A CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA 
História 
7.º ano de Escolaridade 
Prof: Ana Sofia Victor
• A civilização egípcia 
foi uma das primeiras 
civilizações da 
Antiguidade. 
• Desenvolveu-se a 
partir de 3500 a.c. e 
...
LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA
O EGIPTO ACTUAL
O EGIPTO ANTIGO
O EGIPTO ANTIGO 
Localizado no continente 
africano, é banhado 
pelo Rio Nilo. 
Sem o Nilo, o Egipto seria 
um deserto, um...
O EGIPTO ANTIGO 
O Egipto divide-se em 
duas grandes zonas: 
• O Baixo Egipto (a norte) 
onde vai desaguar o rio 
Nilo 
• ...
O RIO NILO
O Rio Nilo 
• O Nilo é o maior rio do Mundo, com um curso 
de 6 700 Km que se orienta de sul para Norte 
desaguando no Mar...
A importância do Rio Nilo 
• O Egipto dependia totalmente das cheias anuais do Nilo. 
Após as cheias violentas (que trazia...
A importância do Rio Nilo
O NILO
O NILO 
Durante a Peret, os camponeses cultivavam o trigo e a 
cevada, que servem para preparar o pão e a cerveja, assim c...
O NILO 
Finalmente, na Chemu, decorriam as colheitas. A 
importância do Nilo era tão grande para os egípcios que o 
Nilo e...
A ECONOMIA
AGRICULTURA 
No início, as 
margens do Nilo, eram 
terras muito pantanosas. 
Para as tornar cultiváveis, 
foi necessário f...
AGRICULTURA 
Os egípcios cultivavam 
sobretudo: 
• Cereais (trigo, cevada 
e centeio) 
• Vinha 
• Árvores de fruto 
• Prod...
O COMÉRCIO 
• As colheitas 
abundantes 
contribuíram para o 
desenvolvimento 
do comércio, que 
passou a ter uma 
grande i...
O COMÉRCIO 
• O Egipto exportava 
cereais, linho, cerâmica 
e importava metais, 
madeira, marfim e 
resina que precisava. ...
O ARTESANATO 
A Ourivesaria 
Construção de um muro de um templo 
A maior parte dos trabalhos artesanais eram executados po...
O ARTESANATO
A CAÇA E A PESCA 
A caça ao Hipopótamo
A PECUÁRIA 
O Egipto era um grande criador de Gado. Para evitar o 
roubo dos animais os proprietários marcavam o seu gado....
Economia Egípcia 
Agricultura Pecuária Artesanato Comércio 
Trigo 
Centeio 
Cevada 
Linho 
Papiro 
Uvas 
Legumes 
Bovino 
...
O FARAÓ
O FARAÓ : UM DEUS NA TERRA 
Tudo o que acontecia no 
Egipto era comandado por uma 
pessoa que era considerada, 
pelos egíp...
O FARAÓ : UM DEUS NA TERRA 
A educação do faraó começava desde tenra idade. Mestres experientes 
ensinavam-lhe toda a espé...
OS PODERES DO FARAÓ 
• O Egipto vivia sobre uma 
monarquia teocrática. 
• O faraó detinha os seguintes 
poderes: 
• Admini...
OS PODERES DO FARAÓ 
Era considerado filho de 
Ámon-Rá, o deus-sol. 
O faraó, sendo também um 
deus, possuía os símbolos 
...
O PALÁCIO DO FARAÓ
O Faraó comandava as suas tropas usando a coroa de guerra 
(Kheprech)
Depois de uma vitória 
procedia-se à 
contagem dos inimigos 
mortos cortando-se a 
mão direita dos 
cadáveres. Repara na 
...
A SOCIEDADE
HIERARQUIA SOCIAL NO EGIPTO
A SOCIEDADE 
• A sociedade egípcia dividia-se essencialmente em dois 
grandes grupos: 
• - Privilegiados; 
• - Não privile...
A SOCIEDADE EGÍPCIA 
• Em primeiro lugar, estava o Faraó e a sua família. 
• Imediatamente a seguir, os grupos mais import...
OS PRIVILEGIADOS 
O faraó governava o Egipto por 
intermédio de altos funcionários (Os 
Vizires e os Governadores de 
Prov...
OS NÃO PRIVILEGIADOS 
Os Camponeses e os Escravos levavam uma vida 
muito difícil. Existiam também os comerciantes e 
arti...
RELIGIÃO
A RELIGIÃO 
• Os egípcios eram politeístas 
(Acreditavam em muitos deuses). 
• Alguns deuses eram animais, 
outros humanos...
A RELIGIÃO 
• Grande parte dos deuses 
simbolizavam as forças da 
natureza como a terra e o 
sol, outros representavam 
qu...
Ámon-Rá 
Deus-sol. Era 
venerado em 
todo o Egipto. 
Ísis 
Protectora das 
crianças e da 
fecundidade. 
Mulher de Osíris 
...
Hórus 
Filho de Osíris e 
Ísis. Deus da 
sorte e da 
ressurreição 
Hathor 
Deusa da 
música, da 
alegria e do 
amor 
Bes 
...
A VIDA ETERNA 
Os egípcios acreditavam 
na imortalidade da alma e na 
reencarnação. Como acreditavam na 
vida para além da...
A PREPARAÇÃO DO CORPO 
1.CARPIDEIRAS 
Membros da família rodeiam a 
cama do morto. Embora a família 
esteja presente, são ...
A PREPARAÇÃO DO CORPO 
3. MUMIFICAÇÃO 
Depois enrolam o corpo em muitos 
metros de linho. À medida que vão 
enrolando o co...
A PREPARAÇÃO DO CORPO 
5. O CORTEJO 
No dia do funeral, um cortejo de parentes e criados, 
carregando os bens do morto, va...
A PREPARAÇÃO DO CORPO 
6. APAGAR AS PÉGADAS 
Levam o sarcófago, que tem a forma de um corpo, 
para a pirâmide e colocam-no...
O QUE ACONTECIA AOS MAIS 
POBRES? 
Os pobres eram 
enterrados num 
buraco na areia e 
cobertos por uma 
esteira. O corpo d...
O JULGAMENTO DE OSÍRIS 
A alma do morto irá ser julgada. Anúbis conduz a alma ao local do 
Julgamento, presidido por Osíri...
A ARTE
A Arte egípcia 
Os templos 
• Destinavam-se a adorar os deuses. Os mais 
importantes, que chegaram até nós, são os 
de: Ka...
A Arte egípcia 
- Os templos
A Arte egípcia 
- Os templos
A Arte egípcia 
- os túmulos: as 
pirâmides 
As pirâmides eram túmulos 
Gigantescos construídos pelos 
Egípcios para abrig...
A Arte egípcia 
- os túmulos: as pirâmides 
As pirâmides mais conhecidas, 
são as de Gizé, dos faraós, 
Queóps, Quéfren e ...
A Arte egípcia 
- os túmulos: as pirâmides 
Para a sua construção 
eram necessários 
milhões de toneladas 
de pedras que e...
A Arte egípcia 
- os túmulos: as pirâmides 
Foram construídas graças ao emprego de rampas sobre as 
quais eram puxados os ...
- os túmulos: as pirâmides 
As pirâmides têm um 
A Arte egípcia 
conjunto de câmaras 
funerárias ventiladas por 
condutas ...
Na ausência de qualquer máquina 
elevatória, a construção das pirâmides 
exigia muita mão-de-obra, constituída 
principalm...
O INTERIOR DAS PIRÂMIDES
O INTERIOR DAS PIRÂMIDES
A Arte egípcia 
- os túmulos: as mastabas 
Os ricos mandavam construir 
grandes túmulos feitos com tijolos 
secos ao sol, ...
A Arte egípcia 
- os túmulos: os 
hipogeus 
São grandes 
monumentos 
funerários cavados 
na rocha. São 
grandes conjuntos ...
A Arte egípcia 
- a escultura 
As esculturas eram utilizadas como 
base decorativa no interior e 
exterior das construções...
A Arte egípcia 
- a escultura 
• A escultura egípcia era 
monumental quando 
representava os 
faraós. As figuras 
surgiam ...
A Arte egípcia 
- a escultura
A Arte egípcia 
- a pintura 
• As pinturas 
decoravam os 
túmulos, templos e 
palácios e 
representavam 
cenas do dia-a-di...
A Arte egípcia 
- a pintura 
A representação da figura humana 
obedecia à lei da frontalidade. 
Assim, a cabeça e os pés e...
A ESCRITA 
EGÍPCIA
A ESCRITA 
A escrita egípcia é uma das mais antigas do 
mundo. Esta escrita apenas dominada pelos escribas, 
chamava-se hi...
A ESCRITA 
O suporte para esta escrita era o 
papiro, uma planta que crescia 
junto ao Nilo. Também usavam a 
pedra. 
A ma...
O PAPIRO 
Os papiros 
cresciam nos 
densos bosques 
das margens do 
Nilo e no delta 
Retirava-se-lhes o 
caule para cortar...
O PAPIRO 
As duas 
espessuras 
sobrepostas eram 
em seguida 
batidas com um 
maço para que se 
interpenetrassem. 
Por últi...
AS OBRAS 
LITERÁRIAS 
EGIPCIAS
AS OBRAS LITERÁRIAS EGIPCIAS 
• Os egípcios escreveram obras em papiro. Desde textos 
religiosos, a livros de ensinamentos...
AS CIÊNCIAS
• Os egípcios desenvolveram saberes, 
principalmente, nas seguintes áreas: 
• Matemática 
• Astronomia 
• Medicina 
AS CIÊ...
AS CIÊNCIAS 
Quanto à Geometria e à 
Matemática, sabe-se 
que usavam a 
subtracção e a adição, 
realizavam a 
multiplicaçã...
AS CIÊNCIAS 
• A Medicina foi uma das 
ciências estudadas e 
desenvolvidas pelos Egípcios, 
devido aos conhecimentos de 
a...
AS CIÊNCIAS 
• Na Astronomia, o calendário 
dividia o ano em 365 dias, o 
dia em 24 horas e a hora em 
60 minutos. 
• Estu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

3. a civilização egípcia

6.165 visualizações

Publicada em

A civilização egípcia, História, 7.º ano de escolaridade

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.165
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
143
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
245
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3. a civilização egípcia

  1. 1. A CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA História 7.º ano de Escolaridade Prof: Ana Sofia Victor
  2. 2. • A civilização egípcia foi uma das primeiras civilizações da Antiguidade. • Desenvolveu-se a partir de 3500 a.c. e durou até cerca de 3000 anos. • Os egípcios deixaram-nos contributos muito importantes.
  3. 3. LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA
  4. 4. O EGIPTO ACTUAL
  5. 5. O EGIPTO ANTIGO
  6. 6. O EGIPTO ANTIGO Localizado no continente africano, é banhado pelo Rio Nilo. Sem o Nilo, o Egipto seria um deserto, uma vez que tem a ocidente o deserto líbio e a oriente o deserto arábico.
  7. 7. O EGIPTO ANTIGO O Egipto divide-se em duas grandes zonas: • O Baixo Egipto (a norte) onde vai desaguar o rio Nilo • O Alto Egipto (a Sul) a zona mais montanhosa
  8. 8. O RIO NILO
  9. 9. O Rio Nilo • O Nilo é o maior rio do Mundo, com um curso de 6 700 Km que se orienta de sul para Norte desaguando no Mar Mediterrâneo.
  10. 10. A importância do Rio Nilo • O Egipto dependia totalmente das cheias anuais do Nilo. Após as cheias violentas (que traziam muitos restos de plantas e animais), os detritos depositados na terra eram uma garantia de boas colheitas. Além disso, o rio Nilo era uma importante via de comunicação e era o único recurso de pescadores e agricultores.
  11. 11. A importância do Rio Nilo
  12. 12. O NILO
  13. 13. O NILO Durante a Peret, os camponeses cultivavam o trigo e a cevada, que servem para preparar o pão e a cerveja, assim como o linho, para fazer os tecidos.
  14. 14. O NILO Finalmente, na Chemu, decorriam as colheitas. A importância do Nilo era tão grande para os egípcios que o Nilo era considerado um Deus.
  15. 15. A ECONOMIA
  16. 16. AGRICULTURA No início, as margens do Nilo, eram terras muito pantanosas. Para as tornar cultiváveis, foi necessário fazer obras de drenagem, bem como de regularização e distribuição das águas, através da construção de diques e canais.
  17. 17. AGRICULTURA Os egípcios cultivavam sobretudo: • Cereais (trigo, cevada e centeio) • Vinha • Árvores de fruto • Produtos hortícolas • Linho • papiro
  18. 18. O COMÉRCIO • As colheitas abundantes contribuíram para o desenvolvimento do comércio, que passou a ter uma grande importância na sua economia.
  19. 19. O COMÉRCIO • O Egipto exportava cereais, linho, cerâmica e importava metais, madeira, marfim e resina que precisava. • Estabeleceram relações comerciais os povos vizinhos e faziam-nas através do Nilo, mar Mediterrâneo e Mar Vermelho.
  20. 20. O ARTESANATO A Ourivesaria Construção de um muro de um templo A maior parte dos trabalhos artesanais eram executados por homens livres. Os proprietários das grandes terras procuravam ter ao seu serviço trabalhadores de quase todas as profissões. Produzia-se metalurgia, ourivesaria, vidro, cestaria, olaria e construção naval.
  21. 21. O ARTESANATO
  22. 22. A CAÇA E A PESCA A caça ao Hipopótamo
  23. 23. A PECUÁRIA O Egipto era um grande criador de Gado. Para evitar o roubo dos animais os proprietários marcavam o seu gado. A passagem pelo rio Nilo era feita com grande dificuldade principalmente pelo perigo de crocodilos.
  24. 24. Economia Egípcia Agricultura Pecuária Artesanato Comércio Trigo Centeio Cevada Linho Papiro Uvas Legumes Bovino Caprino Asinino Ourivesaria Tecelagem Cestaria Vidro Construção Naval Exportavam artesanato e excedentes agrícolas e Importavam cedro, ouro e cobre
  25. 25. O FARAÓ
  26. 26. O FARAÓ : UM DEUS NA TERRA Tudo o que acontecia no Egipto era comandado por uma pessoa que era considerada, pelos egípcios, o seu rei e Deus. O faraó tinha o poder total sobre o Egipto porque era considerado superior aos homens.
  27. 27. O FARAÓ : UM DEUS NA TERRA A educação do faraó começava desde tenra idade. Mestres experientes ensinavam-lhe toda a espécie de desportos violentos, como a caça, uma actividade nobre. O faraó tinha de ser um campeão de tiro com arco, para mais tarde poder perseguir, no seu carro, as gazelas do deserto ou combater os inimigos do Egipto.
  28. 28. OS PODERES DO FARAÓ • O Egipto vivia sobre uma monarquia teocrática. • O faraó detinha os seguintes poderes: • Administrador do Egipto • Sumo-sacerdote • Juiz supremo • Chefe do exército Todas as terras pertenciam ao faraó.
  29. 29. OS PODERES DO FARAÓ Era considerado filho de Ámon-Rá, o deus-sol. O faraó, sendo também um deus, possuía os símbolos do seu poder sobrenatural: o pequeno báculo ( heka ), o chicote (nekhekh ) e a imagem da serpente sagrada.
  30. 30. O PALÁCIO DO FARAÓ
  31. 31. O Faraó comandava as suas tropas usando a coroa de guerra (Kheprech)
  32. 32. Depois de uma vitória procedia-se à contagem dos inimigos mortos cortando-se a mão direita dos cadáveres. Repara na importante função dos escribas.
  33. 33. A SOCIEDADE
  34. 34. HIERARQUIA SOCIAL NO EGIPTO
  35. 35. A SOCIEDADE • A sociedade egípcia dividia-se essencialmente em dois grandes grupos: • - Privilegiados; • - Não privilegiados. O Egipto não tinha uma sociedade onde todos eram iguais mas, pelo contrário, tinha uma sociedade diferenciada ou estratificada.
  36. 36. A SOCIEDADE EGÍPCIA • Em primeiro lugar, estava o Faraó e a sua família. • Imediatamente a seguir, os grupos mais importantes e que tinham mais direitos eram os nobres, sacerdotes e escribas. O poder destes grupos vinha do domínio da religião e escrita. • Seguiam-se os artífices (artesãos), os comerciantes e os camponeses. • Na base da sociedade encontramos os escravos. Era o grupo social mais numeroso, pertencia ao Faraó e fazia os trabalhos mais duros e perigosos: trabalhavam nas minas, na construção de monumentos, etc. • No Egito, as mulheres tinham os mesmos direitos que os homens.
  37. 37. OS PRIVILEGIADOS O faraó governava o Egipto por intermédio de altos funcionários (Os Vizires e os Governadores de Províncias) Por sua vez estes dispunham de numerosos escribas para: Cobrar impostos, assegurar a justiça, comandar a polícia, recrutar soldados, vigiar o trabalho nos campos e o serviço nos templos. Os escribas eram educados nas escolas dos templos e do palácio, estudando, durante longos anos, a escrita egípcia.
  38. 38. OS NÃO PRIVILEGIADOS Os Camponeses e os Escravos levavam uma vida muito difícil. Existiam também os comerciantes e artificies. Todos pagavam impostos ao faraó, aos sacerdotes e aos senhores. Também podiam ser chamados para obras públicas.
  39. 39. RELIGIÃO
  40. 40. A RELIGIÃO • Os egípcios eram politeístas (Acreditavam em muitos deuses). • Alguns deuses eram animais, outros humanos e alguns misturavam as formas humana e animal. • A religião egípcia era antropomórfica pois alguns deuses eram representados com forma humana.
  41. 41. A RELIGIÃO • Grande parte dos deuses simbolizavam as forças da natureza como a terra e o sol, outros representavam qualidades humanas, como a justiça e a sabedoria. • Os egípcios fizeram uma hierarquia de deuses. • O Nilo era também visto como um deus. • Os egípcios acreditavam que a adoração dos deuses tornava as terras mais férteis, a alimentação abundante e afastava todos os males. • Os sacerdotes organizavam procissões e festas em honra dos deuses, nos templos das cidades.
  42. 42. Ámon-Rá Deus-sol. Era venerado em todo o Egipto. Ísis Protectora das crianças e da fecundidade. Mulher de Osíris Osíris Deus das Terras e das Sementeiras. É perante ele que os mortos se apresentam na esperança de vida eterna. Anúbis Deus dos mortos e rei dos embalsamadores
  43. 43. Hórus Filho de Osíris e Ísis. Deus da sorte e da ressurreição Hathor Deusa da música, da alegria e do amor Bes Protege os egípcios na sua vida quotidiana. Tot Deus da sabedoria e da escrita
  44. 44. A VIDA ETERNA Os egípcios acreditavam na imortalidade da alma e na reencarnação. Como acreditavam na vida para além da morte, era necessário preparar os corpos devidamente para poderem viver na outra vida. Essa crença obrigou-os a aperfeiçoar a técnica da mumificação e de embalsamento dos mortos.
  45. 45. A PREPARAÇÃO DO CORPO 1.CARPIDEIRAS Membros da família rodeiam a cama do morto. Embora a família esteja presente, são contratadas também carpideiras profissionais para seguirem o cortejo, a fim de mostrar respeito da família pelo seu parente falecido. 2. EMBALSAMAMENTO Os embalsamadores retiram o cérebro e os orgãos internos do morto e colocam-nos de lado. Depois cobrem o corpo com um sal chamado matro, para secar o corpo e preservá-lo para a vida após a morte.
  46. 46. A PREPARAÇÃO DO CORPO 3. MUMIFICAÇÃO Depois enrolam o corpo em muitos metros de linho. À medida que vão enrolando o corpo com as várias camadas, põem jóias e amuletos entre as faixas e rezam pela alma do morto. 4. MÁSCARA DOS DEUSES Na múmia colocam uma máscara que é um retrato do homem morto. Todo este processo demora setenta dias e, durante este tempo, os embalsa-madores usam máscaras de animais e fazem o papel de Deuses.
  47. 47. A PREPARAÇÃO DO CORPO 5. O CORTEJO No dia do funeral, um cortejo de parentes e criados, carregando os bens do morto, vai desde sua casa até à oficina do embalsamador. Aí juntam-se ao sacerdote e às carpideiras. A múmia está agora dentro do seu caixão, em cima de um trenó, e atrás vem o vaso canópico, que contém os orgãos internos.
  48. 48. A PREPARAÇÃO DO CORPO 6. APAGAR AS PÉGADAS Levam o sarcófago, que tem a forma de um corpo, para a pirâmide e colocam-no numa urna rectangular e selam a tampa da urna. Um sacerdote varre a câmara onde fica a urna e afasta qualquer traço de vida humana e, assim, mantém o mal afastado do túmulo.
  49. 49. O QUE ACONTECIA AOS MAIS POBRES? Os pobres eram enterrados num buraco na areia e cobertos por uma esteira. O corpo do defunto é deitado de lado, como se estivesse a dormir. O local é depois protegido por grandes pedras, para evitar que os chacais desenterrem o corpo, perturbando o seu sono eterno.
  50. 50. O JULGAMENTO DE OSÍRIS A alma do morto irá ser julgada. Anúbis conduz a alma ao local do Julgamento, presidido por Osíris. O coração do morto é colocado numa balança, em comparação com uma pena de Avestruz. Ele teve uma vida exemplar e, por isso, o coração foi mais leve e a sua recompensa é uma vida eterna cheia de paz. Amit, monstro do Nilo, devora os mortos cujo coração pese mais do que a pena de avestruz por terem sido maus em vida.
  51. 51. A ARTE
  52. 52. A Arte egípcia Os templos • Destinavam-se a adorar os deuses. Os mais importantes, que chegaram até nós, são os de: Karnac, Luxor e Abu Simbel. Templo de Luxor, Egipto Templo de Abu Simbel, Egipto
  53. 53. A Arte egípcia - Os templos
  54. 54. A Arte egípcia - Os templos
  55. 55. A Arte egípcia - os túmulos: as pirâmides As pirâmides eram túmulos Gigantescos construídos pelos Egípcios para abrigar o corpo dos faraós e prestar-lhe culto após a morte. No Egipto existem cerca de 60 pirâmides.
  56. 56. A Arte egípcia - os túmulos: as pirâmides As pirâmides mais conhecidas, são as de Gizé, dos faraós, Queóps, Quéfren e Miquerinos.
  57. 57. A Arte egípcia - os túmulos: as pirâmides Para a sua construção eram necessários milhões de toneladas de pedras que era preciso extrair de pedreiras distantes. A pirâmide de Keóps tem 147 metros de altura e 227 metros de largura na base.
  58. 58. A Arte egípcia - os túmulos: as pirâmides Foram construídas graças ao emprego de rampas sobre as quais eram puxados os materiais. Para tal foi necessário utilizar uma mão-de-obra numerosa.
  59. 59. - os túmulos: as pirâmides As pirâmides têm um A Arte egípcia conjunto de câmaras funerárias ventiladas por condutas de arejamento. Nestas câmaras eram depositados os sarcófagos reais. A entrada que Conduzia ao sarcófago real mantinha-se secreta desde a sua construção.
  60. 60. Na ausência de qualquer máquina elevatória, a construção das pirâmides exigia muita mão-de-obra, constituída principalmente por camponeses que a cheia deixava desocupados.
  61. 61. O INTERIOR DAS PIRÂMIDES
  62. 62. O INTERIOR DAS PIRÂMIDES
  63. 63. A Arte egípcia - os túmulos: as mastabas Os ricos mandavam construir grandes túmulos feitos com tijolos secos ao sol, as mastabas. O corpo é colocado num compartimento subterrâneo, no fundo de um poço.
  64. 64. A Arte egípcia - os túmulos: os hipogeus São grandes monumentos funerários cavados na rocha. São grandes conjuntos de salas e corredores cheios de pinturas. A câmara funerária, onde se encontra o sarcófago situa-se no final do conjunto subterrâneo.
  65. 65. A Arte egípcia - a escultura As esculturas eram utilizadas como base decorativa no interior e exterior das construções. As estátuas maiores, eram feitas em pedra de vários tipos, desde o granito ao mármore.
  66. 66. A Arte egípcia - a escultura • A escultura egípcia era monumental quando representava os faraós. As figuras surgiam rígidas e com falta de expressão. • Também faziam baixos e altos-relevos.
  67. 67. A Arte egípcia - a escultura
  68. 68. A Arte egípcia - a pintura • As pinturas decoravam os túmulos, templos e palácios e representavam cenas do dia-a-dia, os deuses e os faraós. Não conheciam a perspetiva por isso as figuras não têm profundidade
  69. 69. A Arte egípcia - a pintura A representação da figura humana obedecia à lei da frontalidade. Assim, a cabeça e os pés eram representados de perfil e os olhos e tronco de frente, com os ombros rigorosamente iguais. O tamanho das figuras representadas correspondia à sua importância social. Por isso, o faraó era sempre representado com dimensões maiores que qualquer outra personagem.
  70. 70. A ESCRITA EGÍPCIA
  71. 71. A ESCRITA A escrita egípcia é uma das mais antigas do mundo. Esta escrita apenas dominada pelos escribas, chamava-se hieroglífica e era constituída por centenas de sinais, os hieroglifos, que representavam figuras humanas, animais, objetos e plantas.
  72. 72. A ESCRITA O suporte para esta escrita era o papiro, uma planta que crescia junto ao Nilo. Também usavam a pedra. A maioria dos textos são de origem religiosa ou administrativa e ficaram registados em papiros, nos túmulos e em alguns objectos. A escrita hieroglífica só foi decifrada no século XIX pelo francês Champollion, que decifrou as inscrições da Pedra da Roseta..
  73. 73. O PAPIRO Os papiros cresciam nos densos bosques das margens do Nilo e no delta Retirava-se-lhes o caule para cortar em pequenas lâminas de tamanho idêntico. As laminazinhas embebidas na água eram justapostas e depois recebiam uma segunda camada de pequenas lâminas.
  74. 74. O PAPIRO As duas espessuras sobrepostas eram em seguida batidas com um maço para que se interpenetrassem. Por último, a superfície era alisada. Depois de secar obtinha-se uma folha castanho-clara. As folhas eram depois coladas, esticadas para se obterem rolos utilizáveis horizontal ou verticalmente.
  75. 75. AS OBRAS LITERÁRIAS EGIPCIAS
  76. 76. AS OBRAS LITERÁRIAS EGIPCIAS • Os egípcios escreveram obras em papiro. Desde textos religiosos, a livros de ensinamentos morais, a contos populares. As obras mais conhecidas actualmente são: - o livro dos mortos - a sátira dos ofícios
  77. 77. AS CIÊNCIAS
  78. 78. • Os egípcios desenvolveram saberes, principalmente, nas seguintes áreas: • Matemática • Astronomia • Medicina AS CIÊNCIAS
  79. 79. AS CIÊNCIAS Quanto à Geometria e à Matemática, sabe-se que usavam a subtracção e a adição, realizavam a multiplicação a partir da soma, conheciam a raiz quadrada e as fracções. Tinham medidas de comprimento, de peso, volume e superfície. Calcularam a área do círculo.
  80. 80. AS CIÊNCIAS • A Medicina foi uma das ciências estudadas e desenvolvidas pelos Egípcios, devido aos conhecimentos de anatomia que lhes advinham do embalsamamento dos corpos. Os médicos egípcios eram famosos em todo o Próximo Oriente e deslocavam-se a outros territórios para tratarem os doentes. Sabiam fazer operações cirúrgicas.
  81. 81. AS CIÊNCIAS • Na Astronomia, o calendário dividia o ano em 365 dias, o dia em 24 horas e a hora em 60 minutos. • Estudavam a posição dos astros para prever a época das cheias do Nilo.

×