SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
A U L A
9
Tornear peças cônicas é uma atividade bas-
tante comum na área da Mecânica. Para fazer isso, o torneiro tem duas técnicas
asuadisposição:elepodeusarainclinaçãodocarrosuperiorouodesalinhamento
da contraponta.
Como você já viu na Aula 7, a inclinação do carro superior é usada para
tornear peças cônicas de pequeno comprimento.
O desalinhamento da contraponta, por sua vez, é usado para o torneamento
de peças de maior comprimento, porém com pouca conicidade, ou seja, até
aproximadamente 10°.
Para o torneamento com inclinação do carro superior, você precisa calcular
o ângulo de inclinação do carro usando a Trigonometria. O desalinhamento da
contraponta também exige que você faça alguns cálculos.
Vamos supor que você seja um torneiro e receba como tarefa a execução do
trabalho mostrado no seguinte desenho.
Analisandoodesenho,vocêpercebequeasuperfíciecônicadapeçatemuma
medida relativamente grande (100 mm). Por outro lado, o seu torno tem um
carro superior com curso máximo de apenas 60 mm.
Por causa dessa incompatibilidade de medidas, você terá de empregar a
técnica do desalinhamento da contraponta. Seu problema é, então, descobrir
qual a medida desse desalinhamento.
Você saberia como resolver esse problema? Não? Então leia esta aula com
atenção e veja como é fácil.
9
A U L A
O problema
Calculando o
desalinhamento da
contraponta
A U L A
9
Nossa aula Calculando a medida do desalinhamento
Quandoacontrapontadotornoestáperfeitamentealinhada,apeçatorneada
terá forma cilíndrica. Como já vimos, se necessitamos tornear uma superfície
cônica, temos de desalinhar a contraponta. Esse desalinhamento tem uma
medida (M). Para descobri-la, vamos analisar a figura a seguir.
Observe o cateto oposto (co) ao ângulo a e o cateto adjacente (ca) no triângulo
retângulo desenhado com linhas tracejadas. Eles nos sugerem a relação tangente:
tga =
co
ca
M, que é a medida desconhecida, é o cateto oposto (co) do triângulo, e o
cateto adjacente é aproximadamente igual a L (ou o comprimento da peça).
Assim, podemos escrever:
tga =
M
L
Na Aula 7, vimos que, para calcular o ângulo de inclinação do carro e obter
peças cônicas, usa-se a fórmula tga =
D - d
2c
. Isso significa que M
L
=
D - d
2c
.
Com esses dados podemos descobrir M, construindo a fórmula:
M =
D - dα φ×L
2×c
Os dados disponíveis são:
D = 30
d = 26
L = 180
c = 100
M = ?
A U L A
9
Substituindo os valores do desenho, temos:
M =
30 - 26α φ×180
2×100
M =
4×180
200
M =
720
200
M = 3,6 mm
Portanto, você deverá deslocar a contraponta 3,6 mm.
DicaDicaDicaDicaDica
Quando todo o comprimento da peça for cônico e, por isso, L = c, calcula-se
o desalinhamento da contraponta pela fórmula: M =
D - d
2
.
Por ser uma atividade bastante rotineira na indústria, vale a pena exercitar
o conhecimento que você acabou de adquirir.
Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1
Calcule o deslocamento da contraponta para tornear a seguinte peça:
Solução:
D = 80
d = 77
c = 80
L = 250
M = ?
M =
D - dα φ×L
2×c
M =
Tente você
também
A U L A
9
Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2
Calcule o deslocamento da contraponta para tornear a seguinte peça cônica.
Solução:
D = 40
d = 38
L = c = 120
M = ?
M =
D - d
2
M =
Conicidade percentual
Vamos supor que você receba o seguinte desenho de peça para tornear:
Analisando as medidas, você percebe que não dispõe do diâmetro menor.
Mas, você tem outro dado: 5% de conicidade.
Esse dado se refere à conicidade percentual, que é a variação do diâmetro da
peça em relação ao comprimento da parte cônica.
Voltando ao valor dado na peça exemplo, que é 5%, vamos encontrar vdvdvdvdvd,
ou a variação de diâmetro por milímetro de comprimento:
5% =
5
100
= 0,05 = vd
Por que fizemos isso? Porque, para calcular M, basta apenas multiplicar esse
valor pelo comprimento da peça, pois isso dará a variação de diâmetro. O
resultado é dividido por dois. Matematicamente, isso é representado por:
M =
vd×L
2
A U L A
9
Analisando os dados da figura anterior, temos:
M = ?
vd = 0,05
L = 150
Substituindo os valores na fórmula:
M =
0,05×150
2
M =
7,5
2
M = 3,75 mm
Portanto, o deslocamento da contraponta deve ser de 3,75 mm para que se
obtenha a peça com 5% de conicidade.
Ninguém aprende a jogar futebol apenas olhando. Estes exercícios são para
você ficar “craque” na resolução de problemas como o que acabamos de
exemplificar.
Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3
Calcule o deslocamento da contraponta para tornear a seguinte peça com 4%
de conicidade.
Solução:
vd = 4% =
4
100
=
L = 140
M = ?
M =
vd.L
2
M =
Tente você
também
A U L A
9
Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4
Calcule o deslocamento da contraponta necessário para tornear a
seguinte peça.
Conicidade proporcional
Da mesma forma que você pode obter a conicidade pela variação percentual
do diâmetro da peça, esta também pode ser fornecida por proporção.
Como exemplo, vamos supor que você tenha de tornear uma peça que
apresente os dados mostrados no desenho a seguir.
Analisando os dados, você percebe que, agora, em vez do diâmetro menor
ou do percentual de conicidade, você tem a razão 1:50 (1 para 50).
Esse dado se refere à conicidade proporcional, que é a variação proporcional
do diâmetro da peça em relação ao comprimento do cone.
Voltando ao valor dado na peça exemplo, que é de 1:50, vamos encontrar
vdvdvdvdvd, ou a variação de diâmetro por milímetro de comprimento:
1:50 =
1
50
= 0,02 = vd
A fórmula para o cálculo de M é igual à fórmula da conicidade percentual:
M =
vd.L
2
Com os dados do desenho, temos:
vd = 0,02
L (comprimento total da peça) = 200
M = ?
A U L A
9
Substituindo esses valores na expressão:
M =
0,02×200
2
M =
4
2
M = 2 mm
Portanto, o deslocamento da contraponta deve ser de 2 mm, o que corres-
ponde à conicidade proporcional de 1:50.
O cálculo da conicidade proporcional é muito fácil. Mesmo assim, vamos
treinar um pouco.
Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5
Calcule o deslocamento da contraponta necessário para tornear a seguinte
peça com conicidade proporcional de 1:20.
Solução:
Exercício 6Exercício 6Exercício 6Exercício 6Exercício 6
Quantos milímetros a contraponta deverá ser deslocada para fornecer uma
conicidade proporcional de 1:100 na peça mostrada a seguir?
Tente você
também
M =
vd.L
2
vd =
1
20
= 0,05
L = 120
M = ?
A U L A
9
Releia toda a lição e estude os exemplos com atenção. Depois, vamos ao
nosso desafio: faça os próximos exercícios como se fossem um teste para
admissão em uma grande empresa mecânica.
Exercício 7Exercício 7Exercício 7Exercício 7Exercício 7
Calcule o deslocamento da contraponta necessário para o torneamento da
peça mostrada a seguir.
Exercício 8Exercício 8Exercício 8Exercício 8Exercício 8
Qual será o deslocamento em milímetros da contraponta para que a peça a
seguir apresente uma conicidade percentual de 3%?
Exercício 9Exercício 9Exercício 9Exercício 9Exercício 9
A peça a seguir precisa ter uma conicidade proporcional de 1:40. Calcule o
deslocamento da contraponta para se obter essa conicidade.
Teste o que
você aprendeu

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEMAPOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEMordenaelbass
 
Apostila elem.maq
Apostila elem.maqApostila elem.maq
Apostila elem.maqDIEGO16384
 
Tabela roscas
Tabela roscasTabela roscas
Tabela roscasjcjaneiro
 
Lista de exercícios
Lista de exercíciosLista de exercícios
Lista de exercíciosolivema91
 
Exercícios pneumática solução
Exercícios pneumática    soluçãoExercícios pneumática    solução
Exercícios pneumática soluçãoCynthia Janei
 
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM ordenaelbass
 
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasAilton Macedo Medeiros
 
Elementos de maquinas apostila Senai
Elementos de maquinas apostila SenaiElementos de maquinas apostila Senai
Elementos de maquinas apostila Senaisheylaladeiracosta
 
5 diagrama ferro carbono
5 diagrama ferro carbono5 diagrama ferro carbono
5 diagrama ferro carbonoThulio Cesar
 
Catalogo correias-goodyear
Catalogo correias-goodyearCatalogo correias-goodyear
Catalogo correias-goodyearLuedes Viana
 
Apostila sistemas mecanicos
Apostila sistemas mecanicosApostila sistemas mecanicos
Apostila sistemas mecanicosLetícia Gomes
 
Elementos de m+íquina curso completo
Elementos de m+íquina   curso completoElementos de m+íquina   curso completo
Elementos de m+íquina curso completoJacs Engenharia
 
Tabelas para ajustes de eixos e furos
Tabelas para ajustes de eixos e furosTabelas para ajustes de eixos e furos
Tabelas para ajustes de eixos e furosalexcavichiolli
 
Polegada milimetro
Polegada milimetroPolegada milimetro
Polegada milimetrocletospotto
 
2º lista de exercícios de soldagem
2º lista de exercícios de soldagem 2º lista de exercícios de soldagem
2º lista de exercícios de soldagem paulofarina
 

Mais procurados (20)

APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEMAPOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
 
Capitulo 3 -_transmissao_por_correias
Capitulo 3 -_transmissao_por_correiasCapitulo 3 -_transmissao_por_correias
Capitulo 3 -_transmissao_por_correias
 
Calculo resistencia de solda
Calculo resistencia de soldaCalculo resistencia de solda
Calculo resistencia de solda
 
16.goniômetro
16.goniômetro16.goniômetro
16.goniômetro
 
Apostila elem.maq
Apostila elem.maqApostila elem.maq
Apostila elem.maq
 
Tabela roscas
Tabela roscasTabela roscas
Tabela roscas
 
Pastilhas e Suportes
Pastilhas e SuportesPastilhas e Suportes
Pastilhas e Suportes
 
Lista de exercícios
Lista de exercíciosLista de exercícios
Lista de exercícios
 
Exercícios pneumática solução
Exercícios pneumática    soluçãoExercícios pneumática    solução
Exercícios pneumática solução
 
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM
 
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
 
Elementos de maquinas apostila Senai
Elementos de maquinas apostila SenaiElementos de maquinas apostila Senai
Elementos de maquinas apostila Senai
 
5 diagrama ferro carbono
5 diagrama ferro carbono5 diagrama ferro carbono
5 diagrama ferro carbono
 
Catalogo correias-goodyear
Catalogo correias-goodyearCatalogo correias-goodyear
Catalogo correias-goodyear
 
Apostila sistemas mecanicos
Apostila sistemas mecanicosApostila sistemas mecanicos
Apostila sistemas mecanicos
 
Elementos de m+íquina curso completo
Elementos de m+íquina   curso completoElementos de m+íquina   curso completo
Elementos de m+íquina curso completo
 
Tabelas para ajustes de eixos e furos
Tabelas para ajustes de eixos e furosTabelas para ajustes de eixos e furos
Tabelas para ajustes de eixos e furos
 
Polegada milimetro
Polegada milimetroPolegada milimetro
Polegada milimetro
 
Roscas,parafusos porcas e arruelas
Roscas,parafusos porcas e arruelasRoscas,parafusos porcas e arruelas
Roscas,parafusos porcas e arruelas
 
2º lista de exercícios de soldagem
2º lista de exercícios de soldagem 2º lista de exercícios de soldagem
2º lista de exercícios de soldagem
 

Destaque

Transsformação de polegadas
Transsformação de polegadasTranssformação de polegadas
Transsformação de polegadasShirley Suene
 
Cálculo técnico aplicado a mecanica
Cálculo técnico aplicado a mecanicaCálculo técnico aplicado a mecanica
Cálculo técnico aplicado a mecanicaGleiton Kunde
 
Apostila desenho mecanico i
Apostila   desenho mecanico iApostila   desenho mecanico i
Apostila desenho mecanico iCarlos A. Silva
 
Instrumental endodontico blog
Instrumental endodontico   blogInstrumental endodontico   blog
Instrumental endodontico blogCharles Pereira
 
Uma proposta para o processo de ensino e aprendizagem de
Uma proposta para o processo de ensino e aprendizagem deUma proposta para o processo de ensino e aprendizagem de
Uma proposta para o processo de ensino e aprendizagem deslucarz
 
13 ct-realizando cálculos para o aparelho divisor (i)
13 ct-realizando cálculos para o aparelho divisor (i)13 ct-realizando cálculos para o aparelho divisor (i)
13 ct-realizando cálculos para o aparelho divisor (i)Anderson Silva
 
Resistência dos Materiais - Torção
Resistência dos Materiais - TorçãoResistência dos Materiais - Torção
Resistência dos Materiais - TorçãoRodrigo Meireles
 
Exercícios de desenho técnico mecânico
Exercícios de desenho técnico mecânicoExercícios de desenho técnico mecânico
Exercícios de desenho técnico mecânicoFirjan SENAI
 

Destaque (20)

Avaliação morfológica
Avaliação morfológicaAvaliação morfológica
Avaliação morfológica
 
Aula26 (1)
Aula26 (1)Aula26 (1)
Aula26 (1)
 
Transsformação de polegadas
Transsformação de polegadasTranssformação de polegadas
Transsformação de polegadas
 
Cálculo técnico aplicado a mecanica
Cálculo técnico aplicado a mecanicaCálculo técnico aplicado a mecanica
Cálculo técnico aplicado a mecanica
 
Posições de Sexo
Posições de SexoPosições de Sexo
Posições de Sexo
 
Apostila desenho mecanico i
Apostila   desenho mecanico iApostila   desenho mecanico i
Apostila desenho mecanico i
 
Instrumental endodontico blog
Instrumental endodontico   blogInstrumental endodontico   blog
Instrumental endodontico blog
 
Uma proposta para o processo de ensino e aprendizagem de
Uma proposta para o processo de ensino e aprendizagem deUma proposta para o processo de ensino e aprendizagem de
Uma proposta para o processo de ensino e aprendizagem de
 
Usinagem de aços ligados
Usinagem de aços ligadosUsinagem de aços ligados
Usinagem de aços ligados
 
07 usinagem
07   usinagem07   usinagem
07 usinagem
 
Cone Morse
Cone MorseCone Morse
Cone Morse
 
13 ct-realizando cálculos para o aparelho divisor (i)
13 ct-realizando cálculos para o aparelho divisor (i)13 ct-realizando cálculos para o aparelho divisor (i)
13 ct-realizando cálculos para o aparelho divisor (i)
 
Tecnico segurancatrabalho desenhotecnico
Tecnico segurancatrabalho desenhotecnicoTecnico segurancatrabalho desenhotecnico
Tecnico segurancatrabalho desenhotecnico
 
02 -torneiro_mecanico - senai
02  -torneiro_mecanico - senai02  -torneiro_mecanico - senai
02 -torneiro_mecanico - senai
 
Cinematica das Maquinas Ferramentas
Cinematica das Maquinas FerramentasCinematica das Maquinas Ferramentas
Cinematica das Maquinas Ferramentas
 
Desenho técnico 1
Desenho técnico 1Desenho técnico 1
Desenho técnico 1
 
Resistência dos Materiais - Torção
Resistência dos Materiais - TorçãoResistência dos Materiais - Torção
Resistência dos Materiais - Torção
 
Exercícios de desenho técnico mecânico
Exercícios de desenho técnico mecânicoExercícios de desenho técnico mecânico
Exercícios de desenho técnico mecânico
 
Apostila cnc
Apostila cncApostila cnc
Apostila cnc
 
Desenho de conjunto projeto final..
Desenho de conjunto projeto final..Desenho de conjunto projeto final..
Desenho de conjunto projeto final..
 

Semelhante a Cálculo do deslocamento da contraponta para tornear peças cônicas

Prova de Matemática fuzileiro naval 2011
Prova de Matemática fuzileiro naval 2011Prova de Matemática fuzileiro naval 2011
Prova de Matemática fuzileiro naval 2011thieresaulas
 
9 mat prep_ti_pf_iii_mar2014_sol
9 mat prep_ti_pf_iii_mar2014_sol9 mat prep_ti_pf_iii_mar2014_sol
9 mat prep_ti_pf_iii_mar2014_solsilvia_lfr
 
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadasAnderson Silva
 
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadasfatec214
 
Solucoes comentadas matematica_uerj_univ
Solucoes comentadas matematica_uerj_univSolucoes comentadas matematica_uerj_univ
Solucoes comentadas matematica_uerj_univOswaldo Stanziola
 
Física - 700 Questões de Vestibular - soluções
Física  - 700 Questões de Vestibular - soluçõesFísica  - 700 Questões de Vestibular - soluções
Física - 700 Questões de Vestibular - soluçõesEverton Moraes
 
Relatório de tração
Relatório de traçãoRelatório de tração
Relatório de traçãoAlmir Luis
 
Ciclo trigonometrico
Ciclo trigonometricoCiclo trigonometrico
Ciclo trigonometricoISJ
 
Trigonometria – exercicios resolvidos ângulos de triângulos
Trigonometria – exercicios resolvidos ângulos de triângulosTrigonometria – exercicios resolvidos ângulos de triângulos
Trigonometria – exercicios resolvidos ângulos de triângulostrigono_metria
 
CfSd 2016 matematica - 3
CfSd 2016   matematica - 3CfSd 2016   matematica - 3
CfSd 2016 matematica - 3profNICODEMOS
 

Semelhante a Cálculo do deslocamento da contraponta para tornear peças cônicas (20)

Engrenagens
EngrenagensEngrenagens
Engrenagens
 
Prova de Matemática fuzileiro naval 2011
Prova de Matemática fuzileiro naval 2011Prova de Matemática fuzileiro naval 2011
Prova de Matemática fuzileiro naval 2011
 
9 mat prep_ti_pf_iii_mar2014_sol
9 mat prep_ti_pf_iii_mar2014_sol9 mat prep_ti_pf_iii_mar2014_sol
9 mat prep_ti_pf_iii_mar2014_sol
 
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas
 
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas
03 ct-calculando o comprimento de peças dobradas ou curvadas
 
Solucoes comentadas matematica_uerj_univ
Solucoes comentadas matematica_uerj_univSolucoes comentadas matematica_uerj_univ
Solucoes comentadas matematica_uerj_univ
 
Física - 700 Questões de Vestibular - soluções
Física  - 700 Questões de Vestibular - soluçõesFísica  - 700 Questões de Vestibular - soluções
Física - 700 Questões de Vestibular - soluções
 
Relatório de tração
Relatório de traçãoRelatório de tração
Relatório de tração
 
Calculos para engrenagens helicoidais
Calculos para engrenagens helicoidaisCalculos para engrenagens helicoidais
Calculos para engrenagens helicoidais
 
Calculos para engrenagens helicoidais
Calculos para engrenagens helicoidaisCalculos para engrenagens helicoidais
Calculos para engrenagens helicoidais
 
Exercicios trigonometria
Exercicios trigonometriaExercicios trigonometria
Exercicios trigonometria
 
Ciclo trigonometrico
Ciclo trigonometricoCiclo trigonometrico
Ciclo trigonometrico
 
Aula 35 engrenagens iv
Aula 35   engrenagens ivAula 35   engrenagens iv
Aula 35 engrenagens iv
 
9 mat ti_v2_21mar2014_sol
9 mat ti_v2_21mar2014_sol9 mat ti_v2_21mar2014_sol
9 mat ti_v2_21mar2014_sol
 
37elem.pdf
37elem.pdf37elem.pdf
37elem.pdf
 
Trigonometria – exercicios resolvidos ângulos de triângulos
Trigonometria – exercicios resolvidos ângulos de triângulosTrigonometria – exercicios resolvidos ângulos de triângulos
Trigonometria – exercicios resolvidos ângulos de triângulos
 
CfSd 2016 matematica - 3
CfSd 2016   matematica - 3CfSd 2016   matematica - 3
CfSd 2016 matematica - 3
 
Engrenagens III
Engrenagens IIIEngrenagens III
Engrenagens III
 
Ficha nº18 trigonometria
Ficha nº18 trigonometriaFicha nº18 trigonometria
Ficha nº18 trigonometria
 
Ficha nº18 trigonometria
Ficha nº18 trigonometriaFicha nº18 trigonometria
Ficha nº18 trigonometria
 

Último

Aula de classificação de rolamentos norma DIN
Aula de classificação de rolamentos norma DINAula de classificação de rolamentos norma DIN
Aula de classificação de rolamentos norma DINFabioFranca22
 
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdf
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdfPLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdf
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdfAroldoMenezes1
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréGuilhermeLucio9
 
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralA Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralFranciscaArrudadaSil
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalleandroladesenvolvim
 
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaGuilhermeLucio9
 
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animal
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animalFISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animal
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animalPauloHenrique154965
 
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfLivro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfSamuel Ramos
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAMCassio Rodrigo
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraGuilhermeLucio9
 

Último (10)

Aula de classificação de rolamentos norma DIN
Aula de classificação de rolamentos norma DINAula de classificação de rolamentos norma DIN
Aula de classificação de rolamentos norma DIN
 
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdf
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdfPLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdf
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdf
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
 
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralA Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animal
 
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
 
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animal
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animalFISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animal
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animal
 
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfLivro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
 

Cálculo do deslocamento da contraponta para tornear peças cônicas

  • 1. A U L A 9 Tornear peças cônicas é uma atividade bas- tante comum na área da Mecânica. Para fazer isso, o torneiro tem duas técnicas asuadisposição:elepodeusarainclinaçãodocarrosuperiorouodesalinhamento da contraponta. Como você já viu na Aula 7, a inclinação do carro superior é usada para tornear peças cônicas de pequeno comprimento. O desalinhamento da contraponta, por sua vez, é usado para o torneamento de peças de maior comprimento, porém com pouca conicidade, ou seja, até aproximadamente 10°. Para o torneamento com inclinação do carro superior, você precisa calcular o ângulo de inclinação do carro usando a Trigonometria. O desalinhamento da contraponta também exige que você faça alguns cálculos. Vamos supor que você seja um torneiro e receba como tarefa a execução do trabalho mostrado no seguinte desenho. Analisandoodesenho,vocêpercebequeasuperfíciecônicadapeçatemuma medida relativamente grande (100 mm). Por outro lado, o seu torno tem um carro superior com curso máximo de apenas 60 mm. Por causa dessa incompatibilidade de medidas, você terá de empregar a técnica do desalinhamento da contraponta. Seu problema é, então, descobrir qual a medida desse desalinhamento. Você saberia como resolver esse problema? Não? Então leia esta aula com atenção e veja como é fácil. 9 A U L A O problema Calculando o desalinhamento da contraponta
  • 2. A U L A 9 Nossa aula Calculando a medida do desalinhamento Quandoacontrapontadotornoestáperfeitamentealinhada,apeçatorneada terá forma cilíndrica. Como já vimos, se necessitamos tornear uma superfície cônica, temos de desalinhar a contraponta. Esse desalinhamento tem uma medida (M). Para descobri-la, vamos analisar a figura a seguir. Observe o cateto oposto (co) ao ângulo a e o cateto adjacente (ca) no triângulo retângulo desenhado com linhas tracejadas. Eles nos sugerem a relação tangente: tga = co ca M, que é a medida desconhecida, é o cateto oposto (co) do triângulo, e o cateto adjacente é aproximadamente igual a L (ou o comprimento da peça). Assim, podemos escrever: tga = M L Na Aula 7, vimos que, para calcular o ângulo de inclinação do carro e obter peças cônicas, usa-se a fórmula tga = D - d 2c . Isso significa que M L = D - d 2c . Com esses dados podemos descobrir M, construindo a fórmula: M = D - dα φ×L 2×c Os dados disponíveis são: D = 30 d = 26 L = 180 c = 100 M = ?
  • 3. A U L A 9 Substituindo os valores do desenho, temos: M = 30 - 26α φ×180 2×100 M = 4×180 200 M = 720 200 M = 3,6 mm Portanto, você deverá deslocar a contraponta 3,6 mm. DicaDicaDicaDicaDica Quando todo o comprimento da peça for cônico e, por isso, L = c, calcula-se o desalinhamento da contraponta pela fórmula: M = D - d 2 . Por ser uma atividade bastante rotineira na indústria, vale a pena exercitar o conhecimento que você acabou de adquirir. Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1 Calcule o deslocamento da contraponta para tornear a seguinte peça: Solução: D = 80 d = 77 c = 80 L = 250 M = ? M = D - dα φ×L 2×c M = Tente você também
  • 4. A U L A 9 Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2 Calcule o deslocamento da contraponta para tornear a seguinte peça cônica. Solução: D = 40 d = 38 L = c = 120 M = ? M = D - d 2 M = Conicidade percentual Vamos supor que você receba o seguinte desenho de peça para tornear: Analisando as medidas, você percebe que não dispõe do diâmetro menor. Mas, você tem outro dado: 5% de conicidade. Esse dado se refere à conicidade percentual, que é a variação do diâmetro da peça em relação ao comprimento da parte cônica. Voltando ao valor dado na peça exemplo, que é 5%, vamos encontrar vdvdvdvdvd, ou a variação de diâmetro por milímetro de comprimento: 5% = 5 100 = 0,05 = vd Por que fizemos isso? Porque, para calcular M, basta apenas multiplicar esse valor pelo comprimento da peça, pois isso dará a variação de diâmetro. O resultado é dividido por dois. Matematicamente, isso é representado por: M = vd×L 2
  • 5. A U L A 9 Analisando os dados da figura anterior, temos: M = ? vd = 0,05 L = 150 Substituindo os valores na fórmula: M = 0,05×150 2 M = 7,5 2 M = 3,75 mm Portanto, o deslocamento da contraponta deve ser de 3,75 mm para que se obtenha a peça com 5% de conicidade. Ninguém aprende a jogar futebol apenas olhando. Estes exercícios são para você ficar “craque” na resolução de problemas como o que acabamos de exemplificar. Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3 Calcule o deslocamento da contraponta para tornear a seguinte peça com 4% de conicidade. Solução: vd = 4% = 4 100 = L = 140 M = ? M = vd.L 2 M = Tente você também
  • 6. A U L A 9 Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4 Calcule o deslocamento da contraponta necessário para tornear a seguinte peça. Conicidade proporcional Da mesma forma que você pode obter a conicidade pela variação percentual do diâmetro da peça, esta também pode ser fornecida por proporção. Como exemplo, vamos supor que você tenha de tornear uma peça que apresente os dados mostrados no desenho a seguir. Analisando os dados, você percebe que, agora, em vez do diâmetro menor ou do percentual de conicidade, você tem a razão 1:50 (1 para 50). Esse dado se refere à conicidade proporcional, que é a variação proporcional do diâmetro da peça em relação ao comprimento do cone. Voltando ao valor dado na peça exemplo, que é de 1:50, vamos encontrar vdvdvdvdvd, ou a variação de diâmetro por milímetro de comprimento: 1:50 = 1 50 = 0,02 = vd A fórmula para o cálculo de M é igual à fórmula da conicidade percentual: M = vd.L 2 Com os dados do desenho, temos: vd = 0,02 L (comprimento total da peça) = 200 M = ?
  • 7. A U L A 9 Substituindo esses valores na expressão: M = 0,02×200 2 M = 4 2 M = 2 mm Portanto, o deslocamento da contraponta deve ser de 2 mm, o que corres- ponde à conicidade proporcional de 1:50. O cálculo da conicidade proporcional é muito fácil. Mesmo assim, vamos treinar um pouco. Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5 Calcule o deslocamento da contraponta necessário para tornear a seguinte peça com conicidade proporcional de 1:20. Solução: Exercício 6Exercício 6Exercício 6Exercício 6Exercício 6 Quantos milímetros a contraponta deverá ser deslocada para fornecer uma conicidade proporcional de 1:100 na peça mostrada a seguir? Tente você também M = vd.L 2 vd = 1 20 = 0,05 L = 120 M = ?
  • 8. A U L A 9 Releia toda a lição e estude os exemplos com atenção. Depois, vamos ao nosso desafio: faça os próximos exercícios como se fossem um teste para admissão em uma grande empresa mecânica. Exercício 7Exercício 7Exercício 7Exercício 7Exercício 7 Calcule o deslocamento da contraponta necessário para o torneamento da peça mostrada a seguir. Exercício 8Exercício 8Exercício 8Exercício 8Exercício 8 Qual será o deslocamento em milímetros da contraponta para que a peça a seguir apresente uma conicidade percentual de 3%? Exercício 9Exercício 9Exercício 9Exercício 9Exercício 9 A peça a seguir precisa ter uma conicidade proporcional de 1:40. Calcule o deslocamento da contraponta para se obter essa conicidade. Teste o que você aprendeu