII 57 Ciências biológicas no geral 572 Antropologia 58 Botânica 59 Zoologia 6. Ciências aplicadas/Medicina/Tecnologia 6(031) Enciclopédia das ciências aplicadas 6(038) Dicionário das ciências aplicadas 61 Ciências médicas 611 Anatomia 612 Fisiologia Ed. Sexual Drogas 613 Higiene em geral. Saúde e higiene pessoal Tabaco Álcool Alimentação 62 Engenharia. Tecnologia em geral 621 Engenharia mecânica em geral 621.3 Engenharia elétrica Eletricidade 63 Agricultura. Ciências agrárias e técnicas relacionadas. Silvicultura. Explorações agrícolas. Exploração da vida selvagem 64 Economia doméstica. Ciências domésticas Culinária 65 Gestão e organização da indústria, do comércio e da comunicação. 654 Telecomunicação e telecontrolo (organização, serviços) 656 Serviços postais e de transporte. Organização e controlo de tráfego. 657 Contabilidade 658 Gestão, administração empresarial. Organização comercial 659 Publicidade. Trabalho informativo. Relações públicas Indústria da construção. Materiais para construção. Procedimen- 69 tos e práticas de construção.
  54. 54. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII 7. Arte/Desporto/Passatempos 7(031) Enciclopédia de arte 7(038) Dicionário de arte 7(091) História da arte 7 A/Z Artistas e sua obra 7.3 Períodos e fases artísticas. Escolas, estilos, influências 70 Arte (generalidades) 71 Planeamento territorial, físico. Planeamento regional, urbano e rural. Paisagens, parques, jardins 72 Arquitetura 730 Escultura 74 Desenho. Design. Artes e ofícios aplicados 75 Pintura 76 Artes gráficas. Gravura 77 Fotografia e processos similares 78 Música 79 Divertimentos. Espetáculos. Jogos. Desportos. 791 Cinema. Filmes 792 Teatro. Representação teatral 796 Desporto. Jogos. Exercícios físicos 8. Língua/Linguística/Literatura 80 Questões gerais relativas à linguística e à literatura. Filologia. 81 Linguística. Línguas 811.111 Língua inglesa 811.111(038) Dicionário de Inglês 811.111(038)=134.3 Dicionário de Inglês-Português
  55. 55. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII 811.111(038)=134.3 Dicionário de Inglês-Português, Português-Inglês 811.134.3(038)=111 [indicar duas notações] 811.111’36 Gramática da língua inglesa 811.112.2 Língua alemã 811.112.2(038) Dicionário de Alemão 811.112.2 (038)=134.3 Dicionário de Alemão-Português 811.112.2 (038)=134.3 Dicionário de Alemão-Português, Português-Alemão 811.134.3(038)=112.2 [indicar duas notações] 811.112.2’36 Gramática da língua alemã 811.124 Latim 811.124(038) Dicionário de Latim 811.124 (038)=134.3 Dicionário de Latim -Português 811.124 (038)=134.3 Dicionário de Latim-Português, Português-Latim 811.134.3 (038)= 124 [indicar duas notações] 811.124’36 Gramática de Latim 811.133.1 Língua francesa 811.133.1 (038) Dicionário de Francês 811.133.1 (038)=134.3 Dicionário de Francês-Português, Português-Francês 811.134.3(038)=133 [indicar duas notações] 811.133.1’36 Gramática da língua francesa 811.134.2 Língua espanhola 811.134.2 (038) Dicionário de Espanhol 811.134.2 (038)=134.3 Dicionário de Espanhol -Português 811.134.2 (038)=134.3 Dicionário de Espanhol -Português, Português-Espanhol 811.134.3(038)=134.2 [indicar duas notações] 811.134.2’36 Gramática da língua espanhola 811.134.2(038) Dicionário de Espanhol 811.134.2 (038)=134.3 Dicionário de Espanhol-Português 811.134.2 (038)=134.3 Dicionário de espanhol-Português, Português-espanhol 811.134.3(038)=134.2 [indicar duas notações] 811.134.2 ‘36 Gramática da língua espanhola
  56. 56. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII 811.134.3 Língua portuguesa 811.134.3(038) Dicionário de Português 811.134.3 ‘36 Gramática da língua portuguesa 811.134.3 ‘35 Prontuário da língua portuguesa 82 Literatura [Indicar aspetos filológicos da literatura dando outra nota- ção em 801 e aspetos linguísticos com outra notação em 81] Utilizar para literatura estrangeira e literatura portuguesa 82(031) Enciclopédia de literatura 82(038) Dicionário de literatura 82(091) História da literatura Utilizar para a literatura estrangeira traduzida para a língua portuguesa. Para a literatura estrangeira não traduzida utilizar as notações 821.1/.8 82-1 Poesia 82-2 Drama / Peças de teatro 82-3 Ficção. Prosa narrativa 82-34 Conto 82-9 Outros géneros literários (banda desenhada) 82-93 Literatura infantil e juvenil Utilizar apenas para a literatura estrangeira não traduzida para a língua portuguesa. Para a literatura estrangeira traduzida utilizar o 82 e respetivas indicações de género. Para literatura de países não especificados aqui consultar a CDU. Nota: especificar o género de acordo com as classes aqui apresentadas em 82 – 1/9 821.111 Literatura inglesa 821.111(73) Literatura americana 821.112.2 Literatura alemã 821.131.1 Literatura italiana 821.133.1 Literatura francesa 821.134.2 Literatura espanhola 821.134.3(81) Literatura brasileira Literatura portuguesa Utilizar as mesmas indicações de género e assunto utilizadas para a literatura estrangeira traduzida para língua portuguesa
  57. 57. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII 821.134.3 Literatura portuguesa Utilizar para literatura estrangeira e literatura portuguesa 82.0 Teoria, estudo e técnica da literatura 82.02 Escolas, tendências e movimentos literários Nota: especificar por extensão alfabética. ( Ex: 82.02 Romantismo.) 82.09 Crítica Literária. Estudos literários 9. Geografia/Biografia/História. 902 Arqueologia 908 Monografias (na CDU em linha aparece com a denominação: Estudos regionais. Estudo de uma localidade) 91 Geografia. Exploração da terra e de países. Viagens. Geografia regional Representações não literárias, não textuais de uma região. Gráfi- 912 cos. Diagramas. Perfis. Cartogramas. Mapas. Atlas. Globos (como expressões do conhecimento geográfico) 913(4) Geografia da Europa 913(469) Geografia de Portugal 929 Biografias 93 História 94 História em geral 94(4) História da Europa 94(469) História de Portugal Auxiliares de forma (01) Bibliografias (031) Enciclopédias (038) Dicionários. Dicionários de língua. Dicionários técnicos (05) Publicações em série. Periódicos (075) Manuais escolares (apenas casos especiais, pois os manuais escolares não deverão ser inventariados e catalogados) (08) Coleções e poligrafias. Formulários. Listas. Ilustrações. Publica- ções comerciais.
  58. 58. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VII
  59. 59. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar VIII Anexo VIII Tabela de Classificação de Documentos de Vídeo (adaptada da FIAF - Federação Internacional de Arquivo de Filmes) Filmes por Géneros 732 Comédias 733 Dramas. Melodramas 734 Policial. Thriller. Suspense. Espionagem 735.1 Ficção científica 735.2 Terror. Monstros 735.3 Fantástico 732 Comédias 733 Dramas. Melodramas 734 Policial. Thriller. Suspense. Espionagem 735.1 Ficção científica 735.2 Terror. Monstros 735.3 Fantástico 732 Comédias 733 Dramas. Melodramas 734 Policial. Thriller. Suspense. Espionagem 740 Épico 741 Histórico 742 Biográfico 767 Documentários (767: (classe da CDU relativa ao tema) 772.1 Desenhos animados 772.6 Animação por computador
  60. 60. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar IX Anexo XIX Tabela de Classificação de Música (com base na tabela BDVP- bibliotecas e discotecas da cidade de Paris) 090 Música portuguesa Músicas tradicionais nacionais: 090.0 - Fados - Folclore 090.1 Jazz Blues 090.2 Rock 090.4 Contemporânea 080 Música celta 010 Música africana 049 Música brasileira 071 Música francesa 074 Música espanhola 075 Música italiana 080 Música Gregoriana 100 Música jazz/Música blues 180 Música soul 200 Música rock 300 Música clássica 319 Orquestras 335 Óperas 700 Música infantil (086.7) Coletâneas
  61. 61. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar X Anexo X Assunto: Pedido de Oferta de Material Exmos. Srs Na qualidade de Professora Bibliotecária no Agrupamento de Escolas X, e tendo necessidade de renovar, melhorar a qualidade do acervo das mesmas, venho por este meio solicitar a vossa colaboração no sentido contribuírem com oferta de material, que dado a qualidade com que nos habituaram, enriquecerá por certo o nosso acervo. Grata pela vossa atenção Os meus sinceros cumprimentos __________________________________ (A professora Bibliotecária) Paredes,_____ de________ 20____
  62. 62. Manual de Procedimentos Biblioteca Escolar XI Anexo XI Assunto: Agradecimento por material oferecido Exmos. Srs. Na qualidade de Professora Bibliotecária no Agrupamento de Escolas X, venho por este meio agradecer a vossa preciosa oferta que em muito contribuiu, para o enriquecimento do nosso acervo e consequente satisfação dos nossos utilizadores. Os meus sinceros cumprimentos __________________________________ (A professora Bibliotecária) Paredes,_____ de________ 20____

×