SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO
RELATÓRIO MENSAL DE ATIVIDADES – ORIENTADOR DE ESTUDO
Relatório nº: ________01_____Data: 28/07/2014.
ATENÇÃO: É obrigatória a realização e o envio do Relatório Mensal. O seu
preenchimento detalhado e cuidadoso nos oferecerá os elementos necessários para
avaliarmos nossas ações. A data limite para envio é o último dia do mês.
1) IDENTIFICAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA
a) Nome da Escola: E.E.E.M “GOMES CARDIM”
b) Endereço da Escola:RUA WILSON FREITAS S/Nº, CENTRO, VITÓRIA,ES.
c) Tel. da Escola: (27) 3222-2332
d) E-mail da Escola: escolagomescardim@sedu.es.gov.br
e) Superintendência em que a Escola está vinculada: SER CARAPINA
2) IDENTIFICAÇÃO DO ORIENDAOR DE ESTUDO
a) Nome do Orientador de Estudo:SOLAYNE GAVE DEMUNER
b) Ano de Nascimento: 1981
b) Endereço do Orientador de Estudo: R. WILSON FREITAS, Nº 131, APTO 101, CENTRO,
VITÓRIA, ES.
c) Contato tel.: (27) 98142-1218
d) E-mail do Orientador de Estudo: solgavedemuner@gmail.com; litllesun@hotmail.com;
3) QUAL FORMAÇÃO VOCÊ POSSUI:
( ) Superior Incompleto Ano de início:
( X ) Superior Completo Ano de término: 2004
( X ) Pós-Graduação Lato-sensu Ano de término: 2006
( X ) Pós-Graduação Lato-sensu Ano de término: 2010
( ) Pós-Graduação Stricto-Sensu (Mestrado) Ano de início: Ano de
término:
( ) Pós-Graduação Stricto-Sensu (Doutorado) Ano de início: Ano de
término:
PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO
( ) Outros: Quais:
4) COM RELAÇAO AO SEU CURSO DE ENSINO SUPERIOR INDIQUE A ÁREA:
EDUCAÇÃO – BACHAREL EM PEDAGOGIA
( ) Não se aplica
5) VOCÊ SE FORMOU EM UMA INSTITUIÇÃO:
( ) Pública Federal
( ) Pública Estadual
( ) Pública Municipal
( X ) Particular
( ) Confessional/Comunitária/Filantrópica
( ) Outros:
6) COM RELAÇÃO À SUA PÓS-GRADUAÇÃO, VOCÊ POSSUI
a) Especialização em: PSICOPEDAGOGIA E EM GESTÃO ESCOLAR
b) Mestrado em:
c). Doutorado em:
( ) Não se aplica
7) HÁ QUANTO TEMPO VOCÊ TRABALHA NESTA ESCOLA?
3 anos 7 meses
8) CARATERIZAÇÃO DOS GRUPOS DE ESTUDO
Quantidade de Grupos de Estudo na sua Escola:
Quantidade de Grupos de Estudo no turno matutino: 03
( ) Não se aplica
Quantidade de Grupos de Estudo no turno vespertino:
( X ) Não se aplica
Quantidade de Grupos de Estudo no turno noturno:
( X ) Não se aplica
Quantidade de Grupos de Estudo que você Orienta:03
PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO
Quantidade total de cursista que você orienta:10
Quantidade de cursistas por cada Grupo de Estudo da Escola: DE 03 Á 04
Horários em que você se reuni com os cursistas: HORÁRIOS DE PLANEJAMENTOS, UMA
VEZ POR SEMANA PELO MENOS, COM CADA GRUPO.
9) CARATERIZAÇÃO DOS CURSISTAS PARTICIPANTES DOS GRUPOS DE ESTUDO
Identifique abaixo a área de atuação dos cursistas e quantidade de participantes: 11
Língua Portuguesa:
Língua Estrangeira Inglês:
Língua Estrangeira Espanhol:01
Artes:
Educação Física: 01
Matemática: 01
História:01
Geografia:01
Filosofia:
Sociologia:01
Química:01
Física: 02
Biologia:01
Pedagogo(a): 01
Outro(s):
10) QUAL(IS) O(S) ESPAÇO(S) UTILIZADO(S) PARA OS ENCONTROS COM OS
CURSISTAS DA ESCOLA?
( X ) Na sala de professores da Escola
( ) Na biblioteca da Escola
( ) Em uma sala de aula
( ) Na sala de Informática
( X ) Outro(s) Qual(is): SALA DE PEDAGOGO
PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO
11) COMO VOCÊ AVALIA OS ASPECTOS RELATIVOS ÀS CONDIÇÕES DO ESPAÇO
PARA OS ENCONTROS DE ESTUDO NA ESCOLA?
1. Ruim 2. Regular 3. Bom 4.
Excelente
Resposta
Em geral, o(s) espaços específicos para a
formação é(são):
3
Em geral, o ruído originado nesse(s)
espaço(s) é(são):
2
Em geral, a ventilação nesse(s) espaço(s)
é(são):
3
Em geral, a iluminação nesse(s) espaço(s)
é(são):
3
Em geral, as condições dos pisos, as
paredes nesse(s) espaço(s) é(são):
3
Em geral, os materiais para formação
(computadores, data-show) são:
3
12) QUAL(IS) A(S) ORGANIZAÇÃO(ÕES) UTILIZADA(S) PARA OS ENCONTROS COM OS
CURSISTAS NOS GRUPO(S) DE ESTUDO?
( ) Com todos os cursistas, já que foi realizada uma nova organização dos tempos escolares
( X ) No horário de planejamento por área de conhecimento
( ) No horário de planejamento por disciplinas
( ) No horário de planejamento por várias disciplinas
( ) Outro(s) Qual(is):
13) QUAL(IS) O(S) PROCEDIMENTO(OS) UTILIZADO(S) PARA OS ENCONTROS COM OS
CURSISTAS NOS GRUPO(S) DE ESTUDO?
( ) Apresentação centrada nos Orientadores do material a ser discutido
( X ) Leitura e debate do material com os cursistas
( X ) Debate com os cursistas mediante leitura prévia do material já realizada em outro horário
( ) Exposição por parte dos cursistas das atividades recomendadas nos Cadernos de Estudo
( ) Apresentação de Vídeo e Filme para problematização dos conteúdos a serem
trabalhados na formação
( X ) Debate do conteúdo articulada a realidade da escola
( ) Construção e apresentação de pôster pelos cursistas para dar visibilidade as ações
desenvolvidas
PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO
( ) Criação de vídeo para dar visibilidade aos temas discutidos na formação
( ) Outras. Qual(is):
14) QUAL(IS) A(S) PRINCIPAL(IS) DIFICULDADE(S) ENCONTRADA(S) NOS GRUPOS DE
ESTUDO?
( X ) Tempo de formação destinado com os Cursistas
( ) Frequência dos cursistas na formação
( ) Quantidade de leitura destinadas para participar da formação
( X ) Horários para se encontrar com os cursistas para a formação
( ) Falta de leitura dos cursistas dos Cadernos de Estudo
( ) Dificuldade em compreender as reflexões e proposições presentes nos Cadernos
( ) Resistência dos cursitas no debate das questões presentes nos Cadernos
( ) Resistência em fazer o debate proposto pelos Cadernos, tendo como base a realidade de
sua Escola
( ) Relação dos cursistas com o Orientador de Estudo
( ) Relação entre os cursitas no que se refere ao não respeito a diversidade de pensamento
( X ) Outras. Qual(is): AINDA TEMOS CURSISTAS QUE NÃO RECEBERAM SEUS
TABLETES, PORÉM NÓS IMPRIMIMOS UMA CÓPIA DE CADA LIVRO A SER ESTUDADO
PARA QUE ELES POSSA ACOMPNHAR AS LEITURAS E ASSIM PARTICIPAREM DOS
DEBATES E ATIVIDADES PROPOSTAS.
15) QUAL(IS) A(S) PRINCIPAL(IS) AÇÃO(ÕES) REALIZADA(S) PELO ORIENTADOR DE
ESTUDO PARA LIDAR COM A(S) DIFICULDADE(S) ENCONTRADA(S) NA ESCOLA?
( ) Destinação de horário e lugar para atendimento aos cursistas
( X ) Conversa particular com os cursistas
( ) Indicação de leitura complementar para aprofundamento das reflexões propostas nos
cadernos
( ) Criação de lista de debates por meio da internet para diálogos com os cursitas
( ) Outros. Qual(is):
16) EM QUE MEDIDA OS ENUNCIADOS SEGUINTES CORRESPONDEM À SUA
PERCEPÇÃO SOBRE A FORMAÇÃO?
1. Sempre 2. Frequentemente 3.
Raramente 4. Nunca
Resposta
Eu me sinto frustrado com a formação 3
Eu sinto que tenho muito a contribuir com
a formação
2
PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO
Eu penso em sair da formação 4
Eu sinto que a formação tem qualificado
minha atuação profissional
2
Eu penso que a formação tem me levado
a compreender as especificidades do
Ensino Médio no país e em minha escola
2
Eu penso que a formação me proporciona
grandes satisfações no que se refere ao
trabalho com o jovem
2
Eu penso que a formação em serviço tem
valido a pena
2
17) EM QUE MEDIDA OS ENUNCIADOS SEGUINTES CORRESPONDEM À PERCEPÇÃO
DOS CURSISTAS SOBRE A FORMAÇÃO?
1. Sempre 2. Frequentemente
3. Raramente 4. Nunca
Quantifique a resposta dos cursistas
Resposta
Os cursistas se sentem frustrado com a
formação
3
Eles sentem que têm muito a contribuir
com a formação
2
Eles pesam em sair da formação 3
Eles sentem que a formação tem
qualificado minha atuação profissional
2
Eles pensam que a formação tem me
levado a compreender as especificidades
do Ensino Médio no país e em minha
escola
2
Eles pensam que a formação me
proporciona grandes satisfações no que
se refere ao trabalho com o jovem
2
Os cursistas sinalizam que a formação
em serviço tem valido a pena
2
18) QUAL(IS) O(S) PRINCIPAL(IS) AVANÇO(S) QUALITATIVO(S) ESTÃO SENDO
APRESENTADOS PELOS CURSISTAS NA ESCOLA?
OS CURSISTAS ESTÃO AMPLIANDO SUA VISÃO SOBRE O ENSINO MÉDIO E SUAS
POSSIBILIDADES DE MUDANÇAS E MELHORIAS.
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO
19) UTILIZE ESSE ESPAÇO PARA O REGISTRO DE OUTROS COMENTÁRIOS.
REFLEXÃO SOBRE OS TÓPICOS DO CADERNO I:
1) DESAFIOS QUE PERMANECEM PARA O ENSINO MÉDIO NA REALIDADE
BRASILEIRA (P.26):
PERCEBEMOS QUE APESAR DE HAVEREM REFORMAS NA EDUCAÇÃO PARA MELHORIA
NO ENSINO MÉDIO, QUE PASSOU A SER UNIFICADO, COM UM CONTEÚDO COMUM
NACIONAL E A VOLTA DAS ESCOLAS PROFISSIONALIZANTES, AINDA EXISTE AQUELA
CONECIDA SEPARAÇÃO DA ESCOLA QUE “PREPARA” OS ALUNOS PARA O VESTIBULAR
E A ESCOLA QUE PREPARA PARA O MERCADO DE TRABALHO. SEM CONTAR QUE AS
ESCOLAS PARTICULARES QUE OFERTAM O ENSINO MÉDIO, AINDA SÃO
DIFERENCIADAS EM SEUS CONTEÚDOS, MÉTODOS DIDÁTICOS, PROCURANDO
OFERECER SEMPRE MAIS QUE AS ESCOLAS PÚBLICAS E TEM O PROFESSOR COMO
CENTRO DO CONHECIMENTO E O ALUNO COMO UMA FOLHA EM BRANCO A SER
PREENCHIDA, O QUE COLABORA PARA UMA REPRODUÇÃO DE OUTRORA, E AS
UNIVERSIDADES FEDERAIS, NOS CURSO JÁ CONSAGRADOS COMO: DIREITO,
MEDICINA E ENGENHARIA, POSSUEM ALUNOS PROVINIENTES, EM SUA GRANDE
MAIORIA, DAS ESCOLAS PARTICULARES E QUANDO OS ALUNOS DA ESCOLAS
PÚBLICAS CONSEGUEM ADENTRAR NESSES CURSOS, A GRANDE PARTE NÃO
CONSEGUE CONCLUIR DEVIDO A FALTA DE BASE DE CONTEÚDO E DIFICULDADES POR
NÃO TEREM TIDO O MESMO PADRÃO DE ESTUDOS DE UMA ESCOLA PARTICULAR QUE
JÁ DIRECIONA SEUS ALUNOS A ESTUDAREM OS CONTEÚDOS E DISCIPLINAS QUE
NECESSITAM PARA O CURSO UNIVERSITÁRIO QUE PRETENDE CURSAR.
2) PERFIL SOCIAL, CULTURAL E ECONOMICO DOS MATRICULADOS NO ENSINO
MÉDIO EM NOSSA ESCOLA (P.40):
PERFIL SOCIAL: ALUNOS PROVINIENTES DE BAIRROS AO REDOR DA ESCOLA,
POPULARES, MORROS E ALGUNS DISTANTES DA ESCOLA, DE OUTROS MUNICÍPIOS
PRÓXIMOS.
PERFIL CULTURAL: CULTURA DO SAMBA E PAGODE, POR PARTICIPAREM DE ESCOLAS
DE SAMBA DE SUAS COMUNIDADES DE ORIGEM, ALÉM DE CURTIREM E
FREQUENTAREM BAILES FUNKS. ALGUNS POUCOS QUE GOSTAM E SE INTERESSAM
PELA LEITURA E ALGUNS ALUNOS EVANGÉLICOS.
PERFIL ECONÔMICO: NOSSOS ALUNOS EM GERAL SÃO FILHOS DE FUNCIONÁRIOS DO
SETOR COMERCIAL, ATUANTES COMO VENDEDORES, AUTÔNOMOS COMO:
PEDREIROS E FAXINEIRAS, ALGUNS EMPREGADOS NO SETOR PÚBLICO, E ATÉ
ALGUNS PAIS QUE JÁ TIVERAM EXPERIÊNCIAS COM O TRÁFICO DE DROGAS E SÃO EX-
PRESIDIÁRIOS. INFELIZMENTE ALGUNS DE NOSSOS ALUNOS CONVIVEM DIARIAMENTE
COM ESTA REALIDADE E CONSTANTEMENTE SÃO ALICIADOS PARA INGRESSAREM
NESSE TIPO DE ATIVIDADE, QUE MUITAS VEZES É ATRATIVA PELA POSSIBILIDADE DE
DINHEIRO FÁCIL E IMEDIATO.
3) FORMAÇÃO HUMANA INTEGRAL (P.40):
ESSA POSSIBILIDADE DE FORMAÇÃO HUMANA INTEGRAL VISA A DESENVOLVER AS
HABILIDADES DOS ALUNOS DE RACIOCINAR O TODO, E NÃO SEPARADAMENTE,
AMPLIANDO ASSIM, A VISÃO DO ALUNO COMPREENDENDO A REALIDADE COMO ELA É.
SERIA NÃO COLOCAR MAIS OS CONHECIMENTOS EM “PASTINHAS”, COMO NUM
PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO
ARQUIVO, ONDE EM CADA MOMENTO RETIRAR-SE UMA PASTINHA DO CONHECIMENTO
E SIM, EXPANDIR PARA UMA REFLEXÃO AMPLA, ONDE O ALUNO PASSA IDENTIFICAR
CADA DISCIPLINA E VÊ-LA COMO IMPORTANTE EM SUA VIDA, PODER FALAR SOBRE UM
ASSUNTO CONTEMPLANDO E ENTENDENDO TODAS AS SUAS DIMENSÕES CIENTÍFICAS,
HUMANAS E FILOSÓFICAS.
4) COMO CHEGAR Á UNIVERSALIZAÇÃO DO ENSINO MÉDIO? (P.45):
REALMENTE ESSA QUESTÃO É COMPLEXA, POIS OS ALUNOS EM NOSSA REALIDADE,
NÃO VEEM A CONCLUSÃO DOS ESTUDOS NO ENSINO MÉDIO COMO UMA
POSSIBILIDADE DE ASCENSÃO PROFISSIONAL. DE MELHORAR SUA CONDIÇÃO
ECONÕMICA, POUCOS POSSUEM EXPECTATIVAS EM CURSAR UMA FACULDADE OU
UNIVERSIDADE, A MAIORIA DE NOSSOS ALUNOS CONTENTAM-SE EM REPRODUZIR A
REALIDADE ECONÔMICA DE SUA FAMÍLIA. PELO QUE PERCEBEMOS, A
UNIVERSALIZAÇÃO DO ENSINO MÉDIO ACONTECERÁ NA MEDIDA EM QUE A
AMPLIAÇÃO DE OFERTA E CONSCIENTIZAÇÃO DE SUA IMPORTÃNCIA FOR DIFUNDIDA
PELA SOCIEDADE.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila Avaliação Diagnóstica Inicial no 1º Ano 2011
Apostila Avaliação Diagnóstica Inicial no 1º Ano  2011Apostila Avaliação Diagnóstica Inicial no 1º Ano  2011
Apostila Avaliação Diagnóstica Inicial no 1º Ano 2011Proalfacabofrio
 
Oficina 01 direitos de aprendizagem de leitura e escrita em ciências
Oficina 01   direitos de aprendizagem de leitura e escrita em ciênciasOficina 01   direitos de aprendizagem de leitura e escrita em ciências
Oficina 01 direitos de aprendizagem de leitura e escrita em ciênciasAtividades Diversas Cláudia
 
Atividades de Língua Portuguesa- Descritores
Atividades de Língua Portuguesa- DescritoresAtividades de Língua Portuguesa- Descritores
Atividades de Língua Portuguesa- DescritoresMarina Alessandra
 
Esboco do projeto de intervencao educacional nova versão
Esboco do projeto de intervencao educacional  nova versãoEsboco do projeto de intervencao educacional  nova versão
Esboco do projeto de intervencao educacional nova versãoClaudemirarocha
 
2º encontro pnaic 2014 vânia ok
2º encontro pnaic 2014 vânia ok2º encontro pnaic 2014 vânia ok
2º encontro pnaic 2014 vânia okWanya Castro
 
Projeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolarProjeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolaralvinarocha
 
Recuperação Intensiva - Língua Portuguesa
Recuperação Intensiva - Língua PortuguesaRecuperação Intensiva - Língua Portuguesa
Recuperação Intensiva - Língua PortuguesaClaudia Elisabete Silva
 
Monongrafia - O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA E AS SUAS NOVAS ABORDAGENS METODOLÓG...
Monongrafia - O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA E AS SUAS NOVAS ABORDAGENS METODOLÓG...Monongrafia - O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA E AS SUAS NOVAS ABORDAGENS METODOLÓG...
Monongrafia - O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA E AS SUAS NOVAS ABORDAGENS METODOLÓG...Lourdes Rocha
 
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no EstrangeiroQuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no EstrangeiroEnsinar Português Andaluzia
 
ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E INGLESA: PROFESSORES EM FORMAÇÃO
ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E INGLESA: PROFESSORES EM FORMAÇÃOENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E INGLESA: PROFESSORES EM FORMAÇÃO
ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E INGLESA: PROFESSORES EM FORMAÇÃOAugusto Figueiredo
 
Organização da formação dos professores alfabetizadores 1
Organização da formação dos professores alfabetizadores 1 Organização da formação dos professores alfabetizadores 1
Organização da formação dos professores alfabetizadores 1 Nilcéia Rodrigues
 
Artigo tcc conclusão letras inglês
Artigo tcc   conclusão letras inglêsArtigo tcc   conclusão letras inglês
Artigo tcc conclusão letras inglêsAlexandre Dourado
 
Ativ port1 descritores l. portuguesa
Ativ port1  descritores l. portuguesaAtiv port1  descritores l. portuguesa
Ativ port1 descritores l. portuguesaEdileusa Camargo
 

Mais procurados (18)

Apostila Avaliação Diagnóstica Inicial no 1º Ano 2011
Apostila Avaliação Diagnóstica Inicial no 1º Ano  2011Apostila Avaliação Diagnóstica Inicial no 1º Ano  2011
Apostila Avaliação Diagnóstica Inicial no 1º Ano 2011
 
Pautas da formação 1
Pautas da formação 1Pautas da formação 1
Pautas da formação 1
 
Oficina 01 direitos de aprendizagem de leitura e escrita em ciências
Oficina 01   direitos de aprendizagem de leitura e escrita em ciênciasOficina 01   direitos de aprendizagem de leitura e escrita em ciências
Oficina 01 direitos de aprendizagem de leitura e escrita em ciências
 
Atividades de Língua Portuguesa- Descritores
Atividades de Língua Portuguesa- DescritoresAtividades de Língua Portuguesa- Descritores
Atividades de Língua Portuguesa- Descritores
 
Lições de lp para o 5º ano
Lições de lp para o 5º anoLições de lp para o 5º ano
Lições de lp para o 5º ano
 
Esboco do projeto de intervencao educacional nova versão
Esboco do projeto de intervencao educacional  nova versãoEsboco do projeto de intervencao educacional  nova versão
Esboco do projeto de intervencao educacional nova versão
 
2º encontro pnaic 2014 vânia ok
2º encontro pnaic 2014 vânia ok2º encontro pnaic 2014 vânia ok
2º encontro pnaic 2014 vânia ok
 
Atividade de intervenção
Atividade de intervençãoAtividade de intervenção
Atividade de intervenção
 
Plano de ação
Plano de açãoPlano de ação
Plano de ação
 
Projeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolarProjeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolar
 
Recuperação Intensiva - Língua Portuguesa
Recuperação Intensiva - Língua PortuguesaRecuperação Intensiva - Língua Portuguesa
Recuperação Intensiva - Língua Portuguesa
 
Prop. de intervenção 3º ano - maio
Prop. de intervenção   3º ano - maioProp. de intervenção   3º ano - maio
Prop. de intervenção 3º ano - maio
 
Monongrafia - O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA E AS SUAS NOVAS ABORDAGENS METODOLÓG...
Monongrafia - O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA E AS SUAS NOVAS ABORDAGENS METODOLÓG...Monongrafia - O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA E AS SUAS NOVAS ABORDAGENS METODOLÓG...
Monongrafia - O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA E AS SUAS NOVAS ABORDAGENS METODOLÓG...
 
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no EstrangeiroQuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro
 
ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E INGLESA: PROFESSORES EM FORMAÇÃO
ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E INGLESA: PROFESSORES EM FORMAÇÃOENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E INGLESA: PROFESSORES EM FORMAÇÃO
ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E INGLESA: PROFESSORES EM FORMAÇÃO
 
Organização da formação dos professores alfabetizadores 1
Organização da formação dos professores alfabetizadores 1 Organização da formação dos professores alfabetizadores 1
Organização da formação dos professores alfabetizadores 1
 
Artigo tcc conclusão letras inglês
Artigo tcc   conclusão letras inglêsArtigo tcc   conclusão letras inglês
Artigo tcc conclusão letras inglês
 
Ativ port1 descritores l. portuguesa
Ativ port1  descritores l. portuguesaAtiv port1  descritores l. portuguesa
Ativ port1 descritores l. portuguesa
 

Semelhante a Relatório mensal de atividades PNEM orientadores de estudo mes de julho2014

Relatório mensal de atividades 3 orientadores de estudo
Relatório mensal de atividades  3  orientadores de estudoRelatório mensal de atividades  3  orientadores de estudo
Relatório mensal de atividades 3 orientadores de estudoSolayne Gave Demuner
 
APRESENTAÇÃO Implementação da Proposta Pedagógica Palmas Diretores Escolares...
APRESENTAÇÃO Implementação da Proposta Pedagógica Palmas  Diretores Escolares...APRESENTAÇÃO Implementação da Proposta Pedagógica Palmas  Diretores Escolares...
APRESENTAÇÃO Implementação da Proposta Pedagógica Palmas Diretores Escolares...josihy
 
PROVA OBJETIVA EDUCAÇÃO BÁSICA II- Educação Especial /Deficiência Intelectual
PROVA OBJETIVA EDUCAÇÃO BÁSICA  II-  Educação Especial /Deficiência IntelectualPROVA OBJETIVA EDUCAÇÃO BÁSICA  II-  Educação Especial /Deficiência Intelectual
PROVA OBJETIVA EDUCAÇÃO BÁSICA II- Educação Especial /Deficiência IntelectualEduardo Lopes
 
2º encontro pnaic vânia 2015
2º encontro pnaic  vânia 20152º encontro pnaic  vânia 2015
2º encontro pnaic vânia 2015Wanya Castro
 
A Medida Educativa Adequações Curriculares Individuais e Diferenciação Pedagó...
A Medida Educativa Adequações Curriculares Individuais e Diferenciação Pedagó...A Medida Educativa Adequações Curriculares Individuais e Diferenciação Pedagó...
A Medida Educativa Adequações Curriculares Individuais e Diferenciação Pedagó...Joaquim Colôa
 
Apresentação Covilhã - "A Medida Adequações Curriculares Individuais e Difere...
Apresentação Covilhã - "A Medida Adequações Curriculares Individuais e Difere...Apresentação Covilhã - "A Medida Adequações Curriculares Individuais e Difere...
Apresentação Covilhã - "A Medida Adequações Curriculares Individuais e Difere...Nelson Santos
 
A CIENCIA NA HISTÓRIA.pdf
A CIENCIA NA HISTÓRIA.pdfA CIENCIA NA HISTÓRIA.pdf
A CIENCIA NA HISTÓRIA.pdfGeucianeGuerim
 
Relatório de estágio sistematização
Relatório de estágio sistematizaçãoRelatório de estágio sistematização
Relatório de estágio sistematizaçãoestudosacademicospedag
 
A sala deaulaemfocomoduloi
A sala deaulaemfocomoduloiA sala deaulaemfocomoduloi
A sala deaulaemfocomoduloidaliarafaela
 
Roteiro de visita as escolas parte b entregue 24fev (1)
Roteiro de visita as escolas parte b   entregue 24fev (1)Roteiro de visita as escolas parte b   entregue 24fev (1)
Roteiro de visita as escolas parte b entregue 24fev (1)Telis Lira
 
MATERIAL-DO-EDUCADOR-AULAS-DE-ESTUDO-ORIENTADO.pdf
MATERIAL-DO-EDUCADOR-AULAS-DE-ESTUDO-ORIENTADO.pdfMATERIAL-DO-EDUCADOR-AULAS-DE-ESTUDO-ORIENTADO.pdf
MATERIAL-DO-EDUCADOR-AULAS-DE-ESTUDO-ORIENTADO.pdfLuis Paulo C Carvalho
 
Material do-educador-aulas-de-estudo-orientado
Material do-educador-aulas-de-estudo-orientadoMaterial do-educador-aulas-de-estudo-orientado
Material do-educador-aulas-de-estudo-orientadoDoane Castro
 
Reunião de trabalho cefapro
Reunião de trabalho   cefaproReunião de trabalho   cefapro
Reunião de trabalho cefaproJoelson Marcelo
 

Semelhante a Relatório mensal de atividades PNEM orientadores de estudo mes de julho2014 (20)

Relatório mensal de atividades 3 orientadores de estudo
Relatório mensal de atividades  3  orientadores de estudoRelatório mensal de atividades  3  orientadores de estudo
Relatório mensal de atividades 3 orientadores de estudo
 
APRESENTAÇÃO Implementação da Proposta Pedagógica Palmas Diretores Escolares...
APRESENTAÇÃO Implementação da Proposta Pedagógica Palmas  Diretores Escolares...APRESENTAÇÃO Implementação da Proposta Pedagógica Palmas  Diretores Escolares...
APRESENTAÇÃO Implementação da Proposta Pedagógica Palmas Diretores Escolares...
 
Curriculo
Curriculo Curriculo
Curriculo
 
PROVA OBJETIVA EDUCAÇÃO BÁSICA II- Educação Especial /Deficiência Intelectual
PROVA OBJETIVA EDUCAÇÃO BÁSICA  II-  Educação Especial /Deficiência IntelectualPROVA OBJETIVA EDUCAÇÃO BÁSICA  II-  Educação Especial /Deficiência Intelectual
PROVA OBJETIVA EDUCAÇÃO BÁSICA II- Educação Especial /Deficiência Intelectual
 
Prova objetiva-professor-ii-sociologia-see-sp-2011-fcc
Prova objetiva-professor-ii-sociologia-see-sp-2011-fccProva objetiva-professor-ii-sociologia-see-sp-2011-fcc
Prova objetiva-professor-ii-sociologia-see-sp-2011-fcc
 
2º encontro pnaic vânia 2015
2º encontro pnaic  vânia 20152º encontro pnaic  vânia 2015
2º encontro pnaic vânia 2015
 
A Medida Educativa Adequações Curriculares Individuais e Diferenciação Pedagó...
A Medida Educativa Adequações Curriculares Individuais e Diferenciação Pedagó...A Medida Educativa Adequações Curriculares Individuais e Diferenciação Pedagó...
A Medida Educativa Adequações Curriculares Individuais e Diferenciação Pedagó...
 
Apresentação Covilhã - "A Medida Adequações Curriculares Individuais e Difere...
Apresentação Covilhã - "A Medida Adequações Curriculares Individuais e Difere...Apresentação Covilhã - "A Medida Adequações Curriculares Individuais e Difere...
Apresentação Covilhã - "A Medida Adequações Curriculares Individuais e Difere...
 
Res 93 E 18
Res 93 E 18Res 93 E 18
Res 93 E 18
 
A CIENCIA NA HISTÓRIA.pdf
A CIENCIA NA HISTÓRIA.pdfA CIENCIA NA HISTÓRIA.pdf
A CIENCIA NA HISTÓRIA.pdf
 
RessignificaçãO Do Ensino MéDio
RessignificaçãO Do Ensino MéDio RessignificaçãO Do Ensino MéDio
RessignificaçãO Do Ensino MéDio
 
Relatório de estágio sistematização
Relatório de estágio sistematizaçãoRelatório de estágio sistematização
Relatório de estágio sistematização
 
Projeto meio ambiente
Projeto meio ambienteProjeto meio ambiente
Projeto meio ambiente
 
A sala deaulaemfocomoduloi
A sala deaulaemfocomoduloiA sala deaulaemfocomoduloi
A sala deaulaemfocomoduloi
 
Sala aula foco
Sala aula focoSala aula foco
Sala aula foco
 
Roteiro de visita as escolas parte b entregue 24fev (1)
Roteiro de visita as escolas parte b   entregue 24fev (1)Roteiro de visita as escolas parte b   entregue 24fev (1)
Roteiro de visita as escolas parte b entregue 24fev (1)
 
MATERIAL-DO-EDUCADOR-AULAS-DE-ESTUDO-ORIENTADO.pdf
MATERIAL-DO-EDUCADOR-AULAS-DE-ESTUDO-ORIENTADO.pdfMATERIAL-DO-EDUCADOR-AULAS-DE-ESTUDO-ORIENTADO.pdf
MATERIAL-DO-EDUCADOR-AULAS-DE-ESTUDO-ORIENTADO.pdf
 
Material do-educador-aulas-de-estudo-orientado
Material do-educador-aulas-de-estudo-orientadoMaterial do-educador-aulas-de-estudo-orientado
Material do-educador-aulas-de-estudo-orientado
 
Prova artes
Prova artes Prova artes
Prova artes
 
Reunião de trabalho cefapro
Reunião de trabalho   cefaproReunião de trabalho   cefapro
Reunião de trabalho cefapro
 

Último

ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfLUCASAUGUSTONASCENTE
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 

Último (20)

ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 

Relatório mensal de atividades PNEM orientadores de estudo mes de julho2014

  • 1. PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO RELATÓRIO MENSAL DE ATIVIDADES – ORIENTADOR DE ESTUDO Relatório nº: ________01_____Data: 28/07/2014. ATENÇÃO: É obrigatória a realização e o envio do Relatório Mensal. O seu preenchimento detalhado e cuidadoso nos oferecerá os elementos necessários para avaliarmos nossas ações. A data limite para envio é o último dia do mês. 1) IDENTIFICAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA a) Nome da Escola: E.E.E.M “GOMES CARDIM” b) Endereço da Escola:RUA WILSON FREITAS S/Nº, CENTRO, VITÓRIA,ES. c) Tel. da Escola: (27) 3222-2332 d) E-mail da Escola: escolagomescardim@sedu.es.gov.br e) Superintendência em que a Escola está vinculada: SER CARAPINA 2) IDENTIFICAÇÃO DO ORIENDAOR DE ESTUDO a) Nome do Orientador de Estudo:SOLAYNE GAVE DEMUNER b) Ano de Nascimento: 1981 b) Endereço do Orientador de Estudo: R. WILSON FREITAS, Nº 131, APTO 101, CENTRO, VITÓRIA, ES. c) Contato tel.: (27) 98142-1218 d) E-mail do Orientador de Estudo: solgavedemuner@gmail.com; litllesun@hotmail.com; 3) QUAL FORMAÇÃO VOCÊ POSSUI: ( ) Superior Incompleto Ano de início: ( X ) Superior Completo Ano de término: 2004 ( X ) Pós-Graduação Lato-sensu Ano de término: 2006 ( X ) Pós-Graduação Lato-sensu Ano de término: 2010 ( ) Pós-Graduação Stricto-Sensu (Mestrado) Ano de início: Ano de término: ( ) Pós-Graduação Stricto-Sensu (Doutorado) Ano de início: Ano de término:
  • 2. PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO ( ) Outros: Quais: 4) COM RELAÇAO AO SEU CURSO DE ENSINO SUPERIOR INDIQUE A ÁREA: EDUCAÇÃO – BACHAREL EM PEDAGOGIA ( ) Não se aplica 5) VOCÊ SE FORMOU EM UMA INSTITUIÇÃO: ( ) Pública Federal ( ) Pública Estadual ( ) Pública Municipal ( X ) Particular ( ) Confessional/Comunitária/Filantrópica ( ) Outros: 6) COM RELAÇÃO À SUA PÓS-GRADUAÇÃO, VOCÊ POSSUI a) Especialização em: PSICOPEDAGOGIA E EM GESTÃO ESCOLAR b) Mestrado em: c). Doutorado em: ( ) Não se aplica 7) HÁ QUANTO TEMPO VOCÊ TRABALHA NESTA ESCOLA? 3 anos 7 meses 8) CARATERIZAÇÃO DOS GRUPOS DE ESTUDO Quantidade de Grupos de Estudo na sua Escola: Quantidade de Grupos de Estudo no turno matutino: 03 ( ) Não se aplica Quantidade de Grupos de Estudo no turno vespertino: ( X ) Não se aplica Quantidade de Grupos de Estudo no turno noturno: ( X ) Não se aplica Quantidade de Grupos de Estudo que você Orienta:03
  • 3. PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO Quantidade total de cursista que você orienta:10 Quantidade de cursistas por cada Grupo de Estudo da Escola: DE 03 Á 04 Horários em que você se reuni com os cursistas: HORÁRIOS DE PLANEJAMENTOS, UMA VEZ POR SEMANA PELO MENOS, COM CADA GRUPO. 9) CARATERIZAÇÃO DOS CURSISTAS PARTICIPANTES DOS GRUPOS DE ESTUDO Identifique abaixo a área de atuação dos cursistas e quantidade de participantes: 11 Língua Portuguesa: Língua Estrangeira Inglês: Língua Estrangeira Espanhol:01 Artes: Educação Física: 01 Matemática: 01 História:01 Geografia:01 Filosofia: Sociologia:01 Química:01 Física: 02 Biologia:01 Pedagogo(a): 01 Outro(s): 10) QUAL(IS) O(S) ESPAÇO(S) UTILIZADO(S) PARA OS ENCONTROS COM OS CURSISTAS DA ESCOLA? ( X ) Na sala de professores da Escola ( ) Na biblioteca da Escola ( ) Em uma sala de aula ( ) Na sala de Informática ( X ) Outro(s) Qual(is): SALA DE PEDAGOGO
  • 4. PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO 11) COMO VOCÊ AVALIA OS ASPECTOS RELATIVOS ÀS CONDIÇÕES DO ESPAÇO PARA OS ENCONTROS DE ESTUDO NA ESCOLA? 1. Ruim 2. Regular 3. Bom 4. Excelente Resposta Em geral, o(s) espaços específicos para a formação é(são): 3 Em geral, o ruído originado nesse(s) espaço(s) é(são): 2 Em geral, a ventilação nesse(s) espaço(s) é(são): 3 Em geral, a iluminação nesse(s) espaço(s) é(são): 3 Em geral, as condições dos pisos, as paredes nesse(s) espaço(s) é(são): 3 Em geral, os materiais para formação (computadores, data-show) são: 3 12) QUAL(IS) A(S) ORGANIZAÇÃO(ÕES) UTILIZADA(S) PARA OS ENCONTROS COM OS CURSISTAS NOS GRUPO(S) DE ESTUDO? ( ) Com todos os cursistas, já que foi realizada uma nova organização dos tempos escolares ( X ) No horário de planejamento por área de conhecimento ( ) No horário de planejamento por disciplinas ( ) No horário de planejamento por várias disciplinas ( ) Outro(s) Qual(is): 13) QUAL(IS) O(S) PROCEDIMENTO(OS) UTILIZADO(S) PARA OS ENCONTROS COM OS CURSISTAS NOS GRUPO(S) DE ESTUDO? ( ) Apresentação centrada nos Orientadores do material a ser discutido ( X ) Leitura e debate do material com os cursistas ( X ) Debate com os cursistas mediante leitura prévia do material já realizada em outro horário ( ) Exposição por parte dos cursistas das atividades recomendadas nos Cadernos de Estudo ( ) Apresentação de Vídeo e Filme para problematização dos conteúdos a serem trabalhados na formação ( X ) Debate do conteúdo articulada a realidade da escola ( ) Construção e apresentação de pôster pelos cursistas para dar visibilidade as ações desenvolvidas
  • 5. PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO ( ) Criação de vídeo para dar visibilidade aos temas discutidos na formação ( ) Outras. Qual(is): 14) QUAL(IS) A(S) PRINCIPAL(IS) DIFICULDADE(S) ENCONTRADA(S) NOS GRUPOS DE ESTUDO? ( X ) Tempo de formação destinado com os Cursistas ( ) Frequência dos cursistas na formação ( ) Quantidade de leitura destinadas para participar da formação ( X ) Horários para se encontrar com os cursistas para a formação ( ) Falta de leitura dos cursistas dos Cadernos de Estudo ( ) Dificuldade em compreender as reflexões e proposições presentes nos Cadernos ( ) Resistência dos cursitas no debate das questões presentes nos Cadernos ( ) Resistência em fazer o debate proposto pelos Cadernos, tendo como base a realidade de sua Escola ( ) Relação dos cursistas com o Orientador de Estudo ( ) Relação entre os cursitas no que se refere ao não respeito a diversidade de pensamento ( X ) Outras. Qual(is): AINDA TEMOS CURSISTAS QUE NÃO RECEBERAM SEUS TABLETES, PORÉM NÓS IMPRIMIMOS UMA CÓPIA DE CADA LIVRO A SER ESTUDADO PARA QUE ELES POSSA ACOMPNHAR AS LEITURAS E ASSIM PARTICIPAREM DOS DEBATES E ATIVIDADES PROPOSTAS. 15) QUAL(IS) A(S) PRINCIPAL(IS) AÇÃO(ÕES) REALIZADA(S) PELO ORIENTADOR DE ESTUDO PARA LIDAR COM A(S) DIFICULDADE(S) ENCONTRADA(S) NA ESCOLA? ( ) Destinação de horário e lugar para atendimento aos cursistas ( X ) Conversa particular com os cursistas ( ) Indicação de leitura complementar para aprofundamento das reflexões propostas nos cadernos ( ) Criação de lista de debates por meio da internet para diálogos com os cursitas ( ) Outros. Qual(is): 16) EM QUE MEDIDA OS ENUNCIADOS SEGUINTES CORRESPONDEM À SUA PERCEPÇÃO SOBRE A FORMAÇÃO? 1. Sempre 2. Frequentemente 3. Raramente 4. Nunca Resposta Eu me sinto frustrado com a formação 3 Eu sinto que tenho muito a contribuir com a formação 2
  • 6. PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO Eu penso em sair da formação 4 Eu sinto que a formação tem qualificado minha atuação profissional 2 Eu penso que a formação tem me levado a compreender as especificidades do Ensino Médio no país e em minha escola 2 Eu penso que a formação me proporciona grandes satisfações no que se refere ao trabalho com o jovem 2 Eu penso que a formação em serviço tem valido a pena 2 17) EM QUE MEDIDA OS ENUNCIADOS SEGUINTES CORRESPONDEM À PERCEPÇÃO DOS CURSISTAS SOBRE A FORMAÇÃO? 1. Sempre 2. Frequentemente 3. Raramente 4. Nunca Quantifique a resposta dos cursistas Resposta Os cursistas se sentem frustrado com a formação 3 Eles sentem que têm muito a contribuir com a formação 2 Eles pesam em sair da formação 3 Eles sentem que a formação tem qualificado minha atuação profissional 2 Eles pensam que a formação tem me levado a compreender as especificidades do Ensino Médio no país e em minha escola 2 Eles pensam que a formação me proporciona grandes satisfações no que se refere ao trabalho com o jovem 2 Os cursistas sinalizam que a formação em serviço tem valido a pena 2 18) QUAL(IS) O(S) PRINCIPAL(IS) AVANÇO(S) QUALITATIVO(S) ESTÃO SENDO APRESENTADOS PELOS CURSISTAS NA ESCOLA? OS CURSISTAS ESTÃO AMPLIANDO SUA VISÃO SOBRE O ENSINO MÉDIO E SUAS POSSIBILIDADES DE MUDANÇAS E MELHORIAS. ____________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________
  • 7. PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO 19) UTILIZE ESSE ESPAÇO PARA O REGISTRO DE OUTROS COMENTÁRIOS. REFLEXÃO SOBRE OS TÓPICOS DO CADERNO I: 1) DESAFIOS QUE PERMANECEM PARA O ENSINO MÉDIO NA REALIDADE BRASILEIRA (P.26): PERCEBEMOS QUE APESAR DE HAVEREM REFORMAS NA EDUCAÇÃO PARA MELHORIA NO ENSINO MÉDIO, QUE PASSOU A SER UNIFICADO, COM UM CONTEÚDO COMUM NACIONAL E A VOLTA DAS ESCOLAS PROFISSIONALIZANTES, AINDA EXISTE AQUELA CONECIDA SEPARAÇÃO DA ESCOLA QUE “PREPARA” OS ALUNOS PARA O VESTIBULAR E A ESCOLA QUE PREPARA PARA O MERCADO DE TRABALHO. SEM CONTAR QUE AS ESCOLAS PARTICULARES QUE OFERTAM O ENSINO MÉDIO, AINDA SÃO DIFERENCIADAS EM SEUS CONTEÚDOS, MÉTODOS DIDÁTICOS, PROCURANDO OFERECER SEMPRE MAIS QUE AS ESCOLAS PÚBLICAS E TEM O PROFESSOR COMO CENTRO DO CONHECIMENTO E O ALUNO COMO UMA FOLHA EM BRANCO A SER PREENCHIDA, O QUE COLABORA PARA UMA REPRODUÇÃO DE OUTRORA, E AS UNIVERSIDADES FEDERAIS, NOS CURSO JÁ CONSAGRADOS COMO: DIREITO, MEDICINA E ENGENHARIA, POSSUEM ALUNOS PROVINIENTES, EM SUA GRANDE MAIORIA, DAS ESCOLAS PARTICULARES E QUANDO OS ALUNOS DA ESCOLAS PÚBLICAS CONSEGUEM ADENTRAR NESSES CURSOS, A GRANDE PARTE NÃO CONSEGUE CONCLUIR DEVIDO A FALTA DE BASE DE CONTEÚDO E DIFICULDADES POR NÃO TEREM TIDO O MESMO PADRÃO DE ESTUDOS DE UMA ESCOLA PARTICULAR QUE JÁ DIRECIONA SEUS ALUNOS A ESTUDAREM OS CONTEÚDOS E DISCIPLINAS QUE NECESSITAM PARA O CURSO UNIVERSITÁRIO QUE PRETENDE CURSAR. 2) PERFIL SOCIAL, CULTURAL E ECONOMICO DOS MATRICULADOS NO ENSINO MÉDIO EM NOSSA ESCOLA (P.40): PERFIL SOCIAL: ALUNOS PROVINIENTES DE BAIRROS AO REDOR DA ESCOLA, POPULARES, MORROS E ALGUNS DISTANTES DA ESCOLA, DE OUTROS MUNICÍPIOS PRÓXIMOS. PERFIL CULTURAL: CULTURA DO SAMBA E PAGODE, POR PARTICIPAREM DE ESCOLAS DE SAMBA DE SUAS COMUNIDADES DE ORIGEM, ALÉM DE CURTIREM E FREQUENTAREM BAILES FUNKS. ALGUNS POUCOS QUE GOSTAM E SE INTERESSAM PELA LEITURA E ALGUNS ALUNOS EVANGÉLICOS. PERFIL ECONÔMICO: NOSSOS ALUNOS EM GERAL SÃO FILHOS DE FUNCIONÁRIOS DO SETOR COMERCIAL, ATUANTES COMO VENDEDORES, AUTÔNOMOS COMO: PEDREIROS E FAXINEIRAS, ALGUNS EMPREGADOS NO SETOR PÚBLICO, E ATÉ ALGUNS PAIS QUE JÁ TIVERAM EXPERIÊNCIAS COM O TRÁFICO DE DROGAS E SÃO EX- PRESIDIÁRIOS. INFELIZMENTE ALGUNS DE NOSSOS ALUNOS CONVIVEM DIARIAMENTE COM ESTA REALIDADE E CONSTANTEMENTE SÃO ALICIADOS PARA INGRESSAREM NESSE TIPO DE ATIVIDADE, QUE MUITAS VEZES É ATRATIVA PELA POSSIBILIDADE DE DINHEIRO FÁCIL E IMEDIATO. 3) FORMAÇÃO HUMANA INTEGRAL (P.40): ESSA POSSIBILIDADE DE FORMAÇÃO HUMANA INTEGRAL VISA A DESENVOLVER AS HABILIDADES DOS ALUNOS DE RACIOCINAR O TODO, E NÃO SEPARADAMENTE, AMPLIANDO ASSIM, A VISÃO DO ALUNO COMPREENDENDO A REALIDADE COMO ELA É. SERIA NÃO COLOCAR MAIS OS CONHECIMENTOS EM “PASTINHAS”, COMO NUM
  • 8. PACTO NACIONAL PELO ENSINO MÉDIO ARQUIVO, ONDE EM CADA MOMENTO RETIRAR-SE UMA PASTINHA DO CONHECIMENTO E SIM, EXPANDIR PARA UMA REFLEXÃO AMPLA, ONDE O ALUNO PASSA IDENTIFICAR CADA DISCIPLINA E VÊ-LA COMO IMPORTANTE EM SUA VIDA, PODER FALAR SOBRE UM ASSUNTO CONTEMPLANDO E ENTENDENDO TODAS AS SUAS DIMENSÕES CIENTÍFICAS, HUMANAS E FILOSÓFICAS. 4) COMO CHEGAR Á UNIVERSALIZAÇÃO DO ENSINO MÉDIO? (P.45): REALMENTE ESSA QUESTÃO É COMPLEXA, POIS OS ALUNOS EM NOSSA REALIDADE, NÃO VEEM A CONCLUSÃO DOS ESTUDOS NO ENSINO MÉDIO COMO UMA POSSIBILIDADE DE ASCENSÃO PROFISSIONAL. DE MELHORAR SUA CONDIÇÃO ECONÕMICA, POUCOS POSSUEM EXPECTATIVAS EM CURSAR UMA FACULDADE OU UNIVERSIDADE, A MAIORIA DE NOSSOS ALUNOS CONTENTAM-SE EM REPRODUZIR A REALIDADE ECONÔMICA DE SUA FAMÍLIA. PELO QUE PERCEBEMOS, A UNIVERSALIZAÇÃO DO ENSINO MÉDIO ACONTECERÁ NA MEDIDA EM QUE A AMPLIAÇÃO DE OFERTA E CONSCIENTIZAÇÃO DE SUA IMPORTÃNCIA FOR DIFUNDIDA PELA SOCIEDADE.