Apresentação boxe

8.319 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado pelos alunos do 3º ano
do Ensino Médio.

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.319
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
472
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação boxe

  1. 1. História do Boxe• Introdução Na antiguidade, antes mesmo das civilizações grega e romana, há indícios arqueológicos que indicam que o homem praticava lutas usando as mãos, desferindo golpes uns contra os outros. Os gregos e romanos também praticavam lutas deste tipo com objetivos esportivos (caso dos gregos) ou de simples diversão (caso dos romanos).
  2. 2. Crescimento• Porém, o boxe só ganhou algumas regras, aproximando-se do que é hoje, no século XVII, no Reino Unido. Foi no ano de 1867, que o uso de luvas e o número de assaltos foram determinados como regras oficiais. Para tornar as lutas mais competitivas, as regras do boxe definiram categorias que variam de acordo com o peso do lutador (boxeador ou pugilista). As lutas profissionais possuem, no máximo 12 assaltos com 3 minutos cada. Porém, em determinadas competições o número de assaltos pode ser menor. Nas Olimpíadas, por exemplo, são 3 rounds de 3 minutos cada.
  3. 3. • No final de cada assalto, os lutadores ganham pontos, que são atribuídos por cinco jurados da luta. Estes pontos, definidos por golpes e defesas, servem para definir o ganhador em caso da luta chegar até o fim. Quando um lutador consegue derrubar o adversário e este permanece por 10 segundos no chão ou não apresentar condições de continuidade na luta, ela termina por nocaute. Não são permitidos golpes baixos (na linha da cintura ou abaixo dela).
  4. 4. • Principais golpes de boxe: os principais golpes de boxe são: cruzado (aplicado na lateral da cabeça do adversário), jab (golpes preparatórios de baixo impacto e rápidos), direto (soco frontal) e upper (também conhecido como gancho, ocorre de baixo para cima atingindo o queixo).
  5. 5. boxe inglês no final do século XIX
  6. 6. Equipamentos Utilizados no Boxe
  7. 7. Dificuldades para a penetração do boxe no BrasilComo decorrência da colonização portuguesa, até o início do sec.XX, a prática desportiva era quase totalmente desconhecida noBrasil. Os raros esportistas limitavam-se a membros dascomunidades de emigrantes alemães e italianos, no Rio Grande doSul e em São Paulo. Foi só com eles que foi introduzida, entre nós, aidéia de competição esportiva entre dois homens ou entre equipes,principalmente em modalidades como canoagem e natação.. Essa situação durou até 1915, quando o gigante branco Jess Wilardconseguiu afinal derrotar Johnson. A partir daí, gradativamente, osfilmes de boxe começaram a passar nos cinemas americanos.Contudo, esses filmes ainda levaram alguns anos até chegarem aoBrasil.
  8. 8. • Além dessa falta de tradição esportiva, outra característica desfavorecia a introdução do boxe no Brasil: até o início do século XX, o único tipo de luta que se conhecia aqui era a capoeira e, na época, capoeira era considerada coisa de marginal, de gente que brigava com a polícia. Esse preconceito era especialmente forte entre os membros da elite dirigente do país. Não menos importante é o fato de que, desde a metade do século XIX, o centro das atividades pugilísticas saira da Inglaterra e fora para os USA. Ora, até boa parte do século XX, o grosso das informações internacionais que chegavam ao Brasil vinham da Europa, principalmente da França. Não tinhamos interesse por acontecimentos ocorridos nos USA.
  9. 9. • Mesmo com a popularização de meios de comunicação mais modernos, no início do século XX, como é o caso do cinema, a penetração do boxe no Brasil continuou difícil. Nisso teve importante papel o fato de que, em 1908, o boxeador negro Jack Johnson conquistou o cinturão de campeão mundial dos pesados e muito humilhou os brancos que passaram a desafiá-lo. Como o racismo era muito forte nos USA, os brancos conseguiram a proibição de se passar fitas ou noticiários com lutas de boxe nos cinemas americanos. Essa situação durou até 1915, quando o gigante branco Jess Wilard conseguiu afinal derrotar Johnson. A partir daí, gradativamente, os filmes de boxe começaram a passar nos cinemas americanos. Contudo, esses filmes ainda levaram alguns anos até chegarem ao Brasil.
  10. 10. Primeiros vestígios do boxe no Brasil• As primeiras exibições de boxe em solo brasileiro ocorreram ainda no "reinado" do grande Jack Johnson, mais precisamente, lá por cerca de 1910. Consistiram de exibições feitas por marinheiros europeus, que tinham aportado em Santos e no Rio de Janeiro, e só reforçaram o preconceito que apontamos acima, uma vez que naquela época os marinheiros eram recrutados das classes mais humildes.
  11. 11. Em 1913: a primeira lição• Em 1913, travou-se a mais antiga luta de boxe em território brasileiro que ficou documentada. Tratava-se apenas de uma luta de exibição - ou de desafio, não se tem certeza pois os testemunhos da época divergem nesse detalhe - em São Paulo, entre um pequeno ex-boxeador profissional que fazia parte de uma companhia de ópera francesa e o atleta Luis Sucupira, conhecido como o Apolo Brasileiro em razão de seu físico avantajado. Embora surrado, o nosso Apolo reconheceu que a técnica pode superar a força e tornou-se um grande entusiasta do boxe e seu primeiro grande divulgador. Dado seu prestígio - era médico e filho de conceituada família - seu apoio em muito contribuiu para atenuar o preconceito que já mencionamos.
  12. 12. O boxe é divulgado e legalizado no Brasil• A propaganda de Sucupira entusiasmou alguns jovens que eram membros do tradicional Club Canottiere Esperia ( o mais antigo clube de canoagem de São Paulo, fundado em 1899 e ainda hoje existente, sob a denominação Clube Esperia ). Esses jovens não tiveram grande dificuldade em incluir o boxe entre as atividades dessa associação, pois que a mesma já havia aceito vários outros esportes além da canoagem. Contudo, as atividades "boxísticas" no Esperia limitaram-se aos anos de 1914 e 1915, e não frutificaram. A real divulgação iniciou apenas em 1919, com Goes Neto, um marinheiro carioca que havia feito várias viagens à Europa, onde havia aprendido a boxear. Naquele ano de 1919, Goes Neto retornara ao Brasil e resolveu fazer várias exibições no Rio de Janeiro. Com as mesmas, um sobrinho do Presidente da República, Rodrigues Alves, se apaixonou pela nobre arte. O apoio de Rodrigues Alves facilitou a difusão do boxe: começaram a surgir academias e logo esse esporte ganhou a áurea da "legalidade", de esporte regulamentado, com a criação de "comissões municipais de boxe" em São Paulo, Santos e Rio de Janeiro. Isso tudo, entre 1920 e 1921.
  13. 13. O fenômeno Maguila e o ressurgimento do boxe• No início dos anos oitenta, pela primeira vez no Brasil, uma rede de TV ( a TV Bandeirantes ), por iniciativa de seu diretor de esportes ( Luciano do Valle, o qual também atuava como promotor de eventos esportivos, através de sua empresa, a Luque Propaganda, Promoções e Produções ), resolveu investir pesado no boxe, transformando-o em espetáculo de massa. Os primeiros boxeadores feitos pela TV brasileira, Francisco Thomás da Cruz ( peso super-pena ) e Rui Barbosa Bonfim ( meio-pesado ), tiveram relativo sucesso, mas foi só com Adislon "Maguila" Rodrigues que as transmissões de lutas de boxe pela TV alcançaram absoluta liderança de audiência.
  14. 14. • Maguila, com 1,86 metros e cerca de 100 Kg, foi um dos poucos pesos pesados brasileiros. Tinha grandes elementos para ser um ídolo: enorme carisma aliado à grande valentia, mobilidade e uma direita demolidora que lhe propiciou nada menos do que 78 nocautes em sua carreira de 87 lutas, a maioria das quais com lutadores europeus, sul-americanos e norte-americanos. Maguila estreiou como profissional em 1983, tendo Ralph Zumbano como técnico e Kaled Curi como empresário. Em 1986, já no auge da fama, assinou contrato com a Luque e passou a treinar com Miguel de Oliveira que alterou profundamente seu estilo de luta e corrigiu seus defeitos de defesa. Como consequência, em 1989, chegou a ser o segundo colocado no ranking do CMB e em rota de colisão com Mike Tyson, na época, o undisputed champion do mundo.
  15. 15. • O grande momento, contudo, nunca ocorreu. Precisou enfrentar dois dos maiores pesados do século: Evander Holyfield e George Foreman. Perdeu essas duas lutas e isso lhe tirou não só a chance de disputar o título como o encaminhou para a obscuridade. Para piorar, Maguila aumentou muito de peso, perdendo a forma física. Apesar disso, em 1995, chegou a campeão mundial pela WBF ( Federação Mundial de Boxe ), uma associação que ainda não havia conseguido grande respeitabilidade. Com falta de patrocínio, pouco tempo depois, Maguila foi destituído do título por inatividade.
  16. 16. • No final dos anos noventa, surgiu uma nova promessa: Acelino de Freitas, o Popó. Patrocinado pela Rede Globo de televisão, Popó rapidamente chegou ao título de campeão mundial pela Organização Mundial de Boxe e, no início de 2002, sagrou-se campeão pela bem mais importante Associação Mundial de Boxe. Ainda é cedo para avaliarmos a posição que lhe reservará a História.• Com o ocaso de Maguila, também veio o do boxe brasileiro que rapidamente perdeu o enorme espaço que havia tido na televisão.
  17. 17. Fim

×