Ensinar e aprender a gostar de história na era digital

321 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
321
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ensinar e aprender a gostar de história na era digital

  1. 1. ENSINAR E APRENDER A GOSTAR DE HISTÓRIA NA ERA DIGITAL: QUE DESAFIOS ENFRENTAM OS PROFESSORES DA GERAÇÃO .NET? Sónia Cruz | soniacruz@braga.ucp.pt Congresso Internacional Inovação Docente e Novas Tecnologias Aplicadas à História 23.05.2014 | Faculdade de Ciências Sociais| UCP | Braga
  2. 2. A importância da História no currículo Atores Metas curriculares Aprender História 14:20h 14:22h 14:25h 14:26h 14:35h O Professor O Aluno A Tecnologia Aprender História no século XXI - estratégias 14:27h sumário
  3. 3. A importância da História no currículo  É através da História que o aluno constrói uma visão global e organizada de uma sociedade complexa, plural e em permanente mudança.  A história deve servir como instrumento de consciencialização dos Homens para a tarefa de construir um mundo melhor e uma sociedade mais justa.  Esta construção do pensamento histórico é progressiva e gradualmente contextualizada, em função das experiências vividas.
  4. 4. Princípios de aprendizagem em História  A aprendizagem deve processar-se no contexto da resposta à natureza da disciplina.  A aprendizagem processa-se em contextos concretos. E necessário que os conceitos façam sentido para quem os vai apreender.  Os estádios de desenvolvimento mental não são invariantes, como Piaget propôs.
  5. 5. Os atores ... Ministério da Educação Professores Alunos Programa, 1991 Competências Essenciais, 2002 Programa, 1991 Metas curriculares, 2013 (2014) Que implicações?
  6. 6. Metas Curriculares, 2013 Domínio Subdomínio Objetivos Descritores Das sociedades recolectoras às primeiras civilizações Das sociedades recolectoras às primeiras sociedades produtoras Conhecer o processo de hominização 1. Identificar as principais fases de evolução desde o Australopithecus ao Sapiens Sapiens, realçando a lentidão do processo. […] Ex: 7.º ano
  7. 7. Concretização pedagógico-didática  A transmissão e a utilização do saber histórico exige o entendimento e domínio de ferramentas conceptuais inerentes à própria construção do conhecimento em História:  a natureza e as formas de utilização das fontes históricas,  o tratamento do tempo e do espaço,  a integração dos atores e das suas decisões em contextos específicos,  a comparação entre contextos espaciais e temporais diversos,  a comunicação do saber histórico.
  8. 8. ENSINAR HISTÓRIA Fontes Primárias Fontes Secundárias
  9. 9. O MANUAL DE HISTÓRIA Ex: Unidade didática | 7.º ano
  10. 10. Aprender HISTÓRIA Manual Caderno de Fichas Caderno Diário E-Manual Manual Caderno de Atividades Caderno diário e-manual
  11. 11. Ensinar e Aprender História: o que mudou?
  12. 12. A frequentar a escolaridade obrigatória… A frequentar o ensino superior… soniacruz@braga.ucp.pt Figura 1: Nativos digitais vs Imigrantes Digitais (Prensky, 2001) As escolas não podem ignorar/ficar à margem desta realidade.
  13. 13. Se: Vivemos numa sociedade diferente daquela em que nascemos, Trabalhamos numa escola diferente daquela que frequentámos… Então:  Precisamos de perceber e preparar os alunos para viver num mundo em constante mudança.
  14. 14. Desafios: Horizon Report
  15. 15. História e Tecnologias: que relação?  “Destacamos a relevância que deve ser atribuída aos instrumentos e materiais de suporte multimédia, de modo a tirar partido do atual apetrechamento tecnológico das escolas e realizar atividades capazes de concretizar de modo mais efetivo os propósitos de Aprendizagem” Documento de Apoio às Metas Curriculares, ME, 2013: 3.  “Utilizar linguagens e suportes diversos (nomeadamente os suportes de comunicação proporcionados pelas tecnologias de informação) na transmissão e divulgação do conhecimento histórico” Documento de Apoio às Metas Curriculares, ME, 2013: 7.
  16. 16. História e Tecnologias: que relação?
  17. 17. Que suportes? Com que intenções? Como concretizar?
  18. 18. Pesquisa Orientada Domínio: A Europa e o Mundo no limiar do século XX Subdomínio: As transformações políticas, económicas, sociais e culturais do após guerra Objetivo: Conhecer e compreender as transformações económicas do após guerra Descritor: - Explicar o fim da hegemonia europeia e o reforço da afirmação dos EUA como principal potência económica mundial. - Caracterizar a economia dos anos 20, destacando o seu carácter modernizador, instável e especulativo.
  19. 19. Podcast
  20. 20. Vídeo www.youtube.com/watch?v=O8b09lsY9-k
  21. 21. Blogues, Wiki’s, Websites
  22. 22. Jogos
  23. 23. Redes sociais
  24. 24. Realidade aumentada
  25. 25. Aprender História na Rua: estratégias Mobile learning
  26. 26. Proposta: CONHECER O LUGAR ONDE VIVO Disciplinas [Ex.]: História | Geografia | Português Dispositivos móveis
  27. 27. Planificação da atividade  Fazer o levantamento dos recursos móveis dos seus alunos (é bom saber com o que podemos contar!);  Pensar num itinerário exequível do ponto de vista prático e assinalar a Partida/Chegada (GoogleEarth);  Assinalar os pontos de interesse (P.I.) pertinentes;  Para cada P.I. definido criar informação que possa ser lida por dispositivos móveis – criação de páginas com recurso ao sites.google + QR codes;
  28. 28. Fornecer um conjunto de instruções aos alunos para que em cada P.I. realizem um desafio (ex. registo fotográfico, ilustração, etc…). Pensar/Dinamizar tarefas colaborativas para os P.I. estabelecidos. Afixar (antes da visita) nos P.I. escolhidos os códigos QR para aceder à informação relevante de carácter histórico sobre o património que estão a observar no terreno. Planificação da atividade
  29. 29. Processo de criação: 1. Itinerário – Google Earth P C 3. Criação QRCode (Kaywa) 5. Telemóvel para: ler QR Codes registar fotografias 4.AfixarosQRCodes 2.Criaçãodeconteúdo GoogleSites
  30. 30. Trabalho do aluno:  Após a realização da visita de estudo e produção, in loco, de diferentes materiais organiza-se em sala de aula o material do grupo, acertam-se pormenores e estuda-se um meio de partilha e divulgação do conhecimento produzido. Ex. Criação de um e-book partilhado nos espaços online de órgãos de poder local como a Junta de Freguesia, Câmara Municipal, etc…
  31. 31. O professor pode promover uma visita de estudo em geocaching. 1. Com recurso ao googlemaps criar um itinerário registando os pontos de interesse para a visita, 2. Esconder as caches, 3. Registar as coordenadas; 4. No dia, por intermédio de um dispositivo de GPS, os alunos partem à descoberta através das coordenadas. Geocaching www.geocaching.com
  32. 32. Optar por utilizar um geotour já criado Mapa1:‘DaOliveiraàPenhaII’ www.geocaching.com Para encontrar esta cache torna-se necessário visitar 15 locais (pontos privilegiados numa visita de estudo a esta Geocaching
  33. 33. Em síntese • Estes ambientes emergentes exigem: – aos professores, criatividade na produção de diferentes recursos educativos. – aos alunos, a capacidade de trabalhar em colaboração e de se responsabilizar pela condução do seu processo de aprendizagem. experiências interativas/dinâmicas que se revestem de significado para professores e alunos.
  34. 34. Que desafio para os professores? 1.Sair da Zona de conforto
  35. 35. Que desafio para os professores? “Sage on the stage” (“O sábio no palco”) “Guide on the side (“O guia lado a lado”) Ruth Small (2005) 2. Correr riscos
  36. 36. Que desafio para os professores? 3. Criar situações de aprendizagem em que o aluno aprende usando as tecnologias
  37. 37. Obrigada! Sónia Cruz FACIS | Universidade Católica Portuguesa, Braga soniacruz@braga.ucp.pt soniacruz/slideshare.net facebook.com/soniacatarinacruz linkedin.com/in/soniacruz

×