POTENCIAR BOAS PRÁTICAS EM         M-LEARNING: UM DESAFIO AOS            PROFESSORES E ALUNOS                             ...
Ponto de partida• A constante evolução da sociedade e a ubiquidade da  aprendizagem exigem que todos os educadores se  com...
Evolução das tecnologias                                                                     A frequentar ooensino        ...
Tendências Emergentes
Desafios: One Year Or Less      • Trazer a tecnologia [dispositivos móveis]        para a sala de aula e imprimir no seu u...
Mobile Learning?  “Mobile learning should be restricted to learning on deviceswhich a lady can carry in her handbag or a g...
Tendência   Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
mobilidade corporativa
Que tecnologias na sala de aula?Dispositivos móveis!
Na EscolaO Digital e o CurrículoO currículo deve ser “o conjunto de aprendizagens que, porse considerarem socialmente nece...
O Digital e o Currículo Hoje          “A dificuldade reside apenas na criatividade para            conceber materiais educ...
Ubiquidade na aprendizagem,   que atividades           propor                                       ?    Universidade Cató...
Dispositivos móveis paraaprender na escola portuguesa?                                  Estatuto do aluno, 2012           ...
Proposta:  CONHECER O LUGAR ONDE VIVO        Disciplinas [Ex.]: História | Geografia | Português • Visita de estudo     Un...
Material necessário:       Criando materiais          interativos…    Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | s...
Trabalho do professor:• Fazer o levantamento dos recursos móveis dos seus  alunos (é bom saber com o que podemos contar!);...
Trabalho do professor:• Fornecer um conjunto de instruções aos alunos  para que em cada P.I. realizem um desafio (ex.  reg...
Processo de criação:                           P        C                                                                 ...
Trabalho do aluno:   Divertir-se!                                              Aprender!     Universidade Católica Portugu...
Trabalho do aluno:• Após a realização da visita de estudo e produção, in  loco, de diferentes materiais organiza-se em sal...
Competências [História]:- Sensibilizar para o conhecimento e valorização da  sua história local;- Valorizar o património n...
Competências [História]:- Utilizar dispositivos tecnológicos como meio para a  produção e partilha de saber;- Trabalhar de...
Metas curricularesAtingidas [História]:• Meta Final 3) O aluno reconhece a complexidade das ideias de  mudança e continuid...
Em síntese• Estes ambientes emergentes exigem:  – aos professores, criatividade na produção de diferentes    recursos educ...
Conclusão• Atende-se, assim, às novas formas de aprender  que a Web 2.0 possibilita, em especial a Web 2.0  móvel, que vin...
Novas formas de aprender…                 … e novas formas de brincar!     Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Brag...
Obrigada!                                    tários?                                                      Comen es?       ...
Bibliografia•   Carvalho, A.A.A.(2009). Aprender e Ensinar na Era Digital: o Papel da Biblioteca Escolar.    http://celest...
Bibliografia•   O’Reilly, T. (2005). Web 2.0: Compact Definition? In O’Reilly Radar. Disponível em    http://radar.oreilly...
Fontes Iconográficas   http://www2.hull.ac.uk/images/iphone_app_development.jpg;   http://cdn.techpp.com/wp-content/uplo...
COIED, 2012                                                   Sónia CruzUniversidade Católica Portuguesa | Faculdade de Ci...
Potenciar boas práticas em m learning
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Potenciar boas práticas em m learning

3.186 visualizações

Publicada em

Apresentação COIED, 2012

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.186
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.519
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Anseiam receber informação de diferentes fontes; Preferem aprender através da imagem/som do que pelo texto; Gostam de aceder à informação de forma aleatória e não de forma linear; Gostam de fazer atividades em simultâneo: estudar e ouvir música; pesquisar na Web e falar pelo chat… Gostam de aprender pelo jogo […]! , aproveitando a inteligência coletiva (O’Reilly, 2005: s.p.). A maioria dos alunos move-se pelas redes sociais e é esta Web social “um meio de utilização da rede global de forma colaborativa onde o conhecimento é compartilhado de forma colectiva e descentralizada de autoridade, com liberdade para utilizar e reeditar (Coutinho & Junior, 2007: 200).
  • Uma vez que a Web 2.0 oferece ferramentas que possibilitam aos utilizadores ter um desktop online, podemos apontar para o fim da dependência de dispositivos físicos para armazenar dados.
  • As empresas que facilitam aos funcionários usarem os seus smartphones e tablets pessoais para trabalhar – actualmente são cerca de um terço nas empresas de TI, de acordo com a Gartner – permitem que os trabalhadores façam logon a qualquer hora, de qualquer lugar, não apenas no escritório. Esta possibilidade aumenta a produtividade e a satisfação dos funcionários, bem como a comunicação e colaboração.
  • A mobilidade corporativa está em alta, impulsionada em grande parte pela tendência BYOD (Bring Your Own Device).  As empresas que facilitam aos funcionários usarem os seus smartphones e tablets pessoais para trabalhar – actualmente são cerca de um terço nas empresas de TI, de acordo com a Gartner – permitem que os trabalhadores façam logon a qualquer hora, de qualquer lugar, não apenas no escritório. Esta possibilidade aumenta a produtividade e a satisfação dos funcionários, bem como a comunicação e colaboração. Mas o BYOD traz também algumas preocupações. A linha ténue entre o uso pessoal e profissional suscita questões de segurança, conformidade e questões de propriedade. E os líderes de TI devem-se questionar se a tendência BYOD é realmente para tornar os trabalhadores mais produtivos, ou é simplesmente uma cedência à exigência dos funcionários? Estas e outras questões são abordadas neste eBook, compilado de artigos do Computerworld, InfoWorld, CIO e Network World.  Leia mais para descobrir as últimas tendências e conselhos sobre a tendência BYOD.
  • criamos uma atividade que estimula à colaboração entre os pares, que recorre à Web 2.0 e aos dispositivos móveis e que, no nosso entender, conduz os alunos a aprendizagens efetivas e significativas.
  • Fazer uma visita prévia aos P.I. selecionados (fazer os ajustes necessários) ;
  • A informação criada para cada PI deve ser interessante e estimulante do ponto de vista cognitivo, desafiando os alunos para uma tarefa;
  • Potenciar boas práticas em m learning

    1. 1. POTENCIAR BOAS PRÁTICAS EM M-LEARNING: UM DESAFIO AOS PROFESSORES E ALUNOS Sónia CruzUniversidade Católica Portuguesa | Faculdade de Ciências Sociais - Braga 9.outubro.2012 soniacruz@braga.ucp.pt
    2. 2. Ponto de partida• A constante evolução da sociedade e a ubiquidade da aprendizagem exigem que todos os educadores se comprometam com esta realidade e que a assumam para a sua prática educativa (Alexander, 2006).• Os alunos com que trabalhamos fazem parte da ‘net generation’ e são autênticos nativos digitais (Prensky, 2001). Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    3. 3. Evolução das tecnologias A frequentar ooensino A frequentar ensino superior… superior… A frequentar aa A frequentar escolaridade escolaridade obrigatória… obrigatória… Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    4. 4. Tendências Emergentes
    5. 5. Desafios: One Year Or Less • Trazer a tecnologia [dispositivos móveis] para a sala de aula e imprimir no seu uso princípios pedagógicos bem definidos é o desafio e o caminho para aproximar os professores dos alunos (e não se trata, vejamos, de aproximar a tecnologia aos alunos ou tampouco as aulas às tecnologias!). Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    6. 6. Mobile Learning? “Mobile learning should be restricted to learning on deviceswhich a lady can carry in her handbag or a gentleman can carry in his pocket. pocket I therefore define mobile learning as the provision of education and training on PDAs/handhelds, smartphones and mobile phones”. Keegan (2005, p. 3) Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    7. 7. Tendência Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    8. 8. mobilidade corporativa
    9. 9. Que tecnologias na sala de aula?Dispositivos móveis!
    10. 10. Na EscolaO Digital e o CurrículoO currículo deve ser “o conjunto de aprendizagens que, porse considerarem socialmente necessárias num dado tempoe contexto, cabe à escola garantir e organizar” (Roldão, organizar1999: 24). “Over the last twenty years, technology has reorganized how we live, how we communicate, and how we learn. Learning needs and theories that describe learning principles and processes, should be reflective of underlying social environments” (Siemens, 2005, s.p.). Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    11. 11. O Digital e o Currículo Hoje “A dificuldade reside apenas na criatividade para conceber materiais educativos, porque a sua educativos implementação nas ferramentas da Web 2.0 faz-se de uma forma muito intuitiva” (Carvalho, 2009: 3) dentro e fora do espaço da sala de aula. Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    12. 12. Ubiquidade na aprendizagem, que atividades propor ? Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    13. 13. Dispositivos móveis paraaprender na escola portuguesa? Estatuto do aluno, 2012 Lei n.º 51/2012 de 5 de setembro Secção II – Deveres do alunos, Artigo 10º, alínea r) Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    14. 14. Proposta: CONHECER O LUGAR ONDE VIVO Disciplinas [Ex.]: História | Geografia | Português • Visita de estudo Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    15. 15. Material necessário: Criando materiais interativos… Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    16. 16. Trabalho do professor:• Fazer o levantamento dos recursos móveis dos seus alunos (é bom saber com o que podemos contar!);• Pensar num itinerário exequível do ponto de vista prático e assinalar a Partida/Chegada (GoogleEarth);• Assinalar os pontos de interesse (P.I.) pertinentes;• Para cada P.I. definido criar informação que possa ser lida por dispositivos móveis – criação de páginas com recurso ao sites.google + QR codes; Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    17. 17. Trabalho do professor:• Fornecer um conjunto de instruções aos alunos para que em cada P.I. realizem um desafio (ex. registo fotográfico, ilustração, ficha de trabalho, etc…). – Pensar/Dinamizar tarefas colaborativas para os P.I. estabelecidos.• Afixar (antes da visita) nos P.I. escolhidos os códigos QR para aceder à informação relevante de carácter histórico sobre o património que estão a observar no terreno. Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    18. 18. Processo de criação: P C 3. Criação QR Code (Kaywa) 5. Telemóvel para: ler QR Codes 1. Itinerário – Google Earth registar fotografias Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    19. 19. Trabalho do aluno: Divertir-se! Aprender! Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    20. 20. Trabalho do aluno:• Após a realização da visita de estudo e produção, in loco, de diferentes materiais organiza-se em sala de aula o material do grupo, acertam-se pormenores e estuda-se um meio de partilha e divulgação do conhecimento produzido. – Ex. Criação de um e-book partilhado nos espaços online de órgãos de poder local como a Junta de Freguesia, Câmara Municipal, etc… Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    21. 21. Competências [História]:- Sensibilizar para o conhecimento e valorização da sua história local;- Valorizar o património natural e edificado da sua localidade;- Manifestar valores e atitudes positivas para com a sociedade em que vive;- Apreciar a sua cultura, incluindo as tradições e padrões de comportamento locais; Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    22. 22. Competências [História]:- Utilizar dispositivos tecnológicos como meio para a produção e partilha de saber;- Trabalhar de forma colaborativa dentro e fora da sala de aula.- Realizar atividades de forma autónoma, responsável e criativa apropriando-se da tecnologia com fins específicos: aprender. aprender Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    23. 23. Metas curricularesAtingidas [História]:• Meta Final 3) O aluno reconhece a complexidade das ideias de mudança e continuidade em História, integrando noções sobre diferentes ritmos de evolução (longa, média e curta duração; evolução e rutura) e múltiplas perspetivas sobre sentidos de mudança (progresso, declínio, ciclo) e permanência (estabilidade, inevitabilidade).• Meta Final 5) O aluno integra na sua ideia de história uma visão diacrónica e multiperspetivada da ocupação humana dos espaços (no sentido em que as visões e formas de representação dos espaços mudam ao longo dos tempos e segundo pontos de vista diversos).• Meta Final 13) O aluno utiliza as TIC para comunicar e partilhar as suas ideias em História. Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    24. 24. Em síntese• Estes ambientes emergentes exigem: – aos professores, criatividade na produção de diferentes recursos educativos. – aos alunos, a capacidade de trabalhar em colaboração e de se responsabilizar pela condução do seu processo de aprendizagem. experiências interativas/dinâmicas que se revestem de significado para professores e alunos. Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    25. 25. Conclusão• Atende-se, assim, às novas formas de aprender que a Web 2.0 possibilita, em especial a Web 2.0 móvel, que vinga com o aparecimento dos smartphones e dos tablets. “A tecnologia faz parte do dia-a-dia das gerações mais novas que estão familiarizadas com diferentes tipos de ecrãs que é preciso levar em conta e potenciar também na escola” (Moura, 2009: 12). escola Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    26. 26. Novas formas de aprender… … e novas formas de brincar! Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    27. 27. Obrigada! tários? Comen es? Questõwww.fpce.uc.pt/encontro.jm l Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    28. 28. Bibliografia• Carvalho, A.A.A.(2009). Aprender e Ensinar na Era Digital: o Papel da Biblioteca Escolar. http://celesteferreira.wikispaces.com/file/view/aprender+ensinar+na+era+20digital.pdf• Cruz, S. (2009). Proposta de um Modelo de Integração das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Práticas Lectivas: o aluno de consumidor a produtor de informação online. Tese de Doutoramento. Braga, Universidade do Minho.• Gomes, M. (2005). e-Learning: Reflexões em torno do conceito. In Paulo Dias & Cândido Varela de Gomes (org.), Challenges05: Atas do Congresso Internacional sobre Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação, 4 (pp. 229-236). Braga: Centro de Competência da Universidade do Minho.• Johnson, L., Smith, R., Willis, H., Levine, A., and Haywood, K., (2011). The 2011 Horizon Report. Austin, Texas: The New Media Consortium. http://net.educause.edu/ir/library/pdf/HR2011.pdf.• Jonassen, D. (2007). Computadores, Ferramentas Cognitivas. Porto: Porto Editora.• McGreal, R. (2009). Mobile devices and the future of free education. http://www.ou.nl/Docs/Campagnes/ICDE2009/Papers/Final_paper_252mcgreal.pdf• Moura, A. (2009). Geração Móvel: um ambiente de aprendizagem suportado por tecnologias móveis para a “Geração Polegar”. In P. Dias & A. J. Osório (Org.), Actas da VI Conferência Internacional de TIC na Educação, Challenges 2009 (pp. 50-78). Braga: Universidade do Minho.• Moura, A. & Carvalho A. (2010a). Enquadramento teórico para a integração de tecnologias móveis em contexto educativo. In Fernando A. Costa et al (org.), TIC Educa 2010: Atas do Encontro Internacional TIC e Educação (pp. 1001-1006). Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.• Naismith, L., Lonsdale, P., Vavoula, G., & Sharples, M. (2004). Literature Review in Mobile Technologies and Learning. FutureLab Report 11. http://www.futurelab.org.uk/resources/documents/lit_reviews/Mobile_Review.pdf Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    29. 29. Bibliografia• O’Reilly, T. (2005). Web 2.0: Compact Definition? In O’Reilly Radar. Disponível em http://radar.oreilly.com/archives/2005/10/web-20-compact-definition.html.• Pedró, F. (1998). Reordenar o currículo escolar tendo em vista a sociedade da informação. In R. Marques; M. Skilbeck,; J. Alves; H. Steedman; M. Rangel & F. Pedró (eds), Na sociedade da informação. O que aprender na escola? Porto: Edições Asa, 97-111.• Prensky, M. (2001). Digital natives, digital immigrants. On the Horizon, 9(5),1-6. http://www.marcprensky.com/writing/prensky%20-%20digital%20natives,%20digital%20immigrants%20-% .• Ramos, J. (2005). Experiências educativas enriquecedoras no âmbito das tecnologias da informação e da comunicação em Portugal. Contributos para uma reflexão. In R. Silva & A. Silva (Orgs.), Educação, Aprendizagem e Tecnologia – um paradigma para professores do Século XXI. Lisboa: Edições Sílabo, 175- 218.• Roldão, M. (1999). Gestão curricular – fundamentos e prática. Lisboa: Ministério da Educação.• Siemens, G. (2005). Connectivism: A Learning Theory for the Digital Age. Disponível em: http://www.itdl.org/Journal/Jan_05/article01.htm.• Smith, B. & MacGregor, J. (1992). What Is Collaborative Learning?. In A. Goodsell, M. Maher, V. Tinto, B. Leigh Smith & J. MacGregor (eds), Collaborative Learning: A Sourcebook for Higher Education. National Center on Postsecondary Teaching, Learning, and Assessment. Pennsylvania State University. Disponível em: http://learningcommons.evergreen.edu/pdf/collab.pdf.• Tavares, A. (2006). As Novas Tecnologias no Ensino da História. Disponível em: http://www.microsoft.com/portugal/educacao/parceirosnaeducacao/professoresinovadores/newslette r/junho/artigoat.mspx. Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    30. 30. Fontes Iconográficas http://www2.hull.ac.uk/images/iphone_app_development.jpg; http://cdn.techpp.com/wp-content/uploads/2010/12/iPhone-Top-Student-Apps.jpg; http://blog.flotech.net/blog; http://www.edtech360.com/wp-content/uploads/2012/03/BYOD-large.jpg; http://cdn.trendhunterstatic.com/thumbs/going-byod-infographic.jpeg; http://samsungmobilephones.co.uk/wp-content/uploads/2012/06/new-samsung-mobile-phone.jpg; http://rafaelparente.blogspot.pt/2012/02/menos-tecnologia-por-favor.html; http://wwwabcdesporto.blogspot.pt/2010/07/jogos-tradicionais-macaca.html; http://assimvamoscrescendo.blogspot.pt/2011/01/eu-estive-jogar-no-computador-e-ensinei.html; http://bluetutors.co.uk/images/1.jpg; http://2.bp.blogspot.com/-55VpAnjsxTk/T42iuK9nBPI/AAAAAAAAATg/0ojk5Zp3kpk/s1600/people-playing-playstation-1.jpg; http://www.datavoxblog.com/wp-content/uploads/2012/06/byod.jpg; http://www.blogit.com.br/blog/wp-content/uploads/2009/10/Blogit_nativosdigitais.jpg; http://fotos.sapo.pt/mA97jz7zpebNnaYqnWHG/; http://douglasmachadoblog.files.wordpress.com/2011/03/babyipad.jpeg; https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTiglCR3KXEZPq2cUoaRS4Nv-Bo1OAs1Lmd04Din6jlYBd402m1; http://2.bp.blogspot.com/-I7pmNDVBAyo/TlFb2zyvgHI/AAAAAAAAAEg/yGibzIt4qIs/s1600/Nativos+Digitais.jpg;; http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=86803519; http://freenuts.com/images/QR-Code-Generator-Beqrious.jpg; http://img.labnol.org/di/qr_code.jpg; http://1.bp.blogspot.com/-i_5s-Qx5xG8/T_CGTJ9gM5I/AAAAAAAABDQ/0CLiqYzbpHE/s1600/Captura+de+ecra%CC%83+2012-07-1,+a%CC%8 ; http://assets.econsultancy.com/images/resized/0001/1706/qr_code_store_window-blog-half.jpg; http://s3.amazonaws.com/files.posterous.com/temp-2011-11- 10/IxhsuwmuCzhtbmIgzhjsabhspoyviEomFhykfAdDDqemzmrdlAJsJvhwFIBw/How-to-scan-qr-code.png.scaled500.png? AWSAccessKeyId=AKIAJFZAE65UYRT34AOQ&Expires=1349478936&Signature=ZczEi0VSVz3rr9s1ges7LICwUa8%3D http://charlieabrahams.com/blog/wp-content/plugins/rss-poster/cache/036a2_qr-code-wall-640.jpg; http://thesocialmediatrainee.wordpress.com/2010/05/09/digital-natives-vs-digital-immigrants/; http://poweruser.aeiou.pt/wp-content/uploads/2012/04/Asus-U36SG-DS51_frente.jpg; http://cdn.thetechjournal.com/wp-content/uploads/2010/08/tablet-chrome.jpg; http://survivalguideforsmallbusiness.com/wp-content/uploads/2012/04/web-browsers.jpg; Universidade Católica Portuguesa | FACIS – Braga | soniacruz@braga.ucp.pt
    31. 31. COIED, 2012 Sónia CruzUniversidade Católica Portuguesa | Faculdade de Ciências Sociais - Braga 9.outubro.2012 soniacruz@braga.ucp.pt

    ×