Antiepiléticos2003

2.409 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Esportes
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Antiepiléticos2003

  1. 1. EPILEPSIA E ANTIEPILEPTICOS Sofia Esteves 4º Ano Farmácia
  2. 2. Convulsões epilépticas
  3. 3. Descargas anormais no SNC Activação desordenada , sincrónica e rítmica de neurónios
  4. 4. <ul><li>A forma de apresentação depende em larga medida da área do córtex cerebral afectada </li></ul>Crise Parcial : Iniciam-se num foco do córtex Crise Generalizada : Envolvem ambos os hemisférios
  5. 5. Simples Complexas
  6. 6. Tónico-clónicas Ausências
  7. 7. Tónicas Mióclonicas Atónicas
  8. 8. <ul><li>Alterações dos canais iónicos com afectação profunda da estabilidade das membranas neuroniais; </li></ul><ul><li>Alterações nos sistemas inibitórios e excitatórios cerebrais. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Dano cerebral relacionado ao nascimento </li></ul><ul><li>Anomalia cerebral congénita </li></ul><ul><li>Predisposição genética, hereditariedade </li></ul><ul><li>Infecções, tumores, lesões cerebrais </li></ul><ul><li>Anomalias no vasos sanguíneos cerebrais </li></ul><ul><li>Uso de drogas de abuso, álcool </li></ul><ul><li>Exposição a gases tóxicos </li></ul><ul><li>Hipoglicemia </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Diagnóstico </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Historial clínico </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Exames complementares: EEC, RMN </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><li>A epilepsia pode ser secundária a: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Tumor </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Lesão vascular ou tóxica </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Hipóxia </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Perturbações hidroelectrolíticas </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Infecções </li></ul></ul></ul></ul></ul>Tratamento direccionado para as causas
  11. 11. 1. Hidantoínas 2. Barbitúricos 4. Benzodiazepinas 5. Iminostilbenos 6. Outros 3. Succinimidas
  12. 12. <ul><li>Fenitoína (100mg) </li></ul><ul><li>Crises parciais </li></ul><ul><li>Crises tónico-clónicas </li></ul><ul><li>Nevralgia do trigémio Teratogénico </li></ul><ul><li>Pequena margem terapêutica </li></ul><ul><li>Mecanismo de acção: </li></ul><ul><li>Bloqueio dos canais de sódio e inibição da geração de potenciais de acção repetidos </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Fenobarbital (100mg, 200mg) </li></ul><ul><li>Crises tónico-clónicas parciais e generalizadas </li></ul><ul><li>Certos tipos de epilepsia focal </li></ul><ul><li>Convulsões febris </li></ul>Efeito sedativo Tendência para alterar o comportamento em crianças. <ul><li>Mecanismo de acção: </li></ul><ul><li>Liga-se ao local alostérico no receptor da GABA-benzodiazepínico, prolongando a abertura dos canais de cloreto. </li></ul><ul><li>Consegue também bloquear os canais de sódio. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Ácido valpróico/valproato sódico: </li></ul><ul><li>Epilepsia em monoterapia; </li></ul><ul><li>Terapêutica adjuvante em epilepsia no tratamento de crises parciais complexas, ausências ou crises de tipo misto; </li></ul><ul><li>Psicoses maníaco-depressivas (acção sobre o humor); </li></ul><ul><li>Profilaxia da enxaqueca. </li></ul><ul><li>Mecanismo de acção: </li></ul><ul><li>Inibição da propagação da actividade convulsionante, alguma acção sobre os canais de sódio . </li></ul>Insuficiência hepática fatal
  15. 15. <ul><li>Clorazepato dipotássico: </li></ul><ul><li>Crises de ausência; </li></ul><ul><li>Crises mioclónicas; </li></ul><ul><li>Crises atónicas; </li></ul><ul><li>Tratamento de emergência do estado de mal epiléptico. </li></ul>Sonolência Tolerância <ul><li>Mecanismo de acção: </li></ul><ul><li>Intensifica a inibição através da sua interacção com o receptor GABA A . </li></ul><ul><li>Bloqueio dos canais de sódio. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Carbamazepina : </li></ul><ul><li>Crises tónico-clónicas generalizadas; </li></ul><ul><li>Crises parciais complexas ou simples; </li></ul><ul><li>Formas mistas de epilepsia; </li></ul><ul><li>Síndrome de abstinência do álcool; </li></ul><ul><li>Distúrbios do humor. </li></ul>Sonolência Incoordenação Vertigem <ul><li>Mecanismo de acção: </li></ul><ul><li>Bloqueia os canais de sódio em concentrações terapêuticas. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>a. Gabapentina </li></ul><ul><li>Indicações terapêuticas: </li></ul><ul><li>Monoterapia; </li></ul><ul><li>Terapêutica de adjunção no tratamento de crises parciais; </li></ul><ul><li>Dor neuropática. </li></ul><ul><li>Mecanismo de acção : </li></ul><ul><li>O seu local de acção é sobre a função dos canais de cálcio, ligando-se a uma subunidade do canal em particular e inibe a liberação de vários neurotransmissores e moduladores. </li></ul>Sonolência Tonteira Ataxia
  18. 18. <ul><li>b . Topiramato </li></ul><ul><li>Indicações terapêuticas: </li></ul><ul><li>Tratamento adjuvante das crises parciais com ou sem generalização secundária insatisfatoriamente controladas com outros anti-epilépticos; </li></ul><ul><li>Crises tónico-clónicas generalizadas. </li></ul><ul><li>Mecanismo de acção: </li></ul><ul><li>Bloqueador dos canais de sódio. </li></ul>Alentecimento cognitivo Confusão Aumento de cálculos renais
  19. 19. <ul><li>Tratamento adjuvante de crises parciais; </li></ul><ul><li>Crises tónico-clónicas generalizadas; </li></ul><ul><li>Crises associadas ao síndrome de Lennox-Gastaut. </li></ul>c . Lamotrigina Indicações terapêuticas: <ul><li>Mecanismo de acção: </li></ul><ul><li>Liga em canais de Na+ e estabiliza estado </li></ul><ul><li>inactivo – inibição do espalhamento da onda </li></ul><ul><li>convulsivante. </li></ul>Erupções cutâneas graves; Sindrome de Stevens-Johnson
  20. 20. <ul><li>Apesar de estes fármacos se encontrarem no grupo farmacêutico de anticonvulsivantes, no CRER eles são administrados, principalmente, para o tratamento de dor neuropática. </li></ul><ul><li>De todos os fármacos mencionados apenas o Topiramato e a Lamotrigina não são padronizados nesta instituição . </li></ul>
  21. 21. <ul><li>A cirurgia como tratamento. Disponível em : <http://www.lpce.pt/dcirurgia.htm>. Acessado em 5/01/2011; </li></ul><ul><li>CRAIG, C et al. Farmacologia moderna com aplicações clínicas, p. 350-357, 6ª ed, Guanabara Koogan, 2005; </li></ul><ul><li>Crise convulsiva. Disponível em: <http://www.mdsaude.com/2010/06/epilepsia-crise-convulsiva-sintomas.html>. Acessado em 21/12/2010; </li></ul><ul><li>Prontuário Terapêutico, Infarmed, 2006. </li></ul>

×