07 articulando o objeto de aprendizagem atualizado

382 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
382
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

07 articulando o objeto de aprendizagem atualizado

  1. 1. Nome completo do aluno: Sônia Maris Rittmann Referências da obra principal de sua prancha: Cândido Portinari, Retirantes, 190cm X 180cm, 1944, painel a óleo/tela Nome completo do colega 1: Maristela Lain Cesar Referências da obra principal da prancha do colega 1: Michelangelo Buanarotti, Pietá, 1448, escultura em mármore Nome completo do colega 2:Neusa Loreni Vinhas Referências da obra principal da prancha do colega 2: Claudia Andújar, Série Marcados, 1981-1983, fotografia (políptico)Partindo do pressuposto que toda aprendizagem deva tentar estabelecer um processo deinferências entre os conhecimentos que se possui e os novos conhecimentos a seremconstruídos, cada uma das obras escolhidas para esse objeto de aprendizagem, comsuas especificidades - pintura modernista, escultura renascentista, fotografiacontemporânea - possibilita a abordagem dos conhecimentos da arte a partir de pelomenos um fio condutor: a representação da figura humana através do tempo. Para tanto,é necessário apresentar as obras de arte contextualizadas, como produto cultural ehistórico, situadas em tempos e locais diferentes, com formas e conteúdos distintos,possibilitará uma maior compreensão das diferentes linguagens e códigos utilizados pelosartistas.Michelangelo Buonoratti, com a Pietá, escultura renascentista, nos possibilita aabordagem histórica e artística de um dos períodos mais importantes para a História daArte: o Renascimento, ponto de grandes transformações no mundo e na arte. Explorar alinguagem tridimensional e seus elementos constitutivos (forma, volume, superfície,material, equilíbrio, escala, dimensão), tantas vezes deixados de lado nas escolas, porfalta de espaço, material ou até mesmo interesse, poderá despertar o interesse dosalunos.
  2. 2. Em Retirantes, de Cândido Portinari, podemos investigar os elementos constitutivos daarte modernista, partindo do estudo da pintura, observar os traços expressionistas, asfiguras esquematizadas, as linhas vigorosas e o uso de uma paleta de cores escurecidas;a dramaticidade da representação de um universo singular: vida-morte, memória-criação,sagrado-profano, arte-história.Em Marcados, de Claudia Andújar, podemos pensar sobre a fotografia na artecontemporânea como uma linguagem artística e não como meio de reprodução do real;no quanto essas imagens podem nos perturbar, provocar ou incitar, no enquadramentoutilizado, na forma escolhida pela artista para compor suas imagens, na escolha do pretoe branco, na questão temática, para além do óbvio, a partir de uma população específica.Além disso, também podemos desenvolver uma pesquisa sobre a história da fotografia,do registro histórico e documental, da fotografia experimental, chegando até as pesquisasmais recentes da fotografia contemporânea.Através dessa seleção de imagens, propomos aos estudantes do 1º ano do Ensino Médio,de uma escola pública na região metropolitana de Porto Alegre, um trabalho depercepção, sensibilização, cognição e reflexão a partir das obras e dos diferentescontextos históricos, culturais e artísticos (século XV, início e final do século XX), tendocomo fio condutor a representação da figura humana, que leve em conta as diferentesperíodos da História da arte - Arte Renascentista, Moderna e Contemporânea; ArteBrasileira e Arte Universal – as diferentes linguagens, técnicas, materiais e contextos deprodução das mesmas. A articulação com outras disciplinas pode se dar através daHistória (linha do tempo; influência da Igreja e do Estado na arte, Política e Arte, osMecenas das Artes), Sociologia (Movimentos Sociais, Urbanização, Migrações, PovosIndígenas, Imigrantes), Literatura (Movimentos literários correspondentes aos períodos),
  3. 3. Ensino Religioso (a mudança de paradigmas da antiguidade para o Renascimento, o novopapel do Homem), Geografia (política, social, espacial; as migrações dos povos, osgrandes centros urbanos), Língua Portuguesa (influências do tupi-guarani e do italiano nalíngua portuguesa) e Língua Estrangeira (o Latim na constituição de diversas línguas),Biologia (teorias genéticas e ambientais), Química (processo de produção de tintas eemulsões fotográficas), Educação Física (o corpo, o movimento). Cabe destacar que,além do trabalho nestas disciplinas, a disciplina de Artes Visuais, seria a catalizadora detodo o projeto interdisciplinar, e ficaria responsável pela concepção, fomento,desenvolvimento e execução de todas as atividades.Como atividades extramuros podem-se incluir visitações a algumas instituições artísticase culturais, como, por exemplo, o Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli(MARGS), Museu de Arte Contemporânea (MAC), na Casa de Cultura Mario Quintana, aFundação Iberê Camargo, a Fundação Vera Chaves Barcellos - que apresentam diversasexposições, da Arte Acadêmica à Contemporânea, que poderão enriquecer o repertóriovisual de nossos alunos com a apreciação in loco de obras de diversos períodos, estilos eorientações estéticas.Referências:BENTO, Antônio. Portinari. Rio de Janeiro: Léo Christiano Editorial Ltda, 2003.DONDIS, Donis A. Sintaxe da Linguagem Visual. São Paulo: Martins Fontes, 1997.HERNANDEZ, Fernando. Cultura Visual, mudança educativa e projetos de trabalho/Fernando Hernández; tradução Jussara Haubert Rodrigues. - Porto Alegre: Artmed, 2000.Enciclopédia Itaú Cultural. Disponível emhttp://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm acesso em19/05/2012.

×